Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Pesquisas em Ensino de Química

No description
by

Enio Stanzani

on 11 August 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Pesquisas em Ensino de Química

APRESENTANDO A ÁREA DE ENSINO DE QUÍMICA NO BRASIL
Prof. Ms. Enio de Lorena Stanzani
Ensino de Química no Brasil
O Ensino de Química, assim como a Química Orgânica, a Química Analítica, a Química Inorgânica e a Físico-Química, é considerado uma subárea da Química, visto que seu objeto de estudo e de investigação também é o
conhecimento químico
. No entanto, diferentemente das demais subáreas,
seu objeto de estudo não é o conhecimento por si só, mas as questões relacionadas à sua apropriação no ambiente escolar
(MÓL, 2011).
Professor inglês Malcolm J. Frazer: 'O que é Educação Química?'.
"Educação química é uma área de estudo sobre ensino e aprendizagem de química em todos os níveis, onde a melhoria de ambos se constitui no objetivo fundamental das pesquisas na área e os problema pesquisados são formulados por professores de química".
Década de 1960 (Estados Unidos e Inglaterra):

pesquisas de caráter fortemente prático e instrumental;

teorias advindas das Ciências Humanas;

movimento de reforma curricular.

O início das pesquisas...
(MÓL, 2011; MARCANO, SCHNETZLER, 2006; SCHNETZLER, 2004; 2002; FRAZER, 1982)
Na década seguinte... (1970)
Resultados pouco promissores levam a um deslocamento na ênfase das pesquisas dos processos de ensino para os de aprendizagem.



NOVA IDENTIDADE À ÁREA DE PESQUISA!

Influência das concepções construtivistas de aprendizagem.
[...] a identidade dessa nova área de investigação é marcada pela especificidade do conhecimento científico, que está na raiz dos problemas de ensino e de aprendizagem investigados [...] Isso significa que o ensino de Química implica a
transformação do conhecimento científico/químico em conhecimento escolar
,
configurando a
necessidade de criação de um novo campo de estudo e investigação
, no qual questões centrais sobre
o que, como e por que ensinar Química constituem o cerne das pesquisas
(SCHNETZLER, 2002, p. 15).
1º Encontro Nacional de Ensino de Química
As pesquisas em Ensino de Química (EQ) no Brasil começam a ganhar destaque na década de 1980, quando as publicações e as investigações voltadas à esta área se intensificam.

-
Alguns marcos importantes
:
1º Encontro de Debates sobre o Ensino de Química (EDEQ 1980).
1º Encontro Nacional de Ensino de Química (ENEQ, 1982).
Criação da Seçao Educação na Química Nova (1980).
Criação da Divisão de Ensino da SBQ (1988).
Criação da Química Nova na Escola (1995).

O encontro foi realizado na Universidade de Campinas (UNICAMP) no ano de 1982.
Consolidação da área no Brasil
Estudos iniciais seguiram as tendências internacionais da área de Ensino de Ciências.

Movimento das concepções alternativas.

Intensificação das pesquisas em 3 grandes linhas:

Mudança conceitual
(Década de 1980)
Processo de ensino e aprendizagem era focado no
processo individual
de construção de conhecimento por parte dos alunos.

Não consideravam a influência da
interação entre professor-aluno, aluno-aluno e o contexto social, histórico e cultural
no qual o conhecimento científico foi produzido.

Dimensão sócio-interacionista
(Década de 1990)
Busca por fomentar discussões e interações que possibilitassem
integrar o conhecimento científico ao contexto cultural dos alunos
.

Destaca-se o
papel da linguagem na construção do conhecimento científico
.

Inclusão das
relações CTS
nos cursos de Ciências.
Formação de Professores
[...] emerge a ênfase na investigação de concepções de professores, pois não parece haver dúvidas de que a
prática pedagógica de cada professor manifesta suas concepções de ensino, de aprendizagem e de conhecimento como, também, suas crenças, seus sentimentos, seus compromissos políticos e sociais.
Neste sentido, os resultados dessas investigações vêm apontando
críticas ao modelo tradicional de formação docente
, bem como sugestões para sua melhoria (SCHNETZLER, 2002, p. 16).
Alguns dados quantitativos...
(EVENTOS)

Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química (RASBQ)
Encontro Nacional de Ensino de Química (ENEQ)
CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO stricto sensu
EDUCAÇÃO
ENSINO
ENSINO DE CIÊNCIAS
MESTRADO EM EDUCAÇÃO - CASCAVEL
Linha de Pesquisa: Ensino de Ciências

MESTRADO EM ENSINO - FOZ DO IGUAÇU
Linha de Pesquisa: Ensino de Ciências

MESTRADO E DOUTORADO EM
ENSINO DE CIÊNCIAS E EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

MESTRADO E DOUTORADO EM EDUCAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A MATEMÁTICA

MESTRADO E DOUTORADO INTERUNIDADES
(Ensino de Química, Física e Biologia)

Número de trabalhos aprovados na seção Ensino de Química da RASBQ de 2001 a 2012
234%
2011 - Ano Internacional da Química
Comparação do número de trabalhos aprovados na seção EQ com as 4 seções mais pesquisadas nas RASBQ nos últimos 3 anos
EQ: Ensino de Química
QPN: Química dos Produtos Naturais
QA: Química Analítica
QO: Química Orgânica
QM: Químicas dos Materiais
EQ
2010: 5º lugar
2011: 2º lugar
2012: 4º lugar
Trabalhos aprovados na seção EQ da RASBQ relacionados à formação de professores e ao PIBID
18%
22,6%
Trabalhos apresentados no ENEQ de 2006 a 2012
1) História, Filosofia e Epistemologia da Ciência e da Matemática;
2) Currículo e Educação Científica;
3) Didáticas, Metodologias e recursos no ensino de Ciências e Matemática;
4) Cultura, linguagem e divulgação científica;
5) Formação de professores em Ciências e Matemática.
Temáticas de estudo e pesquisa:
2 Linhas de Pesquisa:
Linhas de Pesquisa
A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO EM CIÊNCIAS E MATEMÁTICA.
Investigação dos fundamentos e do processo de construção do conhecimento discente na aprendizagem de Ciências e Matemática.

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM CIÊNCIAS E MATEMÁTICA.
Investigação dos fundamentos e do processo de construção/elaboração dos saberes docentes no ensino de Ciências e Matemática.

HISTÓRIA E FILOSOFIA DA CIÊNCIA E DA MATEMÁTICA.
Contribuições da História e da Filosofia das Ciências e da Matemática com vistas à compreensão das relações entre saberes científicos e escolares e da constituição histórico-cultural das Ciências e da Matemática
16 Docentes
O QUE É O 'ENSINO DE QUÍMICA?'
1º Encontro de Debates sobre o Ensino de Química
O evento foi realizado pelo Instituto de Química da PUC - RS, tendo como um de seus idealizadores o professor e pesquisador da área
Áttico Chassot
.


Tema do encontro: "As inter-relações do ensino da Química nas diferentes etapas da escolarização, bem como as interações dos pesquisadores com o ensino".


O próximo EDEQ (36º) será realizado nos dias 14 e 15 de outubro de 2016 na cidade de Pelotas - RS.

Mestrados e Doutorados no Brasil
Próximos eventos da área
V CPEQUI
- Congresso Paranaense de Educação Química
Quando? Agosto de 2017.
Onde?
Maringá-PR



Referenciais
QUÍMICA

CONTEÚDO: Conceitos e medidas em química. Propriedades periódicas. Ligações químicas. Estequiometria, Gases, sólidos, líquidos e soluções. Cinética e equilíbrio químico. Reações químicas. Termoquímica. Tratamento de dados experimentais. Caracterização de grupos funcionais.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA PARA A PROVA DE REDAÇÃO

1. PIMENTA, S. G. ; GHEDIN, E. . Professor Reflexivo no Brasil - gênese e crítica de um conceito. 6a.. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2010.

2. MOREIRA, M. A. . Teorias de aprendizagem. São Paulo: Editora Pedagógica Universitária, 1999.
MESTRADO
L1 - Recursos Didáticos e Midiáticos para o Ensino Continuado de Ciências e de Matemática.
L2 - Ciência, Tecnologia, Meio Ambiente e Sociedade: Inclusão e Exclusão em Processos de Ensino-Aprendizagem na Educação Científica Contemporânea.
L3 - Formação de Professores, Renovação Curricular e Avaliação Escolar na área de Ciências e Matemática.
L4 - História, Epistemologia e Ética da Ciência.

DOUTORADO
L1 - Ciência, Tecnologia, Meio Ambiente e Sociedade: Inclusão e Exclusão em Processos de Ensino-Aprendizagem na Educação Científica Contemporânea.
L2 - História, Epistemologia e Ética da Ciência.
Ensino em Ciências e Matemática.
Leitura, Escrita e Práticas Educativas em Linguagem.
Ex.: Análise Textual Discursiva
Autores/Químicos:
Roque Moraes
Maria do Carmo Galiazzi
(MATIELO et al, 2008)
FP: Formação de Professores
EAP: Ensino de Aprendizagem
EX: Experimentação
Investimento.
Cursos disponíveis.
Presença de Grupos de Pesquisa consolidados.
Distribuição das teses e dissertações sobre Ensino de Química no Brasil por década e titulação acadêmica.
Distribuição das teses e dissertações sobre Ensino de Química no Brasil por ordem, Instituição de Ensino Superior (IES), número de trabalhos e porcentagem.
L1 - Recursos Didáticos para o Ensino de Ciências.
L2 – História, Filosofia e Cultura no Ensino de Ciências.
L3 - Ensino-Aprendizagem de Ciências.
L4 - Formação de Professores.
L5 - Divulgação científica e educação não formal.
Linhas de Pesquisa
52 docentes, sendo 8 do Instituto de Química.
MESTRADO E DOUTORADO EM EDUCAÇÃO

Linha de Pesquisa em Ensino de Ciências e Educação Matemática
19 Docentes
GRUPOS DE PESQUISA
UFMG: Grupo FoCo
Grupo de Formação Continuada
Coordenador: Prof. Dr. Eduardo F. Mortimer
UFSC: GIEQ
Grupo de Investigação no Ensino de Química
Coordenadores: Prof. Dr. Carlos Alberto Marques
Prof. Dr. Eduardo Antônio Zampiron
USP:
LAPEQ
Laboratório de Pesquisa em Ensino de Química
Coordenador: Prof. Dr. Marcelo Giordan

GEPEQ
Grupo de Pesquisas em Educação Química
Coordenadora: Profa. Dra. Maria Eunice R. Marcondes
UNESP:
Grupo de Pesquisas em Ensino de Ciências
Coordenador: Roberto Nardi
UnB: LPEQ
Laboratório de Pesquisa em Ensino de Química
Coordenadores: Prof. Dr. Gerson S.Mól
Prof. Dr. Wildson L. P. Santos
UNIJUÍ: GIPEC
Grupo Interdepartamental de Pesquisas sobre Educação em Ciências
Coordenadores: Prof. Dr. Otavio Aloisio Maldaner
Prof. Dra. Maria Cristina Pansera de Araújo
36º EDEQ
- Encontro de Debates de Ensino de Química
Quando? 14 e 15 de Outubro de 2016.
Onde?
Pelotas-RS

09/08/2016

ENSINO E APRENDIZAGEM – EAP
FORMAÇÃO DE PROFESSORES – FP
EXPERIMENTAÇÃO NO ENSINO – EXP
MATERIAIS DIDÁTICOS – MD
ABORDAGEM CTS - CTS
EDUCAÇÃO AMBIENTAL - EA
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO – TIC
ENSINO E INCLUSÃO – EI
LINGUAGEM E COGNIÇÃO – LC
HISTÓRIA E FILOSOFIA DA CIÊNCIA – HC
CURRÍCULO E AVALIAÇÃO – CA
ENSINO EM ESPAÇOS NÃO FORMAIS – ENF
POLÍTICAS EDUCACIONAIS - PE
A disciplina de Química no Ensino Médio
A situação mais grave era a da área das ciências da natureza, em que havia apenas 9% de professores de física com formação específica, e
13% de química
, déficit que incidia particularmente sobre o Ensino Médio (INEP, BRASIL, 2006).
Segundo o movimento "Todos pela educação", cerca de 44% dos professores de química no Ensino Médio, além de não terem formação específica,
não são formados nem mesmo em áreas de exatas
, como física, ou matemática.
Dados do Paraná/
Apucarana
(Censo Escolar, 2015)
Número de professores atuantes no EM: 37.354 (
462
).
03 (
zero
) professores possuem apenas o EF, 1081 (
08
) apenas o EM.
36.270 (
454
) possuem graduação e 34.757 (
433
) são licenciados, desses 29 mil (
363
) possuem especialização, 3 mil (
44
) mestrado e 258 (
3
) doutorado.

Educação para a Ciência
L1 = Filosofia, História e Sociologia da Ciência no Ensino de Ciências
L2 = Ensino de Ciências em espaços não-formais e divulgação científica
L3 = Fundamentos e modelos psico-pedagógicos no Ensino de Ciências e Matemática
L4 = Ciência, Tecnologia, Ambiente e Desenvolvimento Humano
L5 = Informática na Educação em Ciências e Matemática
L6 = Linguagem, discurso e Ensino de Ciências
Linhas de Pesquisa:
Docentes:
34
XV ENPEC
- Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências
Quando? 03 a 06 de Julho de 2017.
Onde:
Florianópolis-SC
MPEQ3
UEL: LEPEQ
Laboratório de Ensino e Pesquisa em Educação Química


Coordenadores: Profa. Dra. Fabiele Cristiane Dias Broietti
Prof. Ms. Enio de Lorena Stanzani
Conceito: 6
Conceito: 4
Conceito: 6
ATIVIDADE
Realizar um levantamento nos periódicos da área de ENSINO (Qualis A1 - A2 - B1) - buscando artigos que discutam os conceitos envolvidos nas sequências didáticas da disciplina de Estágio 3.

Data da Entrega:
14/09/2016

https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/veiculoPublicacaoQualis/listaConsultaGeralPeriodicos.jsf
Baseada em dados de 2015, a pesquisa conclui que a situação mais crítica é a da disciplina de Física, em que 64,7% dos professores se enquadram em um dos seguintes quadros: têm bacharelado, mas não licenciatura; têm licenciatura, mas em área diferente da que ensina; têm curso superior (engenheiro lecionando matemática, por exemplo); ou só têm diploma de ensino médio.



"
Se todos os físicos que formamos por ano fossem dar aula - o que não acontece -, levaríamos 11 anos para suprir essa demanda. Esse é o tamanho do problema
", disse o ministro, Aloizio Mercadante.



Em Ciências e História, 60% dos professores têm qualificações inadequadas. Em Geografia, o índice é de 62%. "São docentes que podem ter experiência de sala de aula, mas acabam lecionando de forma improvisada, só para completar a grade horária", lamentou o ministro, citando pesquisa da Fundação Carlos Chagas que detectou que apenas 2% dos jovens que concluem o ensino médio desejam ser professores.
MÁ FORMAÇÃO DOCENTE - Em 2013, 21,5% dos professores brasileiros que davam aulas nos anos finais do ensino fundamental (6° ao 9° ano) não fizeram ensino superior. Dos profissionais em sala de aula nessa fase de ensino, 35,4% não são habilitados para dar aula, ou seja, não fizeram licenciatura. No ensino médio, 22,1% dos professores brasileiros não fizeram licenciatura. São administradores, advogados ou profissionais com alguma formação de ensino superior que estão na escola dando aulas.
ENEM 2016: A prova de Química apresentou o menor índice de acertos no simulado, com uma média de 29%. A avaliação de Física veio logo em seguida, com uma média de acertos de 31,9%. Já Filosofia ficou no topo da lista, como a matéria que recebeu mais respostas corretas (média de acerto de 55,8%).

Dados Históricos 1990 - 2001:
Química:
Número de professores/vagas no EM: 23.514
Número de professores formados nos cursos de Licenciatura: 13.559
Evasão dos cursos de Licenciatura (1997): 75%
Medidas Emergenciais: A proposta envolveria a contratação, de acordo com a forma estabelecida pelo Ministério Público, de profissionais liberais (engenheiros, biólogos, agrônomos,...) para atuarem no ensino médio nas disciplinas de Química, Física, Matemática e Biologia, mediante a aprovação num curso de Complementação Pedagógica, previamente regulamentado pelo CNE.
Dados publicados em 2007 (MEC)
2016
: ~1500 trabalhos
Antes de começar...
Quantos dos professores que lecionam Química na Educação Básica possuem formação específica?
(a) menos de 10%
(b) 10 - 20%
(c) 20 - 50%
(d) 50 - 80%
(e) mais de 80%
Existem professores lecionando no Ensino Médio que não possuem curso superior?
Quantos estudantes concluintes do EM desejam ser professores?
(a) menos de 1%
(b) 1 - 2%
(c) 2 - 5%
(d) 5 - 10%
(e) mais de 10%
XIX ENEQ
- Encontro Nacional de Ensino de Química
Quando? 2018.
Onde?
Manaus - AM
Full transcript