Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Análise do discurso "I have a dream", de Martin Luther King

No description
by

Paula Sperb

on 22 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Análise do discurso "I have a dream", de Martin Luther King

UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL
DOUTORADO EM LETRAS
ASSOCIAÇÃO AMPLA UCS-UNIRITTER

O "sonho" de Luther King, para americanos, ainda está longe de ser realidade
O aclamado discurso pedindo o fim da segregação racial nos Estados Unidos é um ícone
Os negros norte-americanos, em 1963, já estavam livres da escravidão havia cem anos
Entretanto, muitos ainda viviam na pobreza, não podiam votar nem se casar com brancos em alguns Estados
O que mudou?
Os EUA elegeram seu primeiro presidente negro em 2008, e o reelegeram em 2012
Mas o "sonho" que Luther King tanto desejou ver realizado ainda está longe de se tornar realidade, pelo que indica o Pew Research Center
Pesquisas apontam que negros e brancos ainda vivem em realidades diferentes
I have a dream
"I have a dream"
Marcha de Washington, na capital dos EUA
Fim da segregação social
O "sonho" de King, de que seu país se tornasse uma nação igual para todos, ainda não foi realizado, mas suas palavras continuam sendo de grande motivação

A LEITURA NUMA VISÃO FUNCIONAL DA LINGUAGEM
PROFA. DRA. CARMEN MARIA FAGGION
DOUTORANDAS: ANA JÚLIA POLETTO
MARIANA DUARTE
PAULA SPERB
VALNEIDE AZPIROZ

Sonho
O que mudou?
Pesquisas apontam que para 45% dos entrevistados, os Estados Unidos tiveram um progresso considerável em relação à igualdade racial
A discriminação, por motivo de raça, foi apontada por 35% dos negros ouvidos na pesquisa, em comparação à 10% entre os brancos
Por outro lado, houve um certo equilíbrio quanto ao "bom relacionamento" entre brancos (81%) e negros (73%) no país
O FATO
O discurso de Martin Luther King, pronunciado na escadaria do Monumento a Lincoln, em Washington, foi ouvido por mais de 250.000 pessoas de todas as etnias, reunidas na capital dos Estados Unidos da América, após a «Marcha para Washington por Emprego e Liberdade».
Maneira de divulgar, de uma forma dramática, as condições de vida desesperadas dos negros no Sul dos Estados Unidos, e exigir ao poder federal um maior comprometimento na segurança física dos negros e dos defensores dos direitos civis, sobretudo no Sul.
O FATO
Pedidos que foram feitos:
Fim da segregação no ensino público
Passagem de legislação clara no que respeita aos direitos civis
Legislação proibindo a discriminação racial no emprego
Fim da brutalidade policial contra militantes dos direitos civis; e
Criação de um salário mínimo para todos os trabalhadores
A MANIFESTAÇÃO
Estrondoso sucesso
Discurso conhecido sobretudo pela frase permanentemente repetida no meio do discurso «I have a Dream»
Frase que é repetida no fim: «That Liberty Ring» (Que a Liberdade ressoe), que retoma o poema patriótico «América», tornou-se, com o discurso de Lincoln em Gettysburg, um dos mais importantes da oratória americana
ALGUNS RESULTADOS
Em 1964 a Lei dos Direitos Civis foi votada e promulgada por Lyndon B. Johnson
Em 1965 a Lei sobre o Direito de Votar foi aprovada
Martin Luther King Jr. foi escolhido como Prêmio Nobel da Paz no ano seguinte, em 1964

Referências
BRANDÃO, Maria Helena Nagamine. Introdução a análise do discurso. ed. 2ª. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1993.
FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. ed. 5°. São Paulo: Loyola, 1996.
http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/08/i-have-dream-10-curiosidades-discurso-historico-martin-luther-king.html
http://www.let.rug.nl/usa/documents/1951-/martin-luther-kings-i-have-a-dream-speech-august-28-1963.php
http://mlk-kpp01.stanford.edu/index.php/encyclopedia/encyclopedia/enc_i_have_a_dream_28_august_1963/
(Disponível em:< http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2013/08/28/para-americanos-sonho-de-luther-king-ainda-esta-longe-de-ser-realidade.htm> Acesso em: 6 nov. 13).
http://www.arqnet.pt/portal/discursos/agosto05.html
ORLANDI, Eni P. Análise do Discurso: princípios & procedimentos. ed. 6°. São Paulo: Pontes, 2005.
http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2013/08/1320484-so-ficaremos-satisfeitos-quando-a-justica-rolar-como-agua-diz-luther-king.shtml
http://www.martinlutherling.org
http://news.google.com/newspapers?id=uNMmAAAAIBAJ&sjid=nwIGAAAAIBAJ&hl=pt-BR&pg=1158%2C3393506
Eu tenho um sonho: apesar de ter sido dito "x" vezes , foi dita no décimo nono parágrafo do discurso
A expressão ficou famosa em 28 de agosto de 1963. No entanto, Luther King já tinha usado os mesmos termos diversas vezes em discursos anteriores
Eu teho um sonho hoje ("x" vezes)

Análise
A frase “I have a dream” (eu tenho um sonho) só foi dita no décimo nono parágrafo do discurso e repete-se por sete vezes
Segue, depois, enfaticamente, "I have a dream today", pronunciada duas vezes
A expressão ficou famosa no dia 28 de agosto de 1963. No entanto, Martin Luther King já tinha usado os mesmos termos diversas vezes em discursos anteriores

Outros aspectos a considerar
Sino da liberdade
Antíteses: pretos e brancos; judeus e "gentios"; protestantes
e

católicos.
Isso levaria à liberda
de
AFINAL

ANÁLISE DO DISCURSO
A Análise do Discurso é uma prática que consiste em analisar a estrutura de um texto e, a partir disso, compreender as construções ideológicas presentes nele
Foucault (1996) descreveu a Ordem do Discurso como uma construção de características sociais. A sociedade que promove o contexto do discurso analisado é a base de toda a estrutura do texto, atrelando, desse modo, todo e qualquer elemento que possa fazer parte do sentido do discurso.
ANÁLISE DO DISCURSO
Para a Análise do Discurso, o sujeito do discurso é
histórico
,
social
e
descentrado
, pois é cindido pela ideologia e pelo inconsciente;
histórico
, porque não está alienado do mundo que o cerca;
social
, porque não é o indivíduo, mas àquele apreendido num espaço coletivo. “O sujeito de linguagem é descentrado, já que é afetado pelo real da língua e também pelo real da história, não tendo o controle sobre o modo como elas o afetam” (ORLANDI, 2005, p. 20).
ANÁLISE
“O sentido não existe em si mesmo. Ele é determinado pelas posições ideológicas colocadas em jogo no processo histórico no qual as palavras são produzidas” (PECHÊUX, apud BRANDÃO, 1993, p. 62).
"Voltem ao Mississippi, voltem ao Alabama, voltem à Carolina do Sul, voltem à Geórgia, voltem à Louisiana, voltem aos guetos e favelas de nossas cidades do norte, cientes de que de alguma maneira a situação pode ser mudada e o será. Não nos deixemos atolar no vale do desespero".
Estes quatro Estados eram os mais radicais em termos de segregação no país naquela época.
MISSISSIPPI: 86% das famílias negras (que constituíam quase a metade da população do Estado) viviam abaixo da linha da pobreza e só 5% dos negros tinham direito de voto.
ALABAMA: o governador George Wallace desafiou o presidente Kennedy e tentou impedir pessoalmente a entrada de dois estudantes negros para se matricularem na Universidade de Alabama.
GEORGIA: Em Albany, de dezembro de 1961 a agosto de 1962, King liderou uma série de protestos.
LOUISIANA: uma lei obrigava que todo sangue a ser usado em transfusões no Estado estivesse em frascos rotulados para indicar a raça do doador, e outra punia com cinco anos de prisão homem e mulher de raças diferentes que vivessem maritalmente juntos.
ELEMENTOS DE DESTAQUE NO DISCURSO
CONTEXTO GEOGRÁFICO E SOCIAL DO DISCURSO
Conclusões parciais
"Tenho um sonho hoje.
Tenho um sonho de que um dia o Estado do Alabama, cujo governador hoje tem os lábios pingando palavras de rejeição e anulação, será transformado numa situação em que meninos negros e meninas negras poderão dar as mãos a meninos brancos e meninas brancas e caminharão juntos, como irmãs e irmãos".
Estudo acadêmico divulgado em abril de 2013, com base no Censo de 2010 dos EUA, mostra que Birmingham, Alabama, é uma das 20 cidades com maior índice de segregação racial domiciliar.
Um exemplo atual
Quem está por trás do site martinlutherking.org?
I
The Afro American: 31 de agosto de 1963
A repercussão na imprensa da época
As mulheres na marcha
Martin Luther King fez seu discurso I have a dream em 1963. Em 1964 foi aprovada a Lei dos Direitos Civis norte-americana, com a proibição da discriminação, incluindo-se a discriminação contra as mulheres.
HISTÓRIAS CRUZADAS (The Help - 2011)
Filme que retrata a realidade das mulheres negras nos Estados Unidos, “Histórias Cruzadas” (2011) é ambientado na década de 60, no Mississipi. Através de entrevistas com empregadas domésticas negras, que trabalhavam para a elite branca da cidade, a protagonista conhece o mundo das mulheres negras e todos os preconceitos que cercam suas vidas.
ANÁLISE
O discurso
Metáforas
"De certo modo, nós viemos à capital de nossa nação para trocar um cheque. Quando os arquitetos de nossa república escreveram as magníficas palavras da Constituição e a Declaração da Independência, eles estavam assinando uma nota promissória para a qual todo americano seria seu herdeiro. Esta nota era uma promessa que todos os homens, sim, os homens negros, como também os homens brancos, teriam garantidos os direitos inalienáveis de vida, liberdade e a busca da felicidade. Hoje é óbvio que aquela América não apresentou esta nota promissória. Em vez de honrar esta obrigação sagrada, a América deu para o povo negro um cheque sem fundo, um cheque que voltou marcado com "fundos insuficientes".
Mas nós nos recusamos a acreditar que o banco da justiça é falível. Nós nos recusamos a acreditar que há capitais insuficientes de oportunidade nesta nação. Assim nós viemos trocar este cheque, um cheque que nos dará o direito de reclamar as riquezas de liberdade e a segurança da justiça".
Metáforas
"Nós também viemos para recordar à América dessa cruel urgência. Este não é o momento para descansar no luxo refrescante ou tomar o remédio tranquilizante do gradualismo.
Agora é o tempo para transformar em realidade as promessas de democracia.
Agora é o tempo para subir do vale das trevas da segregação ao caminho iluminado pelo sol da justiça racial.
Agora é o tempo para erguer nossa nação das areias movediças da injustiça racial para a pedra sólida da fraternidade. Agora é o tempo para fazer da justiça uma realidade para todos os filhos de Deus.
Mas há algo que eu tenho que dizer ao meu povo que se dirige ao portal que conduz ao palácio da justiça. No processo de conquistar nosso legítimo direito, nós não devemos ser culpados de ações de injustiças. Não vamos satisfazer nossa sede de liberdade bebendo da xícara da amargura e do ódio. Nós sempre temos que conduzir nossa luta num alto nível de dignidade e disciplina. Nós não devemos permitir que nosso criativo protesto se degenere em violência física. Novamente e novamente nós temos que subir às majestosas alturas da reunião da força física com a força de alma.”
Full transcript