Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

POESIA

No description
by

Semario Historia

on 16 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of POESIA

Filmes
Poesia Popular
COM LÍNGUA COM BOCA E TUDO

Quando eu perguntei a ele:
"Você é o FAMOSO QUEM?"
Disseram é Chico Buarque
Poeta sem ser do mato
Compositor e artista
O maior MPBista
Que o Brasil inteiro tem.

De boca debochativa
Fui dizendo: "Tudo bem
Se sois um cabra machudo
Versejador tutanudo
Comigo vira pixote.
Bebulha agora esse mote:

COM LÍNGUA COM BOCA E TUDO?."

Ele disse: "Cantador
Minha rima é catequética
De propedêutica poética
Didática e evolutiva
A tua é provocativa
Por seres um cosquilhudo
Teu verso pontiagudo
Não me fere nem me abala
E entulharei tua fala
Com língua com boca e tudo."
Eu respondi: "Meu cumpade
Eu não sou feito o senhor
Não faço samba de amor
E nem música popular.
Mas se acaso me chegar
Uma dama no veludo
De beiço grosso e carnudo
Sem ferrolho e sem tramela
Eu beijo a garganta dela
Com língua com boca e tudo.

Aí fiquemo trombudo
Troquemo doze bufete
Depois joguemo confete
E findemo o bafafá.

Hoje em dia ao se lembrar
Se rimo daquilo tudo
Somo inté dois manteúdo
Já distorcemo os bigode
No meu verso ele me acode
No verso dele eu acudo.
JESSIER QUIRINO

O estranho mundo de Jack
Crocodilo dundee
O corvo
O carteiro e o poeta
Coração valente
Alice através do espelho
Sociedade dos poetas mortos
Escritores da liberdade
E aí meu irmão cadê você?
http://versodeboca.blogspot.com.br/
http://www.poesiapopular.com/
Se manifesta de várias maneiras, nas quadrinhas, nas serenatas, nos romances, nos desafios, nas modas de viola, nas cantigas folclóricas, etc., e brota do próprio povo, refletindo a mentalidade coletiva de nosso homem da roça, seu modo de ser, suas lamentações, misturadas com o cômico e o burlesco.
Leminski tornou-se reconhecido por ter inventado seu proprio jeito para escrever poesias, fazendo trocadilhos ou brincando com ditados populares, foi um escritor, tradutor, poeta, e professor brasileiro,









http://www.leminski.com.br/
O que quer dizer

O que quer dizer diz.
Não fica fazendo
o que, um dia, eu sempre fiz.
Não fica só querendo, querendo,
coisa que eu nunca quis.
O que quer dizer, diz.
Só se dizendo num outro
o que, um dia, se disse,
um dia, vai ser feliz.

Paulo Leminski
O que quer dizer?
A poesia na formação de leitores
O contato com a poesia em sala de aula, por vezes, exige dos leitores, seja este em formação ou não, uma certa competência linguística, o que pode interferir no prazer da leitura em meio a formação deste leitor, podendo ser um erro, já que esta não seria a função da poesia. O estudo da poesia em sala de aula, poderia ser visto como uma ferramenta para o desenvolvimento e ampliação do vocabulário.
O contato inicial com a poesia
A criança, assim como os poemas, tem a capacidade natural de brincar com as palavras.
Quando pequena, a criança é naturalmente estimulada pelos pais e cuidadores ao ouvir músicas de ninar e brincadeiras onde a rima muitas vezes é colocada. Aparentemente, a medida em que a criança cresce, a necessidade se finda e a fala dos adultos ao redor desta criança torna - se “dura”, “normal”.

Poesia na Educação Infantil
Na educação infantil é comum o uso de versos e cantigas com as crianças, não com o intuito de aprendizagem e sim como forma de entertê-las, desconsiderando sua capacidade de compreensão e criação de poemas.
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Educação
Departamento de Estudos Especializados
EDU 03058 - Literatura e Educação Turma A
Professora: Gládis Kaercher
POESIA

Arte de fazer obras em verso.
Gênero de composição poética, geralmente em verso.
Conjunto das obras em verso existentes numa língua.
Composição poética pouco extensa.
Maneira de fazer versos, particular a um autor, a um povo, a uma época, a uma escola literária.
Qualidade dos versos.
Inspiração.
Elevação de ideias.
O que desperta o sentimento do belo.


POEMA
Composição poética
Epopeia
Texto de uma peça lírica, de uma ópera
O que é merecedor de ser canto em verso

Adriana Martins, Aline Andreata, Duane Rodrigues, Erika Neres Markuart, Guilherme dos Santos

“A função da poesia, bem como da arte literária em geral, não é aperfeiçoar o domínio da linguagem, mas através da linguagem, permitir ao sujeito um distanciamento crítco da realidade que lhe apresenta`a consciência”
(Maria da Glória Bordini, 1999 p. 62)
Poesia concreta
Filmes de poemas
Lady Lazarus:
Este filme de 1991 foi feito pela feminista e cineasta Sandra Lahire. O longa é todo experimental e centrado em torno famoso poema de Sylvia Plath Lady Lazarus, levando o áudio da própria leitura do poema, assim como Cut, Daddy, Ariel e Ouija de Plath, bem como trechos de uma entrevista de 1962.

E Aí, Meu Irmão, Cadê Você?
: Em 2000, a comédia dos irmãos Coen foi baseado no poema épico de Homero, a Odisséia, com George Clooney como Ulysses Everett McGill, que traz um Ulisses moderno. No Brasil, o filme recebeu o título de E Aí, Meu Irmão, Cadê Você? Segue um pequeno trecho do poema.
Mulan:
Baseado na lendária Hua Mulan, o poema chinês do século VI, Ballad of Mulan, ficou conhecido nas telas com o famoso filme da Disney,
O Estranho Mundo de Jack:
O diretor Tim Burton começou a escrever esse poema em 1982, enquanto estava trabalhando como animador na Disney. Oito anos mais tarde, ele assinou um contrato com a empresa para transformar o poema em uma produção.
Coração Valente :
O filme Coração Valente de Mel Gibson foi baseado em um poema épico do século 15, intitulado As Actes e Deidis do Illustre e Vallyeant Campioun Schir William Wallace, ou simplesmente o Wallace, que canta a vida e obras de escocês William Wallace.

Crocodile Dundee
(nome conhecido no Brasil) filme lançado em 1986, foi baseado no poema australiano The Man From Snowy River de Banjo Paterson, uma história emocionante sobre perseguição a cavalo. Aliás, a nota de dez dólares australianos homenageia a obra e poema.

Evocação
(título no Brasil) O poema The White Cliffs de Alice Duer Miller é um romance sem precedentes em forma de verso. O poema conta a história de uma jovem americana que se apaixona por um inglês que sai para lutar na Primeira Guerra Mundial. A obra vendeu quase um milhão de cópias após a sua publicação em 1940. O filme foi lançado em 1944 com o título White Cliffs of Dover.
Beowulf
o poema a seguir foi escrito entre o oitavo e décimo primeiro século e influenciou diversos livros. O poema Beowulf conta os feitos de um herói de uma tribo que consegue destruir monstros e dragões. Ele foi escrito em inglês arcaico e lançado diversos filmes sobre o herói.
Alice's Adventures in the Wonderland
O poema nonsense de Lewis Carroll publicado em 1871, , and
What Alice Found There
(Alice através do Espelho e o que ela encontrou por lá) foi adaptado para o cinema por Terry Gilliam em 1977, Jabberwocky.
The Raven
(O Corvo) O poema mais famoso de Edgar Allan Poe, São inúmeras adaptações e centenas de citações em outros filmes. Tanto em The Raven (1935) e The Raven (1963) – os dois filmes apresentam referências à obra de Poe (o primeiro utiliza uma dança interpretativa do poema e o último é uma comédia).

Poesia Visual
Tipo de poesia em que, abolindo-se certas distinções entre os gêneros como poesia, teatro, música, dança, pintura, escultura e outros, o texto, as imagens e os símbolos estão distribuídos de forma que o elemento visual pode assumir a principal função organizacional da obra, não dependendo da existência de símbolos de escrita para sua caracterização como poesia, embora não os excluindo.
http://www.arnaldoantunes.com.br/new/sec_artes_obras.php?id_type=4
Livros de poemas
111 Poemas para crianças” de Sérgio Capparelli. È uma seleção de poemas que abordam diversos tema do interesse infantil como animais, família, brinquedos, férias e muito mais. Rico em jogos de palavras e rimas.
Poesia fora da estante” coordenado por Vera Aguiar. Uma seleção de poemas de diversos autores nacionais e foram agrupados de acordo com os temas propostos pelos poetas.
Lili Inventa o mundo” de Mário Quintana. Lili é uma menina que vive no mundo do faz-de-conta.Esse livro é cheio de versos e sonetos para crianças.
Mania de explicação”, de Adriana Falcão, livro com versos escritos a partir de curiosidades das crianças.

Poesia Moderna
Tratado geral das grandezas do ínfimo

A poesia está guardada nas palavras — é tudo que eu sei.
Meu fado é o de não saber quase tudo.
Sobre o nada eu tenho profundidades.
Não tenho conexões com a realidade.
Poderoso para mim não é aquele que descobre ouro.
Para mim poderoso é aquele que descobre as insignificâncias (do mundo e as nossas).
Por essa pequena sentença me elogiaram de imbecil.
Fiquei emocionado.
Sou fraco para elogios.
O modernismo, e o pós modernismo rompem com a poesia tradicional brasileira, "Cronologicamente, o poeta pertence à terceira geração modernista, de 1945, assim como João Cabral de Melo Neto (1920-1999) e João Guimarães Rosa (1908-1967).
Os autores dessa fase ficaram conhecidos pelo apuro com as letras e menor apego a padrões estéticos. Isso não significa que seja simples classificar a poesia de Barros em modernista, de vanguarda ou pós-moderna". http://revistaescola.abril.com.br/ensino-medio/manoel-barros-biografia-obra-816177.shtml
Origens da poesia
Em seus poemas, Manoel de Barros usava palavras coloquiais, além de criar novas palavras (neologismos).
Seus poemas compostos por temas mais próximos de nossa realidade e que falam sobre o contato com a natureza, Em sala de aula estes poemas conduzem os jovens à prática de leitura e até mesmo criação de poesias.
Grécia antiga
Poesia oral: metrificada, constante e ritmica - memorização; rituais religiosos, festas populares, reuniões familiares e palacianas;
Poesia épica: versos de relatos míticos ou de aventuras; declamadores/cantores itinerantes (
aedos
- lira).

http://www.anterodealda.com/scriptpoemas.htm
"Borboletras"
Dilan Camargo
Borboletas, borboletas
Voando em bando borboletando
Amarelas, brancas, pretas
Borboletas bailando ballet
Borboletas soletrando letras

Poesia e poema
Para a criança, a arte interessa enquanto processo vivido e marcado na experiência, corpo inteiro. E é esse um dos papéis dos poemas em sala de aula. (OLIVEIRA, 2009).
Poesia Tradicional
Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é um fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói, e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se e contente;
É um cuidar que ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís de Camões - escritor português - Renascimento
linguajar literário erudito
influenciou a lingua portuguesa
o amor é visto com contradições (dor, vida e morte)
POESIA
Jogo de Bola
Cecilia Meireles

A bela bola rola:
a bela bola do Raul

Bola Amarela
a da arabela

A do Raul,
azul

Rola a amarela
e pula a azul

A bola e mole,
eh mole e rola

A bola eh bela,
eh bela eh pula

Eh bella, rola e pula,
eh mole, amarela, azul

A de Raul eh de Arabela,
A de Arabela eh de Raul

Sites
Portal Educação Infantil
http://portaleducacaoinfantil.blogspot.com.br/2010/09/poesias-infantis_6597.html#.VVD2XY5Vjkc

Cordel Infantil
http://marianebigio.com/tag/cordel-infantil/

Poesia Infantil
http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_infantil/olavo_bilac.html

Cordel EJA
http://www.rnsites.com.br/cordeis.htm

Site Vinícius de Moraes
http://www.viniciusdemoraes.com.br/

Site de poesias - Cacília Meirelles
http://www.poesiaspoemaseversos.com.br/cecilia-meireles-poemas/#.VVD8Ro5Vjkc

Site de poesias - Rubem Alves
http://pensador.uol.com.br/poemas_de_rubem_alves/

Poetas portugueses
http://portodeabrigo.do.sapo.pt/

Cultura surda - poesias sinalizadas
http://culturasurda.net/category/poesia/
Olavo Bilac -"O principe dos poetas brasileiros"
- Um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras;
- Jornalista, poeta e inspetor de ensino;
- Intensa participaçao na politica, fundou varios jornais;
- Autor da letra do Hino `a Bandeira;
- Fundiu o Parnasianismo frances e a tradiçao lusitana, dando preferencia ao lirismo
LÍNGUA PORTUGUESA
Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura;
Ouro nativo, que, na ganga impura,
A bruta mina entre os cascalhos vela...
Amo-te assim, desconhecida e obscura,
Tuba de alto clangor, lira singela,
Que tens o trom e o silvo da procela,
E o arrolo da saudade e da ternura!
Amo o teu viço agreste e o teu aroma
De virgens selvas e de oceanos largos!
Amo-te, ó rude e doloroso idioma,
Em que da voz materna ouvi: "meu filho!"
E em que Camões chorou, no exílio amargo,
O gênio sem ventura e o amor sem brilho!
(Tarde, 1919.)

Epitáfio Para Um Banqueiro

Negócio
Ego
Ócio
Cio
O
A poesia concreta é uma espécie de poesia experimental em forma de ideogramas. São textos visuais que exprimem ideologias, ideias. As letras e as formas se complementam formando um todo cheio de significados.

José Paulo Paes
http://www.antoniomiranda.com.br/Brasilsempre/jose_paulo_paes.html
Poesia Popular
Se um dia nois se gostasse
Se um dia nois se queresse
Se nois dois se empareasse
Se juntim nois dois vivesse
Se juntim nois dois morasse
Se juntim nois dois drumisse
Se juntim nois dois morresse
Se pro céu nois assubisse
Mas porém acontecesse de São Pedro não abrisse
a porta do céu e fosse te dizer qualquer tulice
E se eu me arriminasse
E tu cum eu insistisse pra que eu me arresolvesse
E a minha faca puxasse
E o bucho do céu furasse
Tarvês que nois dois ficasse
Tarvês que nois dois caisse
E o céu furado arriasse e as virgi toda fugisse
Ai se sesse
Zé da Luz
Patativa do Assaré
Poesia Contemporânea
Esteticamente, é quase impossível definir a poesia contemporânea porque ela é eclética, se apresenta de diferentes formas, pois o mundo hoje é assim, múltiplo e fragmentado, o homem moderno é, ao mesmo tempo, inúmeros e também um só em inúmeras partes.
...a matéria da poesia contemporânea é o cotidiano, o comum, o ordinário, é a desmistificação dos mitos e a mitificação da experiência pessoal.
http://www.recantodasletras.com.br/teorialiteraria/1516005
Full transcript