Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Verdade: conceitos e critérios para determiná-la

Apresentação da aula 8 de epistemologia
by

Edvaldo Moita

on 26 June 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Verdade: conceitos e critérios para determiná-la

Verdade: conceito e critérios para determiná-la Verdade e direito Direito - ciência
Direito - sistema normativo (nesse sentido Sentido do termo "Direito" A resolução do paradoxo através dos sistemas de linguagem
A linguagem objeto
A metalinguagem
O problema da "relatividade ontológica" apontado por Quine
Trata-se de uma teoria da correspondência ou semântica? A união da concepção de Tarski à ideia de verdade do senso comum
A avaliação de teorias a partir do conteúdo de verdade e de falsidade
A consequente aproximação da verdade
Problemas:
É possível avaliar teorias de paradigmas distintos?
Ex: a concepção de espaço e tempo em Newton e Einstein Teoria da correspondência A proposta de Tarski: concepção semântica de verdade A proposta de Popper: aproximação da verdade Edvaldo Moita
Pedro Cabral Um enunciado é verdadeiro se corresponder aos fatos a que se refere
Ex: O livro está em cima da mesa.
A ideia de realismo
Realismo metafísico
Realismo inocente de Susan Haack
A metáfora das palavras cruzadas
A verdade eterna
O paradoxo da linguagem O conceito discursivo de verdade: a verdade como consenso
O problema do falso entendimento de que a verdade decorre do consenso e não de que o consenso decorre da verdade
Como combinar essa noção epistêmica com a realista?
A necessidade de revisão da teoria
Verdade e moral
A diferença entre validade objetiva e validade normativa
Então, como combinar a noção de verdade na moralidade, onde não há um mundo independente? Habermas e o conceito procedimental de verdade Os problemas do relativismo
O problema de uma verdade como correspondência
A noção de verdade eterna
Verdade no espaço e tempo
As descobertas da mecânica quântica: a indeterminabilidade do tempo
A teoria da relatividade especial de Einstein: a relatividade do espaço e tempo Nozick: a interpretação de Copenhague da verdade Teoria da verdade como coerência
Teoria da verdade como consenso Verdade - teorias retóricas Integração dessas teorias proposição premissa =======> proposição conclusão inferência consenso Relativismo
Pragmatismo (niilismo) Verdade como consenso Renúncia à verdade objetiva
A linguagem se sustenta na linguagem, não na realidade
Auto-sustentação da linguagem Giro Linguístico Verdade material
Verdade formal
Verdade lógico-semântica Verdade e sua relação com o Direito Linguagem descritiva
Linguagem prescritiva Linguagem do Direito Estrutura da norma Ponto de intercessão antecedente

implicação

consequente


antecedente

implicação

consequente descritivo

modal deôntico neutro

prescritivo


matar alguém

modal deôntico neutro

pena 12 a 30 anos ......... Enquadramento do fato
Linguagem competente
Incidência normativa
Linguagem das provas Processo de Positivação do Direito Fato
Fatos
Fato Jurídico Fato e Evento Verdade Jurídica e Prova Produção (Construção) da Verdade Jurídica É fato provado
É relato sustentado em outro relato
É posição sustentada em outra proposição Verdade Jurídica Para que num tempo T² alguma entidade ou evento E tenha a propriedade P no tempo T¹, deve ser possível (em T²) para E ter P em T¹ afetar algum Y tendo a propriedade Q em T².
Mas, se forem apagados esses mesmos efeitos de E tendo P em T¹, não é mais verdadeiro nos tempos posteriores que E tinha P em T¹. E se exatamente esses efeitos pudessem ser produzidos por outra coisa Z tendo R em T(anterior a T¹)?
Nozick tenta construir uma forma mais forte do ponto de vista, ainda em construção, que sustenta a possibilidade dos efeitos posteriores em E possuindo P não devem apenas existir, mas também permitir a recuperação única do fato de E possuiu P em T¹
Full transcript