Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Trabalho de Português

Biografia de Padre António Vieira
by

Sofia Figueiredo

on 7 October 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Trabalho de Português

Parti para o Brasil com os meus pais, em 1614, para estudar no Colégio da Companhia de Jesus.
Com apenas 15 anos, saí de casa dos meus pais e entrei como noviço na Ordem. Um ano depois, decidi ser missionário, tomando depois os votos de castidade, pobreza e obediência, deixando o noviciado.
Era hábil a ensinar e a convencer uma multidão através da palavra, por isso, acabei por me tornar professor de Retórica.
Tempos depois, aprendi a arte de argumentar, confirmar e demonstrar. Estudei Lógica, Metafísica, Matemática e fiz um mestrado em Artes.
Comecei a pregar em 1633 e pouco tempo depois tornei-me sacerdote.
Com 30 anos de idade fui professor de Teologia, mas, mesmo assim, nunca deixei de pregar.
"A Minha Vida"
de Padre António Vieira

António José Vieira é o meu nome. Nasci a 6 de fevereiro de 1608, em Lisboa, e os meus pais eram Cristóvão Vieira Ravasco e D. Maria de Azevedo. Sou religioso, filósofo, orador na Companhia de Jesus e, obviamente, escritor.
Defendo judeus e a proibição das diferenças entre critãos-novos e velhos e, claro, luto contra a escravatura dos povos indígenas.
Faço grandes críticas aos sacerdotes e até mesmo à própria Inquisição.
Iniciei-me na política quando regressei a Portugal. Era reconhecido e todas as classes assistiam aos meus sermões.
Infelizmente, a minha qualidade política diminuiu pois as missões diplomáticas que realizei não tiveram sucesso.
Devido aos meus pedidos os bens dos judeus foram libertos e foram também criadas Companhias para o Ultramar. Enfrentei os meus adversários através de sermões, pois difamaram-me de herege, amigo dos judeus e intérprete excessivo de textos bíblicos.


Preguei o famoso Sermão de Santo António aos Peixes a 13 de Junho de 1654. Consegui que os índios fossem libertos, mas os colonos revoltaram-se e fui obrigado a regressar a Portugal.
Fui expulso para o Porto, porque preguei o Sermão da Epifania a criticar D.Afonso VI, fui preso e privado de pregar até 1668.
Em Roma, lutei contra a Inquisição, acabando por voltar a Portugal em 1675, isento de aplicar a lei, de poder e autoridade.
Após publicar o primeiro volume dos sermões completos viajei para o Brasil, tinha-se tornado insuportável viver em Lisboa devido a mentiras e ódios.

Agora, doente e em fase terminal, dedico-me a atualizar as situações por que passei, para publicar outro volume dos meus sermões, uma vez que já revi o décimo terceiro volume.
Deixo 700 cartas e 200 sermões e espero que o povo português me relembre como um herói, uma pessoa admirável e um exemplo.



António José Vieira
Full transcript