Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Dadaísmo

No description
by

Amanda Bruno

on 31 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Dadaísmo

No último manifesto que divulgou, Tzara disse que o grande segredo da poesia é que "o pensamento se faz na boca". Como uma afirmação desse tipo é evidentemente incompreensível, ele procurou orientar melhor os seus seguidores dando uma receita para fazer um poema dadaísta:
Introdução
Durante a Primeira Guerra Mundial (1914 - 1918), artistas e intelectuais diversas nacionalidades, contrários ao envolvimento , de seus países no conflito, exilaram- se em Zurique na Suíça. Aí acabaram fundando um movimento literário que deveria expressar as suas decepções com o fracasso da ciências, da religião e da Filosofia existentes até então,
pois se revelaram incapazes de evitar a grande destruição que assolava toda a Europa

Dessa forma, os dadaístas propunham que a criação artística se
libertasse das amarras do pensamento racionalista
e sugeriram que ela fosse apenas o resultado do automatismo psíquico, selecionando e combinando elementos ao acaso. Na pintura, essa atitude foi traduzida por obras que usaram o recurso da colagem.
Só que
a intenção não a plástica e sim sátira

e crítica
aos valores tradicionais tão valorizados, mas responsáveis pelo caos em que se encontrava a Europa.
Os ready-mades de Duchamp constituem manifestação cabal de certo espírito que caracteriza o dadaísmo. Ao transformar qualquer objeto em obra de arte, o artista realiza uma crítica radical ao sistema da arte. Assim, objetos utilitários sem nenhum valor estético em si são retirados de seus contextos originais e elevados à condição de obra de arte simplesmente ao ganhar uma assinatura e um espaço em exposições.
Esse movimento foi denomidado DADÁ, nome escolhido pelo poeta Húngaro Tristan Tzara. Ele abriu um dicionário ao acaso e deixou seu dedo cair sobre uma palavra qualquer da página. O dedo indicou a palavra "dada", que na linguagem infantil francesa significa "cavalo". Mas isso não tinha a menos importância. Tanto fazia ser essa como outra qualquer , pois a arte perdia todo o sentido, já que a guerra havia instaurado o irracionalismo no continente europeu.
Marcel Duchamp
(1887-1968), pintor e escultor francês, sua arte abriu caminho para movimentos como a Pop art e a Op art das décadas de 1950 e 1960. Reinterpretou o cubismo a sua maneira(Futurismo) , interessando-se pelo movimento das formas. O experimentalismo e a provocação o conduziram a idéias radicais em arte, antes do surgimento do grupo Dada (Zurique, 1916). Criou os
ready-mades.

Dadaísmo
colagens da dadaísta alemã Hannah Höch (1889 - 1978)
Ready - Mades = O termo é criado por Marcel Duchamp (1887 - 1968) para designar um tipo de objeto, por ele inventado, que consiste em um ou mais artigos de uso cotidiano, produzidos em massa, selecionados sem critérios estéticos e expostos como obras de arte em espaços especializados (museus e galerias)
Giulio Carlo Argan, o dadaísmo apresenta-se como uma "vanguarda negativa" por "demonstrar a impossibilidade de qualquer relação entre arte e sociedade". contestação de um conceito de arte leva à defesa, pelo grupo, de que a "verdadeira" arte é a antiarte.
Eu redijo um manifesto e não quero nada, eu digo portanto certas coisas e sou por princípios contra manifestos (...). Eu redijo este manifesto para mostrar que é possível fazer as ações opostas simultaneamente, numa única fresca respiração; sou contra a ação pela contínua contradição, pela afirmação também, eu não sou nem para nem contra e não explico por que odeio o bom-senso
—Tristan Tzara3
"Pegue um jornal.
Pegue a tesoura.
Escolha no jornal um artigo que você deseja dar ao seu poema.
Recorte o artigo.
Recorte em seguida com atenção algumas palavras que formam esse artigo e meta-as num saco.
Agite suavemente.
Tire em seguida cada pedaço um após o outro.
Copie conscienciosamente na ordem em que elas são tiradas do saco.
O poema se parecerá com você.
E ei-lo um escritor infinitamente original de uma sensibilidade graciosa, e ainda que incompreendido do público."
Características principais do dadaísmo:

- Objetos comuns do cotidiano são apresentados de uma nova forma e dentro de um contexto artístico;
- Irreverência artística;
- Combate às formas de arte institucionalizadas;
- Crítica ao capitalismo e ao consumismo;
- Ênfase no absurdo e nos temas e conteúdos sem lógica;
- Uso de vários formatos de expressão (objetos do cotidiano, sons, fotografias, poesias, músicas, jornais, etc) na composição das obras de artes plásticas;
- Forte caráter pessimista e irônico, principalmente com relação aos acontecimentos políticos do mundo.
Principais artistas dadaístas

- Tristan Tzara
- Marcel Duchamp
- Hans Arp
- Francis Picabia
- Max Ernst
- Man Ray
- Raoul Hausmann
Questão 38 - Vunesp 2011
ALTERNATIVA A
O ready made nomeia a principal estratégia de fazer artístico do artista Marcel Duchamp. Essa estratégia refere-se ao uso de objetos industrializados no âmbito da arte, desprezando noções comuns à arte histórica como estilo ou manufatura do objeto de arte, e referindo sua produção primariamente à idéia.
É o caso de "Fonte", de 1917. Apresentada no Salão da Sociedade Novaiorquina de artistas independentes, constitui-se a partir de um urinol invertido. A operação que o caracteriza é o deslocamento de uma situação não artística para o contexto de arte. Tal operação é marcada por sua apresentação como escultura e assinatura. À inversão física do objeto corresponde a inversão de seu sentido, que se espelha no corpo do espectador. Do mesmo modo, "Porta-garrafas" (1914, readymade) e "Roda de bicicleta" (1913, readymade assistido) tiram partido de um deslocamento e manipulação do objeto para tornar o sentido de sua aparição crítico.
Full transcript