Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A União Europeia

Lucas Mendes Nº17, Luís Lowden Nº19, Manuel Machado Nº20, Pedro Fernandes Nº22, Sérgio Pinho Nº27 9ºA
by

Lucas Mendes

on 28 November 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A União Europeia

A União Europeia Lucas Mendes Nº17, Luís Lowden Nº19, Manuel Machado Nº20, Pedro Fernandes Nº22, Sérgio Pinho Nº27 9ºA A Reconstrução da Europa Nos anos 50, a Europa já tinha recuperado da 2ª Guerra Mundial, com ajuda do Plano Marshall. A França, a Itália, a Inglaterra e especialmente a Alemanha tiveram uma grande expansão na produção industrial. Para isto contribuiu o surto demográfico, a intervenção do Estado de Providência e a mão de obra barata de emigrantes de colónias ou dos países pobres mediterrânicos. O Arranque da unidade europeia Mesmo assim estavam longe de rivalizar com os EUA e a URSS. Graças aos esforços de Jean Monnet e Robert Schuman a França, RFA, a Bélgica, a Holanda, Luxemburgo e a Itália formaram a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (1951). Mais tarde (1957) estes países assinaram o Tratado de Roma criando a Comunidade Económica Europeia cujo objectivo era o mercado aberto à livre circulação de mercadorias, pessoas e capitais. Da Europa dos 6 à Europa dos 15 Olhando à expansã económica da Europa dos 6, a Inglaterra decide então aderir à CEE em 1973 seguida da Irlanda e da Dinamarca. Os países de regime autoritário só aderiram depois de ascenderem
à democracia. (Grécia, 1981; Portugal e Espanha, 1986) Alargando-se a União Europeia a nível político e económico foi assinado, em 1986 o Acto Único Europeu e em 1992 o Tratado de Maastricht que oficializaram a União Europeia (UE). Em 1995, deu-se a origem da Europa dos Quinze com a adesão da Finlândia, da Áustria e da Suécia A CEE, um poderoso espaço económico O Tratado de Roma tinha por objectivo principal a criação de um acordo entre Estados que elimina as barreiras e taxas alfandegárias, facilitando o comércio intracomunitário. Outro dos objectivos era o desenvolvimento agrícola pelo que a CEE estabeleceu o PAC (política agrícola comum) para melhorar a produção agrícola, mecanizando-a, concedendo subsídios aos agricultores, fixando quotas de produção e garantindo-se os preços. A indústria progrediu igualmente e assim a CEE conseguiu igualar os EUA, o Japão e a URSS tornando-se a 1ª potência comercial mundial a partir dos anos 70. Problemas e dificuldades Mesmo com a expansão económica, os custos excessivos do PAC, a carência de recursos energéticos e as assimetrias regionais profundas eram grandes obstáculos à Comunidade Para resolver estes problemas, foi utilizado o princípio da solidariedade: os países mais ricos contribuem mais para o orçamento europeu. Mas era preciso mais para consolidar o poder económico da UE. Perspectivas abertas com a União Europeia O tratado de Maastricht introduziu a moeda única: o Euro (€) Este entrou em circulação em 2002. A Inglaterra, a Suécia e a Dinamarca não aderiram Isto aumentou a coesão social e colocou a UE num nível alto na economia mundial. A Fragilidade Política da Comunidade Apesar de os fundadores da CEE quererem uma Europa completamente unida, durante cerca de 30 anos, foi apenas um grupo de países com interesses económicos em comum. Só com o Tratado de Maastricht a Europa se estruturou como uma União Europeia de países, ligados por valores políticos comuns. A Cidadania Europeia A nível dessa política, um dos primeiros paços foi a instituição de uma Cidadania Europeia. Nesta Cidadania Europeia todos os cidadão da UE têm o direito de votar e a ser eleito, circular, residir, trabalhar e estudar na zona da União Europeia livremente. A livre circulação, no caso dos estudantes, foi estimulada através do Erasmus. As Instituições Europeias A UE é constituida por um grupo complexo de instituições que têm que seguir os interesses nacionais de cada país e os interesses comunitários da União. Estas instituições são: Tribunal de Justiça Europeu (Juízes) que fiscaliza a aplicação das leis da Comissão Europeia (Comissários designados por 5 anos) que propõe leis e diretivas ao Conselho da União Europeia (Ministros dos Estados-Membros responsáveis pelos assuntos a debater) que recebem orientações gerais do Conselho Europeu (Chefes de Estado e de Governo dos Estados-Membros) e decide sobre as propostas da Comissão que as executa. Finalmente o Parlamento Europeus (deputados eleitos pelos cidadãos europeus) dá pareceres e co-decide em certos casos. Introdução Ìndice Conclusão Bibliografia Baby Boom - Surto Demográfico Plano Marshall na Alemanha CECA - Comunidade Europeia do Carvão e do Aço Tratado de Maastricht Tratado de Roma PAC - Política Agricola Comum Desigualdade entre regiões Euro Libra Estrelina Coroa Sueca Coroa Dinamarquesa Grupo de interesses políticos Logotipo "Erasmus" Parlamento Europeu O trabalho apresentado pretende dar a conhecer a história da União Europeia, nos seus momentos mais significativos. A Restruturação da Europa
O Arranque da unidade Europeia
Da Europa dos 6 à Europa dos 15
A CEE, um poderoso espaço económico
Problemas e dificuldades
Perspectivas abertas com a União Europeia
A fragilidade política da Comunidade
A cidadania Europeia
As Instituições Europeias A União Europeia resultou de um ideal de convivência e partilha de culturas e saberes que, na prática se tem revelado dificil de manter. Euro Atlas - Impala editores http://europa.eu/about-eu/eu-history/index_pt.htm História Nove - Porto Editora Países: 1952 - Bélgica, Alemanha, Itália, França, Luxemburgo, Países Baixos.
1973 - Dinamarca, Irlanda, Reino Unido.
1981 - Grécia.
1986 - Portugal, Espanha.
1995 - Áustria, Finlândia, Suécia.
2004 - Chipre, República Checa, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Malta, Polónia, Eslováquia, Eslovénia.
2007 - Bulgária, Roménia
Full transcript