Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

As máscaras de Platão

O idealismo platônico em suas múltiplas faces
by

LUIZ CLAUDIO PINHO

on 8 April 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of As máscaras de Platão

O idealismo platônico
e suas múltiplas faces As máscaras de Platão Quem foi Platão? Nascido em Atenas, Platão (427-347 a.C) pertencia a uma das mais nobres famílias atenienses. Seu nome verdadeiro era Arístocles, mas devido a sua constituição física, recebeu o apelido de Platão, termo grego que significa “de ombros largos” Platão foi discípulo de Sócrates, a quem considerava “o mais sábio e o mais justo dos homens”. Depois da morte de seu mestre, empreendeu inúmeras viagens, num período em que ampliou seus horizontes culturais e amadureceu suas reflexões filosóficas. A Academia de Platão Por volta de 387 a. C. retornou a Atenas, onde fundou sua própria escola filosófica, a Academia, nos jardins construídos por seu amigo Academus. Essa escola foi uma das primeiras instituições permanentes de ensino superior do mundo ocidental. Uma espécie de universidade pioneira dedicada à pesquisa científica e filosófica além de se tornar um centro de formação política. A maior parte do pensamento platônico nos foi transmitida por intermédio da fala de Sócrates, nos diálogos socráticos, escritos por ele mesmo, Platão.
Muitos historiadores acreditam que Platão utilizou sua experiência como dramaturgo para idealizar a imagem de seu mestre. O legado de Sócrates As principais ideias Na República, livro de Platão, conta-se o mito de Er e, nos diálogos de Sócrates no Fédon, fala-se claramente da transmigração das almas. Após uma longa discussão sobre o assunto com Cebes, Sócrates, segundo Platão, conclui: “Há, pois, acordo entre nós ainda nesse ponto: os vivos não provêm menos dos mortos que os mortos dos vivos. Ora, assim sendo, haveria aí, parece uma prova suficiente de que as almas dos mortos estão necessariamente em alguma parte e que é de lá que voltam à vida.”
Platão. Diálogos. Fédon.
São Paulo: Nova Cultural, 1983 O mundo das almas “Não é próprio do justo prejudicar a um amigo ou a pessoa alguma, mas do seu contrário, do injusto.(...) Se, pois, alguém afirma que a justiça consiste em devolver a cada um o que se lhe deve, e se entende por isso que o homem justo deve prejuízo a seus inimigos e serviço aos amigos, não é sábio quem profere tais palavras. Pois não diz a verdade: em nenhum caso, como efeito, e a ninguém nos pareceu justo fazer o mal.”
Platão. A República.
Rio de Janeiro, Ediouro, 1996. A Justiça Um dos aspectos mais importantes da filosofia de Platão é como ele procura explicar como se desenvolve o conhecimento humano.
Segundo ele, o processo de conhecimento se desenvolve por meio da passagem progressiva do mundo das sombras e aparências para o mundo das ideias e essências. MUNDO DAS IDEIAS MUNDO DAS SENSAÇÕES A dialética O método proposto por Platão para realizar esse passagem e atingir o conhecimento autêntico (epistéme) é a dialética.
O método consiste na contraposição de uma opinião com a crítica que dela podemos fazer, ou seja, na afirmação de uma tese qualquer seguida de uma discussão e negação desta tese, com o objetivo de purificá-la dos erros e equívocos.
Somente quando saímos do mundo sensível e atingimos o mundo racional das ideias é que alcançamos o domínio do ser absoluto, eterno e imutável. As três máscaras do homem Platão explicou no livro A República que o homem possui três almas:

Racional, que busca o conhecimento e deve reger a vida humana;
Irascível, que se ocupa da defesa e da guerra.
Passional, que busca a satisfação dos desejos, instintos e impulsos da paixão. Platão fez uma analogia entre a alma do homem e as funções na cidade. Ele dividiu a cidade em três grupos sociais:

Governantes, responsáveis pelo governo da cidade. Esse grupo corresponderia à alma racional.
Guardiães, responsáveis pela defesa da cidade, como os soldados. Esse grupo corrresponderia à alma irascível.
Produtores, responsáveis pela produção econômica, como os artesãos e agricultores, criadores de animais, etc. Esse grupo corresponderia à alma passional. Questões de revisão 1. Para Platão, conhecer é lembrar,
pois nada é produzido pelo corpo, mas somente pela alma. Explique porque.
2. Diferencie o mundo das ideias e o mundo das sensações.
3. Como é possível ao homem conhecer a verdade?
4. Ao afirmar que o homem possui três tipos de alma, Platão idealiza as três principais funções da cidade ideal. Relacione.
5. Platão combina as ideias de Heráclito e Parmênides. Como elas se relacionam no pensamento platônico. FIM PRINCIPAIS TEMAS DA REVISÃO GERAL Questões fechadas O que é filosofar? (1oB) Mito e Filosofia O que são mitos? (1oA) Mito como forma de conhecimento (1oC) A diferença entre mito e filosofia (1oA, 1oB e 1oC) Mito, magia e conhecimento (1oB) A teoria das formas e ideias em Platão Platão no livro "O mundo de Sofia" 1oC Mundo sensível e mundo inteligível (1oA) Questões abertas Questão 4 (turmas 1o A e 1oC) RESPOSTA SUGERIDA PELO PROFESSOR
A entrega do fogo ao homem por Prometeu simboliza o momento em que o ser humano adquire o conhecimento DA RAZÃO E DA TÉCNICA, ou seja, passa a se interessar pela aquisição do saber: nesse sentindo, o desenvolvimento da intelectualidade e o advento da consciência, representados pelo mito, também aparecem na construção do conhecimento pelo filósofo Questão 4 (turma 1oB) Resposta sugerida para o item a)
A caverna é o mundo material e de aparências em que vivemos, onde as sombras representam as coisas que percebemos e os preconceitos. Resposta sugerida para o item b)
A luz do sol é a luz da verdade que representa nossos valores maiores e eternos que guiam as decisões corretas e nos tira da caverna. Resposta sugerida pelo professor para o item a)
A história apareceu no livro “A República”. Trata-se da Alegoria da Caverna presente na obra de Platão Resposta sugerida pelo professor para o item b)
Na imagem 1, os habitantes da caverna acreditam que o mundo é formado apenas pelo que veem nas sombras. Na imagem 2, os homens modernos confiam demais na informação que recebem da TV. Em ambos os casos, as pessoas confiam nos sentidos sem procurar questionar com a razão aquilo que elas estão vendo da realidade
Full transcript