Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Untitled Prezi

No description
by

Raissa Marcello Machado

on 25 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Untitled Prezi

Efeito de overdentures
mandibulares na evolução
da função mastigatória
de desdentados totais
com atrofia óssea severa Universidade Federal de Pelotas
Faculdade de Odontologia
Programa de Pós-Graduação em Odontologia
Área de Prótese Dentária Introdução Prótese total convencional Introdução Retenção
Estabilidade
Insatisfação Introdução Em 2002, grupo de especialistas da reabilitação oral do consenso McGill Mestranda: Raissa Micaella Marcello Machado
Orientadora: Fernanda Faot
Co-Orientador: Rafael Ratto de Moraes Reabsorção óssea progressiva Limitam a vida social
Modificam a dieta
Deficiência nutricional Introdução overdenture implanto-suportada acesso e divulgação lenta Introdução Melhoria na satisfação e qualidade de vida Funcionalmente: melhora a força de mordida, habilidade e performance mastigatória. Reduz uma futura reabsorção óssea Introdução Único Problema: Não é considerada padrão ouro Assim, Deve ser o protocolo padrão mínimo - Desempenho
- Indicadores de Satisfação
- Custo
- Tempo Clínico Atrofia óssea severa
Idade avançada
Limitações de motricidade Introdução População com atrofia óssea severa Implantes com dimensões e
diâmetro para esta indicação Embora estudos clínicos já tenham demonstrado a utilização de implantes de pequeno diâmetro. Introdução Dúvidas Critérios para determinação da atrofia óssea Único estudo Parâmetros para quantificação da atrofia óssea (área da mandíbula) Introdução Entretanto, Indisponibilidade de implantes para esta população Inexistem Estudos que determinem: quais dimensões são mais prevalentes no desdentado total mandibular (Parâmetros clínicos e radiográficos) Estudos prospectivos e longitudinais que observem: estabilidade primária e secundária de implantes com diâmetro e comprimento reduzidos instalados em pacientes com atrofia óssea severa. Introdução Ancoragem com implantes Estabilizam as próteses totais Melhoram a performance e força mastigatória Qualidade nutricional Satisfação do paciente Resultado estético e funcional da PT Estudos longitudinais demonstram sucesso 95% com mais de 20 anos de acompanhamento Introdução Conhecimento e determinação do impacto deste
tratamento sobre a saúde bucal, a vida diária dos pacientes,
bem como a avaliação e determinação do
estado clínico e psicológico dos mesmos seria
de grande valor sempre que houver necessidade de
reabilitação protética e de mensurar se as
expectativas estão sendo supridas. Justificativa Prevalência alta do edentulismo Expectativa de vida aumentando Necessidade de controle da atrofia óssea com a finalidade de PROPOR
intervenções que preconizem a prevenção da reabsorção óssea. Justificativa Implementação de protocolos Instalação de overdentures Atrofia óssea severa mandibular Amplamente difundida especialmente através de sistemas
com simplicidade cirúrgica e custo financeiro acessível Justificativa Inexistem estudos clínicos longitudinais Utilização de desenhos de implantes simplificados em pacientes com atrofia óssea severa Evolução da função mastigatória Pacientes com histórico de insatisfação, comprovados através da falta de retenção e estabilidade das PT. Justificativa Modificações que impactam: Qualidade de vida
Satisfação
Impacto na vida diária
Autopercepção da saúde bucal Não foram aplicados juntos Finalidade: Qual destes instrumentos verdadeiramente correspondem
ao comportamento do paciente diante de uma nova intervenção Objetivos Geral: Avaliar a evolução da função mastigatória de pacientes com atrofia óssea mandibular severa antes e após a reabilitação com overdentures implantosuportadas por 2 implantes de comprimento e diâmetro reduzido.

A avaliação da estabilidade dos implantes através de Análise de Frequência de Ressonância e a percepção do paciente em relação ao seu estado de saúde oral. Objetivos Específicos: a. Descrever e estabelecer parâmetros clínicos e radiológicos indicadores da atrofia óssea.

b. Avaliar a performance mastigatória antes da intervenção, e após a instalação dos implantes nos intervalos de tempo de 15, 30, 60, 180 e 360 dias.

c. Avaliar a estabilidade primária e secundária dos implantes por meio de análise de frequência de ressonância nos seguintes intervalos (T0 - instalação), 60, 180 e 360 dias.

d. Avaliar por meio de questionários antes e após a instalação de overdentures: a qualidade de vida, o grau de satisfação do paciente, o impacto na vida diária e autopercepção da saúde bucal. Materiais e Métodos Delineamento experimental Desenho experimental longitudinal com 1 ano de acompanhamento de intervenção Avaliação objetiva:
eficiência mastigatória e estabilidade dos implantes em diferentes intervalos Variáveis dependentes: Performance mastigatória
Limiar de deglutição
Estabilidade primária e secundária dos implantes Questionários Qualidade de vida (OHIP-EDENT)
Grau de satisfação do paciente
Impacto na vida diária (DLI)
Autopercepção da saúde bucal (GOHAI) Materiais e Métodos Delineamento experimental Primeira fase: Avaliação com as PT convencional em uso por pelo menos 3 meses Segunda fase: Instalação 2 implantes de diâmetro e comprimentos reduzidos Interforames Reembasamento PT inferior com reembasador rígido 15 dias após realização de novos testes Materiais e Métodos Delineamento experimental Terceira fase: 2 meses após reembasamento da PT terceira avaliação da performance mastigatória Procedimento cirúrgico de reabertura dos implantes
e instalação dos sistemas de encaixe do tipo oring 1, 3, 6 e 12 meses de adaptação do paciente com as overdentures se realizarão as demais avaliações Materiais e Métodos Aspectos éticos: Comitê de Ética e Pesquisa FO-UFPel. Os participantes serão informados quanto à natureza e objetivos deste estudo e, em casos de concordância com as especificações, assinarão o TCLE. Materiais e Métodos Seleção dos participantes: 15 pacientes Usuários de PT dupla 2011/2 e 2012/1 Feminimo e masculino UPD II FO-UFPel Materiais e Métodos Seleção dos participantes: Critérios de inclusão: 1. Usuários de PT duplas confeccionadas a pelo menos 3 meses 2. Dificuldade de adaptação do uso da PT inferior por ausência de retenção e estabilidade 3. Sinais clínicos e imaginológicos condizentes com mandíbula edêntula atrófica (ausência dentária e altura óssea > 12mm Materiais e Métodos Seleção dos participantes: Critérios de exclusão: 1. Pacientes que apresentem impossibilidade clínica local e sistêmica para instalação de implantes Lesões intra-ósseas
Diabetes
Cardiopatas
Hipertensos Materiais e Métodos Avaliação da Performance mastigatória Tamanho obtido da partícula de alimento após um determinado número de ciclos mastigatórios. OPTOCAL Optosil Plus (Bayer Dental): 58,3%
Dentifrício: 7,5%
Vaselina: 11,5%
Gesso dental: 10,2%
Alginato: 12,5%
Catalisador: 20,8 mg/g Materiais e Métodos Avaliação da Performance mastigatória Materiais e Métodos Avaliação da Performance mastigatória 17 cubos 40 ciclos Expelir filtro de papel Materiais e Métodos Avaliação da Performance mastigatória Secagem natural Sistema de 10 peneiras Abertura varia de 5,6mm a 0,5 mm Materiais e Métodos Limiar de deglutição Mastigar até sentir vontade de engolir Sinalizar ao pesquisador - registro dos ciclos Coleta e manejo das partículas trituradas é a mesma descrita na performance mastigatória. Materiais e Métodos Avaliação da Estabilidade do Implante por Análise de Frequência de Ressonância Mensurada por meio do quoeficiente de estabilidade do implante (ISQ) Osstell Único operador calibrado, de acordo com instruções do aparelho Triplicata - Faces vestíbulo-lingual e mesio-distal de cada implante Média é considerado o ISQ do implante avaliado Materiais e Métodos Avaliação da Qualidade de Vida (OHIP) Prótese total e a prótese total sobre implante Nunca, às vezes ou quase sempre Reproduzidas a partir do inventário OHIP-EDENT Materiais e Métodos Avaliação do Grau de Satisfação do Paciente Função, estética e conforto da prótese Atribuirá um valor para cada item 1 - Prótese sem problema
2 - Algum problema
3 - Problema moderado
4 - Problema considerável
5 - Não poderia ser pior Última Sim ou Não Materiais e Métodos Avaliação do Impacto na Vida Diária Dimensões: Conforto
Aparência
Dor
Performance mastigatória
Restrição alimentar Impacto e a importância proporcional de cada dimensão Concordar, discordar ou neutro Cada paciente terá o seu escore, poderá variar de -1 a +1 Materiais e Métodos Avaliação da Autopercepção da Saúde Bucal (GOHAI) Autorrelato do paciente, a qualidade de vida dos idosos desdentados em relação a sua saúde bucal. Dimensões: Física
Psicossocial
Dor/desconforto Sempre/muitas vezes
Às vezes/raramente
Nunca Análise Estatística Tabulação dos dados Stata (Versão 11.2) O método estatístico será selecionado com base na aderência ao modelo de distribuição normal e igualdade de variância Valor p< 0,05 Referências Introdução O resultado do tratamento protético
é variável e depende das atitudes
do paciente em relação ao edentulismo
e ao uso de próteses. Aceitação e sucesso final do tratamento requerem adaptação funcional e psico-social, podendo ser altamente influenciados pelas expectativas do paciente. Introdução O resultado do tratamento protético é variável e depende das atitudes do paciente em relação ao edentulismo e ao uso de próteses. 1.Albaker AM. The oral health-related quality of life in edentulous patients treated with Conventional complete dentures. Gerodontology. V 10, p 1741-2358, 2012.
2.Allen, F; Locker, D. A Modified Short Version of the Oral Health Impact Profile for Assessing Health-Related Quality of Life in Edentulous Adults. The International Journal of Prosthodontics. V 15, n 5, 2002.
3.Al-Nawas B, Brägger U, Meijer HJ, Naert I, Persson R, Perucchi A, Quirynen M, Raghoebar GM, Reichert TE, Romeo E, Santing HJ, Schimmel M, Storelli S, Bruggenkate CT, Vandekerckhove B, Wagner W, Wismeijer D, Müller F. A Double-Blind Randomized Controlled Trial (RCT) of Titanium-13Zirconium versus Titanium Grade IV Small-Diameter Bone Level Implants in Edentulous Mandibles - Results from a 1-Year Observation Period. Clinical Implant Dentistry and Related Research. V 14, n 6, p 896-904, 2012.
4.Anastassiadou, V.; Katsouli, S.; Heath, M.R.; Pissiotis, A.; Kapari, D. Validation of communication between elderly denture wearers and dentists: a questionnaire on satisfaction with complete dentures using semi-structured interviews. Gerodontology. v 21, p 195-200, 2004.
5.Al-Omiri MK, Abu Hantash RO, Abu Yunis M, Lynch E. Relationship between personality and impacts of implant treatment on daily living. Clinical Implant Dentistry and Related Research. V 1, p 2-10, 2012.
6.Al-Omiri, MK; Abu Hammud, O; Lynch, E; Lamey, PJ; Clifford TJ. Impacts of implant treatment on daily living. The international journal of oral & maxillofacial implants. V 26, p 877-886, 2011.
7.Atchison KA, Dolan TA. Development of the Geriatric Oral Health Assessment Index. Journal of Dental Education. V 54, n 11, p 680-687, 1990.
8.Attard NJ, Zarb GA. Long-term treatment outcomes in edentulous patients with implant overdentures: the Toronto study. The International Journal of Prosthodontics. V 17, n 4, p 425-33, 2004.
9.Bakke M, Holm B, Gotfredsen K. Masticatory function and patient satisfaction with implant-supported mandibular overdentures: a prospective 5-year study. the International Journal Prosthodontics. V 15, n 6, p 575-581, 2002.
10.Brandt R, Hollis S, Ahuja S, Adatrow P, Balanoff W. Short-term objective and subjective evaluation of small-diameter implants used to support and retain mandibular prosthesis. The Journal of the Tennessee Dental Association. V 92, n 1, p 34-8, 2012.
11.Brånemark PI. Osseointegration and its experimental background. Journal of Prosthetic Dentistry. V 50, n 3, p 399-410, 1983.
12.Burns DR. Mandibular implant overdenture treatment: consensus and controversy. Journal Prosthodontics. V 9, n 1, p 37-46, 2000.
13.Burns DR, Unger JW, Coffey JP, Waldrop TC, Elswick RK Jr. Randomized, prospective, clinical evaluation of prosthodontic modalities for mandibular implant overdenture treatment. Journal of Prosthetic Dentistry. V 106, n 1, p 12-22, 2011.
14.Caloss R, Al-Arab M, Finn RA, Throckmorton GS. The effect of denture stability on bite force and muscular effort. Journal of Oral Rehabilitation. V 38, n 6, p 434-9, 2011.
15.Chan, ES; Iugovaz, I; Siboo, R; Bilyk, M; Barolet, R; Amsel, R; Wooley, C; Klitorinos, A. Comparison of two popular methods for removal and killing bactéria from dentures. Scientific Journal. V 57, n 12, p 937-939, 1991.
16.Cheng T, Sun G, Huo J, He X, Wang Y, Ren YF. Patient satisfaction and masticatory efficiency of single implant-retained mandibular overdentures using the stud and magnetic attachments. Journal of Dentistry. V 40, n 11, p 1018-1023, 2012.
17.Doundoulakis JH, Eckert SE, Lindquist CC, Jeffcoat MK. The implant-supported overdenture as an alternative to the complete mandibular denture. The Journal of the American Dental Association. V 134, n 11, p 1455-1458, 2003. Referências 18.Peine JS, Carlsson GE, Awad MA, Chehade A, Duncan WJ, Gizani S, Head T, Heydecke G, Lund JP, MacEntee M, Mericske-Stern R, Mojon P, Morais JA, Naert I,Payne AG, Penrod J, Stoker GT, Tawse-Smith A, Taylor TD, Thomason JM, Thomson WM, Wismeijer D. The McGill consensus statement on overdentures. Mandibular two-implant overdentures as first choice standard of care for edentulous patients. Gerodontology. V 19, n 1, p 3-4, 2002.
19.Ferrario VF, Sforza C, Lovecchio N, Mian F. Quantification of translational and gliding components in human temporomandibular joint during mouth opening. Archives of Oral Biology. V 50, n 5, p 507-515, 2005.
20.Fontiin-Tekamp,F.A.; Slagterl, A.P.,Van Der Bilt, A; Van 'T Hof, M.A.; Witter, D.J., Kalk,W. e Jansen, J.A. Biting and Chewing in Overdentures, Full Dentures, and Natural Dentitions. Journal of Dental Research. V 79, n 7, p 1519-1524, 2000.
21.Fontijn-Tekamp, Slagter, Van der Bilt et al. Swallowing thresholds of mandibular implant-retained overdentures with variable portion sizes. Clinical Oral Implants Research. V 15, p 375-380, 2004.
22.Fontijn-Tekamp FA, van der Bilt A, Abbink JH, Bosman F. Physiol Behav. Swallowing threshold and masticatory performance in dentate adults. Phisiology & Behavior. V 83, n 3, p 431-436, 2004.
23.Guljé F, Raghoebar GM, Ter Meulen JW, Vissink A, Meijer HJ. Mandibular overdentures supported by 6-mm dental implants: a 1-year prospective cohort study. Clinical Implant Dentistry and Related Research. V 14, n 1, p 59-66, 2012.
24.Heckmann SM, Heussinger S, Linke JJ, Graef F, Pröschel P. Improvement and long-term stability of neuromuscular adaptation in implant-supported overdentures. Clinical Oral Implants Research. V 20, n 11, p 1200-1205, 2009.
25.Huumonen S, Haikola B, Oikarinen K, Söderholm AL, Remes-Lyly T, Sipilä K. Residual ridge resorption, lower denture stability and subjective complaints among edentulous individuals. Journal Oral Rehabilitation. V 39, n 5, p 384-390, 2012.
26.Hyland R, Ellis J, Thomason M, El-Feky A, Moynihan P. A qualitative study on patient perspectives of how conventional and implant-supported dentures affect eating. Journal of Dentistry. V 37, n 9, p 718-723, 2009.
27.Komagamine Y, Kanazawa M, Kaiba Y, Sato Y, Minakuchi S, Sasaki Y. Association between self-assessment of complete dentures and oral health-related quality of life. Journal of Oral Rehabilitation. V 39, n 11, p 847-857, 2012.
28.Kordatzis K, Wright PS, Meijer HJ. Posterior mandibular residual ridge resorption in patients with conventional dentures and implant overdentures. The International Journal of Oral & Maxillofacial Implants. V 18, n 3, p 447-452, 2003.
29.LaBarre EE, Ahlstrom RH, Noble WH. Narrow diameter implants for mandibular denture retention. J Calif Dent Assoc. V 36, n 4, p 283-6, 2008. Clinical oral Implants Research. V 18, n 4, p 399-408, 2007.
30.Locker D. Subjective oral health status indicators. Community Health. V 27, n 3, p 257-270, 1997.
31.Melescanu Imre M, Marin M, Preoteasa E, Tancu AM, Preoteasa CT. Two implant overdenture--the first alternative treatment for patients with complete edentulous mandible. Journal of Medicine and Life. V 4, n 2, p 207-9, 2011.
32.Miyamoto I, Yoshida K, Tsuboi Y, Iizuka T. Rehabilitation with dental prosthesis can increase cerebral regional blood volume. Clinical Oral Implants Research. V 16, n 6, p 723-727, 2005.
33.Naert I, Alsaadi G, van Steenberghe D, Quirynen M. A 10-year randomized clinical trial on the influence of splinted and unsplinted oral implants retaining mandibular overdentures: peri-implant outcome. The International Journal of Oral & Maxillofacial Implants. V 19, n 5, p 695-702, 2004.
34.Pan S, Dagenais M, Thomason JM, Awad M, Emami E, Kimoto S, Wollin SD, Feine JS. Does mandibular edentulous bone height affect prosthetic treatment success? Journal of Dentistry. 2010 Nov; V 38, n 11, p 899-907, 2010.
35.Pocztaruk Rde L, Frasca LC, Rivaldo EG, Fernandes Ede L, Gavião MB. Protocol for production of a chewable material for masticatory function tests (Optocal - Brazilian version). Brazilian Oral Research. V 22, n 4, p 305-310, 2008. Referências 36.Raghoebar GM, Meijer HJ, Stellingsma K, Vissink A. Addressing the atrophied mandible: a proposal for a treatment approach involving endosseous implants. The International Journal of Oral & Maxillofacial Implants. V 26, n 3, p 607-617, 2011.
37.Redford M, Drury TF, Kingman A, Brown LJ. Denture use and the technical quality of dental prostheses among persons 18-74 years of age: United States, 1988-1991. Journal Dental Research. V 75, p 714-725, 1996.
38.Schwartz-Arad D, Kidron N, Dolev E. A long-term study of implants supporting overdentures as a model for implant success. Journal of Periodontology. V 76, n 9, p 1431-5, 2005.
39.Silva SRC, Fernandes RAC. Autopercepção das condições de saúde bucal por idosos. Revista de Saúde Publica. V 35, n 4, p 349-355, 2001.
40.Slagter, AP; Bosman, F; Van der Bilt, A. Comminution of two artificial test foods by dentate and edentulous subjects. Journal of Oral Rehabilitation. V 20, p 159-176, 1993.
41.Slagter, AP; Olthoff, LW; Bosman, F; Steen, WHA. Masticatory ability, denture quality, and oral conditions in edentulous subjects. Journal of Prosthetic Dentistry. V 68, p 299-307, 1992.
42.Snauwaert K, Duyck J, van Steenberghe D, Quirynen M, Naert I. Time dependent failure rate and marginal bone loss of implant supported prostheses: a 15-year follow-up study. Clinical Oral Investigations. V 4, n 1, p 13-20, 2000.
43.Spitzl C, Pröschel P, Wichmann M, Heckmann S. Long-term neuromuscular status in overdenture and complete denture patients with severe mandibular atrophy. The International Journal of Oral & Maxillofacial Implants. V 27, n 1, p 155-161, 2012.
44.Sohrabi K, Mushantat A, Esfandiari S, Feine J. How successful are small-diameter implants? A literature review. Clinical Oral Implants Research. 2012 May; V 23, n 5, p 515-25, 2012.
45.Souza, RF; Leles, CR; Guyatt, GH; Pontes, CB; Della Vecchia, MP; Neves, FD. Exploratory factor analysis of the Brazilian OHIP for edentulous subjects. Journal of Oral Rehabilitation. V 37, p 202-208, 2010.
46.Tallgren A. The continuing reduction of the residual alveolar ridges in complete denture wearers: a mixed-longitudinal study covering 25 years. Journal Prosthetic Dentistry. V 27, n 2, p 120-132, 1972.
47.Thomasson E, Conso C, Mazel C. A well-fixed femoral stem facing a failed acetabular component: to exchange or not? A 5- to 15-year follow-up study. Orthopedics & Traumatology: Surgery & Research. V 8, n 1, p 24-29, 2012.
48.Tonzetich, J; NG, SK. Reduction of malodor by oral cleasing procedures. Oral Surgery. V 42, n 2, p 172-181, 1976.
49.Trulsson U, Engstrand P, Berggren U, Nannmark U, Brånemark PI. Edentulousness and oral rehabilitation: experiences from the patients perspective. European Journal of Oral Sciences. V 110, n 6, p 417-524, 2002.
50.Zani SR, Rivaldo EG, Frasca LC, Caye LF. Oral health impact profile and prosthetic condition in edentulous patients rehabilitated with implant-supported overdentures and fixed prostheses. Journal of Oral Science. V 51, n 4, p 535-543, 2009. Naert et al, 2004; Tallgren, 1972 Redford et al, 1996; Bums et al 200; Melescanu Imre et al, 2011; Trulsson et al, 2002; Hyland et al, 2009) Feine et al, 2002; Thomasson et al, 2012 Callos et al, 2011; Bakke et al, 2002; Ferrario et al, 2005; Burns et al, 2000; Kordatzis et al 2003; Miyamoto et al, 2005 Thomason et al, 2012 Spitzl et al, 2012; Rahoebar et al, 2011; Guljé et al, 2011; Al-Nawas et al, 2012; Sohrabi et al, 2012; brandt et al 2012; LaBarre et al, 2008 Spitzl et al, 2012 Heckmann et al, 2009; Cheng et al, 2012; Snauwaert et al, 2000; Attard e Zarb, 2004; Schwartz-Arad et al, 2005 Al-Omiri et al, 2011 Souza et al, 2007 Materiais e Métodos Seleção dos participantes: Critérios de inclusão: 4. Ter disponibilidade de comparecer a FO-UFPel nos dias pré-determinados 5. Concordar com os termos e riscos do estudo como fratura mandibular, impossibilidade de instalação imediata da prótese implanto retida mandibular e não osseointegração dos implantes Slagter et al, 1992; Slagter et al, 1993; Fontijin-Tekamp et al 2000; Pocztaruk et al, 2008 Materiais e Métodos Avaliação da Performance Mastigatória Desinfectados em glutaraldeído Slagter et al, 1992; Slagter et al, 1993; Fontijin-Tekamp et al 2000; Pocztaruk et al, 2008 16h/65°C Slagter et al, 1992; Slagter et al, 1993; Fontijin-Tekamp et al 2000; Pocztaruk et al, 2008 Slagter et al, 1992; Slagter et al, 1993; Fontijin-Tekamp et al 2000 Slagter et al, 1992; Slagter et al, 1993; Fontijin-Tekamp et al 2000 Fontijin-Tekamp et al, 2004 (a); Fontijin-Tekamp et al, 2004 (b) Slagter et al, 1992; Allen e Locker, 2002 Anastassiadou et al, 2004 Mahmoud et al, 2011 Locker, 1997; Silva e Fernandes, 2001; Chan et al, 1991; Tonzetich, 1976 The Aging Issue

Karger Gazette, 72 Published October 2012 Amplitude de indicações por sua baixa complexidade Mastigação normal Impede a degeneração das funções cerebrais Motivação para o convívio social _ Cálculo: tamanho médio em peso das partículas que corresponderá a abertura da peneira pela qual passaram 50% em peso das partículas trituradas. Lavar
Full transcript