Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Análise discursiva e sociológica da ideologia

No description
by

Virna Viana

on 26 October 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Análise discursiva e sociológica da ideologia

Afinal, qual o conceito de ideologia?
Antoine Destutt de Tracy
(1801):

Ideologia
: A ciência das ideias

Busca tratar as ideias como fenômenos naturais que exprimem a relação entre o homem – organismo vivo e sensível – e o seu meio natural de vida.
Conclusão
A importância da avaliação crítica a respeito do tema "
Ideologia
" sob a visão da Sociologia, para que os indivíduos sociais analisem criteriosamente as diversas maneiras que as ideologias são impostas inconscientemente no cotidiano, é inquestionavelmente indispensável. Levando-os a questionar os padrões e as ideias predeterminadas pela classe dominante e pela mídia – esta também por meio da influência da classe dominante – o objetivo do projeto "
Análise discursiva e sociológica da ideologia
" conseguiu ser atingido com êxito.
Antoine Destutt de Tracy (1754-1836)
Ideologias que se destacaram no século XX:
Ideologia fascista (Itália)
Ideologia comunista (Rússia)
Ideologia democrática (Grécia)
Ideologia capitalista (Europa)
Ideologia conservadora
Ideologia anarquista
Ideologia nacionalista
Para aqueles que adotam o termo “ideologia” segundo a concepção crítica, não faz sentido dizer que um indivíduo ou grupo possui uma ideologia, que existem ideologias diferentes, que cada um tem a sua própria ideologia, que cada partido tem uma ideologia ou que existe uma ideologia dos dominados. Ideologia, pela concepção crítica, não é algo que se dissemina como uma ideia ou um conjunto de ideias. Ideologia, neste sentido crítico, é algo voltado à criação ou à manutenção de relações de dominação por meio de quaisquer instrumentos simbólicos, seja uma frase, um texto, um artigo, uma notícia, uma reportagem, uma novela, um filme, uma peça publicitária ou um discurso.
Análise discursiva e sociológica da ideologia
Thank you!
Ideologia neutra e
crítica
Ideologia neutra
: ideia de pensamentos, doutrinas, visões de mundo, orientada para suas ações sociais e, principalmente, políticas.

Ideologia crítica
: um instrumento de dominação que age por meio de convencimento (persuasão ou dissuasão, mas não por meio da força física) de forma prescritiva, “alienando” a consciência humana.
A ideologia na visão de Karl Marx
O conceito de ideologia foi muito trabalhado pelo filósofo alemão Karl Marx (1818-1883), que ligava a ideologia aos sistemas teóricos (políticos, morais e sociais) criados pela classe social dominante. De acordo com Marx, a ideologia da classe dominante tinha como objetivo manter os mais ricos no controle da sociedade.
Ideologia, segundo Marx:
Ideia, discurso ou ação que mascara um objeto, mostrando apenas sua aparência e escondendo suas demais qualidades.
Materialismo dialético:
O que é "ideologia" no marxismo?
A existência das diversas formas que a ideologia se apresenta no nosso cotidiano
a) Todo o político é corrupto.
b) O brasileiro é um povo preguiçoso.
c) Apesar de ser mulher, ela é inteligente.
d) Ele é um preto de alma branca.
A concepção crítica da ideologia
A principal divergência conceitual da concepção crítica de ideologia está na necessidade ou não de que um fenômeno, para que seja ideológico, necessariamente tenha que ser ilusório, “mascarador” da realidade ou produtor de falsa consciência, opondo-se aos conceitos marxistas. A principal convergência conceitual, por outro lado, está no pré-requisito de que para um fenômeno ser ideológico, ele necessariamente deverá colaborar na criação e/ou na manutenção de relações de dominação.
a) Para que algo possa ser concebido como ideológico, deve necessariamente haver ilusão, mascaramento da realidade e falsa consciência?
Marx responderia que sim. Já o sociólogo estadunidense John B. Thompson, que analisou minuciosamente os três desenvolvimentos encontrados ao longo da obra de Marx sobre o termo “ideologia”, com convergências e divergências entre si (batizados por ele como
polêmica
,
epifenomênica
e
latente
) responderia que estas são características possíveis, mas não necessárias, para a existência de uma ideologia.
b) A única dominação à qual se refere a ideologia é aquela que ocorre entre classes sociais?
Marx novamente diria que sim. Contudo, Thompson complementaria com uma lista de outras formas de dominação também existentes na sociedade: entre brancos e negros, entre homens e mulheres, entre adultos e crianças, entre pais/mães e filhos(as), entre chefes e subordinados, entre nativos e estrangeiros, etc.
O discurso ideológico
O discurso tem uma dimensão ideológica que relaciona as marcas deixadas no texto com as suas condições de produção, que se insere na formação ideológica. Essa dimensão ideológica do discurso pode tanto transformar quanto reproduzir as relações de poder. Para o filósofo francês de origem argelina Louis Althusser (1918-1990), a ideologia é materializada nas práticas das instituições, e o discurso, como prática social, seria então “ideologia materializada”.
Ideologia e cultura:
hegemonia
Vários autores procuram demonstrar que os conceitos de cultura e ideologia não podem ser utilizados separadamente. O pensador italiano Antonio Gramsci (1891-1937) analisou a questão com base no conceito de
hegemonia
e no que ele chama de
aparelhos de persuasão
.
Mas o que seria
hegemonia
?
É denominada “hegemonia” a supremacia de uma entidade sobre outras de igual tipo. Pode-se aplicar o termo a diversas situações com o mesmo significado: uma nação ou grupo de nações pode retê-la, graças a seu potencial econômico, militar ou político superior que exerce sobre outras populações, mesmo contra a vontade destas.
A
hegemonia cultural
"Dominação e manutenção de poder que exerce uma pessoa ou grupo em posição de domínio a outro(s) minoritário(s), impondo seus próprios valores, crenças e ideologias que configuram e sustentam o sistema majoritário, conseguindo assim um estado de homogeneidade no pensamento e ação como também uma restrição das produções e publicações culturais.” – GRAMSCI, Antonio.
E os aparelhos de persuasão?
Os aparelhos de persuasão são práticas intelectuais e organizações no interior do Estado ou fora dele (livros, jornais, músicas, teatro, televisão) utilizadas para disseminar o projeto da classe dominante.
A Indústria Cultural
Os sociólogos alemães Theodor Adorno (1903-1969) e Max Horkheimer (1895-1973) procuraram analisar a relação entre cultura e ideologia com base no conceito de
indústria cultural
, cujo objetivo é a produção em massa de bens culturais para serem consumidos como qualquer mercadoria. As empresas envolvidas na indústria cultural têm a lucratividade e a adesão incondicional ao sistema dominante como fundamentos, e colocam o bem-estar e a felicidade nas mãos dos consumidores mediante a compra de alguma mercadoria cultural.
Afinal, o que seria a indústria cultural?
A
contra-hegemonia
Numa perspectiva de enfrentamento ou resistência, há um processo de
contra-hegemonia
que ocorre dentro e fora da indústria cultural. Nos próprios meios de comunicação, intelectuais também criti-cam o que ocorre em todas as áreas culturais. Outros procuram desenvolver produtos culturais não massificados, ou manter canais alternativos de crítica e informação.
Ideologias distorcem a realidade?
"
[...] As pessoas acabam absorvendo a ideologia dominante sem perceber. [...] Mas como levar em conta o culto ao sucesso pessoal e a necessidade de ter uma excelente formação em um país como o nosso, com tantas desigualdades sociais e com poucas possibilidades de a maioria da população chegar a um curso universitário? Como se vê, a propaganda ideológica aliena os indivíduos, que passam a compreender o real através da ideologia dominante, vendo-a como uma verdade, sem perceber que ela oculta os conflitos sociais, a exploração, as injustiças [...]
"

RAMALHO, José Rodorval. “Ideologia: O Que devemos saber?” - Sociologia para o Ensino Médio: conteúdos e metodologias Rosenval de Almeida e Souza (orgs). – Campina Grande: editora da UFCG, 2012.
Ideologias do grupo dominado
"
Se por um lado, temos ideologias favoráveis àqueles que dominam a sociedade, temos, também, crenças que reúnem e inspiram um grupo específico a perseguir interesses políticos considerados desejáveis. Esses interesses se expressam das mais variadas formas, seja através da formação de sindicatos, de partidos políticos ligados a lutas democráticas e aos trabalhadores por meio de vários movimentos sociais – feministas, negros, étnicos, estudantis, do campo e da cidade, pelo direito à terra, por moradia, dentre outros [...]
"
RAMALHO, José Rodorval. “Ideologia: O Que devemos saber?” - Sociologia para o Ensino Médio: conteúdos e metodologias Rosenval de Almeida e Souza (orgs). – Campina Grande: editora da UFCG, 2012.
"
Ideologia
", Cazuza
Trabalho de Sociologia
Análise discursiva e sociológica da ideologia
Equipe:
- Lara Liz - Virna Viana
- Marcele Maia - Waldívia Galdino
- Úrsula Áurea
2º A - CIMM SEDE
Professor: Jean MacFly
“A sociedade contemporânea é menos uma sociedade de consumo e mais uma sociedade ideologizada pelo consumo”.
ZACARIAS, R. Sociedade de consumo ou ideologia do consumo: um embate.
In: Jornal eletrônico. Faculdades Integradas Vieira Junior. Ano V –Edição I –Maio 2013.
Full transcript