Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Operações interagências

No description
by

Luiz Soares

on 26 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Operações interagências

Objetivos: Destacar a importância do Ambiente Interagências nas OM Fron
Sumário:
1. Introdução
2.Desenvolvimento
-O Amb Op x Amb Interagências
-Fundamento das Operações
-Op da Força terrestre
- Op na Faixa de Fronteira
- Peculiaridades
3-Conclusão

Operações Ágata

Histórico:
oito edições desde 2011
• Finalidades:
– fortalecer a presença do Estado nas regiões
fronteiriças, diminuir a criminalidade nessas áreas aumentar
a coordenação militar e policial e promover o apoio social às
populações locais.
– Combate ao narcotráfico, contrabando e descaminho, tráfico de armas e munições, crimes ambientais, contrabando de veículos,imigração e garimpo ilegais

- dimensões diplomáticas das operações em faixa de fronteira
•prestação de informações prévias
•convite para designação de observadores
•operações simultâneas e combinadas
Conclusões
-Ambiente de Paz AS
- Integração Regional
- Coordenação com Países Vizinhos
-Diminuição dos Ilicitos.
Operações interagências na Faixa de Fronteira
O Ambiente interagencias e as OM de Fronteira
- EB20-MC-10.201:
# Concepção geral (difundir conhecimento)
Caracterização: Evolução ambiente operacional global vem alterando a relação entre os Estados-> surgimento de novos atores ;

-Achatamento dos níveis decisórios (político/Tático)
-Indefinição das linhas de contato;
-Confrontos prolongados
-Mídia instantânea
-Questões humanitárias e Ambientais
-Opinião pública
-Exarcerbação da defesa de minorias
-ONG(s)
-Informações como Arma
-Forças Militares x causas de Guerra
-Relevância do Papel da População
-Combates Urbanos Crescentes
-Dificuldade caracteriz

ESTRATÉGIAS
-Importância das Operaçoes de informações
-Evolução das capacidades proprias das guerras irregulares
-Prevalência dos aspectos não militares na solução dos conflitos
- Expansão dos conflitos para além do campo de Batalha

DOUTRINA BRASILEIRA
-Fundamentos e Ambientação Internacional
-GLO e Faxa de Fronteira
-Grantes Eventos, Calamidade e Situações
especiais
-Lições aprendidas e atualização doutrinária
-C41-6,ME C 29-2, C100-5,C101-5
Brasil: 16.886 km de fronteiras terrestres
10 países vizinhos
.fronteiras plenamente consolidadas e
reconhecidas.
•Faixa de fronteira: 150 quilômetros a partir da
divisa. Compreende 27% do território
nacional.
Ambiente de segurança regional na América do Sul
Antecedentes históricos: América do Sul como "Zona sem Guerra".
Redução das ameaças tradicionais de segurança, de cunho militar:
transição para uma "Zona de Paz"
Integração regional: incremento de fluxos migratórios e aproximação das comunidades transfronteiriças
Subproduto indesejável da integração: crime organizado transnacional,tráfico de drogas, de armas e de pessoas, contrabando
Diferenças nos papéis das Forças Armadas da região em Segurança e Defesa
Arquitetura Institucional de Segurança e Defesa na America do Sul
UNASUL: raízes na distensão das relações Brasil
Argentina
Reunião de Presidentes da América do Sul (2000).
Estatuto da UNASUL adotado em 2008.
Conselho de Defesa Sul Americano (CDS):2008
Conselho Sul Americano sobre o Problema Mundial das Drogas: 2009
Conselho Sul Americano sobre Segurança Cidadã, Justiça e Coordenação de Ações contra a Delinquência Organizada Transnacional: 2013

-
Cooperação Transfronteiriça
•Comissões Transfronteiriça
• Reuniões Regionais de Intercâmbio Militar (RRIM)
• Cooperação policial
• Rede de Vice-consulados brasileiros em zonas fronteiriças

Operações Interagências na Faixa de Fronteira
•Origem:
Plano Estratégico de Fronteiras (PEF): Decreto
7.496, de junho de 2011
•finalidade:
“fortalecimento da prevenção, controle, fiscalização e repressão dos
delitos transfronteiriços e dos delitos praticados na faixa de fronteira brasileira.”
•diretrizes

Coordenado
pelos Ministérios da Justiça, Defesa e
Fazenda, Supervisionado pela Vice-Presidência (VPR)
•Operações Ágata
(a cargo do MD): foco de impacto e pontualidade
•Operações Sentinela (a cargo do MJ)
: foco na inteligência e permanência


Operação Ágata 7
(8 de maio a 5 de junho de 2013)
•Órgãos participantes:
12 ministérios, 20 agências governamentais, e
órgãos dos 11 Estados da Faixa de Fronteira
•cerca de 32 mil militares e quase 1.500 funcionários de outros órgãos
•resultou
em aproximadamente 18.000 embarcações inspecionadas,17.000 pessoas e 278.500 veículos revistados, 593 kg de cocaína e 18.300 kg de maconha apreendidos, além da apreensão de armas, munições e materiais explosivos.
•cooperação
com países fronteiriços: participação de representantes da Bolívia, Guiana Francesa, Paraguai, Uruguai, Venezuela, com observadores e com Oficiais de Ligação.
Futuro:
Sistema Integrado
de Monitoramento de Fronteiras Terrestres (SISFRON)
.Ambiciona: Maior do Mundo
. Tornar permanente a Àgata e a Sentinela
. Orçado em 12 Bi, 70% interno
. Oportunidade de Cooperação
. Novas oportunidades de exportação.
Fundamentos :

Segurança: PND-> Soberania
- Político-Econômica
-Geoestratégica
- Tecnológica
- Ambiental

Dimensões
- Humana
- Energética
- Informacional

Temas de Segurança
Contexto internacional:
Brasileiros no exterior, fronteiras,terrorismo, OI, Op Paz etc
Estruturas Estratégicas:
Transporte, energia, Espacial, água,cibernético etc
Seg Pub
: Crime Organizado, Corrupção etc
Seg Sanitária:
Humanas, animais, Vegetal
Seg Soc
: Fundiarias, Indigenistas, Quilombolas, ONG(s), Migrações.
Seg Ambiental
: Desastres Naturais, Ambientais, crimes
PRINCÍPIOS DE EMPREGO
Cooperação
Integração
Complementariedade
Legalidade
Adaptabilidade
Flexibilidade
Elasticidade
Modularidade
Seletividade
Simplicidade
Sustentabilidade
Unidade de esforços
FATORES DE ÊXITO
CONSIDERAÇÕES

"Não é possivel executar op. militares modernas sem a perfeita integração entre Forças e demais agências já nas primeiras etapas de concepção e planejamento"
"No cenário de operações os participantes não militares conferem um novo processo de tomadas de decisões militares"
- Deve-se superar o Confronto de esteriótipos;
-Deve-se buscar o alinhamento de percepções;
- Amparos Legais.

Fatores de Êxito
6C
compreender
coordenar
cooperar
concessões
consenso
comunicar-se
1.2 Conceito
OPERAÇÔES INTERAGÊNCIAS
Integração -> F.A + Agências -> consecução de objetivos comuns -> Eficiência
Econômia
Eficácia
Efetividade
Agências: Instituições, governamentais ou
não, civís ou militares, nacional ou interna-
cional.
Estatais
Não estatais
Revolução tecnologica -> forma de fazer política->
"ERA DO CONHECIMENTO"
Emprego da violência -> Presença da população Civil-> efeitos colaterais.
CARACTERISTICAS DOS CONFLITOS
AMPLO ASPECTRO DOS CONFLITOS

Combinação -> Vetores Militares e civis;
Cooperações âmbito nacionais e internacionais;
Forças aptas a atuarem -> situação de Guerra e Paz;
FTer-> atuação of, def, pacificação e ap orgãos governamentais,
Caracteristicas das Op em Ambiente Interagência.
- Multifuncionalidade:
Caracteristicas específicas->Congregação de esforços-> Obj comuns.
- Complexidade
: Gp Heterogêneos-> Planejamento +preparação dos Vetores+execução +avaliação.
-Interdependência:
Dependências mútuas.
O Ambiente
Militar
Op Combinadas
Op Singulares
Setor Privado infra estruturas críticas
Op Conjuntas
Agencias de Estado
Ag Governamentais
Org Intergovernamentais
ONG
Gov Locais
Obj
Comun
contato prerliminar
presencial
cj esforços
harmônica e integrada
junto e em conformidade
"abrir mão->
solução
acordada
ceder de
forma
negociada
hierarquia
/disciplina
convencimento

Niveis de Colaboração
Minimização dos conflitos-> independência sem interferência
Coordenação-> Planejamento relativamente independente com reuniões de coordenação
Integração: Coordenador de Ações (CCOp)
Parceria Genuína: Mais alto nívelperfeita sinergia em atividades intrelaçadas
ABRANGÊNCIA DAS OPERAÇÔES
-Proteção Integrada
-Ações na Faixa de Fronteira
-Proteção de Estruturas Estratégicas
-Ações Subsidiárias
-Segurança de Grandes Eventos
-Respaldo a Política Externa
-Prevenção e combate ao terrorismo
Parcerias -> Mútua colaboração;
Desenvolvimento de capacidades;
Unidade de esforços- Coordenação;
Flexibilidade -> constantes mudanças situacionais;
Resultados -> Objetivos claramente definidos;
Seletividade-> Meios e recursos restritos aos fins desejados;
Conheciemnto das capacidades -> Preparo eficiente;

Atuação do Exército-> Coordenação do MD, intermédio do EMCFA, ou sigularmente.
ONG
Full transcript