Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Gênero e Parentesco

No description
by

Anna Amorim

on 8 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Gênero e Parentesco

Gênero e Parentesco
Anna Carolina Horstmann Amorim
Sabine Schaechtelin
Claude Lévi-Strauss

As estruturas elementares do parentesco - 1949
o autor apresenta uma teoria do desenvolvimento da cultura humana na qual o parentesco tem um lugar central.
está preocupado com os limites entre natureza e cultura.
procura definir principios estruturais do parentesco
A presença de regras é o primeiro passo para a passagem da natureza para cultura.

" Em toda parte onde se manifesta uma regra podemos ter certeza de estar numa etapa da cultura"

Proibição do incesto:
regra universal ao mesmo tempo variável.
institui quem é ou não legitimamente casavel para determinada pessoa
Assegura a exogamia e o casamento com pessoas de outros grupos bem como institui trocas (de mulheres)
Se algumas mulheres são interditas pelo tabu do incesto é preciso, então, trocar mulheres não casaveis por mulheres casaveis.
A troca de mulheres é fundamental para o sistema de parentesco
tabu do incesto + troca de mulheres (dádiva)= alianças = parentesco

Gayle Rubin
The Traffic in women: notes on the political economy of sex 1975



Principal questão:

natureza e gênese da opressão e da subordinação das mulheres:
Quais são as relações através das quais uma fêmea se torna uma mulher oprimida?

Rubin pretende desemaranhar o sistema de relações pela qual as mulheres se tornam a presa dos homens partindo das obras de Lévi-Strauss e Freud. Ambos discutem a domesticação da mulher em suas obras mostrando um "aparato social sistematico que toma fêmeas como matéria-prima e modela mulheres domesticadas como produto"

Mesmo sem lançar um olhar crítico para os processos que descrevem "Fornecem instrumentos conceituais com os quais é possível construir descrições da parte da vida social que é o locus da opressão das mulheres, das minorias sexuais e de determinados aspectos da personalidade humana nos indivíduos"

Este aspecto da vida chama-se sistema sexo/gênero




Conjunto de arranjos através dos quais uma sociedade transforma a sexualidade biológica em produtos da atividade humana, e na qual essas necessidades sexuais transformadas são satisfeitas.

Sistemas de parentesco são e fazem muitas coisas. Mas eles são construídos a partir de formas concretas de sexualidade socialmente organizada, e as reproduzem. Os sistemas de parentesco são formas observáveis e empírircas de sistemas de sexo/gênero.

Deste modo Rubin propoem a leitura de algumas generalidades básicas sobre a organização da sexualidade humana derivadas de uma exegese das teorias do parentesco de Lévi-Strauss:
em especial atenta para 3 importantes momentos desta teoria:
Tabu do incesto (derrota histórica das mulheres é um pré requisito da cultura)
heterossexualidade obrigatória e
divisão assimétrica de gênero (troca de mulheres)





Freud e Lévi-Strauss combinam: nosso sistema de sexo/gênero está ainda organizado de acordo com os princípios delineados por Lévis-Strauss.

Em suma, o feminismo deve apelar para uma revolução no parentesco
David M. Schneider
American Kinship: A cultural account- 1968
Josefina Lobato
Pierre Bourdieu
A 'troca de mulheres':destino ou opção? 1991
Roque Laraia
Schneider tem papel fundamental na reformulção dos estudos de parenetsco na antropologia.
Realiza uma crítica culturalista do parentesco
Não se foca na estrutura ou funções dos grupos sociais
Pensa o parentesco como um sistema cultural, um sistema de símbolos
O principal tema do livro é a relação entre natureza e cultura, ou entre os aspectos biológicos ou culturais do parentesco
o autor denuncia o etnocentrismo ocidental presente nos correntes modelos antropológicos sobre parentesco



No capítulo lido:
Pessoa- unidade cultural capaz de ação (ação define que a pessoa é)
Muitos elementos são misturados para definição de pessoa (gênero, idade)

Parentesco são sistemas de símbolos definidos a parte de pessoa, tempo e lugar


O sistema de símbolos e conceitos que forma parentesco não tem referência na pessoa. Mas o parente é uma pessoa e a família um grupo de pessoas.

Amor- papel importante no modo como os parentes devem se relacionar

O que faz uma pessoa parente?
Sangue
casamento

Parentesco por por substância ou código de conduta- podem ocorrer juntos ou sozinhos.
uma pessoa decide quem ela considera parente com base em algum dos dois que ela escolha (sangue tem mais valor)

Qualquer termos de parentesco pode ser usado para designar um parente por substância ou lei

Distância também conta na determinação de um parente


Ellen Woortmann
Herdeiros, parentes e compadres-1995
A autora faz uma breve síntese das teorias de parentesco:

Descendência
- basicamente uma relação de filiação socialmente reconhecida. Envolve relações de sucessão;
Linguagem
-ordena certas relações sociais. Envolve relações economicas e cooperação no trabalho
Aliança-
Parentesco é casamento (Lévi-Straus)
estruturas resultados de práticas historicamente definidas (Bourdieu)

Dimensão legal: Transmissão de propriedade- herança.
O foco é sobre as linhagens

O foco é sobre a família.
O parentesco não precisa ser considerado intrínseco- não é uma coisa em si e sim uma expressão de relações de propriedade.
Para parentesco ser linguagem tem antes que ser símbolo

Para o campesinato que Woortmann estuda: o princípio de descendência é fundamental e só pode ser entendido juntamente com a aliança. A aliança se explica pela sucessão.

"Juntos casamento e descendência não só reproduzem o patrimônio, mas produzem o 'nós', que se opões aos estranhos"
Envolve reciprocidade
O que está em jogo na aliança é o patrimonio e a honra da casa.
É um jogo

Tupi: índios no Brasil atual- 1986
Full transcript