Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

estudos de caso

No description
by

on 17 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of estudos de caso

estudos de caso

Edifício residencial em Carabanchel
estudo de caso 01
Planta baixa
ANÁLISES UNWIN
Identificação do lugar

O edifício é marcado pela excentricidade e atratividade do projeto, proporcionadas pela quantidade e cores dos containers;
As cores promovem uma sensação de integração, movimento, descontração e transmitem a diversidade do projeto (várias famílias, várias pessoas, várias culturas);
Os espaços vazios entre os containers reforçam o fato de que cada container é uma moradia, demonstrando a individualidade de cada morador/família;
O edifício identifica-se como um lugar pelo seu uso – Conjunto habitacional -, e pela função de morar.

Os elementos básicos da arquitetura

O edifício está implantado em uma área de terreno definida, com forma retangular, marcada pela própria edificação, considerando calçadas;
O mesmo se representa um marco, através da diversidade de cores e dos containers; As grades por onde ocorrem os acessos, atuam como barreiras, dividindo a parte exterior da parte interior do edifício. As portas, nas grades, funcionam como uma barreira permeável;
As escadas estabelecem o percurso pelo qual o morador deve passar para chegar ao seu apartamento;
Aberturas (portas e janelas) em todos os apartamentos, que atravessam uma barreira, e que permitem o contato entre o exterior e a passagem de ar e luz;
Elementos combinados: o edifício em si aparece como um fechamento, não apresentando faces totalmente abertas para o exterior;
O piso, as paredes e a cobertura criam uma cela – cada apartamento.
PLANTA BIXA
Planta tipo para todos os pavimentos, totalizando 744 moradias;

Presença de todos os cômodos, com exceção da lavanderia;

As plantas destes apartamentos apresentam flexibilidade quando ao uso dos dormitórios e da sala, pois somente a cozinha e o banheiro são cômodos pré-estabelecidos e definidos;

As plantas apresentadas variam de um a dois dormitórios, mas devido à flexibilidade possível, os apartamentos de um dormitório podem virar de dois, enquanto os de dois dormitórios podem virar de quatro;

Dormitórios voltados para todas as orientações;

Recebimento de luz maior no período da tarde do que no período da manhã, pois os edifícios se “abrem” para a orientação oeste;

Ventilação e iluminação natural razoáveis, pois os cômodos da cozinha e banheiro não possuem abertura, em alguns apartamentos;

Quinze circulações verticais, as quais levam para os corredores centrais, formados por passarelas externas, que se conectam umas às outras;

Passarelas – espaços de transição entre os moradores;
proposta de habitação na sérvia
estudo 02
Arquitetos: MITarhArchitecture Studio
Tipo de projeto: Habitacional
Status: Projeto
Localização/Endereço: Nova Belgrado, Sérvia

pRPOSTA DE HABITAÇÃO SOCIAL EM CAEN
ESTUDO DE CASO 03
Arquitetos: OLLGA Architects
Cliente: Habitat Caen
Ano: setembro 2011 (projeto)
Área construída: 8240 m²
Área residencial: 6131 m²


análises awin
Materiais
Exposta à cidade, a estrutura externa é a mais forte, comporta por paredes de vidro. Avançando para o interior, os materiais se tornam mais suaves, através de acabamentos em tinta, revestimento em madeira e utilização de concreto aparente. De maneira visível, tem-se a utilização de lajes de concreto nas passarelas/circulações que se encontram instaladas no exterior das edificações, e lajes inclinadas na cobertura dos três edifícios centrais.

Inserção urbana
Este conjunto habitacional ainda encontra-se em fase de projeto, porém, através de análises, pode-se concluir que a inserção do mesmo, no espaço que abrange uma quadra do traçado urbano, não acarretará impactos nos fluxos de automóveis e na malha viária.

planta baixa
Devido à forma escalonada dos edifícios, estes não apresentam planta tipo para todos os pavimentos, ocorrendo, a cada andar, a “subtração de um apartamento”.

Dois blocos são compostos por 32 apartamentos cada, incluindo dois duplex, organizados ao longo dos seis pavimentos, enquanto o terceiro contém 31 apartamentos, também incluindo dois duplex
Os acessos para tais apartamentos acontecem através de duas escadas e um elevador, em cada edifício.
A partir das circulações verticais, se alcança os corredores de circulação comum, caracterizados por serem centrais no edifício.

Presença dos cômodos necessários, com exceção da lavanderia;
Dormitórios voltados para sul, leste e oeste;
Iluminação e ventilação são suficientes para os edifícios, através das aberturas, dos terraços e dos dutos de ventilação.
Os edifícios estão afastados entre si de modo a não comprometer a orientação solar, não ocorrendo à presença de sombra de um edifício em outro;


introdução
Reconhecido e identificado através da diversidade de cores e formas de viver, o edifício é o projeto vencedor de um concurso promovido pela Empresa Municipal de Vivienda y Suelo de Madri, na Espanha. O edifício foi entregue no ano de 2009, depois de dois anos de projeto e cinco anos de construção.

O programa consiste em 82 moradias, distribuídas em cinco pavimentos, além de um espaço no subsolo destinado a uma garagem privativa. Os apartamentos possuem de um a quatro dormitórios, sendo que cada um corresponde a um container – método construtivo adotado pelos arquitetos do projeto –, cada qual tendo a cor atribuída conforme a escolha do proprietário da moradia. A distribuição dos containers, nas quatro fachadas, acontece de modo intercalado e paralelo, criando espaços vazados entre eles, os quais são adaptados como terraços e funcionam como espaços de ventilação e iluminação, assim como as aberturas instaladas nas paredes dos containers. Cada moradia tem um terraço à sua disposição, ou seja, cada apartamento pode usufruir do seu pátio de altura.

Aparecendo como um pátio coletivo e como elemento fundamental de um conjunto habitacional, tem-se um espaço destinado às práticas comuns, de maneira análoga a uma praça, localizado no nível térreo e no centro da edificação, estabelecendo conexões entre o meio exterior e o meio interior. Todos os apartamentos têm vistas para esta área, a qual é destinada para todas as idades e moradores, os quais podem desenvolver diferentes atividades, que envolvem lazer, convívio e integração, neste espaço ensolarado no verão e fresco no inverno.


Implantação
No térreo, espaços edificados e direcionados às moradias nas laterais norte e sul, e espaços livres, a leste e oeste, parte frontal e parte dos fundos, destinados aos acessos principais para o pedestre do exterior ao interior do conjunto habitacional;

No centro, formado por um vazio do edifício, está localizado o pátio-jardim que atua como uma área comum/coletiva;

A tipologia adotada para os edifícios é linear, formando uma figura retangular, com a localização destes edifícios nas quatro extremidades do terreno, formando um vazio no centro;

Os edifícios e as áreas comuns estão inseridos no mesmo nível. Porém, o terreno original apresenta um desnível na direção.
INTRODUÇÃO
Participante de um concurso e desenvolvido pelo MITarhArchitecture Studio, com a intenção de criar um lugar no qual os moradores pudessem se identificar e que pudesse ser modificado conforme as necessidades, a proposta é um projeto arquitetônico e urbano de um conjunto habitacional para Nova Belgrado, na Sérvia.

A proposta gira em torno da necessidade de utilização racional do espaço, da criação de espaços bem organizados, criação de boas vistas e de espaços públicos. Estes foram projetados no piso térreo, entre os blocos. São ambientes arejados e transmitem abertura, devendo fazer com que os usuários vivem e usem desses espaços, não exercendo papel de local de transição. Desse modo, contêm áreas verdes, jardins terraços, pontos de encontro locais e espaços de lazer ativos.

Este projeto prevê cerca de três mil futuros usuários, demandando, portanto, várias formas de usufruto do espaço. Nesse contexto, aumentando o valor de utilidade da moradia, projetaram-se espaços internos flexíveis, tornando possível a reorganização e adaptação às necessidades dos futuros moradores, e servindo como um agente estimulador para as famílias que pretendem aumentar.

IMPLANTAÇÃO
Predomínio de espaços edificados sobre os não edificados;

As áreas comuns, de convívio e lazer (não edificadas), que comportam áreas verdes e os caminhos dos pedestres, estão localizadas entre os cinco edifícios;

Edifícios com oito pavimentos;
Três admitem tipologia linear, um admite forma em U, de modo a abraçar os três edifícios lineares, e o outro comporta uma forma em L;

Tanto as áreas comuns quanto os edifícios estão localizados em um mesmo patamar;

Os acessos acontecem por uma rua privada que circunda toda a implantação e que apresenta um acesso específico para alcançar a mesma.
introdução
Promovendo uma reinterpretação de cidade jardim vertical, o projeto foi realizado em forma de degraus japoneses, com um sistema de 18 terraços privativos e unidades habitacionais escalonados, de forma gradual, permitindo ventilação e iluminação ótimas e propondo uma arquitetura “montanhosa”, integrada de forma harmônica com o entorno, marcado pela presença de classe operária suburbana.

A proposta do conjunto habitacional, que atenderá às necessidades dos moradores e que considera o impacto no entorno, é composta por três edifícios de uso misto, com seis pavimentos cada, contando com 100 unidades, sendo 95 de uso residencial e cinco de uso comercial localizado no térreo. Ainda no térreo, estão localizados os espaços comunitários e jardins comuns.

implantação
Equilíbrio entre as áreas edificadas e não edificadas;

Os espaços comuns e de convívio são compostos por caminhos para pedestres, e jardins, estando integrados a uma topografia artificial.

Estes espaços comuns localizam-se nas áreas livres entre os três edifícios, além do centro, que está ocupado por um dos edifícios.

Os edifícios e as áreas comuns estão implantados no mesmo nível do terreno, e podem ser acessados pelas quatro fachadas.


A estrutura é composta basicamente por containers e lajes de concreto, as quais fazem o fechamento horizontal;
Entre as placas de cada container, é feito um isolamento térmico e acústico e o acabamento do interior e do exterior é o mesmo em todas as moradias;
Esta preferência pelo uso de containers é uma opção sustentável.



Os elementos modificadores da arquitetura
- A cor é um elemento fundamental para reconhecimento e identificação do edifício;
- Quanto à textura, ocorre mudança da mesma do primeiro pavimento para os demais;
- O pátio estabelece condições de permanência tanto no verão quanto no inverno, estando temperatura e ventilação relacionadas.

Elementos que desempenham mais de uma função
- As paredes internas dos apartamentos servem tanto como apoio para móveis quanto para divisão de ambientes;
- As lajes que dividem os pavimentos atuam como piso e como cobertura;
- O pátio aparece como um espaço de convívio, lazer, integração e recreação;
- Os espaços livres estre os containers oferecem uma condição de terraço, assim como um ambiente de ventilação e iluminação.

Tipos de lugares primitivos
- Lugares primitivos típicos de uma moradia, como, dormitório privados ao proprietário, presença de cama e lugar para cozinhar na cozinha.
A arquitetura como a arte de emoldurar ou estruturar
- A forma retangular que o edifício admite, promove a formação de uma moldura que define os limites do pátio situado na área central.

Templos e Cabanas
- O edifício apresenta características que se referem à “cabana”: abrigos preparados para proteger os moradores do clima, assim como para atender as necessidades e funções corporais dos mesmos;
- Presença de escala humana, sem proporções maiores, e plantas irregulares e assimétricas.

A geometria social
- O espaço de convívio social: o pátio central.
A geometria da construção
- Os containers, que apresentam uma forma retangular,
admitem esse papel, estabelecendo uma geometria
também retangular para o edifício.




As geometrias reais
- Seis direções e um centro: quatro direções horizontais
(frente, costas, dois lados), para baixo (terra) e para cima (céu), incluindo a definição simples de centro.
As faces da frente e das costas estão voltadas para os acessos e para os
apartamentos; as duas faces laterais para apartamentos; a de cima para
o céu e, a de baixo, para a terra - para a garagem subterrânea.
- As seis direções estabelecem um centro. E, no centro deste projeto,
tem-se um pátio voltado abertamente para o céu.

A geometria ideal
- A geometria ideal é alcançada através da apropriação dos ângulos retos, simetria e equilibrio – containders.

Estrutura da organização do espaço 1 – Espaço e estrutura
- A estrutura é formada basicamente por container e lajes de concreto;
- Cada container delimita o espaço de uma moradia.

Estrutura da organização do espaço 2– Paredes paralelas
- Os apartamentos são formados por containers dispostos paralelamente nas
quatro faces do edifício;
- As laterais do edifício são paralelas entre si, duas a duas,
com um pátio ao centro.


Based on Jim Harvey's speech structures
Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ
ACEA - Área das Ciências Exatas e Ambientais
Curso: Arquitetura e Urbanismo
Disciplina: Projeto Arquitetônico III
Professoras: Katiane Balzan e Paula Batistello
Acadêmicos (as): Amanda Bamberg Ertel, Bruna Heinen E Daniella Cella
Semestre: 2014/01
Data: 12/03/2014
ESTUDOS DE CASO
Arquitetos: Amann-Canovas-Maruri - Atxu Amann, Andrés Cánovas, Nicolás Maruri
Ano: 2009
Área construída: 13419 m²
Área do terreno: 4441 m²
Tipo de projeto: Habitacional
Status: Construído
Materialidade: Metal
Estrutura: Concreto
Localização/Endereço: Avenida de la Peseta, Carabanchel, Madri, Espanha

Neste edifício, não há uma planta tipo para cada pavimento. No térreo, somente duas laterais contém apartamentos. Acima do térreo, os demais pavimentos são compostos por plantas e distribuição diferente de apartamentos;

Através das aberturas instaladas nas paredes dos containers, com janelas de altura do pé direito, tem-se ventilação e iluminação suficientes;

Não há um espaço de lavanderia;

A circulação vertical do edifício ocorre através de escadas e elevadores. São cerca de dez escadas e dez elevadores para os 82 apartamentos;

Oito circulações verticais levam a duas moradias e as outras duas circulações verticais dão acesso somente a um apartamento por andar.
materiais
inserção urbana
O contexto do edifício se insere no contexto urbano do seu entorno, pois está localizado em um distrito com grande presença de conjuntos habitacionais e condomínios residenciais.
Estrutura da organização do espaço 3– Estratificação
- Nesta construção nota-se a estratificação em três níveis diferentes – térreo, subterrâneo e elevações.

Estrutura da organização do espaço 4– Transição, hierarquia e núcleo
- A porta é considerada um dos elementos caracterizadores da transição, a qual acontece de duas maneiras: do exterior para o interior; do público para o privado;
- Dentro da transição do público para o privado, encontram-se hierarquia marcada por quatro estágios: Público; Semipúblico; Semiprivado; Privado;
- Ocorre a passagem do exterior (rua, calçada – público) para as áreas comuns do interior da construção (semipúblico).
Depois, acontece o acesso para os blocos, ou seja, para a circulação comum interna dos mesmos (semiprivado);
- Acesso para os apartamentos (privado);
Como núcleo da construção considera-se o apartamento, pois é o último estágio alcançado dentro do conjunto, tornando-se o foco do mesmo.

Identificação do lugar
- Identifica-se como um lugar através do seu uso, explícito pela forma, pela quantidade de edifícios, pelos espaços comuns/de convívio entre os blocos;
- Forma não é comum, tornando-se um atrativo;
- O terraço com jardim remete à imagem de uma casa – função do conjunto habitacional – função de morar;

Os elementos básicos da arquitetura
- Área de terreno definida, marcado pelas calçadas e em algumas partes pela vegetação;
- Os edifícios estão inseridos sobre uma plataforma, cuja está em um nível mais alto
que o entorno (calçadas, ruas, etc.);
- As paredes atuam como delimitadoras de espaço, isolando cada apartamento e dividindo em várias moradias. As circulações verticais guiam um usuário ao seu destino, através do fechamento por paredes.
- As passarelas/corredores instigam o morador a percorrer os caminhos;
- Os percursos são formados pelos corredores “rebaixados”, localizados nas áreas de convívio;
- Existência de paredes de vidro em algumas fachadas, que constituem uma barreira física, mas não visual;
Elementos combinados
- As passarelas ao ar livre estão distribuídas em várias alturas, umas sobre as outras, paralelamente, formando o elemento combinado “estante”.

Os elementos modificadores da arquitetura
- As fachadas leste e sul são formadas por paredes de vidro, as quais absorvem uma grande quantidade de luz, promovendo uma modificação dos ambientes internos e deixando-os expostos ao exterior.
- Ocorrem mudanças de textura entre os blocos, apresentando diferentes revestimentos: madeira, tinta e concreto, atribuindo uma identificação para os edifícios.

Elementos que desempenham mais de uma função
- As passarelas atuam tanto como espaços de
transição quanto de integração de pessoas;
- As portas voltadas para as passarelas, permitem acesso
e ao mesmo tempo entrada de ar e luz;
- Paredes internas dos apartamentos servem tanto como
apoio para móveis quanto para divisão de ambientes;
- Tanto as passarelas quanto as lajes dos
edifícios funcionam como piso e como cobertura;
- Áreas comuns aparecem tanto como
espaços de transição quanto espaços de convívio;


Templos e Cabanas
Abrigos preparados para proteger os moradores do clima, assim como para
atender as necessidades e funções corporais dos mesmos;
Dimensões dos edifícios relacionadas com a escala humana, sem proporções
maiores, e as plantas não são regulares e simétricas.
Uma característica se refere arquitetonicamente ao “templo”: presença de materiais com acabamento – madeira.

As geometrias reais
Linhas de percurso
As passarelas/corredores projetados na obra, que distribuem os caminhos percorridos pelos moradores até os seus apartamentos, atuam como linhas de percurso, oferecendo diversas linhas de passagem, que devem ser avaliadas, através da visão, para saber caminho deve seguir.
A geometria da construção
As paredes retangulares, que compõem a estrutura, produzem edifícios de geometria retangular. Ainda, as lajes inclinadas adotadas como forma de cobertura dos blocos centrais, determinam a geometria triangular da mesma.

A geometria ideal
Todos os apartamentos possuem formas geométricas ideais;
Destes, alguns se agrupam e originam uma nova forma (L e U), ocasionando assim uma geometria regular, formada por ângulos retos, na sua composição

Espaço e estrutura
A estrutura escolhida determina uma geometria retangular, que resulta em apartamentos e cômodos organizados de acordo com o padrão da estrutura.

Paredes paralelas
Em um aumento crescente de abrangência (apartamento – conjunto de apartamentos – edifícios),
tem-se: algumas paredes internas divisoras de cômodos são paralelas;
apartamentos paralelos entre si; edifícios paralelos, considerando suas paredes externas.

Estratificação
Este projeto apresenta basicamente duas estratificações.
O subterrâneo contém a garagem, exercendo função de abrigo para os veículos.
Subindo um nível chega-se ao térreo, expresso basicamente pelas moradias,
cumprindo a função de morar, assim como os sete pavimentos acima.

Área de espaço comum: 881 m²
Área de varejo: 1228 m²
Orçamento:11 491 000 €
Tipo de projeto: Habitacional e comercial
Status: Projeto
Localização/Endereço: Caen, França
Análises unwin
Identificação do lugar
- Identifica-se como um lugar através do seu uso, explícito pela forma, pela quantidade de edifícios, pelos espaços comuns/de convívio entre os blocos;
- Forma não é comum, tornando-se um atrativo;
- O terraço com jardim remete à imagem de uma casa – função do conjunto habitacional – função de morar;
Os elementos básicos da arquitetura
- Área de terreno definida, marcado pelas calçadas e em algumas partes pela vegetação;
- Os edifícios estão inseridos sobre uma plataforma, cuja está em um nível mais alto que o entorno (calçadas, ruas, etc.);
- As paredes atuam como delimitadoras de espaço, isolando cada apartamento e dividindo em várias moradias. As circulações verticais guiam um usuário ao seu destino, através do fechamento por paredes.
- As passarelas/corredores instigam o morador a percorrer os caminhos;
- Os percursos são formados pelos corredores “rebaixados”, localizados nas áreas de convívio;
- Existência de paredes de vidro em algumas fachadas, que constituem uma barreira física, mas não visual;
Elementos combinados
-
As passarelas ao ar livre estão distribuídas em várias alturas, umas sobre as outras, paralelamente, formando o elemento combinado “estante”;

Os elementos modificadores da arquitetura
- A forma escalonada contribui para uma melhor ventilação e iluminação;
- Os terraços abertos influem no conforto térmico;
- Nas fachadas das três torres acontece a mudança de texturas, que variam entre revestimento em madeira e em tinta.

Elementos que desempenham mais de uma função
- As lajes que dividem os pavimentos atuam como piso e como cobertura;
- Os corredores internos das torres atuam como um elemento separador entre eles.
Tipos de lugares primitivos
- Lugares primitivos típicos de uma moradia, como, dormitório privados ao proprietário, presença de cama e lugar para cozinhar na cozinha.


A arquitetura como a arte de emoldurar ou estruturar

- A disposição dos três blocos cria dois espaços de pátio/convívio entre eles, emoldurando-os.

Templos e Cabanas
- Os três blocos assumem a posição de abrigos preparados para proteger os moradores do clima;
- Adotam uma escala pequena, adequada aos seres humanos;
- As plantas dos apartamentos não são regulares e simétricas;
- A presença de tais características remete às condições de “cabana”;
- Presença de materiais com acabamento – madeira – relaciona-se a uma característica de “templo”.

As geometrias reais
- Forma escalonada: determinaram a geometria retangular e em forma de patamares da construção, expressando, portanto, a geometria da construção.

A geometria ideal
- Os três blocos são formados por apartamentos com formas regulares;
- Não ocorrem pavimentos tipos, pois a cada andar “subtrai-se um apartamento”, gerando a forma escalonada;
- A composição atribui aos prédios a sensação de formas agrupadas;
- Os blocos comerciais estão dispostos perpendicularmente aos edifícios residenciais.
Full transcript