Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Poder, Autoridade e Influência

No description
by

Carla Bowens

on 4 January 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Poder, Autoridade e Influência

Poder Mas e... 2013 2009 2010 2011 2012 Liderança:
Poder X Autoridade 0 + - = 9 8 7 1 2 3 4 5 6 c Tal visão é considerada pela maioria como sendo tradicional e conservadora - os próprios autores tendem a considerá-la simplesmente realista - que claramente se opõe ao processo de personalização individualista, narcisista e hedonista da sociedade (pós) moderna. Émile Durkheim
(um dos fundadores da sociologia moderna e da sociologia da educação)
Willard Waller e Philip W. Jackson O presente artigo apresenta, de forma resumida, a visão sociológica de três autores clássicos - Émile Durkheim, Willard Waller e Philip Jackson - sobre a relação entre professores e alunos no quadro da relação educativa e pedagógica. Poder, Autoridade e
Liderança Institucional na Escola
e na Sala de Aula:
Perspectivas Sociológicas Clássicas Liderança por
Poder Funciona com base na imposição,
porém apenas por um período de tempo.


Consequências:
a equipe é desmotivada e só trabalha
pelo salário no final do mês. As pessoas
ficam inibidas e não dão idéias, não se
sentem parte do time. Elas não
conseguem sequer serem elas mesmas.
Talentos são paralizados. Liderança por Autoridade Exige um maior sacrifício,
uma vez que envolve a interação
com cada membro de um grupo,
a motivação individual.
O líder por autoridade encontra um
pouco mais de tempo para ouvir
as pessoas e tratá-las como se
fossem pessoas importantes.

Consequências:
Equipe motivada e unida,
lutando para alcançar um
único objetivo: o do seu líder.
Pessoas felizes com vontade
de trabalhar, colaboradores
com idéias de melhorias a autoridade existe, precisamente, para coagir o sujeito a agir corretamente naqueles casos em que, por si próprio, é incapaz de o fazer. Deste modo, a autoridade apresenta-se como um substituto da falta de capacidade de alguns sujeitos em se autogovernarem. Autoridade O artigo trata da relação
aluno-professor como sendo
uma relação puramente autoritária,
de limites bem definidos,
onde o professor detêm o poder
e os alunos são tidos
como seus subordinados, assumindo assim a ideia de que a educação exige um trabalho de autoridade para que os alunos sejam levados a obedecer determinadas ordens e regras. PODER, AUTORIDADE E INFLUÊNCIA Os três autores defendem uma visão hierárquica da educação e do ensino, e consideram que o sucesso da educação depende da eficácia da ação disciplinar, no quadro de uma liderança institucional que assegure a autoridade dos professores. Como a relação aluno/professor,
neste caso, se relaciona com a
relação patrão/empregado? vejamos... O poder refere-se à capacidade
que um indivíduo(A) tem de influenciar
o comportamento de outro indivíduo(B),
de maneira que B aja de acordo
com a vontade de A Os líderes usam o poder como meio
de atingir os objetivos do grupo.
Ele é um meio de facilitar
suas conquistas.
Poder Coercitivo O poder baseado no medo: “A pessoa pode tornar as coisas difíceis para os outros, e você não quer que ela se irrite”.
Poder de Recompensa Poder baseado na capacidade de distribuição de recompensa: “A pessoa pode fornecer benefícios ou recompensas, e você considera vantajoso trocar favores com ela”.
Poder resultante da posição
na hierarquia formal:
“A pessoa tem direito,
em função do cargo
que ocupa, de esperar
que você cumpra suas
obrigações legítimas”.
Poder Legítimo Influência baseada em habilidades
específicas ou em conhecimentos:
"A pessoa tem experiência e
conhecimento para conquistar
seu respeito, e você considera
seus julgamentos em relação
a certos assuntos".
Poder de Talento Influência baseada na posse,
por uma pessoa, de traços pessoais
ou recursos desejáveis:
"Você gosta da pessoa e
tem prazer em fazer
alguma coisa por ela".
Poder de Referência Autoridade é o poder, a legitimidade. Em geral, o termo refere-se às pessoas que governam ou que exercem o comando.
Também corresponde ao prestígio ganho por uma pessoa ou organização graças à sua qualidade ou à competência numa determinada matéria ou área de especialidade.
A autoridade é portanto uma forma de dominação, já que requer a obediência de outrem. Sem obediência, a autoridade não faz sentido nem surte os efeitos pretendidos. Por exemplo, se a professora mandar os alunos calarem-se e que estes continuarem a fazer barulho e a perturbar o bom funcionamento da aula, significa que a docente não está a conseguir exercer o seu poder de autoridade, de qual é formalmente detentora no exercício das suas funções de docência. Isto quer dizer que, mais do que um título, a autoridade é algo que se exerce, e não algo que se ostenta.


"Podemo-nos confrontar com o paradoxo de existir autoridade sem autoridade, como pode acontecer no caso do chefe de uma empresa cujos empregados não lhe obedecem. Em contrapartida, há certas pessoas que, embora não tenham quaisquer cargos formais, exercem a autoridade."

A liderança é a capacidade de um indivíduo para influenciar, motivar e habilitar outros a contribuírem para a eficácia e o sucesso das organizações de que são membros.
Liderar consiste em exercer uma influência, em guiar, em orientar um determinado grupo de pessoas. Liderança Desenvolvimento Foram utilizados os depoimentos de adultos que descreveram suas experiências de infância em relação a figura do professor e ao ambiente escolar de modo geral. Muitos dos depoimentos faziam referência às experiências de medo ou de incomodidade provocadas pelas ações dos professores e companheiros cruéis e insensíveis. Outros fazem referência ao aborrecimento originado pela imposição de tarefas absurdas, ou ao atrativo da vida fora dos muros da escola. Conclusões É preciso, antes de mais nada, contextualizar as análises feitas para o desenvolvimento do seguinte artigo, levando em consideração os quadros sociais, culturais e nacionais das épocas históricas a que se reportam as mesmas. Porém, embora isso possa levar a crer que tais conceitos estejam desatualizados, ou fora de época, seguem os pontos que desestruturam tal argumento: A compreensão de que as concepções educacionais que enquadram estas análises sociológicas (uma visão da educação como processo social que implica na transmissão unilateral do património cultural, a imposição de valores e normas, a submissão a uma autoridade hierárquica e a um código disciplinar e que cultiva valores como o trabalho, o sacrifício de interesses pessoais, o esforço e o cumprimento dos deveres) ser, ainda hoje, partilhada por muitos sectores políticos, sociais e educacionais. A relevância e a atual aplicabilidade da análise sociológica da relação pedagógica desenvolvida por estes autores, pois a sociologia do conflito - que inspira uma visão da interacção da sala de aula como 'campo de batalha' - continua a evidenciar uma forte capacidade explicativa de muitas situações e dinâmicas interativas na escola e na sala de aula. Isso acontece porque a aplicação dos conceitos próprios desta sociologia - por exemplo, os conceitos de poder, de força, de estratégia, de táctica, de interesses em jogo, de dominação, de subordinação - continua a fazer sentido. Como terceiro ponto para fins de conclusão, podemos analisar a posição tomada por Durkheim, um sociólogo radicalmente tradicional e conservador, que busca uma visão da educação como ação fundamentalmente explicativa e persuasiva, o que lançou as bases para uma re-conceitualização da autoridade na educação como "autoridade democrática", que impôe respeito por valores, normas e deveres, mas mantém, da mesma forma, o respeito pela integridade e pelos direitos dos alunos. Bibliografia PODER, AUTORIDADE E LIDERANÇA. In:ENSAIO. aval.pol.públ.Educ. vol.17 no.63 Rio de Janeiro abr.\jun. 2009.
Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0104-40362009000200004 >. Acesso em: 14 dez. 2012. PEDROSA, Paula. Liderança por Autoridade X Liderança por Poder.
Disponível em: <http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/lideranca-por-poder-x-lideranca-por-autoridade/31037/>.
Acesso em: 14 dez. 2012.
Full transcript