Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Veith 04 - Nada senão este Maná

Série Transformação Total - Walter Veith - Amazing Discoveries
by

Daniel Silveira

on 22 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Veith 04 - Nada senão este Maná

MANÁ
Nada, senão este
Romanos 12:2
E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

Êxodo 16:2
E toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e contra Arão no deserto.

Êxodo 16:3
E os filhos de Israel disseram-lhes: Quem dera tivéssemos morrido por mão do SENHOR na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne, quando comíamos pão até fartar! Porque nos tendes trazido a este deserto, para matardes de fome a toda esta multidão.

Êxodo 16:4
Então disse o SENHOR a Moisés: Eis que vos farei chover pão dos céus, e o povo sairá, e colherá diariamente a porção para cada dia,
para que eu o prove se anda em minha lei ou não.

Êxodo 16:5
E acontecerá, no sexto dia, que prepararão o que colherem; e será o dobro do que colhem cada dia.

Êxodo 16:8
Disse mais Moisés: Isso será quando o SENHOR à tarde vos der carne para comer, e pela manhã pão a fartar, porquanto o SENHOR ouviu as vossas murmurações, com que murmurais contra ele. E quem somos nós? As vossas murmurações não são contra nós, mas sim contra o SENHOR.

Êxodo 16:12
Tenho ouvido as murmurações dos filhos de Israel. Fala-lhes, dizendo: Entre as duas tardes comereis carne, e pela manhã vos fartareis de pão; e sabereis que eu sou o SENHOR vosso Deus.

Êxodo 16:13
E aconteceu que à tarde subiram codornizes, e cobriram o arraial; e pela manhã jazia o orvalho ao redor do arraial.

Êxodo 16:14
E quando o orvalho se levantou, eis que sobre a face do deserto estava uma coisa miúda, redonda, miúda como a geada sobre a terra.

Êxodo 16:15
E, vendo-a os filhos de Israel, disseram uns aos outros: Que é isto? Porque não sabiam o que era. Disse-lhes pois Moisés: Este é o pão que o SENHOR vos deu para comer.

H4478 מן mân mawn
De H4100; ingl. whatness (so to speak), “o que é isso?”

Êxodo 16:19
E disse-lhes Moisés: Ninguém deixe dele para amanhã.

Êxodo 16:20
Eles, porém, não deram ouvidos a Moisés, antes alguns deles deixaram dele para o dia seguinte; e criou bichos, e cheirava mal; por isso indignou-se Moisés contra eles.

Êxodo 16:22
E aconteceu que ao sexto dia colheram pão em dobro, dois ómeres para cada um; e todos os príncipes da congregação vieram, e contaram-no a Moisés.

Êxodo 16:23
E ele disse-lhes: Isto é o que o SENHOR tem dito: Amanhã é repouso, o santo sábado do SENHOR; o que quiserdes cozer no forno, cozei-o, e o que quiserdes cozer em água, cozei-o em água; e tudo o que sobejar, guardai para vós até amanhã.

Êxodo 16:24
E guardaram-no até o dia seguinte, como Moisés tinha ordenado; e não cheirou mal nem nele houve algum bicho.

Êxodo 16:25
Então disse Moisés: Comei-o hoje, porquanto hoje é o sábado do SENHOR; hoje não o achareis no campo.

Êxodo 16:26
Seis dias o colhereis, mas o sétimo dia é o sábado; nele não haverá.

Êxodo 16:31
E chamou a casa de Israel o seu nome maná; e era como semente de coentro
branco
, e o seu sabor como bolos de
mel
.

Salmos 119:103
Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar, mais doces do que o mel à minha boca.

Apocalipse 10:9
E fui ao anjo, dizendo-lhe: Dá-me o livrinho. E ele disse-me: Toma-o, e come-o, e ele fará amargo o teu ventre, mas na tua boca será doce como mel.

Tipologia do Maná

João 6:47
Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim tem a vida eterna.

João 6:48
Eu sou o pão da vida.

João 6:49
Vossos pais comeram o maná no deserto, e morreram.

João 6:50
Este é o pão que desce do céu, para que o que dele comer não morra.



João 6:51
Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo.

João 6:52
Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo:
Como nos pode dar este a sua carne a comer?
João 6:53
Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos.

João 6:54
Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.

João 6:55
Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida.

João 6:56
Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.


João 6:57
Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim.


João 6:58
Este é o pão que desceu do céu; não é o caso de vossos pais, que comeram o maná e morreram; quem comer
este pão viverá para sempre.

Êxodo 16:32
E disse Moisés: Esta é a palavra que o SENHOR tem mandado: Encherás um ômer dele e guardá-lo-ás para as vossas gerações, para que vejam o pão que vos tenho dado a comer neste deserto, quando eu vos tirei da terra do Egito.

Êxodo 16:33
Disse também Moisés a Arão: Toma um vaso, e põe nele um ômer cheio de maná, e coloca-o diante do SENHOR, para guardá-lo para as vossas gerações.

Êxodo 16:34
Como o SENHOR tinha ordenado a Moisés, assim Arão o pós diante do Testemunho, para ser guardado.

Êxodo 16:35
E comeram os filhos de Israel maná quarenta anos, até que entraram em terra habitada; comeram maná até que chegaram aos termos da terra de Canaã.

Temos que
comer do maná até
que cheguemos a Canaã.
Nosso orgulho tem que ser humilhado até ao pó e preci-
samos ter fome e sede de justiça.

Deuteronômio

8:3

E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram; para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas de toda palavra o que sai da boca do SENHOR viverá o homem.

Deuteronômio 8:5
Sabes, pois, no teu coração que, como um homem castiga a seu filho, assim te castiga o SENHOR teu Deus.

Deuteronômio 8:6
E guarda os mandamentos do SENHOR teu Deus, para andares nos seus caminhos e para o temeres.

Deuteronômio 8:16
Que no deserto te sustentou com maná, que teus pais não conheceram; para te humilhar, e para te provar, para no fim te fazer bem;

Neemias 9:20
E deste o teu bom espírito, para os ensinar; e o teu maná não retiraste da sua boca; e água lhes deste na sua sede.

Salmos 78:24
E chovera sobre eles o maná para comerem, e lhes dera do trigo do céu.

Salmos 78:25
O homem comeu o pão dos anjos; ele lhes mandou comida a fartar.

Hebreus 9:4
Que tinha o incensário de ouro, e a arca da aliança, coberta de ouro toda em redor; em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas da aliança;

O pão da preposição era fragrante e sem fermento

Vez após vez almejavam as panelas de carne
e seus estômagos se tornaram seus deuses.

1 Coríntios 6:13

Os alimentos são para o estómago e o estómago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo.

Filipenses 3:19
Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas.

Números 11:4
E a mistura de gente, que estava no meio deles, veio a ter grande desejo
pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar, e disseram: Quem nos dará carne a comer?
Números 11:5
Lembramo-nos dos peixes que no Egito comíamos de graça; e dos pepinos, e dos melões, e dos porros, e das cebolas, e dos alhos.

Números 11:6
Mas agora a nossa alma se seca; coisa nenhuma há senão este maná diante dos nossos olhos.


Números 11:7
E era o maná como semente de coentro, e a sua cor como a cor de bdélio.

Números 11:8
Espalhava-se o povo e o colhia, e em moinhos o moia, ou num gral o pisava, e em panelas o cozia, e dele fazia bolos; e o seu sabor era como o sabor de azeite fresco.

Números 11:10
Então Moisés ouviu chorar o povo pelas suas famílias, cada qual à porta da sua tenda; e a ira do SENHOR grandemente se acendeu, e pareceu mal aos olhos de Moisés.

Números 11:11
E disse Moisés ao SENHOR: Por que fizeste mal a teu servo, e por que não achei graça aos teus olhos, visto que puseste sobre mim o cargo de todo este povo?

Números 11:18
E dirás ao povo: Santificai-vos para amanhã, e comereis carne; porquanto chorastes aos ouvidos do SENHOR, dizendo: Quem nos dará carne a comer? Pois íamos bem no Egito; por isso o SENHOR vos dará carne, e comereis;

Números 11:19
Não comereis um dia, nem dois dias, nem cinco dias, nem dez dias, nem vinte dias;

Números 11:20
Mas um mês inteiro, até vos sair pelas narinas, até que vos enfastieis dela; porquanto rejeitastes ao SENHOR, que está no meio de vós, e chorastes diante dele, dizendo: Por que saímos do Egito?

Números 11:32
Então o povo se levantou todo aquele dia e toda aquela noite, e todo o dia seguinte, e colheram as codornizes; o que menos tinha, colhera dez ômeres; e as estenderam para si ao redor do arraial.

Números 11:33
Quando a carne estava entre os seus dentes, antes que fosse mastigada, se acendeu a ira do SENHOR contra o povo, e feriu o SENHOR o povo com uma praga mui grande.

Números 11:34
Por isso o nome daquele lugar se chamou Quibrote-Ataavá, porquanto ali enterraram o povo que teve o desejo.

H6914
קברות התּאוה - qibrôth hatta'ăvâh - kib-roth' hat-tah-av-aw'

Do plural feminino de H6913 and H8378 com o artigo interposto;
sepulturas do desejo
; Kibroth hat Taavh, um lugar no deserto: - Kibroth-hattaavah.

Carne na Bíblia é um símbolo da natureza não-santificada e maná representa a natureza santificada.

“Durante este período de espera, houve tempo para meditarem na lei de Deus que tinham ouvido, e prepararem o coração para receber novas revelações que Ele lhes poderia fazer. Não tinham tempo demasiado para este trabalho; e se houvessem estado assim a procurar uma compreensão mais clara dos mandamentos de Deus, e a humilhar seus corações diante dEle, teriam sido protegidos contra a tentação. Mas não fizeram isto; e logo se tornaram descuidados, desatentos e desordenados.
Era este o caso especialmente com a “mistura de gente”
. Êxodo 12:38. Estavam impacientes por se verem em caminho para a Terra da Promessa, aquela terra que manava leite e mel. Era unicamente sob a condição de obediência que a bela terra lhes fora prometida; mas haviam perdido de vista esse fato.
Alguns havia que sugeriam a volta para o Egito;
mas a maior parte do povo
estava decidida a não mais esperar por Moisés
, quer fosse para seguir para Canaã quer fosse para voltar para o Egito.”

Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 223 (ênfase acrescentada).

“Novamente começaram a
clamar pedindo carne
para comer. Se bem que abundantemente supridos de maná, não estavam satisfeitos. Os israelitas, durante seu cativeiro no Egito, tinham sido compelidos a passar com
o mais trivial e simples alimento; mas o bom apetite provocado pela privação e árduo trabalho tornava-o saboroso. Muitos dos egípcios, entretanto, que agora se achavam entre eles, tinham estado acostumados a regime farto; e estes foram os primeiros a queixar-se. Ao dar o maná, precisamente antes de Israel chegar ao Sinai, o Senhor lhes concedera carne em resposta aos seus clamores; mas esta lhes foi fornecida apenas um dia.”

Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 272 (ênfase acrescentada).

O propósito do Êxodo, a saber o chamado “saí dela, povo meu” é conclamar um povo de volta ao original. “Não foi assim desde o princípio”. Deus permitiu muitas coisas “por causa da dureza de seu coração”. Os que querem entrar no paraíso restaurado, devem refazer os passos que foram dados em rebelião e apostasia.

Àquela multidão mista que do Egito acompanhara Israel não foi permitido ocupar as mesmas seções das tribos; deveriam, porém, morar nos arredores do acampamento; e deveria a sua descendência ser excluída da comunidade até a terceira geração. Deuteronômio 23:7, 8.”

Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 270.

Quem é a mistura de gente no adventismo?
Tem que ser os que acham erros nas orientações divinas como dadas pela Bíblia e Espírito de Profecia. Dizem que o Senhor retarda Sua vinda, e se divertem com o mundo.

1 Coríntios 10:7
Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles, conforme está escrito: O povo assentou-se a comer e a beber, e levantou-se para jogar.

1 Coríntios 10:8
E não nos prostituamos, como alguns deles fizeram; e caíram num dia vinte e três mil.
1 Coríntios 10:9
E não tentemos a Cristo, como alguns deles também tentaram, e pereceram pelas serpentes.
1 Coríntios 10:10
E não murmureis, como também alguns deles murmuraram, e
pereceram pelo destruidor.
1 Coríntios 10:11
Ora, tudo isto lhes sobreveio como exemplos, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados
os fins dos séculos.
Eram tão comilões de carne que o que menos recolheu juntou dez ômeres ou 1762 litros.

Salmos 78:18
E tentaram a Deus nos seus corações, pedindo carne para o seu apetite.

Salmos 106:14
Mas deixaram-se levar à cobiça no deserto, e tentaram a Deus na solidão.



Salmos 106:15
E ele lhes cumpriu o seu desejo, mas enviou magreza às suas almas.
“Deus deu ao povo aquilo que não era para seu máximo bem, porque persistiram em desejá-lo; não queriam satisfazer-se com as coisas que se mostrariam ser para eles um benefício. Seus rebeldes desejos foram satisfeitos, mas foram entregues ao sofrimento das consequências. Comeram sem restrições, e seus excessos foram prontamente punidos. ‘E feriu o Senhor o povo com uma praga mui grande’. Números 11:33. Grande número foi ceifado pela febre ardente, enquanto os mais culpados entre eles foram feridos logo que provaram o alimento cobiçado.”



Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 275.
Lucas 21:34
E olhai por vós, não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele dia.

Os pecados de rebelião, glutonaria (comilança)
e bebedice foram postas na mesma categoria

Deuteronômio 21:18
Quando alguém tiver um filho contumaz e rebelde, que não obedecer à voz de seu pai e à voz de sua mãe, e, castigando-o eles, lhes não der ouvidos,

Deuteronômio 21:19
Então seu pai e sua mãe pegarão nele, e o levarão aos anciãos da sua cidade, e à porta do seu lugar;

Deuteronômio 21:20
E dirão aos anciãos da cidade: Este nosso filho é rebelde e contumaz, não dá ouvidos à nossa voz; é um comilão e um beberrão.

G2897 κραιπάλη kraipalē krahee-pal'-ay

Provavelmente da pesma raíz que G726; de fato uma dor de cabeça (forma de dor) resultante de bebedeira, isto é, (por implicação) a debauch (por analogia um glutão): - excesso.

A Reforma de Saúde era para ser uma Bênção

Salmos 105:37
E tirou-os para fora com prata e ouro, e entre as suas tribos não houve um só fraco.


A luz que Deus tem provido e continuará a prover sobre a questão da alimentação, deve ser para Seu povo hoje o que foi o maná para os filhos de Israel.
O maná caiu do céu, e ao povo se ordenou colhê-lo e prepará-lo para ser comido. Assim nos diferentes países do mundo, luz será dada ao povo do Senhor, e alimentos saudáveis próprios para esses países serão preparados.
Os membros de cada igreja devem cultivar o tato e a habilidade que Deus lhes dará. O Senhor tem ciência e compreensão para conceder a todos que desejarem usar sua habilidade no esforço de aprender como combinar os produtos da terra de modo a torná-los alimentos saudáveis, simples e facilmente preparados, os quais ocuparão o lugar de alimentos cárneos, de modo que o povo não tenha desculpa para comer carne.”

Ellen G. White em Medicina e Salvação, 78 (1902).

O Senhor Instruirá o Obediente

“Nos cereais, frutas, verduras e nozes encontram-se todos os elementos alimentícios de que necessitamos. Se formos ao Senhor em simplicidade de espírito, Ele nos ensinará como preparar alimentos saudáveis, isentos da mácula do alimento cárneo.”


Estudos
mostram como a carne estimula o aumento do Câncer

Segunda-Feira, 1 de dezembro de 2008 por: Sherry Baker, editor de Health Sciences

Sobre a autora:
.


Sherry Baker é uma conhecida autor cujas obras tem aparecido na Newsweek, Health, the Atlanta Journal and Constitution,
Yoga Journal, Optometry, Atlanta, Arthritis Today, Natural
Healing Newsletter, OMNI, UCLA’s "Healthy Years"
newsletter, Mount Sinai School of Medicine’s
"Focus on Health Aging" newsletter,
the Cleveland Clinic’s "Men’s
Health Advisor" newsletter
e muitos outros.

(NaturalNews) Vocês gosta de comer carne? Considere esta verdade inapetitosa: Quando você engole um suculento pedaço de bife ou hambúrger, você está jogando gasolina no fogo da inflamação de tumor de seu corpo.
De fato, uma dieta rica em carne vermelha há muito tempo tem sido associada uma série de males incluindo o risco de vários tipos de cânceres. Mas o que exatamente, no consumo de carne, que pode acarretar crescimento do câncer?
Recentemente cientistas da Universidade de Califórnia, Faculdade de Medicina de San Diego, encontraram um mecanismo que explica como o consumo de carne vermelha, bem como de leite, pode acarretar o crescimento de malignidades. O novo estudo, orientado por Ajit Varki, M.D., sugere que a inflamação resultante da introdução de uma molécula pelo comer destes alimentos poderia fazer o câncer crescer. A pesquisa foi publicada no Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

http://www.pnas.org/content/105/48/18936.full.pdf+html?sid=
7d185465-351e-451d-a141-45a675373fb7

Dr.Varki, distinto professor de medicina e medicina molecular na UC San Diego School of Medicine e diretor associado da UCSD Glycobiology Research and Training Center, estudou, junto com sua equipe de pesquisa, um glicano não-humano ou molécula de açúcar, conhecida como ácido N-glicolylneuramínico (Neu5Gc).
Apesar desta molécula não ser produzida naturalmente no corpo humano, é incorporado aos tecidos humanos se houver ingestão de carne vermelha. O corpo então fabrica anticorpos contra o Neu5Gc – e esta resposta imunológica poderia, potencialmente, desencadear uma inflamação crônica de baixo grau. Em um comunicado à imprensa, o Dr. Varki explicou que tem sido reconhecido pelos cientistas por um bom tempo que inflamação crônica pode estimular o progresso do câncer.

Para todos que tem interesse em reduzir inflamações por métodos naturais, sem drogas, aqui as melhores dicas:

1. Pare de comer carne e lácteos
2. Se concentre no estilo de tempero mediterrâneo com muitas frutas, vegetais, grãos integrais, óleos de oliva e nozes. Pesquisas indicam que estes alimentos reduzem os níveis de inflamação.
3. Não fume e evite estar perto de quem fuma – fumantes passivos arriscam aumentar sua inflamação.
4. Conheça os óleos que usa. Evite gorduras trans, que causam inflamação. Também evite gorduras hidrogenadas e óleos parcialmente hidrogenados, bem como gorduras saturadas de origem animal. Em vez disso, use gorduras omega-3 presentes na linhaça, canola (colza) e a noz pecã.

5. Perca peso se estiver precisando. Pesquisas indicam que uma cintura acima de 1m em um homem ou 89cm em uma mulher é um provável sinal de alta inflamação.
6. Não mate sono. Estudos prévios concluíram que menos de seis horas de sono podem resultar em inflamação.
7. Relaxe. Experimente caminhadas, yoga e outras formas de exercício. Permanecer contínuamente estressado significa que seu corpo está liberando o excesso de hormônios de estresse que promovem inflamação. Agende um mínimo de 20 minutos por dia para despedir suas preocupações.

Reforma de saúde é mais que comer e beber. Todas as leis da natureza devevem ser obedecidas se queremos ter mentes e corpos sadios.

“E ao passo que lhes advertimos a não comer em excesso, mesmo da melhor qualidade de comida, também advertirmos aos que são extremistas a não erguerem uma falsa norma, e depois se esforçarem por levar todas as pessoas a segui-la.”



Ellen G. White em Conselhos sobre Saúde, 161.
“Os que não têm senão parcial compreensão dos princípios da reforma são muitas vezes os mais rígidos, não somente em viver segundo suas próprias ideias, como em insistir nas mesmas para com a família e os vizinhos. O efeito dessas reformas erradas, tal como se manifesta em sua má saúde, e o esforço de incutir nos demais a todo transe seus pontos de vista dão muitas ideias falsas da reforma dietética, levando outros a rejeitá-la inteiramente.”

Ellen G. White em A Ciência do Bom Viver, 318.
“Os que têm recebido instruções acerca dos males do uso de alimentos cárneos, chá (preto e erva-mate) e café, e preparos suculentos e indigestos de alimentos, e estão determinados a fazer um concerto com Deus mediante sacrifício, não continuarão a condescender com seu apetite em relação a alimento que sabem ser prejudicial à saúde. Deus requer que o apetite seja purificado, e exerça-se abnegação relativamente a essas coisas que não são boas. Esta é uma obra que necessita ser feita antes de o povo comparecer perante Ele como um povo perfeito.”



Ellen G. White em Temperança, 80.
Estes são assuntos que nos dividem, e o fato que existem fanáticos que trazem infâmia ao conceito não é razão para acionar o freio até o ponto da desobediência. O estilo de vida estritamente vegetariano é ao qual Deus está guiando Seu povo de volta, por mais alta que seja a autoridade que guerreia contra o conceito. Esta era a dieta original e esta será a dieta futura do povo de Deus, será a dieta imediatamente antes de Jesus voltar.

“Não nos compete fazer do uso da alimentação cárnea uma prova de comunhão; devemos, porém, considerar a influência que crentes professos, que fazem uso de carne, têm sobre outras pessoas. Como mensageiros de Deus, não devemos testemunhar ao povo: ‘Quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus’? 1 Coríntios 10:31. Não devemos dar um testemunho decidido contra a transigência com o apetite pervertido? Porventura os ministros do evangelho, que estão a proclamar a verdade mais solene já enviada aos mortais, devem constituir-se exemplo no regresso às panelas de carne do Egito? É lícito que os que são sustentados pelos dízimos dos celeiros de Deus se permitam a condescendência que tende a envenenar a corrente vivificadora que lhes flui nas veias? Desprezarão a luz que Deus lhes deu e as advertências que lhes faz? A saúde do corpo deve ser considerada como essencial para o crescimento na graça e para a aquisição de bom temperamento. Se o estômago não for bem cuidado, a formação de caráter moral íntegro será prejudicada. O cérebro e os nervos relacionam-se com o estômago. O comer e o beber impróprios resultam num pensar e agir impróprios também.”

Ellen G. White em Conselhos sobre o Regime Alimentar, 404 (1910).

“O leite que se usa deve ser perfeitamente esterilizado; com esta precaução, há menos perigo de contrair doenças por seu uso. A manteiga é menos nociva quando comida no pão do que empregada na cozinha; mas, em regra, melhor é dispensá-la inteiramente. O queijo é ainda mais objetável; é totalmente impróprio como alimento.”




“Queijo nunca deve ser
introduzido no estômago.”



Ellen G. White em A Ciência do Bom Viver, 302.
Ellen G. White em Conselhos sobre o Regime Alimentar, 368.
“Foi decidido que em certa reunião campal, não se vendesse queijo aos que se encontravam no acampamento; ao chegar ali, porém, o Dr. Kellogg, para surpresa sua, verificou que grande quantidade de queijo fora comprada para vender na mercearia. Ele e outros objetaram a isto, mas os encarregados da mercearia disseram que o queijo havia sido comprado com o consentimento do irmão _____, e que não podiam perder o dinheiro nele empregado. Diante disso, o Dr. Kellogg perguntou o preço do queijo, e comprou-o todo, deles. Ele seguira a questão de causa para efeito, e sabia que alguns alimentos geralmente considerados saudáveis, eram muito prejudiciais.”






Ellen G. White em Conselhos sobre o Regime Alimentar, 369 (1893).
“Quanto ao queijo, estou agora inteiramente certa de que não o compramos nem o pusemos à nossa mesa por anos. Nunca pensamos em fazer do queijo artigo de alimentação, muito menos em comprá-lo.”



Ellen G. White em Conselhos sobre o Regime Alimentar, 369 (1893).
“Em breve a manteiga não será mais recommendável, e depois de um tempo o leite será inteiramente descartado; porque as doenças nos animais está aumentando na mesma proporção em que cresce a maldade dos homens. Chegará o tempo em que não será mais seguro usar ovos, leite, nata ou manteiga.”


Ellen G. White na carta 14, 1901, p. 3. (ao Dr. S. Rand, 22 de Janeiro de 1901.) 8MR 384.2 (inglês).

“A luz que me foi dada é que não demorará muito antes que tenhamos que
abandonar o uso de qualquer alimentação animal.
Mesmo o leite terá que ser deixado. As doenças se estão multiplicando rapidamente. A maldição de Deus jaz sobre a Terra, pois o homem a amaldiçoou. Os hábitos e práticas dos homens levaram a Terra a uma situação tal, que outro alimento que não o animal deve ser provido para a família humana. Não necessitamos de alimentação cárnea absolutamente. Deus pode dar-nos alguma coisa melhor do que esta.”
Ellen G. White em Conselhos sobre Saúde, 495 (ênfase acrescentada).
“Não há segurança alguma no comer carne de animais mortos, e dentro de breve tempo o leite das vacas será também excluído do regime do povo que guarda os mandamentos de Deus.
Brevemente não será garantido usar coisa alguma que provenha da criação animal.
Os que dão crédito à Palavra de Deus, e Lhe obedecem os mandamentos de todo o coração, serão abençoados. Ele será seu escudo protetor. Mas com o Senhor não se brinca. Desconfiança, desobediência, afastamento da vontade de Deus e de Seu caminho, colocará o pecador em situação em que Ele não pode dar-lhe Seu divino favor. ...”

Conselhos sobre o Regime Alimentar, 411 (ênfase acrescentada).

“Você não poderá ter uma vida sadia se você fica estudando sem parar. Seu pai e eu abandonamos de vez o leite, a nata, manteiga, açúcar e a carne, desde que viemos morar na Califórnia. Temos mente muito mais aguçada e em muito melhor forma. Temos uma vida sadia. Não podemos escrever a não ser que vivamos de forma simples.”

Ellen G. White em 2BIO 405.4 (inglês).

“A esta altura da história da terra
comer carne deshonra a Deus
. É o consumo de carne e de liquor que estão tornando a terra como era nos dias de Noé. Estas coisas fortalecem as paixões mais baixas dos seres humanos, tornando a raça mais animalesca. Ao dar lugar às paixões baixas, o homem está corrompendo o corpo, alma e espírito. Os assassínios cometidos por homens baixo a influência de bebida forte mostra com que espírito cruel, satânico o homem que bebe bebida forte é inspirado. Geralmente o liquor vendido é adulterado, envenenado; e os que o bebem enlouquecem. Sob sua influência mostram uma ferocidade satânica. Se colocam baixo o controle de Satanás e ele atua por seu intermédio.”


Ellen G. White em BTS, July 1, 1902 par. 3 (inglês) ênfase acrescentada.

“Que nenhum de nossos pastores dê o mau exemplo de comer alimentos cárneos.
Vivam eles e suas famílias à altura da luz da reforma de saúde. Que nenhum de nossos obreiros animalize sua própria natureza e a natureza de seus filhos. Filhos cujos desejos não têm sido restringidos, são tentados a não apenas condescender em hábitos comuns de intemperança, mas a dar rédea solta a suas baixas paixões, e a desconsiderar a pureza e a virtude. Esses são levados por Satanás não apenas a corromper o seu próprio corpo, mas a sussurrar suas más mensagens a outros. Se os pais estão cegados pelo pecado, muitas vezes deixarão de perceber essas coisas.”



Ellen G. White em Medicina e Salvação, 281 (ênfase acrescentada)
“Não podemos fazer agora como nos arriscamos a fazer no passado quanto ao comer carne. Esta tem sido sempre uma maldição à família humana, mas em nossos dias isto se torna particularmente a maldição pronunciada por Deus sobre os rebanhos do campo em razão da transgressão e pecado do homem.
A doença nos animais está-se tornando mais e mais comum, e nossa única segurança agora é deixar a carne inteiramente de lado. Dominam hoje as doenças em seu estado mais agravado, e a última coisa que médicos esclarecidos devem fazer é aconselhar doentes a comer carne. É por comer carne em tão alta escala neste país que homens e mulheres estão ficando desmoralizados, o sangue corrompido, as moléstias implantadas no organismo. Por causa do comer carne muitos morrem, e não compreendem a causa. Fosse a verdade sabida, daria testemunho de que fora a carne de animais que passaram pela morte. O pensamento de alimentar-se de carne de animais mortos é repulsivo, mas há alguma coisa além disto. Ao comer carne, partilhamos de carne morta enferma, e esta semeia a semente da corrupção no organismo humano.”



Ellen G. White em Conselhos sobre o Regime Alimentar, 412 (ênfase acrescentada).
“Tomar chá e café é pecado
, condescendência prejudicial, que, como outros males, causa dano à alma. Esses diletos ídolos criam excitação, ação mórbida do sistema nervoso; e depois que a influência imediata do estimulante passa, deixa abaixo do normal, na mesma proporção em que suas propriedades estimulantes elevaram acima do normal.”
Ellen G. White em Conselhos sobre o Regime Alimentar, 425 (ênfase acrescentada).
“A reforma de saúde, foi-me mostrado, é parte da terceira mensagem angélica, e está com ela tão intimamente relacionada como está o braço e a mão com o corpo humano. Vi que nós como um povo precisamos fazer um movimento de progresso nesta grande obra.
Pastores e povo precisam agir em harmonia. O povo de Deus não está preparado para o alto clamor da terceira mensagem angélica.
Eles têm uma obra a fazer por si mesmos, e que não podem deixar para que Deus a faça por eles. Ele deixou esta obra para que eles a façam. É uma obra individual; uma obra que não pode ser deixada para outro. ‘Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne, como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus.’ A glutonaria é o pecado prevalecente neste século. O lascivo apetite torna homens e mulheres escravos, obscurecendo-lhes o intelecto e estupidificando-lhes a sensibilidade moral a tal ponto que as sagradas e elevadas verdades da Palavra de Deus não são apreciadas. As inclinações inferiores têm dominado homens e mulheres.”

Ellen G. White em Conselhos sobre o Regime Alimentar, 32 (ênfase acrescentada).
“Para que esteja em condições para a trasladação,
o povo de Deus deve conhecer a si mesmo. Precisa compreender, com respeito a sua estrutura física, que podem com o salmista, exclamar: “De um modo terrível e tão maravilhoso fui formado!” Salmos 139:14. Devem eles ter sempre o apetite em sujeição aos órgãos morais e intelectuais. O corpo deve ser servo da mente, e não a mente serva do corpo.”

Ellen G. White em Conselhos sobre o Regime Alimentar, 33 (ênfase acrescentada).
“O Senhor em sabedoria designou conduzir o Seu povo a uma posição em que ele seja separado do mundo no espírito e na prática, a fim de que os Seus filhos não sejam tão prontamente levados à idolatria e não sejam maculados com a corrupção prevalecente neste século. É desígnio de Deus que os pais crentes e seus filhos permaneçam como vivos representantes de Cristo, candidatos para a vida eterna. Todos os que são participantes da natureza divina escaparão da corrupção que pela concupiscência há no mundo.
É impossível aos que condescendem com o apetite alcançar a perfeição cristã.”


Ellen G. White em Conselhos sobre o Regime Alimentar, 22 (ênfase acrescentada).
“A verdadeira temperança nos ensina a dispensar inteiramente todas as coisas nocivas, e usar judiciosamente aquilo que é saudável. Poucos há que se compenetram, como deviam, do quanto seus hábitos no regime alimentar têm que ver com sua saúde, seu caráter, sua utilidade neste mundo e seu destino eterno. O apetite deve sempre estar sob a sujeição das faculdades morais e intelectuais. O corpo deve ser o servo da mente, e não a mente a serva do corpo.”

Ellen G. White em Patriarcas e Profetas, 412.
Daniel e seus Amigos

Daniel 1:6
E entre eles se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e Azarias;

Daniel Deus é meu Juiz
Ananias Jah favoreceu
Misael Quem (é) o que Deus (é)
Azarias Jah ajudou


Laodiceia – Julgamento do povo, um povo setenciado

“O caráter de Daniel é apresentado ao mundo como um admirável exemplo do que a graça de Deus pode fazer de homens caídos por natureza e corrompidos pelo pecado. O registro de sua vida nobre, abnegada, é uma animação para a humanidade em geral. Dela podemos reunir força para resistir nobremente à tentação e, firmemente e na graça da mansidão, suster-nos pelo direito sob a mais severa provação.”
Ellen G. White em Santificação, 22
“Os que aproveitam as oportunidades, que se colocam em justa relação com Deus, serão recompensados como o foi Daniel. Dele, lemos: ‘E Daniel propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não se contaminar.’ Deus fez com que Daniel caísse em graça e terno amor com o príncipe dos eunucos. E o príncipe dos eunucos disse a Daniel: ‘Tenho medo do meu senhor, o rei, ...

que determinou a vossa comida e a vossa bebida; pois por que veria ele os vossos rostos mais tristes do que os dos outros jovens da vossa idade? Assim porias em perigo a minha cabeça para com o rei.’ ‘Experimenta, peço-te, os teus servos dez dias’ disse Daniel
‘e que se nos dêem
legumes a comer, e água a beber.
Então se examine diante de ti a nossa aparência, e a aparência dos jovens que
comem a porção das iguarias do rei; e,
conforme vires, procederás para com
os teus servos.’ Daniel 1:8-10 e 12-15.”



Ellen G. White em 1SAT 314.1 (inglês) ênfase acrescentada
“Daniel pediu um prazo de
dez dias. Isto lhe foi concedido;
e ao expirar este tempo os jovens
se encontraram muito mais saudáveis
em aparência do que os que participavam das guloseimas do rei.
Assim, o simples ‘legumes e água’ que a princípio pediram, continuou sendo a comida de Daniel e seus companheiros.”



Ellen G. White em CTBH 26.2 (inglês, ênfase acrescentada).
“Daniel e seus companheiros, desde sua primeira experiência na corte real, obtinham uma compreensão mais clara e um julgamento mais profundo, mais exato, que todos os sábios no reino de Babilônia. Se colocaram ali onde Deus os podia abençoar. Somente comimam aquilo que não obscurecia suas mentes. Seguiam regras de vida que os ajudariam a lhes dar força de intelecto, para que recebessem o maior benefício possível do seu estudo da palavra de Deus.


Ellen G. White em RH, November 10, 1904 par. 9 (inglês).
“A clareza de mente e firmeza de propósito de Daniel, sua força de intelecto na aquisição de conhecimento, deveram-se em grande parte à simplicidade de seu regime alimentar, associado à sua vida de oração.”



Ellen G. White em Conselhos sobre o Regime Alimentar, 82.
O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. 1 Tessalonicenses 5:23.
“A santificação apresentada nas Escrituras compreende o ser inteiro: espírito, alma e corpo. Paulo orou pelos tessalonicenses para que todo o seu espírito, e alma, e corpo fossem plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. 1 Tessalonicenses 5:23. Outra vez escreve ele aos crentes: ‘Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus.’ Romanos 12:1.”

Ellen G. White em Refletindo a Cristo, 76.
“Porque não lançamos as nossas súplicas
perante a Tua face fiados em nossas justiças, mas em Tuas muitas misericórdias. Daniel 9:18.”

Os que experimentam a santificação bíblica manifestarão um espírito de humildade. Como Moisés, depois de contemplarem a augusta e majestosa santidade, vêem a sua própria indignidade contrastando com a pureza e excelsa perfeição do Ser infinito.”





“O profeta Daniel é um exemplo da verdadeira santificação. Seus longos anos foram cheios de nobre serviço a seu Mestre. Foi um homem ‘muito amado’ do Céu. Daniel 10:11. Todavia, ao invés de pretender ser puro e santo, este honrado profeta, quando pleiteava perante Deus em prol de seu
povo, identificou-se com os que positivamente
eram pecadores em Israel: ‘Não lançamos
as nossas súplicas perante Tua face fiados
em nossas justiças, mas em Tuas muitas misericórdias.’ ‘Pecamos; obramos impiamente.’”
Ellen G. White em Refletindo a Cristo, 83.

“Quando Jó ouviu do redemoinho, a voz do Senhor, exclamou: “Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza”. Jó 42:6. Foi quando Isaías viu a glória do Senhor e ouviu os querubins a clamar — ‘Santo, santo, santo é o Senhor dos exércitos’ — que exclamou: ‘Ai de mim! Estou perdido!’ Isaías 6:3-5. Arrebatado ao terceiro Céu, Paulo ouviu coisas que não era possível ao homem proferir e fala de si mesmo como ‘o menor de todos os santos’. 2 Coríntios 12:2-4; Efésios 3:8. ...
Não pode haver exaltação própria, orgulhosa pretensão à libertação do pecado, por parte dos que andam à sombra da cruz do Calvário. Sentem eles que foi seu pecado o causador da agonia que quebrantou o coração do Filho de Deus, e este pensamento os levará à humilhação própria. Os que mais perto vivem de Jesus, mais claramente discernem a fragilidade e pecaminosidade do ser humano, e sua única esperança está nos méritos de um Salvador crucificado e ressurgido.”



Ellen G. White em Refletindo a Cristo, 83.
“Os adventistas do sétimo dia proclamam verdades momentosas. Há mais de quarenta anos o Senhor nos deu luz especial sobre a reforma de saúde, mas de que modo estamos andando nessa luz?
Quantos têm recusado viver de acordo com os conselhos de Deus!
Como povo, nossos progressos deveriam ser proporcionais à luz que recebemos. Nosso dever é compreender e respeitar os princípios da reforma de saúde. No tocante à temperança, deveríamos haver progredido mais do que qualquer outro povo e, entretanto, há ainda entre nós membros da igreja bem instruídos e mesmo ministros do evangelho que têm pouco respeito pela luz que Deus deu sobre o assunto. Comem o que querem e fazem o que querem”

Conselhos sobre o Regime Alimentar, 404 (1909, ênfase acrescentada).
João Batista
O Filho do Homem veio comendo e bebendo. João veio não comendo nem bebendo. Viveu como Sansão deveria ter vivido.

Mateus 11:18
Porquanto veio João, não comendo nem bebendo, e dizem: Tem demônio.

Mateus 11:19
Veio o Filho do homem, comendo e bebendo, e dizem: Eis aí um homem comilão e beberrão, amigo dos publicanos e pecadores. Mas a sabedoria é justificada por seus filhos.

“João separou-se dos amigos e dos luxos da vida. A
simplicidade de seu vestuário
, que era tecido de pêlo de camelo, era uma constante repreensão à extravagância e ostentação dos sacerdotes judeus, e do povo em geral. Seu
regime alimentar, puramente vegetal
, de gafanhotos e mel silvestre, era uma repreensão à condescendência com o apetite e a glutonaria que prevalecia por toda parte. ... Os que devem preparar o caminho para a segunda vinda de Cristo são representados pelo fiel Elias, como João veio no espírito de Elias a fim de preparar o caminho para o primeiro advento de Cristo.
O grande tema da reforma deve ser agitado.
... A temperança em todas as coisas deve ser relacionada com a mensagem, para volver o povo de Deus de sua idolatria, sua glutonaria e sua extravagância no vestuário e outras coisas.”

Ellen G. White em Vidas que Falam, 274 (ênfase acrescentada).
“A
abnegação, humildade e temperança
requeridos dos justos, a quem Deus especialmente guia e abençoa, devem ser apresentados ao povo em contraste com os hábitos extravagantes e arruinadores da saúde, dos que vivem nesta época degenerada. ... Não existe em parte alguma tão grande causa de degenerescência física e moral como na negligência deste importante assunto. Os que condescendem com o apetite e a paixão, fechando os olhos à luz por temor de verem satisfações pecaminosas que estão indispostos a abandonar, esses são culpados diante de Deus. Quem quer que dê costas à luz em determinado caso, endurece o coração de modo a desprezar a luz sobre outros assuntos.
Quem quer que transgrida obrigações morais na questão de comer e vestir-se, prepara o caminho para violar as reivindicações de Deus acerca de interesses eternos.
Nosso corpo não nos pertence. Deus requer que cuidemos da habitação que nos deu, a fim de que apresentemos nosso corpo a Ele em sacrifício vivo, santo e aceitável.”


Ellen G. White em Vidas que Falam, 274 (ênfase acrescentada).
“João separou-se dos amigos e das ostentações da vida. A simplicidade de sua vestimenta, uma peça de vestuário tecida de pêlos de camelo, era uma reprovação direta à extravagância e pompa dos sacerdotes judaicos, e do povo em geral. Seu regime,
puramente vegetariano
, composto de gafanhotos e mel silvestre, era uma censura à condescendência com o apetite e a glutonaria que prevalecia por toda parteDeclara o profeta Malaquias: “Eis que Eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o dia grande e terrível do Senhor; e converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais.” Malaquias 4:5, 6. Aqui o profeta descreve o caráter da obra. Os que devem preparar o caminho para a segunda vinda de Cristo, são representados pelo fiel Elias, assim como João veio no espírito de Elias para preparar o caminho para o primeiro advento de Cristo. O grande assunto da reforma deve ser agitado, e despertada a mente do público. A temperança em tudo deve ser associada com a mensagem, para converter o povo de Deus de sua idolatria, de sua glutonaria e de sua extravagância no vestir-se e em outras coisas.”


Ellen G. White em Conselhos sobre Saúde, 72 (ênfase acrescentada).

Nazireu
Nazireu
(năz̀ĭ—rīt), KJV
Nazarite
(na¦z’a¨§ri t). [Heb. Nazîr, “separado,” “devoto” do verbo significando “separar” “consagrar” “dedicar” para uso cerimonial.] Uma pessoa que fez certos votos voluntários e temporários dedicando-se a Deus (veja Números 6:2). O que fazia o voto continuava uma vida normal na sociedade, exceto que (1) se abstinha de todo produto proveniente da uva (vs. 3 e 4); (2) deixava crescer seu cabelo (v. 5); (3) se abstinha de se aproximar de qualquer cadáver, evitava a contaminação ritual (v. 6), e se acidentalmente entrava em contato com um cadáver, deveria oferecer sacrifícios especificados e reiniciava todo o período de seu voto (vs. 9-12). Um nazireu era “santo ao Senhor” todos os dias da sua “separação” (v. 8). Ao final do período especificado deveria comparecer perante o sacerdote com certos sacrifícios prescritos, rapar seu cabelo e queimá-lo (vs. 13-21).

Alguns, como Samuel (1 Samuel 1:11) e João Batista (Lc 1:15), eram nazireus vitalícios. Os pais de Sansão foram instruídos que deveria ser um nazireu desde seu nascimento (Juízes 13:5-7), mas foi notávelmente infiel ao voto. Amós menciona que um certo grupo ímpio tentou um grupo de nazireus a quebrar seu voto de total abstinência de bebidas intoxicantes (Amós 2:11-12). Paulo se submeteu ao que parecia uma versão modificada do voto nazireu quando se preparou para sua última visita a Jerusalém (Atos 18:18; 21:20–26). Não há registro de uma pessoa voluntáriamente fazendo o voto por toda a vida, já que em todos os casos de um voto perpétuo os pais o fizeram em prol de seus filhos.

Comentário Bíblico Adventista, Volume 8. Casa Publicadora Brasileira, 2014.
“Havia muitos que testificavam que eram livres no Senhor, - não livres de tentações; porque tinham que lutar contra estas todos os dias, - mas acreditavam que seus pecados eram perdoados.
Oh, quanto almejamos que cada alma pudesse saír para a liberdade de filhos de Deus! Será que qualquer pessoa que provou do Pão da Vida poderá detestar o maná que tem sido tão doce às suas almas nestas reuniões? Graças a Deus que cada um tem o privilégio de recolher o tanto que queira. Jesus distribui seus dons liberalmente. Que a boa obra iniciada na igreja de Battle Creek seja levada para frente e para cima até que toda alma seja consagrada, purificada, refinada, e capacitada para a sociedade com os anjos celestiais!”



Ellen G. White em RH, February 12, 1889 par. 7 (inglês).
“Quando as pessoas alegam que estão santificadas, dão suficiente evidência de estar bem longe de serem santas. Deixam de ver sua própria fraqueza e desamparo. Olham para si mesmas como refletindo a imagem de Cristo, porque não têm verdadeiro conhecimento dEle. Quanto maior a distância entre elas e seu Salvador, tanto mais justas se parecem aos próprios olhos.”

Ellen G. White em Santificação, 8.

“Nosso Salvador sempre condenou a justiça-própria. Ele ensinou a Seus discípulos que o mais elevado tipo de religião é aquele que se manifesta de maneira calma e modesta. Aconselhou-os a executarem suas obras de caridade sem estardalhaço, não por ostentação, nem para serem louvados e honrados pelos homens, mas para a glória de Deus, esperando recompensa na vida futura. Se fizessem boas ações para serem louvados pelos homens, nenhuma recompensa lhes seria concedida por seu Pai celestial.”

“A santificação bíblica não consiste em forte emoção. Eis onde muitos são levados ao erro. Fazem dos sentimentos o seu critério. Quando se sentem elevados ou felizes, julgam-se santificados. Sentimentos de felicidade ou a ausência de gozo não é evidência de que a pessoa esteja ou não santificada. Não existe tal coisa como seja santificação instantânea. A verdadeira santificação é obra diária, continuando por tanto tempo quanto dure a vida. Aqueles que estão batalhando contra tentações diárias, vencendo as próprias tendências pecaminosas e buscando santidade do coração e da vida, não fazem nenhuma jactanciosa proclamação de santidade. Eles são famintos e sedentos de justiça. O pecado parece-lhes excessivamente pecaminoso.”



Ellen G. White em Santificação, 8.
Isaías 66:16
Porque com fogo e com a sua espada entrará o SENHOR em juízo com toda a carne; e os mortos do SENHOR serão multiplicados.

Isaías 66:17
Os que se santificam, e se purificam, nos jardins uns após outros; os que comem carne de porco, e a abominação, e o rato, juntamente serão consumidos, diz o SENHOR.

Ezequiel 22:26
Os seus sacerdotes violentam a minha lei, e profanam as minhas coisas santas; não fazem diferença entre o santo e o profano, nem discernem o impuro do puro; e de meus sábados escondem os seus olhos, e assim sou profanado no meio deles.

1 Coríntios 10:31 Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus.

Números 21:5

E o povo falou contra Deus e contra Moisés: Por que nos fizestes subir do Egito para que morrêssemos neste deserto? Pois aqui nem pão nem água há; e a nossa alma tem fastio deste pão tão vil.


“Muitos há que sentem não poderem permanecer por muito tempo sem o uso de alimentos cárneos; mas se essas pessoas se colocassem do lado do Senhor, absolutamente resolvidas a andar no caminho pelo qual Ele deseja guiá-las, receberiam força e sabedoria, como sucedeu a Daniel e seus companheiros. Veriam como o Senhor lhes pode dar bom discernimento, e se surpreenderiam ao ver quanto pode ser poupado para a obra de Deus pelos atos de renúncia. As pequenas somas poupadas por atos de sacrifício farão mais para o levantamento da obra de Deus do que os grandes donativos que forem feitos sem renúncia.”

Ellen G. White em Conselhos sobre o Regime Alimentar, 403.
Full transcript