Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

kajsaxjmax

No description
by

Thais Bonareli

on 25 May 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of kajsaxjmax

Informações Gerais

História da Biblioteca
A biblioteca recebe o nome do ex-aluno Nilson Spósito desde 1981, ano de sua morte. O nome foi uma homenagem aquele que, enquanto aluno, incentivava a leitura dos colegas por meio de organização de empréstimo de livros.
Referencial teórico

CAMPELLO, Bernadete, et. al. Parâmetros para bibliotecas escolares brasileiras: fundamentos da sua elaboração I. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v.21, n.2, p. 105-120, maio/ago. 2011.

COPPOLA JUNIOR, Claudinei; CASTRO FILHO, Claudio Marcondes. Bibliotecas escolares no ensino fundamental: caminhos para implantação. Biblionline, João Pessoa, v. 8, n. 2, p. 3-15, 2012.

NASCIMENTO, A. M. ; CASTRO FILHO, C. M. . Retrato das Bibliotecas Escolares da Rede Estadual de Ensino do Município de Ribeirão Preto - SP. Biblionline (João Pessoa), v. 3, p. 1-15, 2007.

Legislação

Leis que regulamentam esta biblioteca:
Lei Federal Nº 12.244, de 24 de maio de 2010
, que determina a obrigatoriedade das bibliotecas escolares nas instituições de ensino com o bibliotecário,
“Art. 1º
As instituições de ensino públicas e privadas de todos os sistemas de ensino do País contarão com bibliotecas, nos termos desta Lei.
Art. 2º
Para os fins desta Lei, considera-se biblioteca escolar a coleção de livros, materiais videográficos e documentos registrados em qualquer suporte destinados a consulta, pesquisa, estudo ou leitura.
Parágrafo único. Será obrigatório um acervo de livros na biblioteca de, no mínimo, um título para cada aluno matriculado, cabendo ao respectivo sistema de ensino determinar a ampliação deste acervo conforme sua realidade, bem como divulgar orientações de guarda, preservação, organização e funcionamento das bibliotecas escolares.
Art. 3º
Os sistemas de ensino do País deverão desenvolver esforços progressivos para que a universalização das bibliotecas escolares, nos termos previstos nesta Lei, seja efetivada num prazo máximo de dez anos, respeitada a profissão de Bibliotecário, disciplinada pelas Leis nos 4.084, de 30 de junho de 1962, e 9.674, de 25 de junho de 1998.
Art. 4º
Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.”.
(BRASIL, Lei Federal Nº 12.244, 2010)

Lei Estadual 5.301/86,
dispõe sobre obrigatoriedade da existência de local adequado para a biblioteca nos prédios escolares estaduais,

Artigo 1º
- Os prédios das escolas estaduais a serem construídos deverão contar, obrigatoriamente, com local adequado para biblioteca.
Artigo 2º
- O Poder Executivo determinará providências para que as escolas já construídas sejam dotadas da dependência de que trata o artigo anterior, no prazo de um ano.
Artigo 3º
- A lei orçamentária do exercício em que se der o cumprimento desta lei proverá recursos hábeis para atender às respectivas despesas.
Artigo 4º
- Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.”
(SÃO PAULO, Lei Estadual 5.301, 1986)

Introdução

Utilizaremos quatro itens para a análise desta biblioteca, tendo eles sido apontados na pesquisa de Aline Mendes do Nascimento e Cláudio Marcondes de Castro Filho (2007)
“Retrato das bibliotecas escolares da Rede Estadual de Ensino do Município de Ribeirão Preto - SP”
, como recursos básicos para uma biblioteca de qualidade, visto que em nosso país a legislação, apesar de apontar para a obrigatoriedade deste espaço, não oferece nenhum documento que delineie um espaço "ideal", um acervo "ideal".

Os quatro itens de análise são: recursos físicos, informativos, humanos e financeiros.

Novo recurso:
Pedagógico. Iniciativa do grupo

Recursos Humanos
De acordo com o Manifesto UNESP/IFLA (2002) o
"recursos humanos" é um dos elementos primordiais
da biblioteca.

Deve ser composto por:
um bibliotecário no qual se responsabiliza por administração e planejamento da organização desse ambiente e tal indivíduo deve ser qualificado para essa função.
Outro membro seria um auxiliar no qual contribuirá para o trabalho do bibliotecário.

É válido ressaltar que o bibliotecário irá trabalhar com toda comunidade escolar, pois juntos irão pensar e repensar práticas que contribuirão para o funcionamento desse espaço.
Outro aspecto que devemos evidenciar sobre quem seria esse profissional
De acordo com:

FURTADO
(2002) Formação em biblioteconomia e em educação;

MAYRINK
(1991) Título superior em bibliotecario, e formação de professor/ preferência nível superior.

MAS QUAL O PROBLEMA ATUAL?

Não tem profissionais nessa área qualificados;

São estabelecidas medidas pelo Estado de São Paulo, como a substituição desse profissional, por um professor de sala, denominado cargo readaptado/remanejado.

Observações na Biblioteca
As funcionárias da biblioteca observada
Profissional período da manhã:

Voluntária;
Ex funcionária da escola/APM/funcionária terceirizada;
Dois dias da semana permanece periodo todo;
Morava perto da escola.

Profissional período da tarde

Superior (pedagogia);
Especialização em alfabetização e administração e organização escolar;
Funcionária readaptada do Estado;
Aponsentada na prefeitura;
Possui uma doença crônica nas mãos, ás vezes necessita de atendimentos médicos e se ausenta da função;
Trabalha no período da tarde, atendendo os alunos desse período;

Recursos informativos
“Os recursos informativos compreendem todas as fontes de informações internas ou externamente acessíveis a partir da unidade, sejam elas de caráter bibliográfico ou não.”
(RAMOS, 1996 Apud NASCIMENTO e CASTRO FILHO, 2007, p. 5)
.

Acervo deve ser composto por materiais diversos;
Uma biblioteca deve possuir um acervo de
material bibliográfico, não bibliográfico e multimídia
.

“Por materiais bibliográficos são entendidos todos os
materiais impressos
: sejam livros, publicações periódicas, folhetos, etc. Na categoria dos não impressos são incluídos todo tipo de
material não impresso
: materiais audiovisuais, jogos, globo, etc. Já a coleção de materiais multimídias, é aquela formada por materiais advindos do desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação como: DVDs, CD-Roms, disquetes, entre outros.”
(FURTADO, 2005 Apud NASCIMENTO e CASTRO FILHO, 2007, p. 5).
Essa biblioteca tem um acervo de 5.000 livros.
Recursos Informativos bibliográficos
Que a biblioteca possui:

Enciclopédias;
Dicionários;
Gibis;
Jornais / revistas.

Que a biblioteca não possui:

Livros em Braile.

Recursos informativos não bibliográficos

Atlas;
Almanaques;
Mapas; Globos;
Coleções geológicas, biológicas, etc;
Kits para experiências científicas;
Jogos, brinquedos.
Recursos informativos multimídia

Fitas de vídeo;
DVD’s


CD’s;
CD ROM’s;
Fotos.

Recursos Espaciais/Recursos físicos
Para o desvelar de uma biblioteca escolar é necessário que exista em seu interior instalações que contemplem e auxiliem a prática dinâmica, informativa e lúdica que a biblioteca escolar agrega para a produção do conhecimento. Conforme afirma Ramos:
“Os recursos físicos tratam-se de outro elemento indispensável para a existência e funcionamento de uma biblioteca. Eles englobam itens como: mobiliário, instalações físicas, equipamentos e materiais de escritório e consumo em geral”
( RAMOS Apud NASCIMENTO e CASTRO FILHO, 2007.p,4).


Ao analisarmos a Biblioteca Nilson Spósito cuja a área é composta por 4m 81cm x 4m 39cm, num total de: 21, 16m², pode-se constatar em seus recursos físicos os seguintes itens:
01 cadeira para a responsável da biblioteca;
07 banquetas de ferro para os usuários;
01 expositor;
01 guarda-volumes;
01 mesa/balcão de atendimento;
01 arquivo/fichário;
11 estantes (07 de madeira e 04 de aço).

Não existe a disponibilidade de computadores nem para a responsável nem para os alunos.

Equipamentos como:
máquinas reprográficas-xerox;
aparelhos de som;
retroprojetores;
aparelhos de DVD;
aparelhos de CD;
aparelhos de multimídia (datashow);
scanners e impressoras;

existem na escola porém não no ambiente da biblioteca, ficam na sala da coordenação para o uso coletivo.






Portanto ao analisarmos a disposição física da biblioteca pode-se afirmar:
Além do mais, o fato do espaço biblioteca permanecer
a margem do coletivo escolar


“[...] Sempre que a escola precisava ampliar o número de matrículas, o espaço da biblioteca era o primeiro a ser reaproveitado como sala de aula.”
(CAMPELLO et. al., 2011, p. 106)

e no espaço visitado já foi adiantado que o
futuro da biblioteca é incerto
uma vez que nos foi informado a construção de um elevador para o acesso de alunos que se locomovem com cadeiras de rodas no local onde hoje é a biblioteca, deixando assim as influencias positivas da bibloteca distante do ensino escolar.
Recursos financeiros
Segundo o referencial teórico a biblioteca escolar deve ser mantida pelas esferas:

Local;
Regional;
Nacional;
Recursos próprios.

O financiamento deve ser público e também usado para outros fins que não só o acervo mas também com equipamentos e pessoal.
Políticas Públicas
Plano Nacional do Livro Didático (PNLD)

“O Programa tem por objetivo prover as escolas públicas de ensino fundamental e médio com livros didáticos e acervos de obras literárias, obras complementares e dicionários. (...) O PNLD é executado em ciclos trienais alternados. Assim, a cada ano o FNDE adquire e distribui livros para todos os alunos de determinada etapa de ensino e repõe e complementa os livros reutilizáveis para outras etapas.”
(PNLD <http://www.fnde.gov.br/programas/livro-didatico>)
Plano Nacional Biblioteca da Escola (PNBE)

“As ações do PNBE são executadas de forma centralizada, com o apoio logístico das escolas públicas, prefeituras e secretarias estaduais e municipais de Educação. Em anos pares, os acervos são enviados às escolas de educação infantil, anos iniciais do ensino fundamental e educação de jovens e adultos. Já nos anos ímpares, recebem as obras as escolas dos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio.”.
(PNBE <http://www.fnde.gov.br/programas/biblioteca-da-escola>)
Recursos Financeiros: ineficiente?
Biblioteca em Sala de Aula
Fundação para o desenvolvimento da Educação (FDE) - Secretaria da Educação - Governo de São Paulo
Trata-se de um projeto do Governo de São Paulo, dentro do Programa Ler e Escrever, denominado
“Livros na sala de aula”
, numa iniciativa da FDE- Fundação para o desenvolvimento da Educação, com o propósito de fomentar práticas de leitura entre os jovens leitores.
O acervo literário é composto por
526 títulos
, de diferentes gêneros literários que foram distribuídos para todas as classes do Ciclo I da rede pública estadual de ensino.
Números em escolas:
12.045 livros entregues;
234.000 Professores.

Recursos pedagógicos
“Longe de constituir mero depósito de livros, a biblioteca escolar é um centro ativo de aprendizagem. Nunca deve ser vista como mero apêndice das unidades escolares, mas como núcleo ligado ao pedagógico. A biblioteca trabalha com os educadores e não para eles ou deles isolados. Integrada à comunidade escolar, a biblioteca proporcionará a seu público leitor uma convivência harmoniosa com o mundo das idéias e da informação.” (FRAGOSO apud NASCIMENTO, 2007, p. 2).
O que entendemos por recursos pedagógicos?

A biblioteca como espaço vivo e dinâmico, onde as relações de aprendizagem e ensino devem se dar;
Um coletivo organizado de forma a garantir “atividades” (na perspectiva de Leontiev) que motivem os alunos, e que os levem à busca de novos conhecimentos;
Uma parceria entre professores e bibliotecários, na elaboração das propostas e atividades;

E porque consideramos relevante incluir este recurso?

Atividades que a biblioteca ofereceu nos últimos doze meses
O que foi feito:
Novas aquisições de livros através da Feira do Livro;
Concurso;
Leitura em pequenos grupos a pedido da docente.

O que não foi feito:
Boletim informativo;
Mural;
Hora do conto / contação de histórias;
Exposições;
Encontros com escritores;
Clubes / grupos de leitura/ Palestras;
Apresentações artísticas;
Feiras de livros;
Educação de usuários/ Oficinas.

Estratégias utilizadas para educação de usuários
Orientação de pesquisa.
Orientação informal no atendimento;
Visitas orientadas à biblioteca;
Palestras em sala de aula;
Mini-cursos;
Folhetos;
Guia da biblioteca.

Entendemos a biblioteca como um espaço onde ocorram ações; um espaço onde os professores e alunos devam se apropriar para promover encontros e discussões. A responsável pelo espaço da biblioteca visitada procura a partir de iniciativa própria, elaborar ações com o intuito de firmar o papel da biblioteca na escola, uma vez que, a sala de leitura e a biblioteca em sala de aula esvaziam este espaço.
Ações:

Quando solicitado por um docente, pequenos grupos vão à biblioteca para uma leitura especifica;

Quando possível, realiza um concurso em que é escolhido um autor e os alunos fazem pesquisa sobre sua biografia. Em posse dos dados confeccionam cartazes, redações, em que os melhores são premiados;

Como incentivo à leitura, “quem vira a página”, recebe um prêmio compreendido por um gibi, doces e brinquedinhos.
Burlando
a legislação
Quando olhamos para a situação dessa biblioteca a pergunta que fica é:


Os recursos financeiros são suficientes?

Consideramos dois aspectos essenciais quando pensamos neste recurso:
Por mais que exista políticas públicas para a bibliotecas, no geral qual a preocupação?

Interfere diratamente nos outros recursos;
Dessa forma, a prioridade dificilmente será voltada para as bibliotecas.

Exemplo: computadores que seriam destinados a biblioteca, ficam na secretaria.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE RIBEIRÃO PRETO - DEDIC


Prof. Dr. Cláudio
BIBLIOTECA ESCOLAR
Ariéle, Camila, Danielle, Marisa, Taís C., Thaís B.
Escola visitada:
E.E. Dona Sinhá Junqueira
Número de alunos:
813 alunos
Atendimento:
1º ao 5º ano

Funcionamento da biblioteca:
manhã (voluntária) e tarde (professora readaptada).
A biblioteca funciona duas vezes na semana no período da manhã e “todos os dias” no período da tarde.

A escola tem:
1 biblioteca e uma sala da leitura.

A biblioteca mede o total de: 21, 16m². Já a sala de leitura é uma sala de aula comum.

Por enquanto tem uso exclusivo, porém o futuro da biblioteca está comprometido por uma proposta de acessibilidade
Construção de um elevador.

Que a biblioteca possui:

Que a biblioteca não possui:

Que a biblioteca possui:

Que a biblioteca não possui:

Com relação a
comunicação visual
, nas estantes a sinalização do acervo é anexada de acordo com o gênero das obras, fixados com etiquetas coloridas (alaranjadas) abaixo de cada prateleira. Não foi visto alertas de segurança como placas, painéis ou letreiros e não-permissões e orientações sobre: proibido fumar ou comer em sala.
Na escola, a coordenadora nos contou que pretende transformar um local nos fundos da escola em sala de leitura/biblioteca/sala de reforço. Por que? Justamente pelo fato de sala de aula ser prioridade nas escolas e qualquer espaço coberto virar salas.
O que foi feito:
O que não foi feito:
Análise do papel dessa professora...
Pois a biblioteca, assim como a escola, precisa de um planejamento pedagógico. Neste sentido, ser planejada PARA os alunos. Por isso deve ter seu lugar garantido (que é por lei) dentro do espaço escolar e também em documentos como o PPP. Um espaço que vise as parcerias (professores e bibliotecarios) e que garanta os direitos dos usuários. Para que promova conhecimento, é necessario que exista planejamento e intencionalidade pedagógica.
Com base em nossas leituras e no que temos observado, todos os recursos são importantes e só demonstram/significam qualidade na biblioteca escolar se são incorporados à realidade da escola de forma integrada. Não adianta financiamento se não há planejamento, assim como não adianta planejar se não há investimento.

A escola como está precisa de uma reforma profunda e formação para compreender e ressignificar o espaço BIBLIOTECA ESCOLAR.

Para deixarmos de lado a ideia de depósito de bugigangas e livros velhos, para um espaço que também promova aprendizagem e garanta o prazer e divertimento.
Conclusões


Estratégia do governo do Estado?
Biblioteca em sala de aula: distanciamento e sucateamento do espaço BIBLIOTECA.

Formas de burlar as leis?
Falta uma melhor organização e
planejamento dos parâmetros para
uma biblioteca escolar.


Hipóteses
“[...] que em grande parte das escolas a chamada biblioteca era apenas uma sala de leitura ou um cantinho com livros. Bibliotecas planejadas no projeto arquitetônico das escolas eram raras.[...]” (CAMPELLO, Bernadete et. al., 2011, p. 106) e na escola visitada não foi diferente.
Diante de um espaço de 21 m² a biblioteca se transformou em apenas um local de entrega e devolução de livros, um lugar para rápida circulação e pouca acomodação dos usuários indo
contra recomendações como as
da Amercian Association of School
Libraries (1952), em relação ao espaço
de leitura e estudo que com escolas
com mais de quinhentos alunos “no
caso de escolas maiores, é necessário
acomodação para 10% dos alunos,
até o máximo de oitenta a cem
cadeiras”.
Full transcript