Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Família

Trabalho de Psicologia Alunas: Carolina Vargas, Carolina Sozza, Cristiane Souza e Maria Clara.2º Ano EM - 2013
by

Maria Clara Seffrin

on 20 August 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Família

Família
Bibliografia:
https://www.google.com.br/imghp?hl=en&tab=wi
O que está acontecendo com ela?
Olhar pela história
A famíla é uma instituição social que tem passado por mudanças aceleradas em sua estrutura, organização e funções de seus membros do século XX. Ao modelo tradicional de família, soma-se muitos outros e não possível afirmar se são melhores ou piores, são diferentes.
O que é família
A revolução social da mulher
Após grandes revoluções sociais, como, REVOLUÇÃO DA JUVENTUDE e REVOLUÇÃO DO PAPEL DA MULHER.
Conquistas:
- Voto;
- Entrada no mercado de trabalho;
- Independência financeira e projetos autônomos.
- O direito do divórcio (após muito esforço, por causa da proibição da igreja);
Em 13 anos, famílias chefiadas por mulheres cresceu em 10 vezes
A repressão do desejo
A aquisição da linguagem
A linguagem constrói e traz para a realidade a dimensão humana e social de cada indivíduo.
Ferramenta necessária para troca e comunicação com o Mundo e interna (si próprio).
Discriminação dos desejos e diferenciação do que é permitido satisfazer ou não.
- Família é onde o indivíduo tem o primeiro contato com a linguagem e obtem o aprendizado desta.
Mesmo antes do nascimento do filho, os pais já se preocupam com os detalhes, como cores de roupas e quartos que variam se for menina ou menino. A escolha do nome também se torna algo a se pensar, deve ser uma homenagem a um ente querido? Ou a um santo? Ou a um famoso?
A criança, antes de nascer já passa a ocupar lugar na família que após o seu nascimento
já incorporara hábitos pré estabelecidos pela sociedade, como as diferenças de comportamento de menino e menina.
Nós nem percebemos essa influência, pois já se tornou algo natural, por exemplo, seria estranho uma luva de boxe como enfeite do quarto de maternidade em que se encontra uma menina, ou uma bonequinha pendurada na porta do quarto de um menino.
É assim que se inicia a primeira educação. Tudo parece óbvio, por exemplo a educação em função da diferença anatômica dos sexos.
As crianças se espelham nos pais, uma vez que eles são o primeiro exemplo de como é ser homem e mulher, assim aprendem a como devem se comportar como tais.
As crianças estão sob o poder da família como um todo e dos país pois dependem deles para sobreviver física e psiquicamente (precisam de alimentos, cuidados afetivos etc....).
As crianças precisam estabelecer ligações afetivas com seus cuidadores, as quais ela não pode perder, o medo de perder esse amor e cuidado torna-se um controlador de comportamento.
A Primeira educação é tão importante na formação da pessoa que podemos compará-la ao alicerce da construção de uma casa. Depois, ao longo da sua vida, virão novas experiências que continuarão a construir o indivíduo.
A primeira educação
O aprendizado da conviência
A legislação sobre a família
O direito a ter uma família e a sua importância para a criança estão colocados no principio 6º na Declaração de Direitos da Criança(20/11/1959).
No Brasil, o estatuto da criança e do adolescente (ECA) apresenta no Capítulo 3 -"Do Direito à Convivência Familiar e Comunitária " - o artigo 16, que declara que toda criança tem direito de ser criada e educada com a sua própria família e, excepcionalmente com família substituta.
A Lei de proteção de crianças e adolescentes é considerada uma das mais avançadas do mundo, sua importância reside em vários aspectos, como por exemplo:
- igualdade de direitos aos filhos próprios da relação do casamento;
- filhos adotivos;
- inclusão da mãe.
"Evolução" da família, diferente de anos atrás.
Pai, mãe, prole.

Ao nascer, a criança encontra-se numa fase de indiferenciação com o mundo —
não existe mundo externo (o outro) nem interno (o eu). O mundo, neste momento da vida, significa a mãe.
Esta diferenciação vai acontecendo aos poucos, e uma experiência importante desse desenvolvimento é o tempo (cronológico) que a criança tem que esperar para se satisfazer, por exemplo um bebe sente fome, ele precisa esperar que algo aconteça: o seio ou a mamadeira deve chegar, e isso depende de alguém para que aconteça.
A diferenciação do ego é um processo em que, o princípio do prazer bate de frente com o principio da realidade, assim surgem os limites impostos pela realidade.
A satisfação, para ser obtida, deve ser esperada e, às vezes, substituída por outro objeto de satisfação (ao invés do bico do seio, aparece uma chupeta) ou podem ocorrer as primeiras vivências de frustração. A frustração marca a experiência humana desde o nascimento e é algo presente na humanidade e em todos nós.
Na constituição psíquica também é importante a construção da subjetividade da criança que é feita através da interdição: lei social que se fixa na subjetividade ao marcar a repressão do desejo (impulsos agressivos, por exemplo). É comum ouvir pais dizendo: “Não pode bater no amiguinho, tem que conversar”.
Trabalho de Psicologia
Alunas: Carolina Vargas, Carolina Sozza, Cristiane Souza e Maria Clara.
2º Ano EM - 2013

http://www.psiqweb.med.br/site/?area=NO/LerNoticia&idNoticia=194
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fam%C3%ADlia
"Família êh! Família ah!
Família! oh! êh! êh! êh!
Família êh! Família ah!
Família!..."

Qual é o seu tipo de família?
Família
Punaluana
Família
Sindiásmica
Casamento sem obrigação de morar juntos; existia enquanto os cônjuges desejarem.
Família
Patriarcal
O casamento de um só homem com diversas mulheres.
Família
Monogâmica
Família Consanguínea
Intercasamento de irmãos e irmãs carnais e colaterais no interior de um grupo.
E a família do futuro?
Novos métodos de reprodução;
Bandos genéticos;
Possibilidade de gerar um ser humano sem contato sexual;
Sem conhecer o outro membro da parelha;
Distribuições de responsabilidades sobre as novas gerações;
Tecnologia substituindo o contato direto.
Segundo Jurandir Freire Costa, "A família já não é o refugio de um mundo sem compaixão".
Pais e filhos
Irmão
Irmã
Se funda em um casamento de duas pessoas, com obrigação de coabitação exclusiva e fidelidade. Com garantia de herança.
Antigamente:

* Família MONOGÂMICA: pai, mãe e filho. >

Considerada estruturada pela a sociedade.
* Família CONSANGUÍNEA, PUNALUANA, SINDIÁSMICA OU PATRIARCAL >
Consideradas desestruturadas, desorganizadas e problemáticas.
Um julgamento sem nenhuma base científica, mas moralista, pois uiliza apenas um padrão como referência e considera os outros inadequados.
Atualmente:

* É muito difícil ter essa diferenciação, por ter vários estudos antropólogos.
O casamento se dá entre um grupo de homens e um grupo de irmãs de outra família, e vice-versa. Eles, no entanto, casam também com as cunhadas e cunhados.
IRMÃS
IRMÃS
DADOS DA IPEA [Instituição econômica e aplicada]
Hoje: 2,235,233 famílias - 14, 2%
1993: 247,795 famílias - 3,4%
LIVRO PSICOLOGIAS - CAPÍTULO 16 (Família)
Todo vínculo em que existe proximidade (família, ou como esta é representada) existem vantagens e desvantagens.
Vantagem de maior importância (invisível) : aprendizagem das relações sociais com iguais-> Treino para a participação social nos diferentes grupos sociais (alem da família).
Existência de ambivalência (relaçao de amor e ódio) -> ex. Irmãos.
Esse tipo de relação permite expressar ambos (tanto o amor quanto o ódio) -> convicção da continuidade deste amor.
Todo o vínculo familiar, seja Biológico (cordão umbilical), social (grupo familiar e suas responsabilidades dentro deste circulo) e afetivo (acolhimento) é fundamental para o desenvolvimento do indivíduo.
Não há sobrevivência física e/ou psíquica no desamor.

As enfermidades (psicológicas ou físicas) podem provir de uma fragilidade na convivência familiar.
Full transcript