Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Operário do Mar (Carlos Drummond de Andrade)

No description
by

Gabriela Diniz

on 23 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Operário do Mar (Carlos Drummond de Andrade)

Operário do Mar
Na rua passa um operário. Como vai firme! Não tem blusa. No conto, no drama, no discurso político, a dor do operário está na blusa azul, de pano grosso, nas mãos grossas, nos pés enormes, nos desconfortos enormes. Esse é um homem comum, apenas mais escuro que os outros, e com uma significação estranha no corpo, que carrega desígnios e segredos. Para onde vai ele, pisando assim tão firme? Não sei. A fábrica ficou lá atrás. Adiante é só o campo, com algumas árvores, o grande anúncio de gasolina americana e os fios, os fios, os fios. O operário não lhe sobra tempo de perceber que eles levam e trazem mensagens, que contam da Rússia, do Araguaia, dos Estados Unidos. Não ouve, na Câmara dos Deputados, o líder oposicionista vociferando. Caminha no campo e apenas repara que ali corre água, que mais adiante faz calor.
Para onde vai o operário? Teria vergonha de chamá-lo meu irmão. Ele sabe que não é, nunca foi meu irmão, que não nos entenderemos nunca. E me despreza... Ou talvez seja eu próprio que me despreze a seus olhos. Tenho vergonha e vontade de encará-lo: uma fascinação quase me obriga a pular a janela, a cair em frente dele, sustar-lhe a marcha, pelo menos implorar-lhe que suste a marcha. Agora está caminhando no mar. Eu pensava que isso fosse privilégio de alguns santos e de navios. Mas não há nenhuma santidade no operário, e não vejo rodas nem hélices no seu corpo, aparentemente banal. Sinto que o mar se acovardou e deixou-o passar. Onde estão nossos exércitos que não impediram o milagre? Mas agora vejo que o operário está cansado e que se molhou, não muito, mas se molhou, e peixes escorrem de suas mãos. Vejo-o que se volta e me dirige um sorriso úmido. A palidez e confusão do seu rosto são a própria tarde que se decompõe. Daqui a um minuto será noite e estaremos irremediavelmente separados pelas circunstâncias atmosféricas, eu em terra firme, ele no meio do mar. Único e precário agente de ligação entre nós, seu sorriso cada vez mais frio atravessa as grandes massas líquidas, choca-se contra as formações salinas, as fortalezas da costa, as medusas, atravessa tudo e vem beijar-me o rosto, trazer-me uma esperança de compreensão. Sim, quem sabe se um dia o compreenderei?
"Café", de Cândido Portinari
Marcos. Capítulo 6.
35.
E, como o dia fosse já muito adiantado, os seus discípulos se aproximaram dele, e lhe disseram: O lugar é deserto, e o dia está já muito adiantado.
36.
Despede-os, para que vão aos lugares e aldeias circunvizinhas, e comprem pão para si; porque não têm que comer.
37.
Ele, porém, respondendo, lhes disse: Dai-lhes vós de comer. E eles disseram-lhe: Iremos nós, e compraremos duzentos dinheiros de pão para lhes darmos de comer?
38.
E ele disse-lhes: Quantos pães tendes? Ide ver. E, sabendo-o eles, disseram: Cinco pães e dois peixes.
39.
E ordenou-lhes que fizessem assentar a todos, em ranchos, sobre a erva verde.
40.
E assentaram-se repartidos de cem em cem, e de cinqüenta em cinqüenta.
41.
E, tomando ele os cinco pães e os dois peixes, levantou os olhos ao céu, abençoou e partiu os pães, e deu-os aos seus discípulos para que os pusessem diante deles. E repartiu os dois peixes por todos.
42.
E todos comeram, e ficaram fartos.
João. Capítulo 6
19
Depois de terem remado cerca de cinco ou seis quilômetros, viram Jesus aproximando-se do barco, andando sobre o mar, e ficaram aterrorizados.
20
Mas ele lhes disse: "Sou eu! Não tenham medo!"
Mateus. Capítulo 14
25
Alta madrugada, Jesus dirigiu-se a eles, andando sobre o mar.
26
Quando o viram andando sobre o mar, ficaram aterrorizados e disseram: "É um fantasma!" E gritaram de medo.
27
Mas Jesus imediatamente lhes disse: "Coragem! Sou eu. Não tenham medo!"
28
"Senhor", disse Pedro, "se és tu, manda-me ir ao teu encontro por sobre as águas".
29
"Venha", respondeu ele.
Então Pedro saiu do barco, andou sobre as águas e foi na direção de Jesus.
30
Mas, quando reparou no vento, ficou com medo e, começando a afundar, gritou: "Senhor, salva-me!"
31
Imediatamente Jesus estendeu a mão e o segurou. E disse: "Homem de pequena fé, por que você duvidou?"
Êxodo. Capítulo 14
21
. Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o SENHOR fez retirar o mar por um forte vento oriental toda aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas.
(...)
26.
E disse o SENHOR a Moisés: Estende a tua mão sobre o mar, para que as águas tornem sobre os egípcios, sobre os seus carros e sobre os seus cavaleiros.
27.
Então Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o mar retornou a sua força ao amanhecer, e os egípcios, ao fugirem, foram de encontro a ele, e o SENHOR derrubou os egípcios no meio do mar,
28.
Porque as águas, tornando, cobriram os carros e os cavaleiros de todo o exército de Faraó, que os haviam seguido no mar; nenhum deles ficou.
Os soldados repressores, do Estado Novo, não podem impedir pois a própria imagem do operário é perturbadora.
Elite (Drummond)

Classe operária:

Divisão de classes aparentemente insolúvel
Realizado por:
Beatriz Allen, Gabriela Diniz e Júlio César Dias.

Referências
estaticog1.globo.com/2014/vestibular/unicamp/2fase/oficina/Q08.pdf
Acesso em 21/09/2014 às 19:31
passeiweb.com/estudos/livros/operario_do_mar_poema_drummond
Acesso em 22/09/2014 às 20:15
pt.metapedia.org/wiki/Guerra_de_Inverno
Acesso em 22/09/2014 às 20:22
infoescola.com/historia-do-brasil/marcha-para-o-oeste/
Acesso em 22/09/2014 às 20:34
cneconline.com.br/exames-educacionais/vestibular/seriados/mg/ufjf/
2007/ufjf-pism-2007-0-prova-completa-2a-etpa-c-gabarito.pdf
Acesso em 22/09/2014 às 20:51
eduq.com.br/download/resumos/resumo-sentimentodomundo-carlosdrummonddeandrade.PDF
Acesso em 22/09/2014 às 21:22

Agradecimentos
Professora Renata
Dúvidas que pairavam na sociedade sobre o destino do
operariado, que acabara de se consolidar no Brasil com a agressiva política urbanizadora e industrializadora, mas que ainda não se constituíra como consciência de classe
"Vejo-o que se volta e me dirige": unificação (nós)
"um sorriso úmido": esperança
A Guerra de Inverno
Quando:
30/11/1939 a 14/12/1940
Causas:
Após 3 meses do início da 2ª Guerra Mundial, URSS atacou a Finlândia querendo anexá-la, com o pretexto do Incidente de Mainila, uma operação falsa onde os soviéticos dispararam contra si mesmos, acusando os finlandeses.
Consequências:
Resistência finlandesa e tratado de paz, cedendo 10% do território finlandês e 20% da sua capacidade industrial à URSS.
Marcha para o Oeste
O que foi
: Projeto dirigido pelo governo Getúlio Vargas no período do Estado Novo, para ocupar e desenvolver o interior do Brasil.
Quando:
Lançado na véspera de 1938, e nas palavras de Vargas, a Marcha incorporou "o verdadeiro sentido de brasilidade".
Problemática:
Mais de 90% da população brasileira ocupava cerca de um terço do território nacional. Muitos índios fugiram para o interior justamente por estas razões. Mas os seus dias de isolamento, anunciava o governo então, estavam contados.
A Grande Depressão
Causas:
Diminuição das exportações para a Europa,e aumento dos estoques de produtos americanos. Ações se desvalorizaram muito em poucos dias.

Consequências:
Pessoas muito ricas, da noite para o dia, pobres. Enorme número de falências de empresas e o desemprego em cerca de 30% dos trabalhadores.

Efeitos no Brasil:
Os Estados Unidos eram o maior comprador do café brasileiro. A importação dele diminuiu muito e os preços caíram. Para que não houvesse uma desvalorização excessiva, o governo brasileiro comprou e queimou toneladas de café, diminuindo a oferta.

New Deal:
O governo norte-americano passou a controlar os preços e a produção das indústrias e das fazendas, controlando a inflação e evitar a formação de estoques. Houve investimento em obras públicas, conseguindo diminuir significativamente o desemprego.

1940: Roosevelt reeleito e economia americana recuperada
Poema em prosa
Realidade fantástica
Ritmo
Narrativo e em 1ª pessoa do singular
Escape da linguagem poética
material (versos)
Base surrealista
Painel-definição que explicita a grande diferença social entre operários e
não-operários
Evidencia:
1) O sentimento socialista de Drummond que iria espraiar-se 5 anos após
Sentimento do mundo
, na publicação de
Rosa do povo
;

2) A visão-de-mundo onírica e bem poética de um operário universalizado no apóstolo Pedro:
aos humildes: a magia divina, aos prepotentes: a inveja.
Antíteses e
Paradoxos
Capitalismo
Comunismo
Fonte de água
Fonte de calor
Caminhar
Sustar a marcha
Caminhar
Cansar-se
Andar firme
Ausência de destino

Circunstâncias atmosféricas
=
Circunstâncias naturais, como a divisão de classes
"Significação estranha no corpo":
Algo que o separa dos demais, assim como a Estrela de Davi era uma significação levada nas roupas por judeus na 2ª Guerra Mundial
"fortalezas da costa": formações resistentes
"medusas": formações falsas ou perigosas
Drummond se solidariza com a classe operária
Até então, o poema é trabalhado com contrastes (discordâncias). Drummond o finaliza com um "sim", uma concordância que transmite sua esperança
Full transcript