Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Práticas escolares contemporâneas na Geografia

No description
by

Juliana Cardoso

on 3 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Práticas escolares contemporâneas na Geografia

Quem é o aluno contemporâneo?
Como ele se comporta dentro e fora da sala de aula?
Aluno e professor: conectados?
O que fazer com as conexões que invadem as salas de aulas?

O estudo constitui-se de um olhar reflexivo sobre o uso dos meios de comunicações nas práticas pedagógicas da Geografia. A intenção é:
problematizar, analisar e discutir as linguagens de comunicações presentes no cotidiano da escola como dispositivos pedagógicos implicados no processo de constituição do conhecimento geográfico.
Foram utilizados dois caminhos:
Um de caráter
instrumental
Outro,
investigativo

Que teve como meta
inventariar quais
linguagens são usadas
nas praticas pedagógicas
e no cotidiano dos alunos
e dos professores
através de entrevistas.

Percorrido com auxilio das ferramentas teóricas fornecidas pela Geografia e os Estudos Culturais, pelo viés pós-estruturalista.
As sociedades contemporâneas estão sendo configuradas e reconfiguradas pelo continuo e acelerado avanço cientifico e tecnológico e, em particular, pelas chamadas tecnologias da informação e comunicação.
Esse avanço possibilitou uma nova dinâmica dos fluxos de informação e potencializou as interações e trocas entre pessoas.

Como conseqüência, o pós-modernismo acaba por produzir uma nova condição existencial do sujeito e produz novos modos de ser e viver, que, segundo FISHER, 2007, constituem-se em:

Excesso e acúmulo de informações;
Velocidade do acesso a fatos;
Novos modos de viver a intimidade e a vida privada;
Outros modos de compreender o que seriam as diferenças;
A centralidade do corpo e da sexualidade na cultura;
Miscigenação de linguagens de diferentes meios;

Movimentos Metodológicos
Antes do começo....
Mundo mutante
Quem são eles?

A escola tradicional disciplinava, repreendia, e os corpos que habitavam a sala de aula eram dóceis, obedientes, esforçados, reprimidos, confinados. Corpos trabalhados para a disciplina, para a ordem, para regras.
Hoje, vemos corpos adentrando a sala de aula de forma mais voraz, ansiosa, flexível, performática, ativos, hedonista, narcisista, hiperativa, consumidor, conectados, acostumados com o fluxo de informação e multitarefas

Como ele se comporta
dentro e fora da sala de aula?
A cultura atual é fortemente marcada
pelos meios de comunicação. Com o
acesso às redes de informação, essa
interação se multiplicou exponencialmente.
O aluno tornou-se um usuário assíduo dos
meios de comunicação, e a escola tenta
competir a atenção do aluno mas acaba
ficando em desvantagem pois algumas
práticas escolares são percebidas
como "pouco atraentes" por
esse aluno.

Aluno e professor de Geografia:
conectados?

Quando questionados quais de meios de comunicação costumam usar no seu dia a dia, 91% responderam internet.
68% dos entrevistados afirmam que a sua freqüência diária de utilização da internet é tão grande que não saberiam especificar quantas vezes por dia se conectam.
93% dos alunos utilizam o facebook como instrumento de meio de comunicação.
Totalizou-se 122 (cento e vinte e dois) alunos entrevistados.
E os professores de Geografia?
Dos 6 professores entrevistados, 5 usam a internet no seu dia a dia, com frequência. Desses 5 professores, todos utilizam o Facebook e E-mail como meios de comunicação.
Apenas uma professora não utiliza a internet:
“Não utilizo. Não sei mexer e acho muito difícil aprender”.
Conflito entre mundos
69% dos alunos entrevistados afirmaram utilizar a internet como meio de comunicação na escola, dentro da sala de aula, durante as aulas, de forma “escondida”.
Todos os 69% dos alunos que utilizam a internet "escondida", acessam ao Facebook.
A pesquisa aponta que boa parte dos professores - cinco deles - não receberam nem procuraram algum tipo de capacitação para uso das tecnologias na escola.
Quando questionados se costumam utilizar algum meio de comunicação em suas aulas como práticas pedagógicas, apenas dois deles responderam que “sim”.
Confirmou-se, durante o estudo, o que percebíamos como docentes ativos em sala de aula: enquanto os alunos de hoje vivem fundidos com os mais variados dispositivos eletrônicos e digitais, a escola continua obstinadamente arraigada em seus métodos e linguagens analógicos.
O aluno contemporâneo tem como extensão do seu próprio corpo aparatos tecnológicos: celulares e computadores lhes dão acesso à diversas informações em tempo real. Não é raro que esses dispositivos tecnológicos sejam proibidos na sala de aula, de forma autoritária, o que provoca resistência nos alunos utilizando-os de forma escondida.

Seja como for, isso talvez explique porque a escola está ficando enfadonha sob a óptica do aluno, que se sente preso dentro do ambiente escolar e não compreendido pelo professor.


Redes ou paredes? Qual será o resultado desta alquimia?

BAUMANN, Zygmunt. Tempos líquidos. Rio de Janeiro: Zahar, 2007. CAVALCANTI, Lana de Souza. A Geografia Escolar e a cidade. Campinas: Papirus, 2008.
CASTELLS, M. End of millennium: the information age: economy, society and culture. Malden (MA): Blackwell, 1998. V. 3
COSTA, Marisa Vorraber. Paisagens escolares no mundo contemporaneo. IN: SOMMER, Luiz H.; BUJES, Maria Isabel (orgs.). Educação e cultura contemporânea. Canoas: Ed. da Ulbra, 2006.
FISCHER, Rosa. Tecnicas de si e tecnologias digitais. IN: SOMMER, Luiz H.; BUJES, Maria Isabel (orgs.). Educação e cultura contemporânea. Canoas: Ed. Da Ulbra, 2006
FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. Notas sobre a experiencia e o saber da experiencia. Revista Brasileira de Educação. Campinas, n. 19, jan./fev./mar./abril 2002.
______. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 2005.
GARBIN, Elisabete Maria. Na trilha sonora da vida. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/neccso/word/texto_bethe_trilhasonora.doc.> Acesso em: 04nov 2013.
GARBIN, Elisabete Maria. Cultur@s juvenis, identid@des e Internet: questões atuais. Disponível em: www.scielo.br/pdf/rbedu/n23/n23a08.pdf . Acesso em: 07nov. 2013.
GUERRA, Leonor Bezerra. Cérebro, criança e mídia. Pontocom. Rio de Janeiro, 18 ago. 2010.
HALL, Stuart. A Centralidade da Cultura: notas sobre as revolucoes culturais do nosso tempo. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 22, n. 2, jul./dez. p. 15-46, 1997a.
JAMESON, F. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. 2 ed. São Paulo: Ática, 2004.
KANT, Immanuel. Sobre a pedagogia. Buenos Aires: Elaleph., 2001..
KLEIN, N. Sem Logo: a tirania das marcas em um planeta vendido. Rio de Janeiro: Record, 2003.
KAERCHER, Nestor Andre. Praticas geograficas para lerpensar o mundo, converentendesar com o outro e entendesrcobrir a si mesmo. IN: REGO, Nelson; CASTROGIOVANNI, Antonio Carlos; KAERCHER, Nestor Andre. Geografia. Praticas pedagogicas para o ensino medio. Porto Alegre: Artmed, 2007.
LEAO, Vicente de Paula; LEAO, Ines de Carvalho. Ensino de Geografia e mídia. Belo Horizonte: Argvmentvm, 2008.
PRENSKY, Marc. Digital Natives, Digital Immigrants. MCB University Press, 2001. Disponível em: <http://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20%20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20‐%20Part1.pdf>.Acesso em: 26 out 2013.
SIBILIA, Paula. Redes ou paredes – A escola em tempos de dispersão. Tradução Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto 2012.
TONINI, Ivaine M. Movimentando-se pela Web 2.0 para ensinar Geografia. In:CASTROGIOVANNI, Antonio C,; KAERCHER, Nestor A.; TONINI, Ivaine M.
Movimentos no ensinar Geografia. Porto Alegre: Compasso, 2013.
VEIGA NETO, Alfredo. “Pensar a escola como uma instituição que pelo menos garanta a manutenção das conquistas fundamentais da modernidade”
(Entrevista). In COSTA, Marisa Vorraber. A escola tem futuro? Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

Referências
Garbin (2010) chama atenção para o fato de a internet não poder mais ser vista apenas como trocas, busca de informações, ou encontro entre pessoas através das redes sociais, mas, também, como um local de produção de conhecimento.
Full transcript