Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Mecanismos de defesa específicos

Imunidade Adquirida 12ºB
by

Maria Marques

on 17 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Mecanismos de defesa específicos

hemácias de outros
organismos
células efetoras
Contacto o agente patogénico
A

ativação dos mecanismos de defesa
SISTEMA IMUNITÁRIO
Estrutura de trabalho
ADQUIRIDA
INATA
DEFESA DO
ORGANISMO

CONCLUSÃO
OBJETIVOS
Imunidade Humoral
Imunidade Celular
Linfócitos
Antigénios
células especializadas
agentes invasores
ação específica
mecanismos de

defesa específica

RECONHECIMENTO
AÇÃO
REAÇÃO
ESTRUTURAS
MOLECULARES
MOLÉCULAS
LIVRES
medula óssea vermelha
capaz de produzir sangue
migração
lançados no sangue ou linfa
IMUNIDADE
RESPOSTA IMUNITÁRIA
identificação do agente invasor
preparação dos agentes específicos
neutralização e destruição dos corpos estranhos
diversidade
ativação
seleção
TEORIA HUMORAL
sangue
bílis
amarela
fleuma
Conhecer processos de imunização
mecanismos de

defesa não específica


agentes invasores
ação não específica
fungos
fagocitam
Compreender os diferentes mecanismos de defesa imunitária
Entender a actuação dos anticorpos com vista à inativação dos antigénios
Distinguir os processos de imunidade celular e de imunidade humoral
Defesa
Trabalho realizado por
João Miranda
José Ribeiro
Maria Marques
Ana Gonzaga
Imunidade Adquirida
MECANISMOS
DE
DEFESA
ESPECÍFICA
ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DAS TAIPAS
12B
fevereiro 2014
IMUNIDADE
E CONTROLO
DE DOENÇAS
Biologia
adaptiva
fevereiro 2014
Imunidade ativa
Imunidade passiva
Imunidade natural e induzida
célula I
célula II
célula III
célula IV
célula V
"A DEFESA É O MELHOR ATAQUE"
eliminação celular
vida mantida
pelo equilíbrio entre
4 humores
bílis
negra
quente
frio
seco
húmido
verão
primavera
outono
água
inverno
terra
ar
fogo
colérico
melancólico
fleumático
sanguíneo
artesão
racional
idealista
guardião
IMUNIDADE ADQUIRIDA
IMUNIDADE INATA
BARREIRAS FÍSICAS
12B
MECANISMOS DE DEFESA ESPECÍFICA
Analisar a capacidade do sistema imunitário reconhecer o antigénio e posteriormente produzir uma resposta imunitária
MECANISMOS DE DEFESA
ESPECÍFICA
NÃO ESPECÍFICA
já iniciada na imunidade inata
IMUNOCOMPETENTES
S
I
S
T
E
M
A
I
M
U
N
I
T
Á
R
I
O
inseridos
membrana
exibem
medula óssea
e
NATURAL
INDUZIDA
ATIVA
PASSIVA
ATIVA
imunização do organismo
resistência a determinadas doenças
produção de células memória
resposta imunitária primária
PASSIVA
mutações no gene patogénico
e
x
c
e
ç
õ
e
s
anticorpos retirados do plasma de organismos que já estiveram em contacto com um determinado antigénio
imunidade
ativam
do nosso organismo
Conclusão:
interações entre células do sistema imunitário
Resposta imunitária
Anticorpos
memória
especificidade
competência
ANTIGÉNIOS
"próprios"
do organismo
"não próprios" do organismo
proteínas
polissacarídeos
pólen
implantes
ácaros
vírus
toxinas
bacterianas
vermelha
leucócitos que passaram a maior parte do seu tempo de vida nos tecidos e orgãos do sistema linfáticos
B
Esquema baseado nos apontamentos da professora, elaborado pelo grupo
Esquema elaborado pelo grupo/ Baseado nos apontamentos da professora
Esquema adaptado do manual, elaborado pelo grupo
T
T
h
T
c
Imunidade Humoral
Imunidade Celular
auxiliares
citotóxicos
IMUNIDADE CELULAR
T
T
T
B
B
B
IMUNIDADE HUMORAL
CÉLULAS
ANTICORPOS
f
e
t
i
v
a
c
o
n
t
r
a
intensificar
resposta inflamatória
http://www.afh.bio.br/imune/imune2.asp
http://www.afh.bio.br/imune/imune2.asp
http://www.afh.bio.br/imune/imune2.asp
http://www.afh.bio.br/imune/imune2.asp
estimulam
na
secregam
estimulam
aleitamento
linfoblastos
células estaminais
medula óssea
timo
maturaçao
diferenciaçao
CÉLULA B
CÉLULA T
formação de recetores
LINFÓCITOS
SOROS IMUNES
VACINAS
células memória
ª RESPOSTA IMUNITÁRIA
2º Contacto com o agente patogénico
A

ativação dos mecanismos de defesa
ª RESPOSTA IMUNITÁRIA
Análise da resposta imunitária
Fonte: Biologia 12
concentração de anticorpos presentes no plasma de um animal após ter sido inoculado com dois antigénios (A e B) em momentos diferentes
1ª exposição a agentes patogénicos
Resposta imunitária primária
2ª exposição ao antigénio A
1ª exposição ao antigénio B

http://www.butantan.gov.br/home/micro_cd_aula4.php
http://mdemulher.abril.com.br/imagem/familia/interna-slideshow/crianca-febre-saude-10392.jpg .
parasitas multicelulares
células infectadas por bactérias ou vírus
células cancerosas
tecidos enxertados ou órgãos transplantados
clonal
Qualquer molécula que desencadeia uma resposta imunitária específica por parte do organismo
http://www.spsp.org.br/downloads/CartazSMAM08Libbs.jpg .
Esquema adaptado do manual, elaborado pelo grupo
macrófagos
agentes patogénicos
fragmentos peptídicos com poder antigénico
LINFÓCITOS B
antigénios
reconhecimento
proliferação clonal dos linfócitos ativados
células memória
diferenciação dos linfócitos B
plasmócitos
anticorpos
local de infeção
LINFÓCITOS Th
Esquemas elaborados pelo grupo /Adaptados do manual Biologia 12
proteínas
efetoras
recetoras
Ig A
Ig D
Ig E
Ig M
Ig G
Esquema baseado no manual, elaborado pelo grupo
IMUNOGLOBULINAS
cadeias leves
cadeias pesadas
local de ligação do antigénio
regiões variáveis
pontes dissulfito
regiões constantes
Esquema baseado em http://oportaldomundobiologico.blogspot.pt/
ANTIGÉNIOS
ANTICORPOS
Neutralização direta de bactérias e vírus
Aglutinação
Precipitação de antigénios solúveis
Activiação do sistema complemento
Estimulação da fagocitose
http://biologia-ap.no.comunidades.net/index.php?pagina=1352822818
destruição de agentes invasores
mecanismos/processos
desencadeam
levam à
mecanismos iniciados na resposta não específica
intensificam
Esquema baseado no manual, elaborado pelo grupo
Estimulação da fagocitose
http://oportaldomundobiologico.blogspot.pt/
http://oportaldomundobiologico.blogspot.pt/
Estimulação da fagocitose
http://oportaldomundobiologico.blogspot.pt/
Imunidade
Humoral
superfície
ativação
complexo
linfócitos Tc
linfócitos Ts
linfócitos Th
segregam mensageiros químicos
detetam antigénios
detetam e eliminam células anormais/estranhas/infetadas
segregam mensageiros químicos
T
s
supressoros
NK
natural killers
células efetoras
proteção periódica
proteção duradoura
desaparecimento das células de memória
proteínas do complexo MHC
células T
moderar/extinguir a resposta imunitária
citocinas
células NK
Baseado no manual Biodesafios
Imunidade Celular
http://revistaescola.abril.com.br/ensino-medio/mecanismos-defesa-doencas-autoimunes-618913.shtml
Esquema baseado no manual, elaborado pelo grupo
1ª Exposição ao corpo invasor
Esquema adaptado do manual, elaborado pelo grupo
Esquema baseado em http://pt.ars-curandi.wikia.com/wiki/Teoria_dos_quatro_humores
Esquema baseado no manual Biologia 12
Esquema baseado no manual Biologia 12
http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Corpo/Circulacao4.php
Gráficos do manual Biologia 12
gânglios
linfáticos
Full transcript