Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Nervo facial (VII)

Fundamentos dos Sistemas do Corpo Humano II
by

Ricardo Ferraz

on 6 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Nervo facial (VII)

Nervo facial (VII) Fibras motoras viscerais especiais:
– Músculos da expressão facial e outros.

Fibras motoras viscerais gerais:
– Glândula lacrimal, submandibular e sublingual.
– Glândulas associadas com as mucosas da cavidade nasal, seios paranasais, nasofaringe e parte da cavidade oral.

Fibras sensitivas especiais:
– Papilas gustativas dos 2/3 anteriores da língua e no palato.

Fibras sensitivas gerais:
– Pequena área em redor do meato acústico externo. Nervo Facial

– Inerva todos os músculos subcutâneos da cabeça e pescoço, os músculos dos ossículos do ouvido e alguns dos músculos do véu do palato

– Por um dos seus ramos, o nervo corda do tímpano faz a secreção salivar das glândulas submandibular e sublingual e é responsável pelo gosto dos 2/3 anteriores da língua

– É formado por uma raiz motora (o facial propriamente dito) e outra sensitiva (o nervo intermédio) Ramos Colaterais
• Intrapetrosos
(originados no aqueduto do facial)
- Nervo do músculo do estribo
- Ramo anastomótico com o nervo
vago (termina no gânglio superior
do vago)
- Ramo anastomótico com o
plexo timpânico
- Corda do tímpano
(canal posterior da corda -
porção posterior superior da cavidade timpânica - canal anterior da corda - nervo lingual)
- Ramo sensitivo do C.A.E. Origem aparente ao nível do sulco bulboprotuberancial, imediatamente superior à oliva.
O nervo facial possui um território de enervação muito extenso e possui duas raixes. – Ramos colaterais

• Intrapetrosos
(originados no aqueduto do facial)

- Nervo petroso maior (depois de se
destacar do ganglio geniculado, sai da parte petrosa do temporal pelo buraco do nervo petroso maior, recebe o nervo petroso profundo (ramo do plexo carotídeo) formando o nervo do canal pterigoideu, aferente do gânglio pterigopalatino) Raíz motora Raíz sensitiva Surge no sulco bulboprotuberancial, medialmente à raiz sensitiva e é o conjunto de projecções eferentes viscerais especiais provenientes do núcleo motor do facial, que se localiza ao nível da protuberância.

Esta raiz vai enervar os músculos derivados do segundo arco branquial, que são os músculos da mímica, musculo estapédio, ventre posterior do digástrico, musculo estilohioideu e músculos do pavilhão auricular. Menor que a raiz motora do facial e é muitas vezes designada de nervo intermédio e possui dois tipos de informação aferente – aferente somática geral para a concha do pavilhão auricular; e aferente visceral especial para os 2/3 anteriores da língua através da corda do tímpano e para o palato.

A raiz sensitiva tem também associada um componente eferente pré-ganglionar parassimpático, ou seja eferências viscerais gerais para as glândulas salivares submandibular e sublingual, glândulas lacrimais e glândulas nasais e palatinas. – Ramos colaterais

• Extrapetrosos
(nascem por baixo do
buraco estilo-mastoideu)
- Nervo auricular posterior
- Ramo occipital
- Ramo auricular
– Ramo do ventre posterior do
digástrico e do estilo-hióideu
– Ramo lingual (inconstante) - Ramo anastomótico com o nervo glossofaríngeo – origina-se inferiormente ao buraco estilomastoideu, contorna a veia jugular interna e anastomosa-se com o nervo glossofaríngeo, constituindo a
Ansa de Haller, que inerva os músculos estilo-faríngeo, estilo-glosso
e a mucosa da língua atrás do V
lingual Nervo facial - ramos terminais Ramos temporais
Inervam o pavilhão auricular e os músculos cutâneos entre as pálpebras, ventre frontal do músculo occipito-frontal, músculo supra-ciliar, piramidal do nariz e orbicular das pálpebras

Ramos zigomáticos
Músculo grande e pequeno zigomático, canino, nasal, mirtiforme, elevador do lábio superior e elevador da asa do nariz.

Ramos bucais
Músculo Bucinador, orbicular dos lábios, risório.

Ramo marginal da mandíbula
Músculos cutâneos da região
mentoniana

Ramo cervical
Inerva o músculo platisma e anastomosa-se
com o transverso do pescoço. Núcleo salivatório superior – faz parte da coluna eferente visceral geral do
parassimpático e localiza-se no tronco cerebral.

Origina as fibras pré-ganglionares
parassimpáticas que partem do SNC em associação com a raiz sensitiva do facial. Núcleo motor do facial – localizado ventrolateralmente no tegmento da porção caudal da
protuberância (substância reticular), em linha com outros núcleos eferentes viscerais especiais na
coluna eferente visceral especial. Recebe essencialmente eferências corticais e possui uma parte superior ou rostral e uma parte inferior ou caudal.

- Parte superior ou rostral – enervação da metade superior da face. Recebe aferencias
corticonucleares bilaterais.
- Parte inferior ou caudal – enervação da metade inferior da face e recebe aferencias
contralaterais. 1. Núcleo do feixe solitário

2. Núcleo Salivatório Superior

3. Núcleo motor do facial Componente central
Nervo Facial (VII) - Glândula lacrimal

- Glândulas nasais e palatinas

- Glândulas submandibular e sublingual É importante referir que se considera o núcleo do feixe solitário como um componente nuclear do facial. Trajeto do nervo fora do crânio Trajeto do nervo dentro do crânio Lesão infra-nuclear ou periférica do núcleo motor do facial – paralisia de Bell ou periférica do facial. - Metade superior do facial – muito afectada devido à enervação ser bilateral, pelo que afecta os dois lados – incapacidade do doente cerrar as pálpebras

- Metade inferior do facial – desvio da comissura labial para o lado não afectado eapagamento das rugas de expressão. Exame Clinico Exame das funções motoras
Exame dos reflexos
Exame das funções sensoriais
Exame das funções secretoras Desordens da função Lesão supra-nuclear ou central do núcleo motor do facial – paralisia central ou supranuclear do facial. - Ocorre no feixe corticonuclear

- Metade superior do facial – recebe informação bilateral, pelo que se a lesão for unilateral continua a receber a informação – metade superior da face continua a ser enervada.

- Metade inferior do facial – recebe informação contralateral, pelo que se a lesão for unilateral, o lado contralateral á lesão deixará de ser enervado – assimetria da metade inferior da face com apagamento das rugas de expressão do lado lesado e desvio da comissura labial para o lado em que ocorreu a lesão do feixe corticonuclear. - Ocorre em qualquer local do trajecto das fibras eferentes, distal ao núcleo motor do facial.
- Lesão do tronco facial leva a que todos os músculos da mímica não recebam a informação. Outras causas de fraqueza facial periférica

- No parênquima pontino

- No trajeto do nervo

- Paralisia facial central Estimulo exteroceptivo


Nervos ciliares longos


Nervo nasociliar


Divisão oftálmica


Feixe espinhal do trigémio


Núcleo espinhal do trigémio


Informação é integrada na formação reticular da protuberância onde há projecção bilateral para
os núcleos motores dos faciais (reflexo directo e reflexo consensual)


Nervos faciais


Ramos zigomáticos dos plexos parotídeos


Músculos orbiculares dos olhos


Encerramento dos dois olhos Reflexo estato-acustico Reflexo que permite que aquando de um estímulo sonoro muito intenso, haja contracção do músculo estapédio e deste modo é possível que o estribo seja travado – protege contra a sensibilidade em termos de ondas sonoras com decibéis muito elevados.

Aquando de uma lesão do nervo para o músculo estapédio, este reflexo está comprometido e o indivíduo sofre de hiperacúsia. Reflexo corneano
Para a compreensão do reflexo corneano importa referir que o nervo trigémio funciona
aqui como uma via aferente e o nervo facial funciona como via eferente. Bibliografia 1.BRODAL, A. ANATOMIA NEUROLÓGICA COM CORRELAÇOES CLÍNICAS.
3ª EDIÇÃO, SÃO PAULO, ROCA, 1984, p.888.

2. Sobotta - Atlas de Anatomia Humana. 2012 NOVA GUANABARA.

3. CASAS, A.P & GONZÁLEZ, M.E.B. MORFOLOGÍA, ESTRUTURA Y
FUNCIÓN DE LOS CENTROS NERVIOSOS. TERCERA EDICIÓN, MADRID,
EDITORIAL PAZ MONTALVO, 1977, p. 901.

4. CARPENTER, M.B. FUNDAMENTOS DE NEUROANATOMIA. QUARTA
EDIÇÃO, MARYLAND, PANAMERICANA, 1999, p. 458.

5. Netter F; Atlas of Human Anatomy, 4th Edition. Elsivier, 2006

6. DeJONG, RN. THE NEUROLOGIC EXAMINATION. FOURTH EDITION,
MARYLAND, HARPER & ROW, 1979. p.840.

7. ROPPER, A.H and BROWN, R.H. ADAMS and VICTOR’S: PRINCIPLES OF
NEUROLOGY. EIGHTH EDITION, NEW YORK, McGRAW HILL, 2005, p.1382. Fig. 1 Trajeto nervo facial
Fonte: Netter F; Atlas of Human Anatomy Fig.2 Ilustração nervo facial
Fonte: http://1.bp.blogspot.com/-RmAFENYaws8/UEEQctB9GXI/AAAAAAAAAGE/eWsbCI-cSm0/s1600/nervofacialvistacoronal.jpg Fig.3
Fonte: Netter F; Atlas of Human Anatomy Fig.4
Fonte: Netter F; Atlas of Human Anatomy Fig.5
Fonte: Netter F; Atlas of Human Anatomy Fig.6
Fonte: Netter F; Atlas of Human Anatomy Fig.7
Fonte: Netter F; Atlas of Human Anatomy Fig.8
Fonte: Netter F; Atlas of Human Anatomy Fig.9
Fonte: Netter F; Atlas of Human Anatomy Fig. 10 Trajeto nervo facial dentro do cranio
Fonte: Dejong, 05 Fig. 11 Trajeto nervo
facial fora do crânio
Fonte: Dejong, 05 Fig. 12
Fonte:http://www.auladeanatomia.com/neurologia/tri.gif Fig. 13
Fonte:http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSEYnD3MJYVhTCZBbZfu5S6DpDE4fVjHYgdjvtxpUzZKwYYQqyc7g Fig. 14
Fonte:http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSEYnD3MJYVhTCZBbZfu5S6DpDE4fVjHYgdjvtxpUzZKwYYQqyc7g Fig.16
Fonte:http://s3.amazonaws.com/magoo/ABAAAAmAcAA-0.png Fig.16 Cartaz informatico - Parelesia de Bell
Fonte:http://imgsapp.em.com.br/app/noticia_127983242361/2010/09/15/180024/20100915174705986724e.jpg Fig.17
Fonte: Fig. 18 Fonte: Elsevier, Swartz: Text book of Physical Diagnosis 5e. www.studentconsult.com Fi Fig.19 Exame clinico nervo facial Fonte: Fig. 20 Exame clínico
nervo facial Esquema 1 - Reflexo corneano Fundamentos dos Sistemas do Corpo Humano II 2012/2013 Fundamentos dos Sistemas do Corpo Humano II 2012/2013 Docente: Dra. Bebiana Conde

Discentes:
Ana Rita Carmo n.º 2180
António Sousa n.º 2190
Cátia Sousa n.º 2168
Daniela Freitas n.º 2139
Diana Martins n.º 2135
Maria Ines Rebelo n.º 2148
Ricardo Ferraz n.º 2131
Full transcript