Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Filosofia

No description
by

Leonor Vilar

on 17 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Filosofia

Jean-Paul Sartre
Biografia
Sartre
FIL.

Filosofia
Filosofia
Bruna Passos Nº5
João Ye Nº16
Leonor Vilar Nº17
Ruben Freitas Nº23

Jean-Paul Sartre (Jean-Paul Charles Aymard Sartre) foi um filósofo, escritor e crítico francês que nasceu em Paris, França, no dia 21 de junho de 1905. Foi um dos maiores pensadores existencialistas franceses, juntamente com Albert Camus e Simone de Beauvoir.
Era filho de Jean-Baptiste Marie Eymard Sartre, oficial da marinha francesa e de Anne-Marie Sartre.
O pai de Jean-Paul Sartre morreu a 21 de Setembro de 1906, quando Sartre tinha apenas 15 meses. Após a morte do pai, Sartre e a sua mãe mudaram-se para casa dos seus avós maternos.

Obras de Sartre
1924-1936
Em 1924, iniciou os seus estudos universitários na École Normale Supérieure, onde conheceu Simone de Beauvoir, com quem estabeleceu uma relação que duraria toda a sua vida.

Em 1928 Sartre reprova no mestrado, mas numa segunda tentativa consegue passar em primeiro lugar e a sua amiga Simone em segundo.

Em 1933 obteve uma bolsa de estudos que lhe permitiu ir para a Alemanha, onde entrou em contato com a filosofia de Husserl (através de Raymond Aron) e de Heidegger.

Entre 1929 e 1931, Sartre presta serviço militar e torna-se soldado meteorologista tendo posteriormente começado a trabalhar como professor de filosofia.

1939-1950
Em 1939 Sartre volta ao exército francês, servindo na Segunda Guerra Mundial, como meteorologista. Em 1940, em Nancy, é preso pelos alemães e permanece na prisão até Abril de 1941. De volta a Paris, alia-se à Resistência Francesa, onde conhece e se torna amigo de Albert Camus.

Em 1945 (fim da Segunda Guerra Mundial) Sartre dissolveu o movimento Socialismo e Liberdade, por corresponder apenas a uma necessidade da Resistência, e fundou a revista "Les Temps Modernes" (Tempos Modernos), com Merleau-Ponty, Raymond Aron, Simone de Beauvoir e outros.

Embora Sartre nunca se tenha filiado ao Partido Comunista defendeu o comunismo e também o Estalinismo. E quando Albert Camus publicou o seu livro, "O Homem Revoltado", no qual ataca criticamente o Estalinismo, Sartre permitiu a publicação de uma crítica desastrosa sobre o livro do Camus na sua revista "Les Temps Modernes" que levou ao fim da relação entre eles.

Na década de 1950 Sartre assume uma postura política mais atuante e abraça o comunismo. Torna-se ativista e posiciona-se publicamente em defesa da libertação da Argélia do colonialismo francês. A aproximação do marxismo inaugura a segunda parte da sua carreira filosófica em que tenta conciliar as ideias existencialistas de autodeterminação aos princípios marxistas. Por exemplo, a ideia de que as forças sócio-económicas, que estão acima do nosso controlo individual, têm o poder de modelar as nossas vidas.

Publicou livros importantes, romances, contos e ensaios como forma de disseminar os seus conceitos existencialistas. Ex.: "A Náusea", "A Imaginação", "O Muro", além da peça teatral "As Moscas", no qual usou uma lenda grega para simbolizar o domínio alemão sobre a França na Segunda Guerra Mundial.

Em 1964, rejeitou o Prémio Nobel da literatura para não “se deixar recuperar pelo sistema".

Jean Paul Sartre morre em Paris a 15 de Abril de 1980.

Biografia
Obras
Formação

Os Realizadores Deste Trabalho:
Existencialismo
Características do existencialismo
• É uma corrente filosófica e literária iniciada pelo filósofo dinamarquês Søren Kierkegaard.
• Surgiu e desenvolveu-se na Europa entre as duas guerras mundiais.
• O existencialismo é o conjunto de ideias que coloca no ser humano a responsabilidade por se construir e pelos seus atos, visto que o existencialista Sartiriano considera que Deus não existe e, sendo assim, tudo é permitido.
• É caracterizado por centrar a sua análise na existência.
• A existência vem antes da essência- não existe uma essência humana que determine o homem, mas ele sim é que constitui a sua essência na sua existência.
• O representante principal do existencialismo ateu é Sartre.



• Destaca: a liberdade individual, a responsabilidade e a subjetividade.
• Não há desculpas e justificações para as nossas ações. O que somos, ou o que fazemos, não é produto da nossa infância, da nossa criação, do destino ou da divindade. Estamos sozinhos, lançados no mundo, para nos inventar, pois não há nada anterior à nossa existência para definir o que somos.
• Esta construção da essência dá-se a partir das escolhas feitas, visto que o homem é livre. Nessa condição, na qual o homem existe e sua vida é um projeto, ele terá de escolher o que quer ser e concretiza-se agindo, isto é, escolhendo.

• Todo o projeto, por mais individual que seja, tem um valor universal. Há uma universalidade de todo o projeto no sentido de que todo o projeto é compreensível para todo o Homem. Isto não significa, de modo algum, que este projeto defina o Homem de uma vez para sempre, mas sim que ele pode ser reconhecido. Neste sentido podemos dizer que há uma universalidade do Homem, mas ela não é dada, é indefinidamente contruída.

• O existencialismo é considerado um humanismo porque o homem escolhe o que faz, podendo colocar os seus projetos à disposição da humanidade. Esses projetos podem servir então para a sua realização pessoal mas também para ajudar outras pessoas, visto que as ações têm uma dimensão mundial.

• O existencialismo mostra a ligação do caráter absoluto do compromisso livre pelo qual cada homem se realiza, realizando um tipo de humanidade, compromisso sempre compreensível seja em que época e por quem for, e a relatividade do conjunto cultural que pode resultar de semelhante escolha.
• O existencialista considera a morte como algo natural por isso vive centrado no presente, agindo e lutando para conseguir atingir os seus objetivos, visto que considera que não existe nenhum ser que os torne realidade.
• Ter de se escolher a todo o instante é angustiante, pois cada escolha irá refletir diretamente no que se é. A angústia é o reflexo da liberdade humana, dessa ampla possibilidade de escolher e ser responsável por cada escolha.

Análise do vídeo “O emprego” de Santiago Bou Grasso, segundo o existencialismo:
No vídeo “O emprego” de Santiago Bou Grasso, está presente um exagero da realidade e uma ação contrária ao existencialismo, representando uma metáfora de uma realidade que acontece com muita frequência. Apresenta a vida rotineira de um homem comum e daqueles que o rodeiam. Nesta rotina é possível compreender que o homem vive infeliz e não tem iniciativa própria. Todos os personagens presentes no vídeo cumprem a função de servir, sendo utilizados como objetos (candeeiro, mesa, cadeira, peso do elevador, etc.). O emprego do personagem principal é ser pisado por outros, todos os dias, visto que cumpre a função de tapete. Com isto, é possível compreender que não há ação, nem há liberdade de escolha. Falta coragem e vontade para agir, mudar a rotina e realizar o que se pretende, pois caso não mudem viverão assim até morrer. Como tenta alertar o vídeo, há um mundo para explorar, riscos a correr e objetivos para concretizar que as pessoas não perseguem com medo da mudança e da quebra da rotina. E assim, compreende-se que muitas pessoas vivem de uma rotina, de obrigações e limitações que não lhes permitem serem felizes e apenas no fim da vida percebem que não usufruíram da liberdade de escolher a vida que queriam. O vídeo tenta fazer entender que o existencialismo e a liberdade de escolha existem.

Consideramos que Sartre é um humanista porque não se deixa ficar pela realização pessoal ajudando outros no mundo.
A sua ação foi essencial para a Argélia, Cuba e Vietname visto que os ajudou e incentivou a revolucionarem-se (nunca incentivando à violência mas sim ao pensamento) tendo assim uma ação mundial, devido aos seus atos altruístas.
Com Sartre podemos entender que o existencialismo é um humanismo visto que o homem é um “ ser para fazer ” e “ ser livre no mundo ”, pois coloca os seus projetos (literários inclusivé) à disposição da humanidade.
Reflexão sobre o impacto da ação política de Sartre no Mundo
Jean-Paul Sartre não escreveu apenas obras filosóficas, mas também ensaios, romances, críticas e peças de teatro.

Algumas das obras e peças de Sartre:

A imaginação
, 1936

A transcendência do ego
, 1936

A Náusea
, 1938- Foi o primeiro romance de Sartre, em que foi reconhecido como escritor com grande talento. Está escrito em forma de diário, onde o protagonista Antoine Roquentin explora o absurdo da condição humana.

O muro
, 1939

O Ser e o Nada
, 1943- é o seu trabalho mais importante especificamente filosófico. Nessa obra está o fundamento teórico para afirmações sartrianas que serão encontradas em todos os seus trabalhos políticos ou literários.

As moscas
, 1943

Entre quatro paredes
, 1944

Existencialismo é um humanismo
, 1945- É uma das obras mais importantes do movimento existencialista. Neste texto, Sartre diz que o apesar de uma pessoa existir, não existe nada para ditar o carácter e os objetivos de vida de uma pessoa. Apenas cada ser humano por ele próprio pode definir a sua essência.

Triologia
: Os caminhos da Liberdade ( A idade da razão, 1945; Sursis, 1947; Com a morte na alma, 1949)- Sartre explora a experiência das guerras.

O Diabo e o bom Deus
, 1951

Crítica da razão de dialéctica
, 1960

As palavras
, 1964- Autobiografia sobre os temas da leitura e da escrita, onde faz uma retrospectiva da sua infância dos 4 aos 11 anos.

Sartre teve uma importante ação na política quando interveio nas ações libertadoras de países do Terceiro Mundo durante o período histórico em que viveu. Durante a Segunda Guerra Mundial Sartre foi feito prisioneiro pelos nazis, e teve um enorme impacto na Guerra da Argélia, na Revolução Cubana e na Revolução Vietnamita.

Foi o divulgador do terceiro mundismo. Pode-se dizer que Sartre foi um intelectual revolucionário, envolvido na transformação da sociedade capitalista, defensor radical da revolução socialista, única capaz de realizar a liberdade entre os Homens, de acordo com suas ideias.
Política de Sartre
Ação política de Sartre:
• Argélia: definiu o colonialismo, revelou a subumanização do argelino pela violência colonial que é originada pelo racismo e pela tortura. As posições políticas de Sartre sobre a guerra têm um grande impacto em França porque intervém contra a guerra e divulga as suas atrocidades propondo uma ação política conjunta e coordenada da esquerda do operariado francês e do campesinato argelino.
• Cuba: publicava reportagens sobre o “hurazcán sobre el azucar”, na França, pelo jornal parisiense France Soir e, no Brasil, pelo jornal carioca Última Hora. Nas reportagens, descreve o esforço quotidiano dos jovens revolucionários para edificar e consolidar a sociedade sob uma lógica para além do capital, com destaque às 5 conquistas sociais obtidas pelo povo cubano, particularmente, no que toca à reforma agrária. Sartre divulgava as conquistas sociais cubanas para conseguir arranjar apoio à revolução constantemente ameaçada de aniquilamento pelos Estados Unidos mas também para servir de modelo aos países latino-americanos e particularmente ao Brasil.
• Vietname: descrita como a “guerra suja”, condenável pelo ponto de vista moral e em especial as atividades do tribunal Russell radicalizavam as posições políticas de Sartre. No curso da guerra, ele propõe uma nova relação entre a política e a moral com base na sua crítica da política considerada exclusivamente sob o ângulo da eficácia, um dos legados estalinistas de acordo com Sartre a partir da inscrição da política no código da moralidade, as “massas” poderiam avaliar e rejeitar as ações dos governos para além do critério exclusivo da eficácia.
Conclusão
Nos concluimos que Jean-Paul Sartre foi um pensador muito importante e que teve um impacto muito grande no mundo, não só pelas suas obras mas também pela sua ação humanitária. Escreveu obras importantes como: "O Ser e o Nada", "Existencialismo é um humanismo", estas são exemplos de obras de Sartre em que está presente no seu pensamento existencialista/libertista/humanista.
Sartre pos o seus projetos à disposição do mundo, quando ajudou à revolução da Argélia, Cuba e Vietname.




Política
• 05-11-2014 http://www.significados.com.br/existencialismo/
• 05-11-2014 http://www.philosophy.pro.br/existencialismo.htm
• 06-11-2014 http://www.mundoeducacao.com/filosofia/existencialismo.htm
• 06-11-2014 http://revistacult.uol.com.br/home/2010/03/foucault-um-pensador-politico/
• MARQUES António/ DOS SANTOS Leonel; Filosofia 1; A Regra Do Jogo; 1981; 4ª edição; pp.451-453
• 12-11-2014 http://www.dn.pt/inicio/interior.aspx?content_id=603490
• 14-11-2014
http://www.encontro2014.rj.anpuh.org/resources/anais/28/1395367297_ARQUIVO_Jean-PaulSartreeoTerceiroMundo.pdf 14-10-2014
• 16-11-2014 http://www.dicionarioinformal.com.br/terceiro%20mundo/
• 05-11-2014 http://www.e-biografias.net/jean_paul_sartre/
• 05-11-2014 http://pt.wikipedia.org/wiki/Jean-Paul_Sartre
• 06-11-2014 http://www.infoescola.com/biografias/jean-paul-sartre/
• 14-11-2014 http://www.cefetsp.br/edu/eso/filosofia/sartrevidaobra.html
• 14-11-2014 http://www.lpm.com.br/site/default.asp?TroncoID=805134&SecaoID=948848&SubsecaoID=0&Template=..%2Flivros%2Flayout_autor.asp&AutorID=725464

Bibliografia
Introdução
Este trabalho é sobre o filósofo existencialista/libertista e humanista Jean-Paul Sartre. A história de vida de Sartre está relacionada com a matéria que estamos a abordar nas aulas pois foi um dos grandes filósofos que trabalhou o tema da liberdade do homem e ele próprio foi um exemplo de humanismo.
Sartre, um pilar para a revolução do Terceiro Mundo?
Full transcript