Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Sistema Digestivo

No description
by

Ana Sousa

on 4 January 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Sistema Digestivo

É constituído pelo:
Tubo digestivo
Glândulas Anexas Sistema Digestivo Cavidade Oral Revestida por epitélio estratificado pavimentoso;
Na lâmina própria encontram-se algumas glândulas salivares dispersas no tecido conjuntivo;
Pode observar-se a amígdala faríngea que faz parte do sistema linfóide;
Tem comunicação com a boca e serve de passagem tanto para o ar como para a comida. Orofaringe Tubo muscular que transporta o alimento da boca para o estomago;
Revestido por epitélio estratificado pavimentoso;
Constituído pelas 4 camadas referidas, na camada submucosa existem glândulas esofágicas secretoras de muco;
A camada muscular tem músculo estriado na parte superior, e liso na parte inferior;
Só a parte localizada na cavidade abdominal contêm serosa, na parte torácica existe apenas a cada adventícia de tecido conjuntivo laxo. Esófago Órgão que digere os alimentos transformando-o em quimo pela contracção muscular, pela produção enzimática (pepsina) e de ácido clorídrico
A mucosa tem 3 áreas histológicas diferentes:
Cardia: situada na transição do esófago com o estomago; apresenta glândulas tubulosas, células mucosas e algumas células produtoras de HCl;
Corpo e fundo: apresenta glândulas tubulosas ramificadas- glândulas gástricas que são constituídas por vários tipos celulares;
Região pilórica: apresenta glândulas tubulosas que podem ou não ser ramificadas; células produtoras de gastrina.
A superfície interna do estomago possui invaginações do epitélio de revestimento para dentro da lâmina própria firmando as fossetas gástricas; no fundo destas fossetas abrem-se pequenas glândulas.

Essas glândulas são as Glândulas gástricas:

São constituídas por:
3 regiões: base, colo e istmo;
Células fontes;
Células parietais;
Células mucosas;
Células zimogénicas;
Células enteroendócrinas.
A camada muscular do estomago é formada por fibras dispostas em hélice e orientadas em 3 direcções diferentes (camada externa- longitudinal; media- circular; interna- obliqua)
Estômago: Órgão longo, com aproximadamente 6 metros, é onde ocorrem os processos finais da digestão;
Constituído por 3 porções: duodeno, jejuno, íleon;
A membrana mucosa forma invaginações para o interior do intestino que aumentam a área de absorção dos nutrientes e são chamadas de vilosidades intestinais;
Entre as vilosidades observam-se os orifícios de abertura das glândulas intestinais;
A mucosa do intestino delgado apresenta vários tipos celulares
:Absortivas (vilosidades na face apical que constituem o “prato estriado”)
Caliciformes (aumentam em número desde o duodeno ao íleon, produzem glicoproteínas que lubrificam e protegem a cavidade intestinal);
Células de Paneth (produzem uma enzima que regula a flora intestinal);Células enteroendócrinas (dispersas na mucosa, produzem hormonas);
Células M (função imunitária).
O intestino delgado pode sofrer irrigação e inervação:
Os vasos e nervos que nutrem o intestino e que transportam os nutrientes absorvidos perfuram a camada muscular e formam um plexo na submucosa de onde saem ramos para a camada muscular, submucosa, lâmina própria e vilosidades.
A inervação do intestino é feita a partir do plexo nervoso mioentérico de Aurbach e o plexo submucoso de Meissner que constituem a inervação intrínseca. A inervação extrínseca é formada por fibras colinérgicas do parassimpático e fibras adrenérgicas do simpático. Intestino Delgado Tem como funções a absorção de água, produção de muco, e formação do bolo fecal;
Revestido pelo epitélio simples com microvilosidades;
Mucosa sem pregas, á excepção da porção rectal que apresenta pregas longitudinais- colunas rectais ou de Morgagni;
As glândulas intestinais são longas e com muitas células caliciformes;A lâmina própria é rica em linfócitos e nódulos linfáticos
;A camada muscular é bem desenvolvida, apresenta uma porção interna circular e uma externa longitudinal disposta em 3 faixas- ténias do cólon;
O que restou da digestão é encaminhado para o recto e seguidamente o bolo alimentar segue para o anûs, local onde as fezes são depois excretadas.

È constituído por:
Cólon ascendente
Cólon transverso
;Cólon descendente
Cólon sigmóide
;Recto
Ângulo esplénico
;Ângulo hepático. Intestino Grosso Anatomia Curso: Dietética
Ano lectivo: 2012/2013
Aluna: Ana Araci Sousa Sistema Digestivo Tubo Digestivo: Cavidade Oral
Orofaringe
Esófago
Estômago
Intestino delgado e grosso
Recto e Ânus Glândulas Anexas: Glândulas Salivares
Pâncreas
Fígado
Vesícula Biliar Revestida pelo epitélio estratificado pavimentoso;No interior da boca podemos encontrar os dentes e a língua;Existem 3 pares de glândulas salivares: parótidas, submandibulares e sublinguais. Língua Funciona como um receptor como um receptor sensorial que nos permite definir o paladar dos alimentos que ingerimos;
Ajuda a misturar os alimentos com as secreções das glândulas salivares;
A língua é um órgão muscular estriado revestido por mucosa; Na face inferior a mucosa é lisa e na face superior é irregular devido à presença das papilas gustativas;Na face superior da língua existe uma linha em forma de “V” que a divide em porção posterior e porção anterior(responsável pelo paladar). Dentes Os dentes estão dispostos em duas fileiras que são as arcadas dentárias e articulam se com os alvéolos dentários do maxilar superior e da mandíbula;A primeira dentição é chamada de decídua e a segunda de definitiva;Os dentes são constituídos por uma porção visível que é a coroa e por uma porção que se situa dentro do alvéolo que é a raiz, a transição entre estas duas estruturas denomina-se colo;Cada dente é constituído por uma parte não calcificada que é a polpa e duas porções calcificadas, que são a dentina e o esmalte.Os dentes são fixados nos maxilares graças ao periodonto;Os dentes são circundados pela gengiva. É constituído por 4 camadas:
•Mucosa
•Submucosa
•Muscular
•Serosa

A camada mucosa tem como função:
Promover barreira semipermeável entre o conteúdo do tubo digestivo e o meio interno;
Facilitar o transporte e a digestão dos alimentos;
Promover a absorção dos produtos resultante da digestão. O sistema digestivo tem ainda a função de protecção contra a invasão bacteriana devido a presença de nódulos linfóide, macrófagos, linfócitos e plasmócitos que produzem IgA resistente á digestão. Glândulas Anexas Glândulas Salivares Pâncreas Fígado Glândulas Salivares
Pâncreas
Fígado
Vesicula Biliar Humedecem e lubrificam a cavidade oral e o seu conteúdo, iniciam a digestão dos alimentos e segregam substâncias anti bacterianas;
Alem das glândulas salivares dispersas por toda a mucosa da cavida oral existem 3 pares de glândulas maiores (parótidas, submandibulares e sublinguais)
São compostas por unidades morfofuncionais chamadas de adenómeros
Uma unidade glandular é constituída por uma porção secretora e por ductos intercalares, estriados e excretores.
A porção secretora é constituída pelo epitélio simples;
Os ductos excretores são constituídos pelo epitélio estratificado pavimentoso
A parótida é uma glândula acinosa composta; a porção secretora é conastituida por células serosas; possuem grânulos de secreção ricos em amílase;
A glândula submandibular é tubuloacinosa composta; a porção secretora é constituída por células mucosas e serosas
A glândula sublingual é tubuloacinosa composta; a porção secretora é tem células mucosas e serosas mas predominam as primeiras;
Produtoras de saliva que contem amílase para digestão os glicídos e lactoferrina e lisozima para o combate á infecção. Glândula mista, exócrina e endócrina;
A porção endócrina é constituída pelos ilhéus de Langerhans que segregam insulina e glucagon;
A porção exócrina é uma glândula acinosa composta que produz inúmeras substâncias
O pâncreas esta envolto numa capsula de tecido conjuntivo que emite septos par o seu interior que o dividem em lóbulos;
O controle da secreção pancreática é feito pelas hormonas secretina e colecistoquinina produzidas pelas células enteroendocrinas do duodeno; Regulação do metabolismo;
Síntese de proteínas;
Inactivação e excreção de varias substâncias e toxinas;
Armazenamento de nutrientes;
Regulação do metabolismo dos hidratos de carbono, lípidos e proteínas;
Recebe sangue pela veia porta e artéria hepática;
A eliminação dos produtos tóxicos faz-se pela secreção exócrina-bílis; Lóbulo Hepático O fígado é constituído por células hepáticas-hepatócitos. Estas agrupam-se em placas formando unidades morfofuncionais que são os lóbulos hepáticos com forma poliédrica; entre as placas situam-se os capilares sanguíneos;
Na união dos vários lóbulos hepáticos formam-se espaços que contem uma vénula, uma arteríola, um canal biliar e um canal linfático;
A parede dos sinusóides é revestida pelas células endoteliais e pelos macrófagos que no fígado se chama de células de Krupffer; Circulação Hepática O fígado recebe sangue venoso através da veia porta e sangue arterial através da artéria hepática;O sangue percorre os sinusóides e é recolhido no centro do lóbulo hepático pela veia centrolobular, as veias centrolobulares unem-se nas veias sublobulares, estas por sua vez unem-se para formar as veias hepáticas que terminam na veia cava inferior; Vesicula Biliar Tem início nos canalículos biliares que correspondem a espaços situados entre duas células;
Estes formam uma rede complexa que se dirige do centro do lóbulo para a periferia onde terminam no canal de Hering; este canal termina os canais biliares dos espaços porta e unem-se para terminar o canal hepático eu sai do fígado;
Armazena a bílis constituída por vários compostos produzidos no fígado; a bílis é eliminada no duodeno apos cada refeição e facilita a digestão;
Concentra a bílis através da absorção de água, bicarbonato, sódio e cloreto; Fisiologia do Sistema Digestivo Principais funções:
Digerir os alimentos;
Absorver os nutrientes para a corrente sanguínea; Actividades responsáveis por estas funções:
Motilidade;
Secreção
Digestão:
Absorção Motilidade Digestão Absorção Movimentos que misturam os alimentos com as secreções e os fazem seguir ao longo do tubo digestivo Processo pelo qual as grandes moléculas ingeridas são quimicamente degradadas produzindo moléculas menores capazes de serem absorvidas através da parede do tubo digestivo Processos pelos quais os nutrientes são absorvidos pelo tubo digestivo e entram na corrente sanguínea Secreção As secreções são produzidas apos estimulação das células secretoras; Motilidade Motilidade Gástrica Motilidade do Intestino Delgado Motilidade do Esófago As contracções da camada muscular fazem misturar e circular o conteúdo do tubo digestivo, propelindo-o ao longo deste;
Estas contracções musculares são medidas por estímulos nervosos graças aos plexos de Meissner e Aerbach
;A inervação é mediada pelos sistemas simpático e parassimpático.
A activação das fibras nervosas simpáticas inibe a actividade motora da camada muscular mas estimula a contracção da muscularis mucosa
A activação das fibras nervosas parassimpáticas estimula a actividade motora e secretora do intestino O esófago funciona como um canal que conduz o alimento da faringe até ao estômago;As extremidades superior e inferior do esófago funcionam como esfíncteres para impedir, respectivamente, a entrada de ar que vem pela boca e a entrada de conteúdo gástrico que possa refluir (esfíncteres esofágicos superior e inferior) A motilidade gástrica permite que o estômago funcione como reservatório para o alimento ingerido numa refeição, fragmenta os alimentos em partículas pequenas e mistura-os com as secreções gástricas e esvazia o conteúdo gástrico no duodeno;
As contracções do fundo e corpo são fracas pois estas porções funcionam mais como reservatório dos alimentos; as contracções do antro são mais vigorosas pois têm como função expelir o conteúdo gástrico para o duodeno;
A motilidade é estimulada pelo sistema nervoso parassimpático e inibida pelo sistema nervoso simpático; A velocidade de esvaziamento gástrico depende: Ácido no duodeno: se no duodeno existe uma acidez elevada, a força das contracções gástricas diminui e a motilidade duodenal aumenta (mediado pela secreção de secretina que diminui a motilidade do antro, estimula a contracção do esfíncter pilórico e a libertação de secreções ricas em bicarbonato para neutralização do ácido)
Produtos de digestão das gorduras: a presença destes produtos no duodeno e jejuno reduz a velocidade de esvaziamento gástrico (mediado pela colecistoquinina e peptídeo inibidor gástrico) Pressão osmótica do conteúdo duodenal: soluções hiperosmóticas no duodeno retardam o esvaziamento gástrico (mediado por osmorreceptores da mucosa e submucosa)
Peptídeos e aminoácidos no duodeno: estimulam a libertação de gastrina que estimula a contracção do esfíncter pilórico. Os movimentos do intestino delgado misturam o quimo com as secreções digestivas e colocam-no em contacto com as vilosidades intestinais;O tipo mais frequente de movimento do intestino é a segmentação que consiste em contracções espaçadas da camada muscular;Na transição do intestino delgado para o grosso situa-se a válvula ileo-cecal; a distensão do íleon terminal provoca abertura desta válvula permitindo a passagem do conteúdo para o intestino grosso Motilidade do Colon No colon ocorre uma onda de contracção denominada movimento de massa que pode repetir-se duas a três vezes por dia e conduz o conteúdo luminal em direcção ao ânus; Secreção Há secreções das glândulas salivares, das glândulas gástricas, do pâncreas exócrino e do fígado;
A estimulação das células secretoras pode ser:
Neurócrina: quando as substancias que vão estimular as células secretoras são libertadas pelas terminações nervosas dos neurónios que as inervam;
Endócrinas: as substâncias são produzidas por células específicas localizadas a certa distância das células-alvo alcançando-as através da circulação sanguínea;
Parácrina: as substâncias são libertadas próximo das células-alvo e alcançam-na por difusão;
Secretagogo: substancia que estimula uma célula a secretar Secreção da Saliva As glândulas salivares produzem cerca de 1 L de saliva por dia;A saliva lubrifica o alimento para ser mais fácil a sua deglutinação;Possui uma enzima-amilase salivar- que degrada o amido transformando-o em oligossacáridosGlândulas com elevado metabolismo e com rico fluxo sanguíneo;
A secreção das glândulas é estimulada pelo sistema nervoso parassimpático. Secreções Gástricas As glândulas gástricas abrem-se nas fossetas gástricas;
Segregam suco gástrico, pepsinas, factor intrínseco, muco e bicarbonato; Suco Gástrico Mistura de secreções das células epiteliais e da secreção das glândulas gástricas;Constituído por sais, agua, HCl, pepsinas, factor intrínseco e muco;
A secreção aumenta depois de cada refeição;
O HCl é produzido pelas células parietais;
A pepsina é produzida pelas células principais sob forma de um percusor-pepsinogénio;
O factor intrínseco é sintetizado pelas células parietais e é importante para a absorção de vitamina B12O muco é secretado pelas células mucosas das glândulas gástricas e pelas células epiteliais superficiais; Controle da secreção de ácido gástrico: A célula parietal possui receptores para a acetilcolina, gastrina e histamina qua vão estimular a secreção de HCl;
A secreção de HCl atinge um nível basal varias horas em jejum; após uma refeição a secreção aumenta imediatamente e ocorre em 3 fases:
-cefálica: ocorre antes de o alimento chegar ao estomago, basta pensar nele;
-gástrica: desencadeada pela presença de alimento no estomago:
-intestinal: presença inicial do quimo no duodeno; Estimulação:
Distensão do duodeno pelo quimoPresença no duodeno de produtos da digestão das proteínasInibição:
Presença de soluções ácidas no duodeno e de produtos da digestão das gorduras Secreção Pancreática O pâncreas segrega ~1L de suco pancreático por diaAs secreções exócrinas são importantes para a digestãoO suco pancreático é constituído por um componente aquoso rico m bicarbonato (para neutralizar o conteúdo duodenal) e um componente enzimático (ontem enzimas para a digestão dos hidratos de carbono, proteínas e lípidos)A presença no duodeno de ácido e produtos da digestão estimula duas hormonas – secretina e colecistoquinina – que por sua vez vão estimular, respectivamente a secreção do componente aquoso e do enzimático.
A secreção é estimulada pelo sistema nervoso parassimpático;
O componente enzimático é constituído por: tripsina, quimiotripsina, amílase, lípase, carboxipeptidase;
Fases da secreção pancreática:
Cefálica: pensar em alimentos provoca secreção de pequeno volume pancreático,
Gástrica: a distensão gástrica e a presença de aminoácidos no antro provoca a secreção de suco pancreático;
Intestinal: a presença de conteúdo acido, ácidos gordo, componentes proteicos no duodeno provoca secreção de suco pancreático. Digestão de Hidratos de Carbono Apos a hidrolise pela amílase salivar os hidratos de carbono só voltam a ser processados no duodeno pela amílase pancreática sendo totalmente convertidos em oligossacáridos;
Os oligossacáridos vão ser convertidos em mono e dissacáridos pelas oligossacaridases da mucosa intestinal; Absorção dos hidratos de carbono Hidratos de Carbono Os hidratos de carbono constituem a principal fonte de calorias da dieta;
A celulose é um hidrato de carbono que não é digerido pelo nosso organismo;
A digestão do amido tem início na boca com a acção da amílase salivar; O duodeno e porção superior do jejuno são os segmentos com maior capacidade para absorver os hidratos de carbono;Os únicos monossacáridos bem absorvidos são a glicose, galactose e frutose;A glicose e galactose são absorvidas por transporte activo através das células da “borda em escova” e atravessam a membrana basolateral por transporte facilitado e difusão simples difundindo-se nos capilares da mucosa; Digestão das proteínas O pâncreas também segrega protéases capazes de degradar as proteínas, essas protéases existem sob a forma de pró-enzimas inactivas que são activadas pela enteroquínase;
Na “borda em escova” do duodeno também existem peptidases que intervêm na digestão das proteínas. No ser humano, praticamente toda a proteína ingerida é digerida e absorvida;
A digestão das proteínas tem início no estômago;
As células principais do estômago secretam pepsinogénio que é convertido em pepsina e que vai hidrolisar as proteínas em pequenos péptidos e aminoácidos; Os dipéptidos e tripéptidos são transportados através da membrana da “borda em escova” por transporte activo dependente do sódio;
Os aminoácidos são absorvidos por transporte facilitado; Absorção dos produtos de digestão das proteínas Digestão dos lípidos Absorção dos Lípidos Absorção de água e de sais Os principais lípidos de uma dieta normal são os triglicéridos;Ocorre pouca digestão dos lípidos no estomago apesar da presença da lípase gástrica;No duodeno e jejuno são emulsificados com ajuda dos ácidos biliares e depois são digeridos pelas enzimas pancreáticas;Os produtos da digestão dos lípidos formam pequenos agregados moleculares com ácidos biliares-micelas; A absorção ocorre sobretudo no duodeno e jejuno;As micelas sofrem difusão através das microvilosidades da “borda em escova”;Dentro da célula os lípidos são captados pelo retículo endoplasmático formando gotículas de gordura – quilomicrons;Os quilomicrons são eliminados da célula por exocitose e não penetram nos vasos sanguíneos devidos ao seu grande tamanho, penetrando sim nos vasos linfáticos juntamente com a linfa e fluindo para a circulação venosa. O ser humano absorve ~99% de água presente nos alimentos ingeridos e nas secreções;A maior parte da absorção de água ocorre no jejuno;O sódio é absorvido ao longo de todo o intestino;O cloreto e bicarbonato são absorvidos em grande quantidade de jejuno. Processos que intervêm no processo: Mastigação;
Deglutinação Mastigação Pode ser realizada voluntariamente, mas, na maior parte das vezes, é um comportamento reflexo;
Tem como função lubrificar o alimento, misturá-lo com o muco salivar e fraccioná-lo de modo a poder ser misturado com as secreções digestivas do estômago e duodeno. Deglutinação Pode ser iniciada voluntariamente mas as fases seguintes dependem do controle reflexo;
O reflexo da deglutição é uma que sequência de eventos que propele os alimentos da boca até ao estômago e ao mesmo tempo impede que entrem na traqueia; Ocorre em 3 fases:
Oral ou voluntária: é iniciada pela separação de uma porção do alimento que se encontra na boca; com o auxílio da ponta da língua é empurrado para cima e para trás contra o palato duro em direcção à faringe;Faríngea: o palato mole é empurrado para cima e as pregas palato-faríngeas aproximam-se para impedir a passagem do alimento para a nasofaringe; o esfíncter esofágico superior relaxa e recebe o bolo alimentar; os músculos constritores superiores da faringe contraem-se e forçam a passagem do bolo pela faringe em direcção ao esófago;
Esofágica: inicia-se uma onda peristáltica abaixo do esfíncter esofágico superior que percorre todo o esófago superior que percorre todo o esófago em menos de 10 segundos – peristaltismo primário (controlada pelo centro de deglutição) quando esta onda não é suficiente gera-se uma outra para ajudar a propelir o bolo alimentar – peristaltismo secundário(controlada pelo sistema nervoso entérico).
Full transcript