Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Provisão para Crédito de Liquid. Duvidosa

No description
by

Naomi Nakahara

on 21 August 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Provisão para Crédito de Liquid. Duvidosa

PROVISÃO PARA CRÉDITO DE
LIQUIDAÇÃO DUVIDOSA
Alessandra Mayara Pereira
Fabiana Lopes de Souza
Fernanda Sayuri Nakao
Lilian Naomi Nakahara
Mariana Iera C. e Silva
Vanessa Christina da Silva
Prof. Antonio Augustin Manganotti
Turma 3.000
Contabilidade Empresarial
INTRODUÇÃO
- Perdas que uma determinada empresa sofre referente aos maus pagadores.
- Empresas que efetuam vendas a prazo
- Representando basicamente uma reserva financeira para evitar que possíveis perdas causem danos à saúde da empresa
- Saldo da conta de Duplicatas a Receber deverá ser reduzido
Princípio do Conservadorismo
Princípio da Confrontação da Despesa dentro do Regime de Competência
CONCEITO
Representam estimativas de perda de ativos ou de obrigações para com terceiros.
Caráter estimativo.
Conta do Ativo
Natureza retificadora
Provisões Retificadoras do Ativo
CLASSIFICAÇÃO
Provisões Passivas
Dedutíveis:
Indedutíveis
DESENVOLVIMENTO
- Lei 9.430/96
- 01 de janeiro de 1997
• Crédito vencido há mais de seis meses, no qual valor por operação fosse de no máximo cinco mil reais, passaria a não possuir liquidez, devendo, portanto, ser baixado do ativo;
• Quando o valor do título fosse superior a cinco mil e inferior ou igual a trinta mil, e estivesse vencido há mais de doze meses, este também não possuiria liquidez e dever ser baixado do ativo;
• O título cujo valor ultrapassasse a trinta mil reais por operação, também não possui liquidez, só que, nesse caso, a pessoa jurídica deverá manter procedimentos judiciais para efetuar a sua cobrança
LEGISLAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA
- Lei nº 9.430/96
Art. 9º As perdas no recebimento de créditos decorrentes das atividades da pessoa jurídica poderão ser deduzidas como despesas, para determinação do lucro real, observado o disposto neste artigo.
§ 1º Poderão ser registrados como perda os créditos:
I- em relação aos quais tenha havido a declaração de insolvência do devedor, em sentença emanada do Poder Judiciário;
II- sem garantia, de valor
III - com garantia, vencidos há mais de dois anos, desde que iniciados e mantidos os procedimentos judiciais para o seu recebimento ou o arresto das garantias;
IV- contra devedor declarado falido ou pessoa jurídica declarada concordatária, relativamente à parcela que exceder o valor que esta tenha se comprometido a pagar
§ 3º Para os fins desta Lei, considera-se crédito garantido o proveniente de vendas com reserva de domínio, de alienação fiduciária em garantia ou de operações com outras garantias reais.
Art. 10. Os registros contábeis das perdas admitidas nesta Lei serão efetuados a débito de conta de resultado e a crédito:
I - da conta que registra o crédito de que trata a alínea a do inciso II do § 1º do artigo anterior;
II - de conta redutora do crédito, nas demais hipóteses.
Art. 11. Após dois meses do vencimento do crédito, sem que tenha havido o seu recebimento, a pessoa jurídica credora poderá excluir do lucro líquido, para determinação do lucro real, o valor dos encargos financeiros incidentes sobre o crédito, contabilizado como receita, auferido a partir do prazo definido neste artigo.
Art. 12. Deverá ser computado na determinação do lucro real o montante dos créditos deduzidos que tenham sido recuperados, em qualquer época ou a qualquer título, inclusive nos casos de novação da dívida ou do arresto dos bens recebidos em garantia real.
FORMA DE APURAÇÃO DA PROVISÃO
- A apuração do valor da provisão pode variar de empresa para empresa.
- Considerações importantes
a) Análise individual do saldo de cada cliente.

b) Deve ser considerada a experiência anterior da empresa com relação a prejuízos com contas a receber.

c) Devem ser também consideradas as condições de venda. Obviamente, a existência de garantias reais anula ou reduz as perspectivas de perdas;

d) Atenção especial deve ser dada às contas atrasadas e a clientes que tenham parte de seus títulos em atraso.

CÁLCULO DA PROVISÃO PARA LIQUIDAÇÃO DE DEVEDORES DUVIDOSOS
- Calculadas no fim de cada exercício social
Débito: Despesas com Devedores Duvidosos.
Crédito: Provisão para Devedores Duvidosos.
Anterior a 31/12/1992
- 3% sobre o saldo de Duplicatas a Receber para as empresas em geral
- 1,5% para as empresas financeiras
1.000.000,00 -> 3% = 30.000,00 no saldo da Provisão para Devedores Duvidosos
01/01/93 a 31/12/94
1,5% -> empresas em geral
0,5% -> empresas financeiras.
A partir de 01/01/95
- Imposto de Renda passou a não mais aceitar esse percentual como viável.
- Percentual passou ter como base a média efetivamente apurada nos três últimos exercícios
CONTABILIZAÇÃO DA PROVISÃO PARA DEVEDORES DUVIDOSOS
Duplicata a Receber
200.000,00
Vendas de Mercadorias
200.000,00
- O contador da empresa, utiliza os saldos dos últimos 3 anos da conta de Duplicatas a Receber juntamente com as perdas observadas nesse período, e faz o lançamento das provisões. ->50.000,00
Prov.Dev.Dusidosos
50.000,00
Devedores Duvidosos (R)
50.000,00
- Em um dado período, o contador constatou que uma determinada duplicata no valor de 30.000,00 é incobrável, devendo fazer baixa da conta de Provisão para Devedores Duvidosos e também, da carteira de Duplicatas a Receber.
Duplicata a Receber
200.000,00
30.000,00
Prov.Dev.Dusidosos
50.000,00
30.000,00
- Não é necessário fazer um lançamento em uma conta de despesa porque a Provisão já foi constituída e já diminui o resultado do exercício.

- Trata-se, apenas, de uma confirmação da perda que havia sido provisionada.
- Se essa duplicata de 30.000,00 for paga, ou seja, apesar da duplicata ser considerada incobrável e já descontada das provisões, ela foi paga pelo cliente.
Banco/Caixa
30.000,00
Prov.Dev.Dusidosos
50.000,00
30.000,00
Se for no mesmo exercício
30.000,00
Se for no exercício seguinte
Banco/Caixa
30.000,00
Outras Receitas (R)
30.000,00
Realização do fechamento do Balanço Patrimonial
Saldo insuficiente
Prov.Dev.Duvidodos
50.000,00
Perdas não Esperadas
20.000,00
70.000,00
20.000,00
Saldo mais que suficiente
Prov.Dev.Duvidodos
50.000,00
20.000,00
30.000,00
20.000,00
Devedores Duvidosos (R)
- É importante lembrar que nesse caso, a Constituição da provisão para o próximo exercício será feita com base na estimativa dos prejuízos do próximo exercício (-) saldo não utilizado do exercício anterior.
PROVISÃO x RESERVAS
Constituídas após a apuração do resultado.
Constituem-se com a própria distribuição do resultado
Complementam o Capital Social na constituição do Patrimônio Líquido podendo ser ser de três tipos:
a) de lucros;
b) de capital;
c) de reavaliação.

PROVISÕES
Constituídas antes da apuração do resultado.
Objetivam onerar o resultado independente de ser positivo ou negativo.

RESERVAS
PROVISÃO x PREVISÃO
Cálculos matemáticos feitos na maioria das vezes com embasamento histórico, e serve de base para se contabilizar uma variação patrimonial ocorrida, cujo valor exato ainda não conhecemos
Temos a certeza do acontecimento mas a incerteza do valor envolvido.
Podemos aqui citar dois exemplos clássicos: Provisão para Férias e Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa.
PROVISÕES
PREVISÕES
Cálculos matemáticos, feitos com embasamento histórico ou não, de algo que se imagina que vai ainda acontecer, ou seja, é uma estimativa futura que poderá ou não acontecer.
Como exemplos podemos citar: Previsão de vendas; Previsão de produção entre outras.
- Resumindo, na previsão não temos certeza do acontecimento e tampouco do valor. As previsões normalmente são utilizadas para a elaboração de Orçamentos, onde os valores são projetados.
- COELHO, Francisco da Silva. Provisões e Alocação de Capital, 2003. Disponível em: < http://www.abbc.org.br/> Acesso em: 05 de maio de 2013.

- CORREIA, Ronaldo Valdir. A Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa nas Instituições Financeiras, 2005. Disponível em: < http://tcc.bu.ufsc.br/Contabeis294319> Acesso em 05 de maio de 2013.

- DAGOSTIM, Salézio. Perdas estimadas ou provisão para créditos de liquidação duvidosa, 2010. Disponível em: < http://www.ebah.com.br/content/ABAAAe-3EAB/perdas-estimadas-provisao-creditos-liquidacao-duvidosa#> Acesso em 05 de maio de 2013.

- IUDÍCIBUS, Sérgio de et al. Contabilidade Introdutória. 7. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

- JORGE, Mário. Provisão x Previsão, confusões do cotidiano, 2010. Disponível em: < http://profmariojorge.com.br/sala-de-aula/conceitos/provisao-x-previsao-confusoes-do-cotidiano/> Acesso em 05 de maio de 2013.

- Menezes, Isabel Cristina Dias. Provisões Contábeis, 2009. Disponível em: < http://contadez.cenofisco.com.br/boletim/anexo/boletim_2409_Contabil_1.pdf> Acesso em 05 de maio de 2013.

- SILVEIRA, Grace Mello. Critérios de Provisões para Créditos de Liquidação Duvidosas para Instituições Financeiras, 2010. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/27220/000763066.pdf?sequence=1> Acesso em: 05 de maio de 2013.

- TEIXEIRA, Paulo Henrique. Provisão Devedores Duvidosos, 2005. Disponível em: <http://www.classecontabil.com.br/consultoria/ver/34638/> Acesso em: 05 de maio de 3013.

- UVB, Faculdade On-line. Aula Nº 7 – Devedores Duvidosos e Devedores Insolváveis, 2010. Disponível em: <http://arquivos.unama.br/nead/gol/gol_adm_5mod/contab_geral/pdf/aula07.pdf> Acesso em 04 de maio de 2013.
REFÊRENCIAS BIBLIOGRAFICAS
Full transcript