Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Coréia do Norte

No description
by

Silvia Beltrane Cintra

on 15 May 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Coréia do Norte

O conflito Coreia do Sul e Coreia do Norte vem desde a Guerra Fria. No final da Segunda Guerra Mundial, instaurou-se a doutrina Truman, disseminada pelo então presidente dos Estados Unidos Harry Truman, e que tinha como objetivo conter o avanço soviético e a expansão do comunismo, estava iniciada então a Guerra Fria. Nesse contexto tropas soviéticas ocuparam a Coreia do Norte e tropas americanas ocuparam a Coreia do Sul, essas trupas se retiraram, porém se organizou em ambos os países políticas pró União Soviética e posteriormente pró China e no caso da Coreia do Sul as políticas eram voltadas para os Estado Unidos. Após a retirada das tropas a tensão entre as duas Coreias chegou as vias de fato, entre 1950 e 1953 aconteceu uma guerra entre as duas Coreias. Em 1953 foi estabelecido um cessar fogo, mas formalmente o conflito ainda não terminou, e a ameaça de uma guerra entre os dois países é constante. Como na Guerra Fria não tinha enfrentamento direto entre as duas potências URSS e EUA e consequentemente entre os seus aliados, nesse período a tensão entre as coreias permaneceu mas sem o conflito armado. Com o final da Guerra Fria, a abertura do leste europeu e o fim da URSS, a Coreia do Norte continuou um país muito fechado. Atualmente é uma ditadura, o governo foi passado de pai para filho e eles sofrem várias sanções internacionais. A tensão instaurada atualmente entre Coreia do Norte e do Sul, se deve a um novo teste nuclear realizado em 12 de fevereiro de 2013, segundo o Regime Norte Coreano, tais teste fazem parte de um plano para defender a soberania do país. Em 2006 e 2009 o pais o atual ditador Kim Jong-un, também conhecido como Kim Jong-woon, já havia feito outros testes nuclear, mas este foi o primeiro teste do atual ditador. O que foi considerado por Estados Unidos e Coreia do Sul como uma provocação. Nesse contexto a ONU aplicou novas sanções/embargos dificultando as relações comerciais de outros países com a Coreia do Norte, está por sua vez disse que o armistício (estágio antes do tratado de paz) de 1953 não tinha mais validade, e a Coreia do Sul e os Estados Unidos começaram a fazer manobras militares. Paz impossível, guerra improvável? Em 2002 o então presidente dos EUA George W. Bush, usou a denominação eixo do mal para designar os países contrários aos EUA (Irã, Iraque e Coreia do Norte). Desde o ataque às Torres Gêmeas a orientação dos EUA é de não esperar que a ameaça se concretize, agir antecipadamente. Nesse cenário, a Coreia do Norte apresenta-se como um inimigo bem equipado, com antecedentes de agressividade e de desprezo contra os EUA. Por outro lado, a Coreia do Norte passa por extremas dificuldades, a população vive em condições muito precárias, e a mobilização acaba por motivar e unir um povo, ainda mais quando se tem um inimigo externo. Para convencer o povo a aderir ao conflito, a máquina de propaganda estatal da Coreia do Norte se vale do poder de controle sobre o povo. Mas o conflito de fato não é interesse de nenhuma das suas Coreias, pois pelo lado da Coreia do Sul a sua economia seria extremamente abalada por uma guerra, e do lado da Coreia do Norte o país não conseguiria se manter muito tempo na guerra a ponte de vencê-la. O mais interessante e midiático talvez se a possiblidade da guerra, não a sua efetividade. Por falar em mídia... Segundo o Observatório da Imprensa”:

“A cobertura da imprensa sobre o caso norte-coreano tem se pautado por agências de notícias internacionais, mas, evidentemente, com viés ocidental: os coreanos são vistos como os ameaçadores do mundo de paz. Kim Jong-un – apresentado como “Grande Sucessor” de seu pai, morto em 2011, pela televisão estatal norte-coreana – é para a grande imprensa quase um “Saddam Hussein”. Não se espantem se Kim Jong-un for o próximo vilão nos filmes de Batman, Superman ou James Bond. É verdade que Kim Jong-um, nascido em 1983, estudou na Suíça, embora tenha renunciado às influências ocidentais quando regressou. Mas, aqui, talvez falte à mídia brasileira e mundial, ao menos tentar ouvir o outro lado dessa ameaça de confronto. Colocar o princípio básico do jornalismo que é investigar e tentar ouvir o outro lado. Mas, parece não haver muito interesse nisso.”

http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/_ed742_a_midia_faz_o_conflito_frio_da_coreia_do_norte Coreia do Norte, oficialmente República Democrática Popular da Coreia, é um país do Leste Asiático que ocupa a metade norte da Península da Coreia. Sua capital e maior cidade é Pyongyang.
Capital: Pyongyang
Área: 120.540 km²
Primeiro ministro: Pak Pong-ju
População: 24,45 milhões (2011) Banco Mundial
Líder supremo: Kim Jong-un
Governo: Estado unitário, Estado socialista, Totalitarismo
Full transcript