Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO II

No description
by

Rafaela Barros

on 28 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO II

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO II
RAFAELA BARROS DE ALMEIDA
CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JOÃO PESSOA - UNIPÊ
DEP. DE CIÊNCIA EXATAS E TECNOLOGIA - DET
CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO
1.1 CONSTRUÇÃO DO OBJETO DE ESTUDO
1. INTRODUÇÃO
Profª. Orientadora: Isis Amaral Méro
HOSTEL-DESIGN NA CIDADE DE JOÃO PESSOA
JOÃO PESSOA
2015
Aumento do número dos viajantes em escala global - Organização Mundial do Turismo;
Brasil - aumento da demanda turística nacional e internacional - Ministério do Turismo;
Região Nordeste em primeiro lugar no ranking dos destinos mais desejados do Brasil;
João Pessoa aumento de 500% na quantidade de passageiros desembarcados entre 2002 e 2013;
Crescimento do turismo na cidade de João Pessoa necessidade de crescimento das ofertas e serviços ampliação na demanda por hospedagem;
Modificação do perfil do turista nos últimos anos cresce o número de viajantes na busca de formas mais econômicas de viajar e conhecer pessoas e novas culturas;
Uma modalidade de hospedagem econômica ganha forças no ramo hoteleiro brasileiro o hostel (albergue), caracterizado pelos quartos coletivos e grande intercâmbio cultural;
O tema central deste trabalho monográfico é o desenvolvimento, no município de João Pessoa, de um tipo de hospedagem de qualidade baseada em um novo conceito de modernização destes estabelecimentos que vem sendo difundido: o hostel design.
1. INTRODUÇÃO
1.2 JUSTIFICATIVA
O setor turístico ganha forças no Brasil geração de emprego e renda;
Turismo: influencia na economia, gerando o desenvolvimento socioeconômico;
A atividade turística traz efeitos positivos para a infraestrutura básica da cidade;
Pesquisa de Serviços de Hospedagem
(IBGE, 2011) 3.945 leitos em Hotéis x 102 leitos em Hostels em
João Pessoa;
O município de João Pessoa se beneficiaria com a atração de viajantes com perfil para se hospedar neste tipo de acomodação;
O presente trabalho monográfico visa propor um hostel-design na cidade de João Pessoa, trazendo um aquecimento da economia local através da atração de novos turistas, gerando emprego e renda e atuando positivamente na melhoria da infraestrutura da cidade.
1. INTRODUÇÃO
1.3 OBJETIVOS
Objetivo Geral:
Desenvolver um Anteprojeto Arquitetônico de um Hostel-Design localizado no município de João Pessoa, Estado da Paraíba.
Objetivos Específicos:
Analisar o funcionamento de
hostels
visando compreender como ocorre o desempenho das atividades realizadas;
Propor um hostel que atenda à demanda crescente do novo perfil de turista (
backpacker
) que surge no cenário brasileiro;
Propor uma edificação com áreas integradas que permitam a convivência e socialização dos hóspedes;
Desenvolver um anteprojeto arquitetônico que atenda aos requisitos funcionais, ambientais e técnicos para o funcionamento eficaz de todas as atividades envolvidas pelo programa;
1. INTRODUÇÃO
1.4 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
1) Pesquisa bibliográfica

2) Pesquisa documental

3) Análise de projetos correlatos e estudo de caso

4) Pesquisa de campo

5) Desenvolvimento do anteprojeto arquitetônico
2. REFERENCIAL TEÓRICO
O TURISMO E O MERCADO HOTELEIRO
Arquitetura hoteleira: escassez de profissionais que atuem no setor;
Hotéis: programa diverso e peculiar;
SBClass: Sistema Brasileiro de Classificação de Meios de Hospedagem: Hotel, Resort, Hotel Fazenda, Cama e Café, Hotel Histórico, Pousada, Flat/Apart Hotel;
Em face do dinamismo do setor hoteleiro, a cada ano novos tipos se unem aos existentes;
Aumento da inscrição dos albergues em 32,2% nos últimos anos, segundo o Cadastur;
2. REFERENCIAL TEÓRICO
HOSTELS
NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA
A cidade de João Pessoa possui, atualmente, 5 hostels, localizados nos bairros de Tambaú, Manaíra e Bessa;
Pesquisa de Serviços de Hospedagem (IBGE, 2011): 102 leitos em
hostels
em João Pessoa. Atualmente, são aproximadamente 167 leitos, ou seja, um aumento de apenas 65 leitos em 4 anos.
TAMBAÚ HOSTEL
28 leitos
SLOW HOSTEL
28 leitos
CHE LAGARTO HOSTEL
26 leitos
MANAÍRA HOSTEL
60 leitos
PARAHYBA HOSTEL
25 leitos
Uso adaptado: edificações que antes abrigavam residências unifamiliares.
Deixam a desejar em aspectos como:
acessibilidade;
setorização (separação das áreas sociais das áreas de serviço);
inexistência de ações sustentáveis;
presença de áreas de convivência satisfatórias;
oferecimento de equipamentos e serviços como cafés, bares, aluguel de bicicletas e áreas de lazer.
2. REFERENCIAL TEÓRICO
PESQUISA DE CAMPO
A pesquisa de campo busca o aprofundamento de uma realidade, e se deu através de uma entrevista efetuada entre 60 usuários de
hostels
, buscando analisar seu perfil e suas preferências no tocante a este tipo de hospedagem;
A pesquisa torna-se fundamental para que seja delineado o anteprojeto arquitetônico.
PERFIL
PREFERÊNCIAS
2. REFERENCIAL TEÓRICO
ESPAÇOS
GOURMET
Popularização da palavra
gourmet
:
"pessoa que aprecia o refinamento em matéria de comida e bebida". (Dicionário Michaelis);
Na língua portuguesa: significado ampliado para os prazeres da mesa, apreciação de uma alta cozinha, incluindo o espaço físico destinado à prática culinária, seja residencial ou comercial;
Espaço Gourmet é um espaço multifuncional, que incorpora outros ambientes, permitindo a interação e socialização entre família, amigos e convidados.
2. REFERENCIAL TEÓRICO
2.2 PROJETOS CORRELATOS
RIOOW
HOSTEL
Localização
: Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Arquitetura
: PKB Arquitetura e Oficina Vital
Equipe
: Pedro Kastrup, Marcos Bravo, Fernanda Carminate, Lucia Santoro
Conclusão da Obra
: 2013
Tipo de Projeto
: Comercial

Elementos de interesse para o anteprojeto arquitetônico:
Expressão da edificação através da composição de materiais e cores;
Uso de uma linguagem contemporânea com detalhes que remetem à identidade local
HOSTAL LA BUENA VIDA
Localização
: México D.F., México
Arquitetura
: ARCO
Arquitectura Contemporánea
Equipe
: Bernardo Lew e José Lew
Conclusão da Obra
: 2011
Tipo de Projeto
: Comercial

Elementos de interesse para o anteprojeto arquitetônico:
Programa de necessidades bem definido, priorizando os quartos coletivos e áreas sociais;
Forte expressão estética através de elementos que se destacam e se integram com a paisagem
FASANO LAS PIEDRAS
HOTEL
Localização
: Punta del Este, Uruguai
Arquitetura
: Isay Weinfeld
Equipe
: Marcelo Alvarenga, Adriana Aun, Bruno Levy, Manoel Maia, Alexandre Nobre, Juliana Scalizi
Conclusão da Obra
: 2010
Tipo de Projeto
: Comercial

Elementos de interesse para o anteprojeto arquitetônico:
Identidade que envolve todo o projeto, garantindo uma arquitetura de integração com a região onde será inserido
HOTEL VILLAGE CONFORT
Localização
: João Pessoa, PB
Arquitetura
: Ana Luiza Schuster da Costa
Conclusão
da Obra: 2011
Tipo de Projeto
: Comercial

Elementos de interesse para o anteprojeto arquitetônico:
Setorização (separação das Unidades Habitacionais dos equipamentos de serviço);
Amplas áreas de circulação;
Separação dos fluxos.
2.3 ESTUDO DE CASO
2.4 DIRETRIZES PROJETUAIS
Princípios norteadores do desenvolvimento do anteprojeto arquitetônico:
Tríade vitruviana: forma, função e estrutura;
Lote X Condicionantes Naturais;
Definição do programa de necessidades;
Integração com o entorno;
Arquitetura X Design;
Conforto ambiental;
Sustentabilidade;
Eficiência energética:

A criação de sombra;
O recuo de paredes;
A proteção das Janelas;
A continuação dos espaços;
A devida concepção arquitetônica;

A busca por selos verdes;
A gestão sustentável do empreendimento;
O devido manejo dos resíduos;
A atenção aos materiais e sistemas construtivos utilizados

3. PROPOSTA ARQUITETÔNICA
3.1 Contexto e escolha do terreno
Localização:
João Pessoa, Bairro de Manaíra;
Escolha do lote
: infraestrutura, proximidade da orla e facilidade de locomoção;
Cracterísticas do lote:
Zona Turística 2 (ZT2); Setor 04; Quadra 03; 720m² (48x15m)

Condicionantes naturais
: Eixo Nordeste X Sudoeste; Frente menor: Nordeste; Frente Maior: Sudeste

Vias de acesso
: Rua Eutiquiano Barreto (sentido duplo); Av. João Maurício (sentido único)

3. PROPOSTA ARQUITETÔNICA
3.1 Contexto e escolha do terreno
Uso e ocupação do solo
: variação nos usos, sendo parte dos lotes composta por unidades residenciais unifamiliares, notando-se ainda a presença de uso residencial multifamiliar, além de lotes de uso comercial e institucional, especialmente na Av. Edson Ramalho.

Potencial Visua
l: grande potencial visual entre o lote e a praia, sendo meta do presente trabalho gerar uma integração entre ambos os espaços físicos, evidenciando este potencial

Fonte: Prefeitura Municipal de João Pessoa
Zonas Turísticas do Bairro de Manaíra
Condicionantes Naturais
Fonte: Autoria Própria
Vias de Acesso
Fonte: Autoria Própria
Potencial Visual
Fonte: Autoria Própria
Uso e Ocupação do Solo
Fonte: Autoria Própria
Aplicação dos conceitos de Armando de Holanda como partido arquitetônico das decisões projetuais:
3. PROPOSTA ARQUITETÔNICA
3.6 Implantação e Acessos
3. PROPOSTA ARQUITETÔNICA
3.5 Zoneamento
3. PROPOSTA ARQUITETÔNICA
3.3 Programa de Necessidades e Pré-Diensionamento
3. PROPOSTA ARQUITETÔNICA
3.7 Setorização
3. PROPOSTA ARQUITETÔNICA
3.8 Fluxos
Desenvolvido a partir de Andrade, Brito e Jorge; NBR 9077, NBR 9050 Neufert e Panero:
Iplantação
Fonte: Autoria Própria
Acessos
Fonte: Autoria Própria
PLANTA BAIXA TÉRREO
PLANTA BAIXA MEZANINO
PLANTA BAIXA SEGUNDO PAVMENTO
PLANTA BAIXA SOLÁRIO
PLANTA BAIXA TÉRREO
PLANTA BAIXA MEZANINO
PLANTA BAIXA SEGUNDO PAVIMENTO
PLANTA BAIXA SOLÁRIO
3. PROPOSTA ARQUITETÔNICA
3.11 Volumetria
3. PROPOSTA ARQUITETÔNICA
3.10 Acessibilidade
3. PROPOSTA ARQUITETÔNICA
3.9 Conforto Ambiental / Eficiência Energética / Sustentabilidade
CORTE ESQUEMÁTICO
Conforto térmico e lumínico, com aproveitamento da energia solar e ventilação predominante;
Grandes aberturas nas áreas de ventilação predominante;
Telhado verde;
Fachadas sombreadas;
Utilização de piso drenante;
Ações sustentáveis:


Aspectos Considerados:
Placas fotovoltaicas;
Aproveitamento de água das chuvas;
Aproveitamento de água cinza;


PLANTA BAIXA TÉRREO
PLANTA BAIXA MEZANINO
PLANTA BAIXA SEGUNDO PAVIMENTO
PLANTA BAIXA SOLÁRIO
Fonte: Google Maps e Tambaú Hostel
Fonte: Google Maps e Slow Hostel
Fonte: Google Maps e Che Lagarto Hostel
Fonte: Google Maps e Manaíra Hostel
Fonte: Google Maps e Parahyba Hostel
Rioow Hostel
Fonte
: Rioow Hostel
Hostal La Buena Vida
Fonte:
Hostal La Buena Vida
Fasano
Las Piedras
Hotel
Fonte: Fasano
Las Piedras
Hotel
Hotel Village Confort
Fonte: Hotel Village Confort
O
HOSTEL
OU ALBERGUE
Criado em 1912 na Alemanha pelo professor Richard Schirmann;
Os meios de hospedagem no Brasil e no mundo evoluíram e meio à adaptação às necessidades buscadas pelos hóspedes;
O visitante estrangeiro ainda é o que mais procura a hospedagem alternativa nos
hostels
;
Os novos albergues investem em arquitetura, cultura e serviços adicionais;
O TURISMO BACKPACKER
Setor turístico em transição;
Surgimento de segmentos turísticos especializados;
Turismo
backpacker
: turismo jovem orientado para viagens mais econômicas e flexíveis;
As principais motivações que os impulsionam são o interesse em conhecer novas pessoas e lugares, a exploração de novas culturas, o aumento do seu conhecimento e expectativa proporcionada por uma viagem.
EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E CONFORTO AMBIENTAL
Eficiência Energética
: relação entre a quantidade de energia utilizada em uma atividade e aquela disponibilizada para sua realização (Ministério do Meio Ambiente). Deve estar inserido nas questões arquitetônicas de modo a garantir o baixo consumo de energia;
Conforto Ambiental
: conjunto de condições ambientais que permitem que o ser humano sinta bem-estar térmico, visual, acústico e antropométrico
SUSTENTABILIDADE
Comprometimento da arquitetura de gerar menos impactos ambientais, garantindo o equilíbrio da construção com o meio ambiente;
A arquitetura sustentável: criação de edifícios que atendam às necessidades de seus usuários, alterando minimamente o ambiente em que se insere
Full transcript