Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Contos da Montanha

No description
by

Daniela Soberano

on 8 December 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Contos da Montanha

Contos da Montanha
Contos da Montanha
Autor:
Editora:
Data 1ª Edição:
Local Edição:
Miguel Torga
Leya
1941
Lisboa
Elementos Paratextuais
Miguel Torga
é o pseudónimo literário de Adolfo Correia da Rocha, seu nome verdadeiro, nascido em 1907 e falecido em 1995.
Formado em Medicina pela Universidade de Coimbra, colaborou na revista Presença e dirigiu as revistas Sinal e Manifesto.
Foi distinguido:
em 1976 com o Grande Prémio Internacional de Poesia
das Bienais Internacionais de Knokke-Heist;
em 1980 com o Prémio Morgado de Mateus;
em 1981 com o Prémio Montaigne (Alemanha);
em 1989 com o Prémio Camões;
em 1992 com os prémios Vida Literária da Associação Portuguesa de Escritores e Figura do Ano da Associação dos Correspondentes da Imprensa Estrangeira
Biografia
Curiosidades
A sua obra encontra-se traduzida em diversas línguas.

Miguel Torga publicou em 1941 o livro de contos "Montanha", que imediatamente foi apreendido pela polícia política. Em carta de abril desse ano, Vitorino Nemésio, solidarizando-se com o amigo, escreveu a propósito dessa apreensão: "Acho a coisa tão estranha e arbitrária que não encontro palavras. De resto, para quê palavras se nelas é que está o crime?"
Em 1955, Miguel Torga fez uma segunda edição no Brasil, com o título "Contos da Montanha". A edição da Pongetti circulou clandestinamente em Portugal, assim como a 3ª edição, de 1962. Em 1968, a obra Contos da Montanha" foi de novo publicada em Coimbra, em edição do autor.

Miguel Torga foi durante muitos anos o editor dos seus próprios livros.
Tratam-se de textos literários.

Género literário: Narrativo (Conto)

O autor usa uma linguagem corrente e familiar, numa narrativa na terceira pessoa.
Contos da Montanha
Resumo
"O Cavaquinho"
"Inimigas"
"O Castigo"
"O Cavaquinho"
A emoção que é mantida até ao fim para se saber se o menino consegue o presente tão esperado ou não.
Aspetos mais interessantes:
Aspetos menos interessantes:
Citações de momentos marcantes:
O facto de o menino não ter recebido o tão desejado presente e do pai ter morrido quando foi à Vila para lho comprar.
"E daí a nada sabia que o pai fora morto num barulho, e que no sítio onde caíra com a facada lá ficara, ao lado dum cavaquinho que lhe trazia." - Pág.45
"Inimigas"
Aspetos mais interessantes:
Aspetos menos interessantes:
Citações de momentos marcantes:
O fim da amizade da Sofia e da Cacilda devido a uma paixoneta pelo mesmo rapaz.
" Aproximou-se. O pequeno parecia um bacorinho no peito da inimiga. E, quando as outras deram conta, estava ela de pé, maravilhada, a dizer:
- Olha lá se me engasgas o rapaz, ó Cacilda!" - Pág.93
A parte final do conto, em que a Sofia descobre que a sua "inimiga", a Cacilda, é que estava a amamentar o seu filho e a fazer com que ele crescesse saudável. Isto porque, ao contrário do que se podia pensar, fica maravilhada com o ato e não zangada, o que me leva a pensar que as duas voltaram a ser amigas.
"O Castigo"
O final, quando ela, quase a morrer, confessa ao marido todas as traições que lhe fizera durante o casamento.
Aspetos mais interessantes:
Aspetos menos interessantes:
O facto da Silvana e do seu filho que ia nascer não terem sobrevivido.
Citações de momentos marcantes:
" -Vou morrer, Bernardo, e quero-te pedir perdão...
- Não tenho nada que te perdoar...
- Tens. Enganei-te muitas vezes..." - Pág.159

" - A quarta, a última... Mal eu futurava que havia de morrer por causa...
Como um condenado que enfrenta a hora final, o Dr. Daniel retesou a vontade.
A moribunda encarou-o durante alguns instantes, voltou a olhar o marido, e murmurou a custo:
- Foi com o... " - Pág.160 e 161

Apreciação
Eu gostei muito destes três contos porque mostram que:

o esforço e o trabalho são sempre recompensados (1º conto);
muitas vezes as pessoas deixam de ser amigas por coisas insignificantes (2º conto);
e, na maior parte das vezes, as pessoas só se arrependem na hora da morte ou quando vão sofrer as consequências dos seus atos. Caso contrário, pouco ou nada se importam com os outros, mostrando que não querem saber dos seus sentimentos (3º conto).
Trabalho Realizado por:
Daniela Soberano
Nº8 - 8ºA
FIM
Full transcript