Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

CME - Centro de Material e Esterilização - UFG

Apresentação Seminário - Limpeza
by

Thiago Bernardes

on 18 December 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of CME - Centro de Material e Esterilização - UFG

Ana Lúcia
Jordana Rúbia
Jeniffer Ferraz
Laura Dias
Ludmyla Rodrigues

Limpeza

Agilidade no registro do ponto
Maior controle por parte do Funcionário
Melhorar o atendimento a seus clientes
Orientadoras:
Equipe:
Anaclara Ferreira Veiga Tipple
Thaís de Arvelos Salgado

Obrigado!
Referências Biliográficas:
Associação Brasileira de Enfermeiros de Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e Esterilização.
Práticas recomendadas da SOBBEC:
Enfermagem em Centro Cirúrgico, Recuperação Pós-anestésica e Centro de material e Esterilização. 6.ed.rev. e atual. São Paulo, 2013,111p.
BASSO, M.; GIUNTA,A.P.N. Limpeza e desinfecção de artigos médico-hospitalares.In: ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE ESTUDOS E CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR.Limpeza,desinfecção de artigos em áreas hospitalares e anti-sepsia.São Paulo,2004.p.1-17.
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC 15. Brasília, 2012. DOU Nº 54, de 19 de março de 2012.
BRASIL, Ministério da Saúde. Portaria nº 1884 de 11 de novembro de 1994. Normas para projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde. SAÚDE & TECNOLOGIA. Brasília, 1994.
SIQUEIRA, L. F. G. Síndrome do Edifício Doente, O Meio Ambiente e a Infecção Hospitalar. In: FERNANDES, A. T.Infecção Hospitalar e suas Interfaces na Área da Saúde. São Paulo: Atheneu, 2000.
Introdução
Estrutura Física e Insumos
A Estrutura Física do Expurgo do Centro de Material e Esterilização (CME):
-> Barreira física entre as áreas do CME;

-> Lavatório com dispenser de sabonete líquido e papel toalha e um dispenser de solução alcoólica em gel a 70%;

-> Ralos com fechos hídricos (sifões);

-> Recipientes para perfurocortantes e para resíduos de materiais biológicos;

-> Pias com bancadas, equipamentos, lavadora(s) termodesinfetadora(s), área para circulação de materiais e espaços específicos para guarda de EPI e insumos para limpeza;


Equipamentos de Proteção Individual
Qualidade da Água
“A água é o elemento essencial ao processo de limpeza e deve atender, minimamente, aos padrões de potabilidade. Porém, ser potável não é suficiente para o último enxágue de alguns instrumentos críticos, que entram em contato com endotélio vascular e tecido ocular, além de cirurgias de implantes e do sistema nervoso central.”
(SOBECC, 2013 pág.20).
Os contaminantes da água que interferem no processamento de produtos são: microorganismos, endotoxinas, carbono orgânico, pH, dureza, íons cloro, ferro e manganês.
-> Filtros de sedimentos
– promovem alta retenção de partículas grosseiras, ferro e manganês;
-> Abrandadores –
substituem os íons cálcio e magnésio da água pelas de sódio transformando água dura em água mole;
-> Deionização –
removem sais da água, tanto os ânions quanto os cátions (não remove bactérias ou endotoxinas);
-> Osmose reversa –
remove sais orgânicos, bactérias e endotoxinas, produzindo água de alto grau de pureza;
-> Destilação –
remove sais inorgânicos, bactérias, vírus, cistos e endotoxinas.


Tecnologias adotadas:
Produtos para Limpeza

Demandam maior temperatura para atingir níveis ótimos de ação (entre 60 e 70º C);
Auxiliam na remoção de manchas dos instrumentos;
Renovam o brilho natural dos artigos;
Permitem dispensar o uso de produtos restauradores.

-> Sejam certificados para uso em produtos da saúde;
-> Sejam compatíveis com os materiais processados, sem causar danos, como oxidação e manchas;
-> Empreguem agentes tensoativos biodegradáveis e de baixa produção de espuma;
-> Não tenham adição de fragrâncias ou corantes;
-> Não possuam componentes que ofereçam riscos a profissionais e pacientes, como substâncias carcinogênicas, mutagênicas e teratogênicas.

Espera-se que os detergentes:
Limpeza Automatizada
Termodesinfectadora
Lavadora de Túnel
Centro de Material e Esterilização
Nathanny Pabline
Raíza Gomes
Sara Oliveira
Stael Cattani

Como ela funciona?

Além das lavadoras ultrassônica e termodesinfectadora, Basso e Giunta(2004) citam a lavadora de túnel para a lavagem de artigos mais simples. Esta tem um número maior de ciclos e não é eficaz para lavagem de artigos mais complexos.
Enxágue e Secagem
--> Enxágue:
é uma etapa importante no processo de limpeza, tanto manual quanto automatizada, pois, pela ação do fluxo de água, são removidos os detritos e as sujidades desprendidos dos materiais e os resíduos dos detergentes.

--> Secagem:
os materiais devem estar secos completamente, manual ou automatizada, pois a umidade favorece:
o crescimento microbiano;
interfere nos processos de esterilização;
dilui os desinfetantes;
causa manchas na superfície do instrumental.



Estrutura Física e insumos
Equipamentos de Proteção Individual
Qualidade da Água
Produtos para Limpeza
Termodesinfectadora
Lavadora de túnel
Secagem
-> Boa iluminação, material de acabamento da construção resistente e lavável;

-> Ventilação artificial: ambiente climatizado na temperatura entre 18 e 22° C.

-> Exaustor no expurgo --> ambiente com risco de contaminação elevado;

-> Pia(s) de cuba funda com bancadas e torneiras com água quente e fria;

-> Torneiras com bicos especiais para canulados;

-> Pistolas de água/ar para limpeza e secagem de materiais canulados e de conformação complexa;

-> Escovas com diâmetro,comprimento e aspereza adequados para materiais canulados.
Pra que serve?
-> Pode ser usada para limpeza de instrumentais cirúrgicos de complexa formatação e em artigos de assistência respiratória;
-> Promove a desinfecção térmica eficaz por meio do sistema de movimento retilíneo de repetição;
-> Prática de se operar, comporta vários tipos de artigos.
Cuidados
->Deve-se colocar os materiais mais pesados por baixo;
->Não superlotar os cestos para que todos os materiais sejam expostos a ação dos jatos;
->Realizar testes para avaliação do processo de limpeza da lavadora.
Detergentes Alcalinos:
Limpeza Manual
Detergentes
Enzimáticos
Em caso de limpeza manual deve-se ...
-> Usar escovas de cerdas firmes e macias com diâmetros e comprimentos diferentes;
->Utilizar cubas duplas para imersão dos materiais em solução de detergente enzimático;
->Desmontar os instrumentos complexos;
->Lavar os materiais, peça por peça;
->Friccionar delicadamente o corpo, articulações e a cremalheira das pinças;
->Aplicar jatos de água, por meio de mangueira com bico ou pistolas;
-> Realizar enxágue abundante;


-->Os
detergentes enzimáticos
possuem enzimas que facilitam a quebra da matéria orgânica. A atividade enzimática se dá pela capacidade da enzima em catalisar uma reação, degradando substratos específicos, desde que o complexo enzimático contido no detergente esteja em condições ativas dentro da formulação;
-->
Enzimas:
lipolítica, glicolítica e proteolítica.

Importante
(secagem)

--> Secagem com material macio, téxtil ou não tecido e de cor clara.
--> Jatos de ar (ar comprimido medicinal).
--> Equipamentos próprios que agem por fluxo de ar filtrado e aquecido para secagem de traqueias e circuitos ventilatórios.
--> Estufa a alta temperatura (deve-se usar água mole para aquecimento da mesma, pois a água dura pode danificar o equipamento e o material).

Métodos de Avaliação
--> Inspeção visual da limpeza;
-->Testes químicos que reagem com proteínas residuais;
-->Uso de esteroscópio (dispositivo de aumento que projeta a imagem na tela do computador).
-->Uso de lupas de aumento (8x)





Desincrustantes
Variam com relação a pH (ácidos ou alcalinos);
Apresentação (líquido ou pó);
Indicação de uso (+/- criticidade);
Eficiência para limpeza e potenciais danos aos materiais delicados (corrosão e manchas).
Full transcript