Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Carl Jung

No description
by

Lucas Sartor Fachinelli

on 4 November 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Carl Jung

Contexto
Europa, Final séc. XIX e séc XX.
A Crise da matemática do final do séc XIX
abalou
os fundamentos da Filosofia.

Tal crise foi ocasionada pela "...descoberta, perto de 1829, de um modelo e geometria não eculidiana" (eves, 2004, p. 539).
Onde
fundamentar
a Filosofia?
Karl Marx, Friederich Niezstche e Sigmund Freud.
É impossível pensar o momento contemporâneo sem analisar a obra desses três homens.
Estes homens, cada um a seu modo, criticaram a Razão Iluminista (Aufklärung), abrindo nossos olhos para o fato de que o homem não é dotado de toda autonomia e liberdade pregadas pelos ilustrados, apontando diferentes caminhos de pesquisa.
Marx vai apontar a Guerra de Classes e o condição social como determinantes de parte das ações do homem. Niezstche vai afirmar o poder de Pulsão (de natureza Dionisíaca) como determinate de outra parte de nossas ações. Finalmente Freud apontará o inconsciênte e a sexualidade como o fator que movimenta o agir humano.
Não se acredita mais que a Aufklärung seja capaz de tornar o homem livre e resolver os problemas da humanidade, pois tais soluções não mais dependem unicamente das ações do sujeito "consciente", mas sim de outros fatores não pertencentes (e vezes maiores até que) a assim dita razão.
Desta forma, o modelo da Modernidade que identifica o Sujeito com a Consciência cai por terra, mostrando que a Consciência é apenas uma pequena parte do Sujeito.
CARL JUNG
E A
PSICOLOGÍA ANALÍTICA
Eduarda Cristine Viero Lima
Lucas Sartor Fachinelli
Marcos Paulo Kuffel
Inconsciente coletivo
PERSONA
EGO
SOMBRA
ANIMA/ANIMUS
SELF
Consciente
Inconsciente
Para Jung os sonhos possuiam uma importância muito maior do que em Freud.
Diferente de Freud, os sonhos não serviam para começar o processo de livre associação.
Eram a forma que o Ego teria para poder se comunicar com seu inconsciênte, sendo que o último utiliza de uma linguágem simbólica.
Os sonhos não se preocupam em fazer sentido, ou ter uma noção moral. Os sonhos são inteiramente inconsciêntes.
Jung e o Simbolismo.
Interpretando Sonhos
Interpretando Sonhos
A "mulher"
O excluido
A totalidade
O Sábio
Carl Jung (1875 - 1961)
Em sua vida além de psicologia estudou diversas outras áreas.
Desenvolveu uma teoria complexa e fascinante, que envolvia o estudo dos comportamentos e pensamentos humanos.
Religiões orientais.
Parapsicologia.
Mitologia.
Alquimia.
Filosofia.


A vida de Jung é marcada por três momentos:
Dos 3 aos 4 anos, sonhos que o aterrorizavam.
Aos 12 anos, os pensamentos proibidos.
E aos 69 anos, após infarto teve uma visão de si mesmo fora do corpo.
Vida pessoal
Nasceu na Suíça em 26 de julho de 1975, em uma família de pastores luteranos.
As questões religiosas e espirituais afetaram sua infância profundamente.
Estudou medicina na universidade, pois era a área que mais se enquadrava em seus interesses da época.
Quando estava para se formar entrou em contato com a psiquiatria através de um tratado sobre psiquiatria de Krafft-Ebing.
Depois disso, tornou-se interno na Clínica Psiquiátrica Burgholzi em Zurique.
Trabalhou e estudou com Pierre Janet, um notável psiquiatra Francês.
Neste mesmo hospital Psiquiátrico desenvolveu uma técnica de análise que consistia em associação de palavras.
Jung desenvolveu uma rica base em psiquiatria até ter contato com as ideias de Freud. Elas eram muito similares as que ele havia desenvolvendo e estudando.

Decidiu enviar cópias de seus trabalhos para Freud, que o convidou para Viena. No primeiro encontro deles conversaram por 13 horas sem interrupção.
Jung e Freud eram amigos íntimos, no entanto entraram em conflito por discordarem sobre os pontos de traumas sexuais de Freud e os fenômenos mitológicos, espirituais e ocultos de Jung.

Freud chegou a considerar Jung seu melhor aluno de todos os tempos;
Jung fez varias viagens. E através delas pode estudar vários povos.

Depois de se recuperar de um infarto, entrou num processo muito produtivo e gerar ideias originais

Morreu em 6 de junho de 1961, com 86 anos.
Teoria da personalidade em Jung.

E estruturação dos Arquétipos da personalidade.
Consiente
Inconsiente
Intuição
Sensação
Pensamento
Sentimento
Dinâmica da Terapia De Jung
Crescimento Psicológico
- Todo indivíduo possui uma tendência para a individuação/autoconhecimento (verseltung – “tornar-se si mesmo”; selbstverwirklichung – “realização do si mesmo”)
- Desenvolvimento do eixo ego-self e maior integração dos arquétipos inconscientes
- Para o ego, crescimento significa expansão do conhecimento consciente; para o self, é a integração consciente/inconsciente
Etapas
1ª) Desnudamento da persona
2ª) Confronto com a sombra
3ª) Confronto com a anima/animus
4ª) Desenvolvimento do self
Obstáculos ao crescimento
1º) Perigo de identificação com a persona
2º) Ignorância da sombra
3º) (Confronto anima/animus) Risco de ser engolido pelo insconsciente, ou de fortalecer demais o Ego.
4º) Identificação com com o arquétipo do self. Ou a formação da personalidade-mana.
ESTRUTURA

- “A experiência psíquica é a única experiência imediata. O corpo é tão metafísico quanto o espírito”



- A individuação é um processo pessoal, que se desenvolve no relacionamento com os outros



- Tem poder apenas sobre o pensamento e a ação conscientes



- “A emoção é a principal fonte de consciência”



- Refere-se apenas aos processos de pensamento conscientes e dirigidos
Corpo
Relacionamento Social
Vontade
Emoções
Intelecto

- Esforço conjunto do analista e do analisando, que trabalham juntos como iguais (unidade dinâmica)

- Não há uma teoria /técnica específica

- Autonomia do paciente


1º) Analítico

a) confissão

b) elucidação

2º) Sintético

a) educação

b) transformação
Terapeuta
Estágios:
FIM.
Full transcript