Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

DOIS ENCONTROS COM JESUS

No description
by

Claudimar José Abreu

on 2 July 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of DOIS ENCONTROS COM JESUS

TÃO RICO E TÃO POBRE
Como o jovem rico, indagam qual seja o caminho da vida; mas quando este lhes é apresentado e avaliado o custo, e vêem que se exige o sacrifício das riquezas terrenas, concluem que o Céu é caro demais. Quanto maiores os tesouros acumulados na Terra, tanto mais difícil será a seu possuidor reconhecer que eles não lhe pertencem, mas lhe foram emprestados a fim de serem usados para a glória de Deus. Jesus aproveita, aqui, a oportunidade de dar aos discípulos uma lição impressiva: "Disse, então, Jesus aos Seus discípulos: Em verdade vos digo que é difícil entrar um rico no reino dos Céus. ... É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus." Mat. 19:23 e 24.
Conselho Sobre Mordomia pág. 150


Tão rico e tão pobre
O JOVEM RICO
Eis que alguém se aproximou de Jesus e lhe perguntou: "Mestre, que farei de bom para ter a vida eterna?" Respondeu-lhe Jesus: "Por que você me pergunta sobre o que é bom? Há somente um que é bom. Se você quer entrar na vida, obedeça aos mandamentos." "Quais?" perguntou ele. Jesus respondeu: "'Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não darás falso testemunho, honra teu pai e tua mãe' e 'Amarás o teu próximo como a ti mesmo" Disse-lhe o jovem: "A tudo isso tenho obedecido. O que me falta ainda?" Jesus respondeu: "Se você quer ser perfeito, vá, venda os seus bens e dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro nos céus. Depois, venha e siga-me." Ouvindo isso, o jovem afastou-se triste, porque tinha muitas riquezas. Então Jesus disse aos discípulos: "Digo-lhes a verdade: Dificilmente um rico entrará no Reino dos céus. E lhes digo ainda: É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus." Ao ouvirem isso, os discípulos ficaram perplexos e perguntaram: "Neste caso, quem pode ser salvo?" Jesus olhou para eles e respondeu: "Para o homem é impossível, mas para Deus todas as coisas são possíveis."
MATEUS 1 9 : 1 6 - 2 6
Jesus dele [do rico e jovem príncipe] exigiu apenas que fosse onde Ele mostrasse o caminho.
Conselho Sobre Mordomia pág. 151

Jesus olhou com amor para o jovem e fielmente lhe mostrou sua deficiência na observância da lei divina. Não amava ao
próximo como a si mesmo. Seu amor egoísta às riquezas era um defeito, que, se não fosse reparado, o excluiria do Céu. "Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no Céu; e vem e segue-Me." Mat. 19:21.
Conselho Sobre Mordomia pág. 210

Esse jovem talvez estivesse vendo e ouvindo Jesus tomando as crianças em seu colo e as abençoando pelo Seu poder soberano. Esse jovem muito provavelmente estava nesse local, observava as atitudes do Mestre, via-o proferir palavras de bênção à crianças tão pequenas e aparentemente indefesas.
Alcançando a Jesus, nosso jovem pergunta: "Bom Mestre, que bem farei para conseguir a vida eterna?" (Mt 19.16). Talvez, perplexo por ter Jesus abençoado somente as crianças e não ter chamado também os mais crescidos, nosso jovem pergunta o que ele deve fazer para também ter a vida eterna assim como Ele havia-a dado àquelas crianças de pequena idade (a palavra em grego para crianças, nessa narrativa, denota crianças de colo, gente de muita pouca idade).
A declaração deixa o jovem consternado e os discípulos desconcertados. A pergunta deles: — Quem, então, pode ser salvo? A resposta de Jesus choca os ouvintes: — Para o homem isso é impossível...

Ao jovem rico, foram lembrados os mandamentos relacionados à convivência social, porque é ali que o pecado da cobiça provoca os maiores danos e a riqueza se transforma em maldição.

Quando o jovem rico se retirara de Jesus, maravilharam-se os discípulos de ouvir o Mestre dizer: "Quão difícil é, para os que confiam nas riquezas, entrar no reino de Deus!" Exclamaram uns para os outros: "Quem poderá pois salvar-se?" Mar. 10:24 e 26. Agora, tinham uma demonstração das palavras de Cristo: "As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus." Luc. 18:27. Viram como, por meio da graça divina, um rico podia entrar no reino.
O Desejado de Todas as Nações pág. 555
Muitos como este jovem se encontra com Jesus mas não consegue estabelecer um relacionamento com Ele, porque Jesus fala coisas que muitos não gosta de ouvir.
Deus não está preocupado com o que gostamos de ouvir, mas com que precisamos em primeiro lugar.

A questão é que os judeus pensavam que a riqueza era um sinal da aprovação divina, assim como foi com Abraão, Jó, Davi e outros ricos do Antigo Testamento. Acreditavam que quanto maior a sua riqueza, maiores seriam as obras de caridade e, consecutivamente, maior seria o seu galardão no céu. Estavam equivocados.

— O que devo fazer?
— Se quer ganhar a vida eterna, deve obedecer aos mandamentos.
— Quais? — Ele pergunta.
Jesus responde a suas expectativas:
— Não matar, não cometer adultério, não roubar, não dar falso testemunho, honrar a seus pais e amar a seu próximo como a si mesmo.

Os mandamentos enumerados, seja em Marcos, seja em Mateus ou Lucas são os mandamentos com implicações sociais, relativos ao amor ao próximo. É nesse campo das relações com o próximo que o rico tem ocasião de falhar, devido à ganância de possuir. O homem afirma que tem guardado todos esses mandamentos (Mt 19,18-19; Ex 20,1-17).
A pergunta que tinha a intenção de mostrar ao jovem como ele estava longe do ideal só fez com que ele se achasse mais importante ainda.
Jesus vai direto ao ponto:
— Se você quer ser perfeito, então vá vender suas posses e dê tudo aos pobres, assim terá tesouros no Céu.

É bom lembrar mais uma vez Gn 12,1-3: “Quando ao patriarca Abraão foi prometido terra, descendência numerosa, também o Senhor lhe pediu que ele fosse uma bênção”. Nesse sentido, ser rico, para Deus, é ser instrumento de bênção para o próximo. Com razão, Deuteronômio relata que “não haverá nenhum pobre porque o Senhor vai abençoar-te” (Dt 15,4). Entende-se que não haverá pessoas sofrendo necessidades básicas enquanto acontecer a bênção da partilha. No entanto, o texto volta a dizer que “sempre haverá pobres”. Por isso, a exortação da ajuda para abrir a mão e não negar auxílio aos pobres continua válida (Dt 15,7-8).
Ao jovem rico, foram lembrados os mandamentos relacionados à convivência social, porque é ali que o pecado da cobiça provoca os maiores danos e a riqueza se transforma em maldição.
Zaqueu não convidou Jesus para entrar em sua casa. Pelo contrário, a iniciativa partiu única e exclusivamente de Jesus: “Zaqueu, desce depressa, pois me convém ficar hoje em tua casa” (v. 5). Só após a palavra de Jesus foi que Zaqueu desceu.
Antes havia um pecador curioso, querendo saber quem era esse Jesus.
Agora Jesus se convidou a entrar em sua casa, Zaqueu aceitou esse encontro, houve arrependimento, conversão e mudança de atitude e pleno conhecimento de como deveria agir.
Ele não se sentiu culpado por ser pecador, mas sim arrependido e disposto a que Jesus entrasse em sua casa . E o recebeu com alegria.
Lc 15:7
Tendo Jesus entrado em Jericó, ia atravessando a cidade.
Havia ali um homem chamado Zaqueu, o qual era chefe de publicanos e era rico.
Este procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, porque era de pequena estatura.
E correndo adiante, subiu a um sicômoro a fim de vê-lo, porque havia de passar por ali.
Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa; porque importa que eu fique hoje em tua casa.

Desceu, pois, a toda a pressa, e o recebeu com alegria.
Ao verem isso, todos murmuravam, dizendo: Entrou para ser hóspede de um homem pecador.
Zaqueu, porém, levantando-se, disse ao Senhor: Eis aqui, Senhor, dou aos pobres metade dos meus bens; e se em alguma coisa tenho defraudado alguém, eu lho restituo quadruplicado.
Disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, porquanto também este é filho de Abraão.
Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.
Lucas 19:1-10

Zaqueu ficou abismado, num deslumbramento, e silencioso em face do amor e da condescendência de Cristo em rebaixar-Se até ele, tão indigno. Então o amor e a lealdade para com o Mestre que acabava de achar, lhe descerraram os lábios. Resolveu fazer pública sua confissão e arrependimento. Em presença da multidão, "levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado". Luc. 19:8.
O Desejado de Todas as Nações pág. 555


Zaqueu começou imediatamente a obedecer à convicção que dele tomara posse, e a fazer restituição àqueles a quem prejudicara.
Começara já a volver atrás, quando soaram em Jericó as novas de que Jesus vinha entrando na cidade. Zaqueu decidiu vê-Lo. Principiava a compreender quão amargos são os frutos do pecado, e quão difícil é a senda daquele que busca voltar de uma carreira de erros.
O Desejados de Todas as Nações pág. 553

Note, que é Jesus que vai de encontro a Zaqueu, muitas vezes buscamos o mérito de ter encontrado a Cristo ou ter ido de encontro a Igreja, mas é sempre Cristo que vem ao nosso encontro. Ele por sua imensa graça morreu pelos nossos pecados, nunca um pecador poderia encontrar a salvação sem o intermédio de Cristo. Havia chegado o momento de Zaqueu se ele aceitase Jesus em sua casa sua vida iria sofrer mudanças.
"Chefe dos publicanos", Zaqueu era israelita, e detestado de seus patrícios. Sua posição e fortuna eram o prêmio de uma carreira que aborreciam, e considerada sinônimo de injustiça e extorsão.
O Desejados de Todas as Nações pág. 553


Zaqueu
O Camelo e o buraco de uma agulha. “Em verdade vos digo que um rico dificilmente entrará no reino dos céus. E ainda vos digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus” (Mt 19:22-24).
- O jovem disse que praticava todas as coisas, mas tinha uma fé mecânica (fé que não entra no céu).
- Zaqueu desceu da árvore e da auto suficiência começa trazendo para si o posicionamento de humilhação.
- O jovem tinha uma árvore para descer porque estava posicionado em um lugar que exigia que descesse e não desceu e teve uma dinâmica fracassada.
- Zaqueu teve sua vida mudada.
Seu amor egoísta às riquezas era um defeito, que, se não fosse reparado, o excluiria do Céu.
Conselho Sobre Mordomia pág. 210

Romanos 12:2
E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.
Full transcript