Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A dinâmica da notícia nas redes sociais na internet

No description
by

Maíra Sousa

on 26 February 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A dinâmica da notícia nas redes sociais na internet

Mestranda: Maíra Sousa
Orientadora: Profª. Drª. Raquel Ritter Longhi




A dinâmica da notícia nas redes sociais na internet





Linha de Pesquisa: Processos e produtos Jornalisticos

Programa de Pós-graduação em Jornalismo - POSJOR
Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

O movimento do texto noticioso provocado pela interação dos actantes da rede que o reconfiguram constantemente. Logo, envolve as organizações jornalísticas que publicam, os usuários que comentam, replicam e, algumas vezes, ressignificam esse texto e ainda, os sites de redes sociais e suas ferramentas, que permitem as ações das organizações jornalísticas e dos usuários (LONGHI; SOUSA, 2012).


A dinâmica da notícia nas redes sociais na internet









Objeto de estudo
A dinâmica da notícia nas redes sociais na internet, com foco no Twitter e no Facebook

Objetivo
Analisar como se dá a dinâmica da notícia nas redes sociais na internet, a partir das particularidades e das especificidades desses espaços, os quais podem condicionar a forma de apresentação, o conteúdo das postagens e as ações participativas dos usuários.

Objeto empírico



CAPÍTULO 3 – PERCURSO METODOLÓGICO

3.1 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
3.1.1 Primeira etapa: coleta de dados
3.1.2 Segunda etapa: descrição e análise
3.2 CATEGORIAS DE ANÁLISE



PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS



Primeira etapa: coleta de dados;
Segunda etapa: descrição e análise.
O estudo, de caráter descritivo-analítico, se deu a partir da combinação de técnicas qualitativas e quantitativas (FRAGOSO; RECUERO; AMARAL, 2011; LOPES, 2010):
a) Observação sistemática:



b) Coleta:





c) Seleção:

Primeira etapa:
Segunda etapa:
a) Descrição:
-Organização e tabulação;
-Construção dos objetos empíricos.

b) Análise:
-Elaboração e interpretação das categorias de análise com base no referencial teórico e no objeto empírico.
As etapas ocorreram concomitantemente:
Texto
Hipertexto
Hipermídia
Com base nas definições de hipertexto e de hipermídia de Longhi (2000) e Santaella (2003, 2004), categorizamos a forma de apresentação das postagens nos sites de redes sociais em:
Considerando as características observadas no material empírico e as definições de News Diamond (BRADSHAW, 2007) e de colaboração de Longhi, Flores e Weber (2011) categorizamos o conteúdo das postagens nos sites de redes socias em:
Alerta
Atualização
Contextualização
Impacto
Convergência
Colaboração
Composto
A partir das definições de filtro social (STELTER, 2008) e de filtro e reverberação (RECUERO, 2009b), categorizamos as ações participativas dos usuários em:
Filtro social
Reverberação
CAPÍTULO 4 - A DINÂMICA DA NOTÍCIA NO TWITTER E NO FACEBOOK: RESULTADOS E DISCUSSÃO
4.1 A CIRCULAÇÃO A PARTIR DA FORMA DE APRESENTAÇÃO
4.2 A CIRCULAÇÃO A PARTIR DO CONTEÚDO
4.3 A RECIRCULAÇÃO A PARTIR DAS AÇÕES PARTICIPATIVAS
4.4 COMO SE DÁ A DINÂMICA DA NOTÍCIA NAS REDES SOCIAIS NA INTERNET?
Quantidade de postagem por dia
TWITTER: Total = 121
FACEBOOK
Total = 69
TWITTER
TWITTER
FACEBOOK
FACEBOOK
TWITTER
Quantidade de postagem por categoria de circulação por dia a partir do conteúdo
TWITTER
FACEBOOK
Ações participativas predominantes no Facebook.com/estadao
Postagens com maior quantidade de ações participativas no Facebook.com/estadao
Postagens com maior quantidade de ações participativas no Twitter.com/estadao
Redes sociais na internet podem ser consideradas como vitrines do portal jornalístico (uso do link)
-A notícia é construída constatemente nos sites de redes sociais na internet.

-Essas mensagens postadas nos sites de redes sociais na internet podem ser tidas como pequenas pílulas informativas (FIRMINO, 2009; FLORES, 2012) ou informações jornalísticas, visto que por mais que sejam apenas um título, recebem tratamento profissional e por isso são um produto jornalístico.

-No Twitter a circulação de informação é mais rápida e instantânea. No Facebook o fluxo é mais lento.

ALERTA


ATUALIZAÇÃO


CONTEXTUALIZAÇÃO

IMPACTO



CONVERGÊNCIA



COLABORAÇÃO


COMPOSTO

Agilidade.
Diálogo com o público.

Uma das categorias predominantes.
Relação com o conceito de notícia de Peucer.
Pouco utilizada.

Uma das categorias predominantes.
No início reação das pessoas, depois desdobramentos.
Sensalionalismo. Informações sobre São Paulo.
Uso dos sites de redes sociais para atrair os leitores à consumir outros produtos da organização jornalística.
Seção diária do Facebook sobre o jornal impresso.
Usuários como fontes.
Comum a organização jornalística instigar a participação do público.
Hegemonia de mensagens com características de atualização, colaboração e/ou impacto.
As categorias alerta, atualização, contextualização e impacto estão mais relacionadas às características da notícia, como a novidade e o imediatismo.

A convergência, a colaboração e o composto estão mais ligados à essência das redes sociais na internet, que diz respeito ao jornalismo convergente, à cultura participativa e à cultura em rede.

Porém, nas redes sociais na internet essas características se complementam.
a) Forma de apresentação das postagens: no Twitter o hipertexto é a forma padrão e no Facebook é a hipermídia. Assim, no Twitter há o predomínio de postagens escritas em até 140 caracteres, que podem ser consideradas títulos com links. Enquanto no Facebook, prevalece o uso de texto um pouco mais longo com link e imagens;

b) Conteúdo das postagens: nos dois sites de rede social predominaram as categorias atualização, impacto e composto em ordens diferentes. No Twitter prevaleceram as publicações de atualização, enquanto no Facebook, as de impacto, visto que nem tudo é publicado, necessariamente, nos dois espaços;

c) Ações participativas dos usuários: apesar do filtro social dominar no Twitter e no Facebook, a quantidade de interações em cada uma das redes sociais apresenta grandes diferenças.

Considerações finais
-Antes os veículos jornalísticos entregavam uma mercadoria pronta e acabada, hoje isso muda. Nas redes sociais a notícia é construída constantemente.

-A informação passa a ser “embalada” conforme as particularidades e especificidades dos sites de redes sociais.

-No Twitter, a notícia pode ser concebida a todo instante. Diferente do Facebook, no qual é publicado somente as informações mais importantes ou que tenham algum atributo que possa chamar atenção dos usuários na rede social.


Obrigada!
INTRODUÇÃO

CAPÍTULO 1 – NOTÍCIA: DOS BOLETINS ÀS REDES SOCIAIS NA INTERNET

CAPÍTULO 2 – REDES SOCIAIS NA INTERNET: NOVOS ESPAÇOS E FORMAS DE CIRCULAÇÃO DA NOTÍCIA

CAPÍTULO 3 – PERCURSO METODOLÓGICO

CAPÍTULO 4 – A DINÂMICA DA NOTÍCIA NO TWITTER E NO FACEBOOK: RESULTADOS E DISCUSSÃO

CONSIDERAÇÕES FINAIS



Durante janeiro de 2013, nos perfis Twitter.com/estadao e Facebook.com/estadao.
FILTRO 1: Manual (ocorreu concomitantemente a observação sistemática);
FILTRO 2: Foi utilizado o Quintly (ferramenta de análise de redes sociais).
-Forma de apresentação;
-Quantidade de ações participativas nas postagens.




Postagens referentes a tragédia em Santa Maria publicadas
em janeiro de 2013, nos perfis do portal jornalístico do Estadão no Twitter (Twitter.com/estadao) e no Facebook (Facebook.com/estadao).












postagens do Twitter.com/estadao
postagens do Facebook.com/estadao

Publicadas entre os dias 27 e 31 de janeiro de 2013.
Corpus:
Categorias de análise

-Ocorre principalmente, em postagens de alerta e de colaboração.
-Quando não se tem notícia pronta no portal.
-Para iniciar um diálogo com o público.




-Forma de apresentação padrão no Twitter
-No Facebook, ocorreu apenas nas postagens iniciais





-Forma de apresentação padrão no Facebook.
-Apesar da possibilidade de uso de conteúdos em áudio e vídeo, não foi verificado nenhum caso no Facebook.com/estadao.
-No Twitter, a hipermídia é pouco utilizada
FACEBOOK
No Twitter e no Facebook, coexistem as fases transposição, metáfora e exploração.

O Twitter já tem uma linguagem mais sedimentada que o Facebook.
Tipos de combinação na categoria composto
Tipos de combinação na categoria composto
-Predominaram as ações de filtro social;

-No geral, a quantidade de ações participativas no Facebook por mensagem é maior do que no Twitter;

-Facebook: "Filtro técnico" e "Filtro social";

-As publicações do Twitter atingiram maior alcance no domingo, as do Facebook, na segunda-feira;

-Reconfiguração do boca-a-boca e das conversações.
Tendo estabelecido o objetivo do trabalho e realizado o estudo das teorias sobre o assunto, combinado à observação, descrição e análise do corpus selecionado, percebemos que:
1.1 O JORNALISMO NO CONTEXTO DA CONVERGÊNCIA
1.2 A NOTÍCIA COMO SOCIALIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES
1.3 A LINGUAGEM JORNALÍSTICA E SUAS RECONFIGURAÇÕES
1.3.1 A linguagem jornalística nas mídias impressa, eletrônica e digital
1.3.1.1 Hipertexto e Hipermídia

CAPÍTULO 1 - NOTÍCIA: DOS BOLETINS ÀS REDES SOCIAIS NA INTERNET
CAPÍTULO 2 - REDES SOCIAIS NA INTERNET: NOVOS ESPAÇOS E FORMAS DE CIRCULAÇÃO DA NOTÍCIA
2.1 REDES SOCIAIS SOB A PERSPECTIVA DA TEORIA ATOR-REDE
2.2 SITES DE REDES SOCIAIS E PARTICIPAÇÃO
2.2.1 Twitter
2.2.2 Facebook
2.3 O JORNALISMO NAS REDES SOCIAIS NA INTERNET
2.3.1 Da circulação à recirculação da notícia
2.3.2 Definindo a dinâmica da notícia nas redes sociais na internet
TEXTO



HIPERTEXTO



HIPERMÍDIA
Considerações finais
-O filtro social prevaleceu nos dois sites de redes sociais, o que nos mostra o desejo dos usuários de se comunicar, muito mais do que expressar opinião.

-As ações participativas dos usuários nas redes sociais na internet se constitui como uma reconfiguração de práticas que surgem com a notícia, como o boca-a-boca e a conversação.

-O uso das redes sociais na internet é uma estratégia do jornalismo convergente. Como resultado, vemos o alto índice de replicações e comentários nas publicações jornalísticas. Nesse sentido, o atual modelo de comunicação se configura cada vez mais pela participação.

Considerações finais

-No atual cenário convergente são preservadas características como: texto escrito de forma simples, descrição das testemunhas e dos cenários, entrevista para obtenção dos fatos as múltiplas fontes e as testemunhas oculares, sensacionalismo e assuntos locais, concisão, clareza, captação do receptor e linguagem mista.

-Relação com a definição de Peucer para os relatos, proposta ainda no século XVII: “notificação de coisas diversas acontecidas recentemente”.

-Assim, consideramos que a essência do jornalismo, em especial da notícia, que é a socialização de informações, é otimizada ainda mais nas redes sociais na internet, visto o caráter de instantaneidade desses espaços. Somado a isso, agora o produto jornalístico adquire outros atributos, como a participação.




Considerações finais
-A notícia ganha uma dinâmica social à medida que envolve cada vez mais os usuários e, ao mesmo tempo, amplia as possibilidade de socialização de informação.

-Os espaços participativos enriquecem e aumentam o alcance da notícia, ao mesmo tempo que potencializam a essência da mesma.

-Tais utilizações modificam o modo de produzir, distribuir e consumir a informação jornalística.
Full transcript