Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Metodologia Científica

No description
by

Diane Guzi Fomin

on 9 October 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Metodologia Científica

CIÊNCIA

PESQUISA

MÉTODO

ABNT
Aplicar conceitos básicos sobre a
ciência e o método
científico para a elaboração de pesquisas científicas.

Objetivo da Disciplina
O que é Metodologia da Pesquisa
Metodologia da Pesquisa Científica é a disciplina que
"estuda os caminhos do saber"
,
entendendo que
"método"
representa
caminho
,
"logia"
significa
estudo
e
"ciência",
o
saber
, o conhecimento
.
Objetivos Específicos
Motivar o acadêmico para
pensar, raciocinar e se expressar de forma crítica
.

• Capacitar o aluno para a
leitura crítica
científica e para a produção do conhecimento.

• Instrumentalizar o aluno para a elaboração de
trabalhos acadêmicos
confiáveis, éticos e legítimos.

• Oportunizar ao aluno o contato com o meio científico e a
formular e resolver problemas de forma sistemática
.
Científica
Metodologia da Pesquisa
Prof. Diane Guzi Fomin
Agosto/2016

O homem pré-histórico não conseguia entender os fenômenos da natureza, por isso tinha reações de medo.
Do medo à tentativa de encontrar explicações aos fenômenos da natureza,
o homem buscou respostas em crenças e magias, que também não foram suficientes.

O ser humano evoluiu para a busca de respostas através de caminhos que pudessem ser comprovados.
O homem sentiu a necessidade de saber o porquê dos acontecimentos e, dessa forma, surgiu
a ciência
(LAKATOS; MARCONI,
2003, p. 84).
O que é ciência?
Etimologicamente,
ciência significa conhecimento.
Não são todos os tipos de conhecimento que pertencem à ciência, como o conhecimento vulgar e outros.
Cervo e Bervian (2002, p. 16) afirmam que:
A ciência é
um modo de compreender
e analisar o mundo empírico,
por meio de procedimentos e do uso da consciência crítica
, que levará o pesquisador a distinguir o essencial do superficial e o principal do secundário.
O trabalho científico configura-se na produção elaborada a partir de questões específicas de estudo.


Segundo Galliano (1986, p. 26), “ao analisar um fato, o conhecimento científico não apenas trata de explicá-lo, mas também busca descobrir suas relações com
outros fatos e explicá-los.”

Introdução da Pesquisa
Uma vez formulado o problema, com a certeza de ser cientificamente válido, propõe-se uma resposta "suposta, provável e provisória", isto é, uma hipótese.

Ambos, problemas e hipóteses, são enunciados de relações entre variáveis (fatos, fenômenos); a diferença reside em que o problema constitui sentença interrogativa e a hipótese, sentença afirmativa mais detalhada.
OBJETIVOS (para quê?)
– pode estar dentro da introdução ou na sequência, separadamente.

Neste item deverá ser indicado claramente o que você deseja
fazer, o que pretende alcançar. Os objetivos podem ser:


OBJETIVO GERAL
Indicar, de forma genérica, qual o objetivo a ser alcançado.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Detalhe o objetivo geral mostrando o que pretende alcançar com a pesquisa, dado que os específicos são metas intermediárias do geral.

Torne operacional o objetivo geral indicando exatamente o que será realizado em sua pesquisa.

Os objetivos constituem-se em declarações claras e explicitas do
“para que se deseja estudar o fenômeno ou assunto”,
ou seja, o que se pretende alcançar com a realização da pesquisa.

Os objetivos devem ser iniciados com verbos que exprimam ação, tais como, verificar, analisar, descobrir e determinar, entre outros.
Na Revisão Bibliográfica o pesquisador deve realizar uma sistematização do
conhecimento produzido ou construir um estado da arte
(conhecimento mais atual sobre o objeto de estudo), procurando mostrar pontos de vista convergentes, divergentes ou complementares autores, enfoques, formas de abordagem do objeto de estudo e resultados das pesquisas.

OUTRAS DENOMINAÇÕES:

Marco teórico:
A adoção de uma teoria ou desenvolvimento de uma perspectiva teórica com base em uma revisão da literatura correspondente.

Fundamentação teórico:
Matrizes do conhecimento que sustentam os pressupostos ou hipóteses da pesquisa. Produção do conhecimento ou epistemologia dessas matrizes. Ênfases delimitadas pelo autor para as finalidades da pesquisa.

É a base de sustentação teórica de um trabalho monográfico.
Reflete o nível de envolvimento do autor com o tema.
( COSTA, 2011).
Histórico do Conhecimento Científico
Aquisição de conhecimento,
Progresso intelectual;
Desenvolvimento da ciência;
P&D, avanço tecnológico.
Satisfazer uma necessidade de mercado e das pessoas.
Importância da pesquisa
Classificação da pesquisa

Tipos de pesquisa
1 Natureza do Objeto
Pesquisa básica
Pesquisa aplicada
3 Forma de abordagem
Qualitativa
Quantitativa
Mista/qualiquantitativa
2 Objetivo
Exploratória
Explicativa
Descritiva
5 Delineamento/procedimento técnico
Bibliográfica
Documental
Estudo de caso
Estudo de campo
Levantamento - Survey
Pesquisa-ação
Experimental
Ex post facto
Estudo de coorte
Estudo de controle
Estatístico
Fenomenológico
Etnográfico
6 Fonte dos dados
Dados primários
Dados secundários
Classificação da pesquisa
Pesquisa Exploratória:

é realizada sobre um problema ou questão de pesquisa com
pouco ou nenhum estudo anterior
a seu respeito.

O objetivo desse tipo de estudo é procurar padrões, ideia e formular hipóteses.

Quase sempre assume a forma de um estudo de caso.
Como qualquer pesquisa,
depende também de uma pesquisa bibliográfica
, pois mesmo que existam poucas referências sobre o
assunto pesquisado, nenhuma pesquisa começa totalmente do zero.

Exemplos: exploração espacial, ambientes geográficos, medicina, computação, robótica, etc.
Pesquisa Explicativa:

têm como preocupação central identificar os fatores que determinam ou que contribuem para a ocorrência dos fenômenos,
explica a razão, o porquê das coisas
.

Por isso mesmo, é o tipo mais complexo e delicado, já que é alto o risco de cometer erros.

A maioria das pesquisas deste grupo pode ser classificada como experimentais e ex-post-facto.
Pesquisa Descritiva:

descrição das características de determinada população ou fenômeno, ou o estabelecimento de
relações entre variáveis.

Estudar as características de um grupo: distribuição por idade, sexo, procedência, nível de escolaridade, estado de saúde física e mental etc.
Estudar o nível de atendimento dos órgãos públicos de uma comunidade, as condições de habitação de seus habitantes, o índice de criminalidade que aí se registra etc.
Pesquisas de opiniões, atitudes e crenças de uma população.
Relação entre variáveis: relação entre preferência político-partidária e nível de rendimentos ou de escolaridade.
Pesquisa básica ou pura:

baseia-se na aquisição de
novos conhecimentos
e no desenvolvimento de novas
teorias
.

Pesquisa aplicada:

é voltada para a
aplicação de conhecimentos já existentes
para a aquisição de novos conhecimentos e resolução de problemas básicos.

Existem diferenças, mas as duas andam juntas e se complementam.

Para Louis Pasteur
“não há ciência aplicada, existem sim aplicações da ciência”,
ou seja, há uma lógica de complementaridade entre elas.

Exemplo: o desenvolvimento da mecânica quântica no início do século XX foi essencialmente pesquisa básica. Mais tarde, nos anos 1950, esse mesmo conhecimento foi usado de forma aplicada para desenvolver o início da microeletrônica.
A pesquisa qualitativa
não se preocupa com a representatividade numérica
, mas, sim, com o aprofundamento da compreensão de um grupo social, de uma organização, etc.

A pesquisa qualitativa preocupa-se com aspectos da realidade que não podem ser quantificados, centrando-se na
compreensão e explicação da dinâmica das relações sociais.


Para Minayo (2001), a pesquisa qualitativa trabalha com o universo de
significados, motivos, aspirações, crenças, valores e atitudes
, o que corresponde a um espaço mais profundo das relações, dos processos e dos fenômenos que não podem ser reduzidos à operacionalização de variáveis.
A pesquisa quantitativa centra-se na
objetividade.

Os resultados da pesquisa quantitativa podem ser quantificados.

Os resultados só podem ser generalizados, de acordo com a representatividade dos dados.

Utilizam-se análises estatísticas, instrumentos de coleta de dados padronizados e neutros, sem interferência ou subjetividade do pesquisador.
Pesquisa Bibliográfica
Livros
Artigos científicos
Trabalhos acadêmicos: dissertações, teses
Jornais
Revistas
Publicações técnicas
Pesquisa Documental
Documentos de "primeira mão":

arquivos de órgãos públicos e instituições privadas, como associações científicas, igrejas, sindicatos, partidos políticos, cartas pessoais, diários, fotografias, gravações, memorandos, regulamentos, ofícios, boletins etc.

Documentos de "segunda mão":

relatórios de pesquisa, relatórios de empresas, tabelas
estatísticas, etc.


Estudo de Campo
O estudo de campo focaliza uma comunidade;
É desenvolvido no próprio local em que ocorrem os fenômenos;
Procura o aprofundamento de uma realidade específica;
A pesquisa é desenvolvida por meio da observação direta das atividades do grupo estudado e de entrevistas com informantes para captar suas explicações e interpretações do que ocorre no grupo.
O pesquisador apresenta nível maior de participação.


Estudo de Caso
Descrever a situação do contexto em que está sendo feita determinada investigação;
Formular hipóteses ou desenvolver teorias;
Explicar as variáveis causais de determinado fenômeno em situações muito complexas que não possibilitam a utilização de levantamentos e experimentos.
Obtém várias fontes de evidências.
Dificuldade de generalização.


Para Yin (2001), o estudo de caso investiga um fenômeno contemporâneo dentro de seu contexto da vida real, especialmente quando os limites entre o fenômeno e o contexto não estão claramente definidos.
Estudo de Levantamento - Survey
As pesquisas deste tipo caracterizam-se pela interrogação direta das pessoas cujo comportamento se deseja conhecer.
Quando o levantamento recolhe informações de todos os integrantes do universo pesquisado, tem-se um censo.


Mais adequados para estudos descritivos que explicativos. São muito úteis para o estudo de opiniões e atitudes, porém pouco indicados no estudo de relações e estruturas sociais complexas.
Pesquisa-Ação
Para Thiollent (1985), é um tipo de pesquisa com base empírica que é concebida e realizada em estreita associação com uma ação ou com a resolução de um problema coletivo. Os pesquisadores e participantes representativos da situação ou do problema estão envolvidos de modo cooperativo ou participativo.
Envolvimento ativo do pesquisador;
Útil para ideologias "reformistas" e "participativas".
Pesquisa Experimental
Para Gil (2002), o experimento representa o melhor exemplo de pesquisa científica.
Consiste em determinar um objeto de estudo, selecionar as variáveis que seriam capazes de influenciá-lo, definir
as formas de controle e de observação dos efeitos que a variável produz no objeto.
Não precisa necessariamente ser realizada em laboratório. Pode ser desenvolvida em qualquer lugar, desde que apresente as seguintes propriedades:
1- Manipulação de pelo menos uma característica;
2 - Controle da situação (grupo de controle);
3 - A designação dos elementos para participar dos grupos experimentais e de controle deve ser feita aleatoriamente. (quase-experimental ou pré-experimental)
Pesquisa Ex-Post-Facto
"a partir do fato passado"
Isso significa que o estudo foi realizado após a ocorrência de
variações na variável dependente no curso natural dos acontecimentos.
O propósito básico desta pesquisa é o mesmo da pesquisa experimental: verificar a existência de relações entre variáveis. Porém, não se tem controle sobre a variável independente, pois o fato já ocorreu.

O que geralmente se obtém nesta modalidade de delineamento é a constatação da existência de relação entre variáveis. Por isso é
que essa pesquisa muitas vezes é denominada correlacional, pela auxílio da estatística
Estudo de Coorte
O estudo de coorte refere-se a um grupo de pessoas que têm alguma característica comum, constituindo uma amostra a ser acompanhada por certo período de tempo, para se observar e analisar o que acontece com elas.
Exemplo: coorte de pessoas que nasceram entre 1960 e 1970; coorte de vítimas do terremoto X;

Não utilização do critério de aleatoriedade de participantes.


Exemplo: Suponha-se uma pesquisa que tem como objetivo verificar a exposição passiva à fumaça de cigarro e a incidência de câncer no pulmão. Basicamente, a pesquisa começa pela seleção de uma amostra de indivíduos expostos ao fator de risco e de outra amostra equivalente de não expostos.
A primeira amostra eqüivale ao grupo experimental e a segunda ao grupo de controle. A seguir, faz-se o acompanhamento de ambos os grupos e, após determinado período, verifica-se o quanto os indivíduos expostos estão mais sujeitos à doença do que os não expostos.
Estudo Fenomenológico
Pouco utilizado, devido ao entendimento complexo.

O intento da fenomenologia é de proporcionar uma descrição direta da experiência tal como ela é, sem nenhuma consideração acerca de sua gênese psicológica e das explicações causais que os especialistas podem dar.


Estudo de Controle
Caso-controle ou caso-controlo é definido como uma forma de pesquisa observacional em que se compara dois grupos expostos a um determinado fator,
um grupo com determinada condição e o outro grupo sem essa condição.
4 Tempo
Longitudinal
Transversal ou cross-section
Longitudinal:
estudo realizado ao longo de um período de tempo.
Neste caso, pode ainda ser
Prospectivo

(follow up, contemporâneo) ou
Retrospectivo
(fato passado).

Transversal ou cross-section:
estudo realizado em um determinado instante de tempo (momento, não período).
Temos 2 grupos de pacientes, expostos e não expostos a certo fator de risco, e queremos verificar se a proporção de pacientes que desenvolvem certa doença é a mesma nos 2 grupos ou não.
A taxa de incidência é calculada nos 2 grupos.
“A fenomenologia nunca se orienta pelos fatos (externos ou internos), mas pela realidade da consciência, isto é, para aquilo que se manifesta imediatamente na consciência, alcançada por uma intuição, antes de toda reflexão ou juízo: as
essências ideais (fenômenos)”. (RIBEIRO JR., 1991)
Estudo Etnográfico
Compreender as relações sócioculturais, os comportamentos, ritos, técnicas, saberes e práticas das sociedades.

Compreende o estudo, pela observação direta e por um período de tempo, das formas costumeiras de viver de um grupo particular de pessoas.

Etnografia é também conhecida como: pesquisa social, observação participante, pesquisa interpretativa, pesquisa analítica, pesquisa hermenêutica.
Estudo Estatístico
Mediante a utilização de testes estatísticos, torna-se possível determinar, em termos numéricos, a probabilidade de acerto de determinada conclusão, bem como a margem de erro de um valor obtido.

Estudo correlacional, variância, probabilidade, e demais tratamentos estatísticos.

Não podem ser consideradas absolutamente verdadeiras, mas dotadas de boa probabilidade de serem verdadeiras.


Dados Primários:
Obtidos pelo pesquisador através dos instrumentos de coleta de dados
Dados Secundários:
Dados analisados por outros.
Processo de Pesquisa
FORMULAÇÃO DO PROBLEMA
CONSTRUÇÃO DE HIPÓTESES
DETERMINAÇÃO DO MÉTODO
OPERACIONALIZAÇÃO DAS VARIÁVEIS
ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS
PRÉ TESTE DOS INSTRUMENTOS DE COLETA DE DADOS
SELEÇÃO DA AMOSTRA
COLETA DE DADOS
ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS
CONCLUSÃO DA PESQUISA
Adaptado de Gil (2002)
O problema deve ser formulado como pergunta;
O problema deve ser claro e preciso;
O problema deve ser empírico;
O problema deve ser suscetível de solução;
O problema deve ser delimitado a uma dimensão viável, exequível.
Práticas para a formulação do problema:
O processo de elaboração de hipótese é de natureza criativa. Por essa razão é freqüentemente associado a certa qualidade de "gênio".
De fato, a elaboração de certas hipóteses pode exigir que gênios como Galileu ou Newton as proclamem.

Todavia, em boa parte dos casos a qualidade mais requerida do pesquisador é a experiência na área.

Gil (2002)
Observação
Resultados de outras pesquisas
Teorias
Intuição
Gil (2002)
Fontes para a formulação das hipóteses
Em algumas pesquisas, as hipóteses são implícitas e em outras são
formalmente expressas.

Geralmente, naqueles estudos em que o objetivo é o de descrever determinado fenômeno ou as características de um grupo, as hipóteses
não são enunciadas formalmente.
Gil (2002)
Problema - "Quais condições exercem mais influência na decisão das mães em dar o filho recém-nascido para adoção"?

Hipótese - "As condições que representam fatores formadores de atitudes exercem maior influência na decisão das mães em dar o filho recém-nascido para adoção do que as condições que representam fatores biológicos e sócio-econômicos" (Bardavid, 1980:63);

Problema - "A constante migração de grupos familiares carentes influencia em sua organização interna?";
Hipótese - "Se elevado índice de migração de grupos familiares carentes, então elevado grau de desorganização familiar" (Lehfeld, 1980: 130).
Estrutura do Artigo Científico
Resumo
Introdução
Referencial teórico
Metodologia
Resultados
Análise
Conclusão
Bibliografia
Artigo Teórico Bibliográfico ou
de Revisão
O artigo de revisão não é apenas uma coletânea de citações.

O artigo de revisão visa responder um objetivo de pesquisa com base na produção bibliográfica existente sobre o tema.

Pode atender aos critérios de originalidade e ineditismo da pesquisa, e inclusive, formular novos conceitos e teorias.
Os elementos pré-textuais são:
 Título
 Resumo
 Palavras-chave

Os elementos textuais são:
 Introdução
 Desenvolvimento
 Conclusão

Os elementos pós-textuais são:
 Referências
 Anexos e Apêndices (facultativos)
Artigo Original ou Teórico Empírico
Combina uma
abordagem teórica
com o
desenvolvimento de uma parte empírica
, ou seja, o pesquisador gera e analisa dados originais.

Esses dados são produzidos por relatos de
experiências, estudos de caso
(empresa, escola, hospital etc.),
estudo de campo, entrevistas, fontes e documentos históricos, estudo de laboratório, dentre outros.

Os elementos pré-textuais são:
 Título
 Resumo
 Palavras-chave

Os elementos textuais são:
Introdução
Referencial teórico
Metodologia
Resultados
Discussão

Os elementos pós-textuais são:

Referências
 Anexos e Apêndices (facultativos)
Apresentação do tema,
contextualização
;
Justificativa
da escolha do tema;
Apresentação do
problema
;
Uma breve relação do problema investigado com a
literatura
consultada;
Explicitar claramente o
objetivo geral
da pesquisa e seus objetivos específicos;
Por que a pesquisa é significativa, importante e/ou relevante?
Apresentar a hipótese de pesquisa. Se necessário, indique os resultados esperados com a elaboração da pesquisa;
Apresentar de forma suscinta como o trabalho será apresentado/dividido (estrutura do trabalho).
A introdução pode ocupar 30/35% de todo a estrutura do artigo.
A introdução é a apresentação do artigo
"Marketing" do trabalho
O que será feito e por quê?
Para Joseph Duran, pai da gestão da qualidade:

Problema é algo programado para ser solucionado.
O tema de uma pesquisa é o
assunto
que se deseja provar ou desenvolver.

Determinar o objetivo central da indagação.

Assim, enquanto o tema de uma pesquisa é uma proposição até certo ponto abrangente, a formulação do
problema
é
mais específica
: indica exatamente qual a dificuldade que se pretende resolver.

Tema e Problema
Tema - O perfil da mãe que deixa o filho recém-nascido para adoção;
Problema - Quais condições exercem mais influência na decisão das mães em dar o filho recém-nascido para adoção? (Bardavid, 1980:62);

Tema - A necessidade de informação ocupacional na escolha da profissão;
Problema - A Orientação Profissional dada, no curso de 2º Grau, influi na segurança (certeza) em relação à escolha do curso universitário? (Santos, 1980:101);

Tema - A família carente e sua influência na origem da marginalização social;
Problema - O grau de organização interna da família carente influi na conduta (marginalização) do menor? (Lellis, 1980: TI-187).

Exemplos
Fundamentação Teórica
ou
Revisão da Bibliografia
Apresentação inicial do projeto, que pode incluir:

• fatores que determinaram a escolha do tema, sua relação com a experiência profissional ou acadêmica do autor, assim como sua vinculação à área temática e a uma das linhas de pesquisa do curso de pós-graduação;

• argumentos relativos à importância da pesquisa, do ponto de vista teórico, metodológico ou empírico;

• referência a sua possível contribuição para o conhecimento de alguma questão teórica ou prática ainda não solucionada.
Justificativa
Descrever os procedimentos a serem seguidos na realização da pesquisa.

1) Tipo de pesquisa/classificação da pesquisa (natureza, abordagem, delineamento);
2) População e amostra;
3) Fonte e coleta de dados (descrição das técnicas, modelos de questionários, testes ou escalas).
4) Análise dos dados.
Como será feito?
Questionários
Formulários
Pesquisa de opinião
Pesquisa de mercado
Entrevista Estruturada
Entrevista Semiestruturada
Entrevista Aberta
Documentos
Observação
Instrumentos de Coleta de Dados
Gravador de voz
Filmagem
Fotos
Documentos
Equipamentos de Coleta de Dados
Não citar nomes ou marcas
Fotos de pessoas
Termo de confidencialidade e direito de uso das informações
Comitê de ética
Ética
Faça um fluxograma com as etapas do método de pesquisa.
Se possível indique o período estimado para cada etapa.
Siga um cronograma!
Dica
Critérios para a construção dos itens e variáveis do estudo
Critério comportamental:
cada item deve poder permitir à pessoa uma ação clara e precisa na resposta ao instrumento de medida.

Critério da objetividade:
O respondente deve poder concordar, discordar ou opinar sobre o assunto, os itens devem expressar desejabilidade ou preferência.

Critério da simplicidade:
um item deve expressar uma única ideia.
Exemplo a evitar: Gosto de feijão porque é saudável
Critérios para a construção dos itens e variáveis do estudo
Critério clareza:
utilize frases curtas e diretas. Não utilize frases negativas. Não utilize gírias.

Critério da variedade:
Utilize sempre a mesma escala. Não repita o mesmo tema sequencialmente.

Critério da seriedade:
Um item não deve parecer pejorativo, banal ou infantil. Não utilizar adjetivos de intensidade.

Máximo de 20 itens.
A conclusão deve fazer um resgate aos temas abordados pela pesquisa, de forma sucinta!

Relembre os objetivos
Relembre os autores referência
Relembre o método utilizado
Relembre os principais resultados.
Conclua a lógica!

Expresse-se!

A hipótese foi aceita?

Sugira pesquisas futuras para complementar, melhorar ou aprofundar o trabalho atual.
4 coisas para não serem feitas na conclusão:
1) Propor ideias não apresentadas anteriormente;
2) Introduzir novas informações ou dados;
3) Fazer um texto parecido com a introdução;
4) Ser dramático!
Parabéns!

Você conseguiu!


Obrigada!
Qualitativa
Quantitativa
A pesquisa essencialmente bibliográfica é diferente de realizar uma breve revisão para fundamentar um tema em trabalhos acadêmicos.
"Se não queres perder-te no esquecimento tão cedo como chega a morte, escreve coisas dignas de ler-se, ou faz coisas dignas de escrever-se."
(FRANKLIN, 2012, p. 6).

O problema é uma questão não resolvida, algo para o qual vai-se buscar uma resposta,
através de pesquisa. Pode estar referido a alguma lacuna epistemológica ou metodológica
percebida, a alguma dúvida quanto à sustentação de uma afirmação geralmente aceita, à
necessidade de pôr à prova uma suposição, a interesses práticos ou à vontade de
compreender e explicar uma situação do cotidiano (VERGARA, 1997).
Segundo GALLIANO (1986), todas as acepções da palavra
“método”
registradas nos dicionários estão ligadas à origem grega
methodos
- que significa


“caminho para chegar a um fim”.


A característica essencial do método científico é a
investigação
organizada, o
controle rigoroso das observações
e a utilização de
conhecimentos teóricos.

A
categorização
pode empregar dois processos inversos:

(1) é fornecido o sistema de categorias e repartem-se da melhor maneira possível os elementos, à medida em que vão sendo encontrados.

(2) o sistema de categorias não é fornecido e resulta da classificação analógica e progressiva dos elementos.
Análise de Conteúdo
Segundo BARDIN (1977), a categorização é um processo de tipo estruturalista, que
comporta duas etapas:

(1) o inventário: isolar os elementos;

(2) a classificação: dividir os elementos e procurar ou impor uma certa organização às mensagens.
Análise de Conteúdo
“É necessário desmistificar o conceito que encara a pesquisa como um privilégio de seres dotados de poderes especiais”.

LUDKE e ANDRÉ (1986)
Método Quantitativo
15 Passos do Planejamento do Levantamento Quantitativo (Creswell, 2010)
1) O objetivo da pesquisa é
generalizar
a partir de uma amostra ou
caracterizar
uma amostra?

2) São mencionadas as razões para a
escolha do método
?

3) Está identificada a natureza do levantamento:
corte transversal ou longitudinal
?

4) Está mencionada a área/localização e o seu tamanho?

5) A população será estratificada? Por quê? Como será feito?
6)
Quantas pessoas farão parte da amostra
? Como foi escolhido este número?

7) Qual será o procedimento para a
amostragem
: aleatório/não aleatório?

8) Qual
instrumento
será utilizado? Quem desenvolveu? Por que escolheu este instrumento?

9) Quais são as áreas do conteúdo abordadas no levantamento?

10) Como serão definidas as
escalas
?
11) Qual o critério para o
teste piloto
ou teste do levantamento de campo?

12) Qual a
linha de tempo
utilizada para administrar o método?

13) Quais são as
variáveis
utilizadas no estudo?

14) Como estas variáveis serão contempladas pelo método?

15)
Como será realizada a análise dos resultados:
verificar viés das respostas, conduzir uma análise descritiva, fragmentar em escalas, verificar confiabilidade das escalas, aplicar estatística, como interpretar os dados?
Método Qualitativo
13 Passos do Planejamento do Procedimento Experimental (Creswell, 2010)
1) Quais são os
participantes
do estudo?

2) Qual é a
população
para a qual serão
generalizados
os resultados dos participantes?

3) Como os participantes foram
selecionados
? Foi usado um método de seleção aleatória?

4) Como os participantes serão aleatoriamento designados? Eles serão colocados em
grupos ou pares
? Como?

5) Quantos participantes estarão no
grupo de controle e experimental
?
13 Passos do Planejamento do Procedimento Experimental (Creswell, 2010)
6) Qual é a
variável/variáveis dependentes
? Como será medida? Antes e depois do experimento?

7) Quais são as condições do
tratamento
? Como isso foi operacionalizado?

8) Quais
instrumentos
serão utilizados? Como foram escolhidos? Quem desenvolveu? Tem validade? Confiabilidade? Permissão para o uso?

9) Quais as
etapas do procedimento
?

10) Quais as
potenciais ameaças para a validade
do experimento? Como elas serão tratadas?
13 Passos do Planejamento do Procedimento Experimental (Creswell, 2010)
11) Será conduzido um
teste piloto do experimento
?

12) Qual o tratamento estatístico será utilizado?

13) Como os resultados serão interpretados?
15 Passos do Planejamento de um Procedimento Qualitativo
1) Foram mencionadas as
características básicas dos estudos qualitativos
?

2) Foi mencionado o tipo específico de
estratégia de investigação
qualitativa a ser utilizada no estudo?

3) Foi identificada a estratégia de amostragem intencional para os locais e os indivíduos?

4) Foram mencionadas as
formas específicas de coleta de dados e a justificativa
para o uso?

5) Foram mencionados os procedimenos para registro das informações durante o procedimento de coleta dos dados?
15 Passos do Planejamento de um Procedimento Qualitativo
6) Foram identificados os
passos seguidos na análise dos dados
?

7) Há evidência de que o pesquisador
organizou os dados
para a análise?

8) O pesquisador
examinou os dados em geral
para obter uma percepção das informações?

9) Foi utilizada uma
codificação para os dados
?

10) Os códigos foram criados para formar uma descrição ou para identificar os temas?

11)
Os temas estão interlacionados
para exibir um nível mais elevado de análise?
15 Passos do Planejamento de um Procedimento Qualitativo
12) Foram mencionadas as maneiras em que
os dados serão representados
, tais como tabelas, gráficos ou figuras?

13) Foram especificadas
as bases para a análise e interpretação dos dados
? (experiência pessoal, literatura, questões, ações, etc)

14) O pesquisador mencionou o
resultado do estudo
(desenvolveu uma teoria ou quadro explicativo?)

15) Foram citadas múltiplas
estratégias para a validação dos resultados
?
O modelo mais utilizado e debatido entre os pesquisadores foi desenvolvido por Rensis Likert (1932) para mensurar atitudes no contexto das ciências comportamentais.

A escala de verificação de Likert consiste em tomar um construto e desenvolver um conjunto de afirmações relacionadas à sua definição, para as quais os respondentes emitirão seu grau de concordância.
Escala de Likert
De acordo com os críticos, perguntas com o modelo Likert solicitam do respondente pelo menos duas dimensões a serem analisados:
conteúdo e intensidade
.

O indivíduo precisa verificar o conteúdo da proposição do item, em seguida, opinar discordando ou concordando com a afirmação, considerando ainda a intensidade desta concordância.

Embora não pareça ser um problema para efeito de uso, os críticos afirmam que esta característica aumenta o nível de complexidade cognitiva da escala, principalmente quando a escala possui muitos pontos (HODGE; GILLESPIE, 2003).
Escala de Likert
Full transcript