Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Virtualização

No description
by

Haziel Blaze

on 9 December 2010

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Virtualização

Virtualização O que é a virtualização? Virtualização é uma forma de esconder as características físicas de uma plataforma computacional dos utilizadores, mostrando outro hardware virtual, emulando um ou mais ambientes isolados.
O conceito de virtualização de desktops é o mesmo empregado na virtualização de servidores, ou seja, executar diversos sistemas operativos num único equipamento físico.
Uma forma já bastante difundida, apesar de não utilizar esta mesma terminologia, é a virtualização de desktops, através do uso de servidores de terminais, onde cada utilizador ligado ao sistema possui a sua sessão dentro de um mesmo sistema operativo. Os terminais são normalmente máquinas com recursos mais limitados, dado que praticamente todo o processamento necessário é feito no servidor. Actualmente, as máquinas virtuais que, normalmente, são utilizadas para virtualizar servidores, tem-se difundido, também, no uso para a virtualização de desktops. Este novo conceito de virtualização para desktops diferencia-se do já difundido serviço de terminais, pois neste cenário, cada utilizador possui um sistema operativo próprio, tal como se estivesse utilizando um desktop normal. Este conceito elimina qualquer trauma de migração, e possui uma série de benefícios e inconvenientes Vantagens da Virtualizaçao

Gerenciamento centralizado
Instalações simplificadas
Facilidade para a execução de backups
Suporte e manutenção simplificados
Acesso controlado a dados sensíveis e à propriedade intelectual mantendo-os seguros dentro do data center da empresa
Independência de Hardware
Disponibilização de novos desktops reduzida para alguns minutos
Migração de desktops para novo hardware de forma transparente
Maior disponibilidade e mais fácil recuperação de desktops
Compatibilidade total com as aplicações
Economia de espaço fisico para o cliente Desvantagens da virtualizaçao Grande consumo da capacidade em disco - é necessário espaço para que cada máquina virtual tenha o seu próprio sistema operativo e as aplicações instaladas
Dificuldade no acesso direto a hardware, como por exemplo placas gráficas ou dispositivos USB
Grande consumo de memória RAM dado que cada máquina virtual vai ocupar uma área separada da mesma A historia da virtualizaçao A ideia da virtualizaçao surgiu na metade dos anos 1960, quando os gigantes e caros computadores da época atingiram uma grande velocidade de processamento mas nao se mostravam eficientes em aproveitar o seu caro tempo de cálculo, devido ao gerenciamento de processos ser feito manualmente pelo operador. Viu-se então que para tirar o melhor proveito do caríssimo processamento era necessário executar vários processos paralelamente. Com isso surgiu o conceito de tempo compartilhado (time sharing), que culminou com a ideia de virtualização. Time Sharing: Este conceito significa compartilhamento de tempo, ou seja, o tempo ocioso entre os processos são compartilhados com outros processos para dinamizar o sistema. Múltiplos job são executados simultaneamente, sendo que o CPU atende cada job por um pequeno tempo, um a um em sequencia. Os tempos dedicados para cada job são pequenos o suficiente para que os usuários consigam interagir com cada programa sem que percebam que existem outros programas em funcionamento. Em 1972, um cientista da americano, Robert P. Goldberg, lançou a base teórica da arquitectura para maquinas virtuais em sua dissertação na universidade de Harvard. No mesmo ano a IBM lançou um mainframe capaz de executar simultaneamente diferentes sistemas operacionais sob a supervisão de um programa de controlo – hypervisor. O sistema 370 da IBM foi o primeiro computador comercial inteiramente projectado para virtualização, que com o sistema operacional CP/CMS, permitia executar múltiplas instancias simultaneamente. Este foi seguido pelo IBM z/VM, que se aproveitava da virtualização via hardware de forma mais completa, onde duas interfaces de hardware eram virtualizadas. O VM/CMS é muito bem conceituado e amplamente distribuído na indústria e em ambientes academicos. Várias abordagens modernas de virtualização devem muito às implementações originais para computadores de grande porte da IBM. Com o passar dos anos a virtualização começou a cair no esquecimento devido a criação de novas aplicações client/servidor e ao declínio da plataforma mainframe que perdeu força frente a ascensão da plataforma x86. De acordo com a VMWare, a ampla adoção do Windows e Linux como sistema operacional em servidores na década de 1990 acabaram por estabelecer a arquitetura x86 como padrão da indústria. Devido ao alto custo para aquisição de um mainframe, empresas passaram a adquirir servidores de plataforma x86 de acordo com a demanda, processo este chamado de low-end (várias máquinas pequenas a fazer o trabalho de um grande servidor). Neste cenário, ao invés de ter um alto custo inicial com a aquisição de um mainframe, optava-se por adquirir servidores menores de acordo com a necessidade. O impacto dessa nova estratégia foi que para garantir uma boa margem de folga contra problemas de dimensionamento de hardware, grande parte destes servidores eram usados para uma única aplicação. Assim, de acordo com a International Data Corporation, em cada implementação de algum servidor x86 típico, o teto de uso das CPUs ficava entre 10 a 15% da capacidade total deste servidor.
Os servidores eram superdimensionados para a aplicação que iriam executar, e por consequencia, acabavam por sofrer do mesmo problema dos mainframes da década de 1960, isto é, não se aproveitava toda sua capacidade computacional, eram subutilizados. Então, em 1999, a VMWare Inc. introduziu o conceito de virtualização na plataforma x86 como uma maneira mais eficiente para utilizar o equipamento desta plataforma, aproveitando servidores x86 para fornecer uma estrutura computacional que possibilitasse o total aproveitamento dos recursos computacionais destes servidores. A partir de 2005 fabricantes de processadores como Intel e AMD deram mais atenção a necessidade de melhorar o suporte via hardware em seus produtos. A Intel com sua tecnologia Intel VT e a AMD com a AMD-V. Estes hardwares contém funcionalidades explícitas que permitem que hypervisores melhorados sejam utilizados com a técnica de virtualização completa (full virtualization), que tornam mais fácil a implementação e potencializam a melhora de performance. Trabalho realizado
por

Jose Alberto Santos Almeida
Full transcript