The Internet belongs to everyone. Let’s keep it that way.

Protect Net Neutrality
Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

O Inconsciente (1915)

No description
by

Cibele Vasconcelos

on 6 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O Inconsciente (1915)

O Inconsciente (1915)
Equipe:
Amanda Antunes
Caroline Paiva
Cibele Vasconcelos
Thamisa Mara

O Inconsciente
Núcleo do Ics é composto de representantes pulsionais/impulsos de desejos.
No âmbito do Ics não há lugar para a negação.
Há maior intensidade de carga de investimento no Ics do que no Pcs.
No Ics, os processos são atemporais.
Substituição da realidade externa pela realidade psíquica.
V – Características especiais do sistema Inconsciente
Inconsciente como marca distintiva do psiquismo;
Processos semelhantes, mas também distintos dos atos conscientes;
Cs, Pcs, Ics;
Duas fases do ato;
Dinstinção pelo dinamismo;
Distinção pela tópica;
II - Os múltiplos sentidos do Inconsciente e o ponto de vista tópico
• Na esquizofrenia mantém-se o investimento de carga nas representações mentais da palavra, nas representações-de-palavra
Representação-de-objeto --> representações-de-palavra e representação-de-coisa;
• Representação consciente: abrange a representação-de-coisa acrescida da representação-de-palavra correspondente;
- Representação inconsciente é somente a representação-de-coisa;
• Sobreinvestimentos de carga: leva a uma organização psíquica mais elevada e possibilita a substituição do processo primário pelo processo secundário no Pcs;
• É a representação não revestida de palavras ou o ato psíquico que não esteja sobreinvestindo que permanecerá como material recalcado do Ics;
• Vinculação a representações-de-palavra caracteriza o sistema Pcs;
• Necessidade de modificação da fórmula segundo a qual o recalque é um processo entre o sistema Ics e o Pcs, resultando no afastamento da consciência;
• Primeira tentativa de cura que predomina no quadro clínico da esquizofrenia: investimento de carga da representação-de-palavra;
• Duas direções opostas da atividade psíquica.
VII – Identificando o inconsciente
1) Recalque: não reside em suspender ou aniquilar a ideia, representada pela pulsão. O recalque impede que a ideia se torne consciente;

2) Mesmo inconsciente, a ideia recalcada é capaz de continuar a produzir efeitos sobre a psique e alguns dos seus efeitos acabam por alçar-se à consciência do sujeito;

3) O recalque não abarca todo o inconsciente;

4) Como se conhece o inconsciente?

Quando sofre uma transposição/tradução para o consciente
O analisando precisa superar as resistências que rechaçaram do seu consciente determinados conteúdos
1) O que justifica afirmar a existência do Inconsciente?

2) Os dados da consciência têm muitas lacunas;

3) Atos Psíquicos (pessoas sadias e doentes) – pressupõem a existência de outros atos para os quais a consciência não fornece evidências;

4) Exemplos: atos falhos, sonhos e todos os chamados sintomas psíquicos e manifestações obsessivas nos doentes;

5) Estado de latência: maior parte do conteúdo encontra-se por longos períodos em um estado de inconsciência psíquica;

6) Lembrança Latente: resquício indubitável de um processo psíquico;

7) Os estados latentes podem ser descritos com as mesmas categorias que utilizamos para nos referirmos aos atos psíquicos conscientes: ideias, representações, anseios, etc.

8) A única distinção dos estados conscientes é justamente a ausência de consciência;

9) Todos os processos psíquicos em si são inconscientes;
VI – O Trânsito entre os dois sistemas
Ics mantem uma série de relações com o Pcs, entre elas a cooperação.
Características opostas dos derivados das moções pulsionais inconscientes.
Ics também é atingido por vivências da percepção externa.
Outra relação entre os sistemas: uma cooperação entre uma moção pré-consciente e uma inconsciente.

VII – Identificando o inconsciente
Conhecimento do Ics restrito ao conhecimento da vida onírica e das neuroses de transferência. Foi necessário ampliar investigação.
“[...] muitos dos aspectos que na esquizofrenia se expressam de forma consciente, nas neuroses de transferência só podem ser encontrados através da psicanálise no Ics” (p. 45).
“ Uma representação consciente abrange a representação-de-coisa acrescida da representação-de-palavra correspondente, ao passo que a representação inconsciente é somente a representação-de-coisa” (p. 49).

ANEXO A: Freud e Ewald Hering
Fisiólogo Ewald Hering (1834-1918);
Exerceu influência nas concepções de Freud sobre o inconsciente;
Cadeias inconscientes de ideias e conclusões inconscientes;
ANEXO B: Paralelismo psicofísico
• Teorias de Meynert: suposição de que o aparelho linguístico seria composto por centros corticais distintos, cujas células conteriam as representações-de-palavra;
• Tendência da medicina em épocas passadas: capacidades psíquicas se situavam em determinadas regiões do cérebro;
- Wernicke: só os elementos psíquicos mais simples poderiam ser localizados --> representações sensoriais individuais;
• Processo psíquico como um processo paralelo ao fisiológico;
• Afirmação de que uma representação estaria localizada em uma célula nervosa;
ANEXO C: Palavra e objeto
• Unidade da função linguística é a palavra, uma representação complexa: combinação de elementos acústicos, visuais e cinestésicos;
• Elementos constitutivos da representação-de-palavra: "imagem sonora", "imagem visual das letras”, "imagem motora da fala" e "imagem motora da escrita";
• Processo associativo dos dispositivos da fala:
1) Aprendemos a falar associando uma imagem sonora da palavra a uma sensação de inervação da palavra;
2) Aprendemos a repetir a linguagem dos outros quando a imagem sonora por nós produzida é o mais parecida possível com aquilo que deu origem à inervação da fala;
3) Aprendemos a soletrar vinculando as imagens visuais das letras a novas imagens sonoras;
4) Aprendemos a ler quando vinculamos a sequência das representações da inervação das palavras e das representações motoras das palavras, obtidas ao falarmos cada uma das letras;
5) Aprendemos a escrever reproduzindo as imagens visuais das letras a partir de imagens da inervação da mão, até que surjam imagens visuais iguais ou semelhantes;
6) As funções da fala posteriormente serão executadas seguindo os mesmos caminhos associativos pelos quais as aprendemos;
• Palavra adquire seu significado pela vinculação com a representação-de-objeto, que, por sua vez, é um complexo associativo composto pelas mais variadas representações visuais, acústicas, táteis, cinestésicas e muitas outras;
• Representação-de-palavra ligada à representação-de-objeto
- Duas categorias de distúrbio da fala:
1) Afasia verbal: de primeira ordem, na qual ocorre distúrbios nas associações entre os elementos individuais que compõem a representação-de-palavra;
2) Afasia assimbólica: de segunda ordem, em que os distúrbios ocorrem na associação entre a representação-de-palavra e a representação-objeto.
1) O conceito de processos mentais inconscientes é fundamental para a Teoria Psicanalítica;

2) Freud - Interesse prático: sem essa suposição, seria incapaz de explicar ou mesmo de descrever a grande variedade de fenômenos;

3) Método neurológico de descrição dos fenômenos psicopatológicos: construir uma “psicologia” a partir de ingredientes puramente neurológicos;

4) Descrição e explicação de toda a gama do comportamento humano, normal e patológico, por meio de uma manipulação de duas entidades materiais: o neurônio e uma energia física ou química não específica;

5) Freud neurologista Freud Psicólogo;

6) Termos do sistema nervoso traduzido em termos mentais (Estabelecimento do Inconsciente);
Referências
FREUD, Sigmund. O Inconsciente (1915).
Estudos sobre a psicologia do inconsciente
, v. II. Rio de Janeiro: Imago, 2006.
Gratas pela atenção!
III - Sentimentos Inconscientes
Idéia diferente de Afeto
Moções pulsionais - Representações
Repressão;
Formação Substitutiva
Existe em dois locais, simultâneamente
Recalque pode bloquear a moção pulsional em expressão de afeto
IV - Tópica e dinâmica do recalque
Fronteira
Retirada de carga e contra-investimento
Histeria de angústia - Formação substitutiva
Histeria de conversão - Sintoma
Neurosse Obsessiva - Formação Reativa
Tópico: Localização em um determinado sistema, definição da instancia psíquica, estudar as leis que regem suas condições e manifestações.
Econômico: Investimento da energia psíquica nas instancias, maneira como se dá esse investimento de energia psíquica entre uma ideia ou outra no Inconsciente.
Dinâmico: Ligação energética entre as representações (instancias), transição entre as mesmas, como se dá a relação das instancias, conflitos entre elas.
Full transcript