Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Maquiavel

No description
by

Gustavo Finamore

on 3 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Maquiavel

É reconhecido como o fundador do pensamento da ciência política aos 29 anos de idade, no cargo de secretário de segunda chancelaria.

Foi afastado de suas atividades depois de trabalhar por 14 anos em Florença, o que o levou a escrever suas principais obras: O Príncipe e os Discursos de Tito Livio. Maquiavel morreu em 21 de Junho de 1527, aos 58 anos, acometido de fortes dores intestinais.

O túmulo de Maquiavel está na Basílica da Santa Cruz, na Itália. Nicolau Maquiavel é um dos mais conhecidos filósofos políticos de todos os tempos.

Séculos após terem sido publicados, os trabalhos de Maquiavel continuam sendo lidos e analisados por estudantes de filosofia, história e política. Nicolau Maquiavel Maquiavel foi um historiador, poeta, diplomata e músico italiano do Renascimento. Foi reconhecido como fundador do pensamento e da ciência política moderna, pelo fato de haver escrito tudo sobre o Estado e o governo como realmente são e não como deveriam ser. Maquiavel nasceu em Florença em 3 de maio de 1469. Gustavo Finamore
Matheus Lanini
William Albuquerque Niccolò di Bernardo Machiavelli Os recentes estudos a respeito do autor e de suas obras admitem que seu pensamento foi mal interpretado pelos historiadores. Maquiavélico: adjetivo atribuído a qualquer pessoa que tem objetivos egoístas, que age aparentando ser alguém de princípios morais elevados. Maquiavelismo: em termos técnicos indica a doutrina de Maquiavel na tradição de pensamento baseado no conceito da razão do Estado. Em termo genérico é utilizado para indicar a pessoa que age de forma inescrupulosa para atingir seus objetivos. Uma pessoa com astúcia e esperteza. Maquiavel era o terceiro filho de quatro irmãos. Sua família era toscana, antiga e pobre. Casou-se com Marieta Corsine, com quem teve seis filhos: Bernardo, Ludovico, Piero, Guido, Bartolomeu e outra menina que faleceu na infância.

Iniciou seus estudos de latim com sete anos e, posteriormente, estudou também o ábaco, bem como os fundamentos da língua grega antiga.

Sua educação foi fraca, comparada com a de outros humanistas, principalmente por causa dos poucos recursos da família. Quando Júlio de Medice assumiu o poder em Florença, contratou Maquiavel para escrever uma "Historia de Florença", ao qual dedicaria os últimos anos de sua vida.

Nos anos de 1519 e 1520 escreveu ainda "A Arte da guerra" e, numa viagem a trabalho em 1520, a "Vita di Castracani de Luca". FRASES DE MAQUIAVEL

O fim justifica o meio;
Não é a intenção que valida um ato,mas seu resultado;
Ao rei tudo,menos honra;
Os homens esquecem mais rapidamente a morte do pai do que a perda do patrimônio;
A primeira imprensão que se tem de um governante e da sua inteligência é dada pelos homens que o cercam;
Homens ofendem por medo ou por ódio; Enfim, as idéias de Maquiavel fazem da política ou da arte de governo, uma função totalmente separada da ética e da moral.

Em outras palavras, a política deve ser um fim em sim mesmo. Estátua de Maquiavel na Galleria degli Uffizi, em Florença. A suprema obrigação do governante é manter o poder e a segurança do país que governa, ainda que para isso ele tenha que derramar sangue (os fins justificam os meios). Principais
idéias... Principal obra: O Príncipe (1513)

O livro pode ser entendido de duas formas, a primeira como se fosse um manual para os futuros governantes, e o outro seria a denuncia social dos bastidores do poder político. Em 7 de novembro de 1512, Maquiavel foi demitido sob a acusação de ser um dos responsáveis por uma política anti-Médici e grande colaborador do governo anterior. Foi multado em mil florins de ouro e proibido de se retirar da Toscana durante um ano.

Para piorar sua situação, no ano seguinte, Agostino Capponi e Pietropolo Boscoli, foram presos e acusados de conspirarem contra o governo. Um deles deixou cair involuntariamente uma lista de possíveis adeptos do movimento republicano, entre os quais estava Maquiavel, que foi então preso e torturado.

Para sua sorte, todos os suspeitos de conspiração foram anistiados com a morte do papa Júlio II, como sinal de regozijo.Maquiavel foi libertado com eles, depois de passar 22 dias na prisão.

Em seguida ele se afastou, quando escreveu sua grande obra: "O príncipe". Folha de rosto da edição de 1550 de "O Príncipe" e de "A vida de Castruccio Castracani da Lucca", de Nicolau Maquiavel Maquiavel é uma das figuras principais no estudo da Ciência Política, visto que era apaixonado por política. Em sua principal obra "O Príncipe" ele da dicas para um governante governar. Ele pensava que basicamente o governante deveria fazer o necessário para atingir seus objetivos, mesmo que fossem preciso mentiras, armações e assassinatos, e que era melhor o governante ser temido do que amado. Conclusão A conduta do príncipe (governante) deve ser de acordo com a situação (se a ocasião exigir que mate alguém, por exemplo, assim o deve fazer). Não importa o que o governante faça em seus domínios, desde que seja para manter-se com autoridade. O governante não precisa ter qualidades, mas sim deixar parecer ao povo que ele as tem (ele deve ser "falso"). Todas as pessoas são movidas exclusivamente por interesses egoístas e ambições de poder pessoal (o governante deve manter-se alerta com todos). A natureza humana é CORRUPTÍVEL. O governante nunca deverá confiar na lealdade dos seus súditos (todos os indivíduos são corruptíveis). O governante deve supor que todos os homens são potencialmente seus rivais e, por isso, deve tratar de lançar uns contra os outros em proveito próprio. O governante deve fazer o mal todo de uma única vez e o bem aos poucos, para que se esqueça do mal que foi feito e lembre sempre do bem. Para o governante é melhor ser considerado como miserável do que como gastador. Um Estado tem que se expandir e desenvolver ou cairá em ruínas.
Full transcript