Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Autoscopia

Preparação Física do Pugilista
by

Bruno Carvalho

on 25 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Autoscopia

PREPARAÇÃO FÍSICA
DO PUGILISTA Capacidades Motoras Resistência Eficiência Aeróbia Capacidade de realizar uma prestação de uma determinada intensidade sem a deterioração da eficiência mecânica, apesar da acumulação de fadiga. (Adaptado de Alves, 1998) Duração da carga 30 ´a 2 h (+) Frequência cardíaca 125 - 145 bat/min Adaptação Físiológica Melhoria dos sistemas cardio- Formação Desportiva Preparação Física do Pugilista Meios Corrida em pista de atletismo Ginásio adaptado à modalidade Métodos Controle do treino Frequência Cardíaca % velocidade
máx. Lactatemia Consumo oxigénio Definiçã objetivo MANTER UMA DETERMINADA INTENSIDADE DA CARGA DURANTE O MAIOR PERÍODO DE TEMPO POSSÍVEL AUMENTAR A CAPACIDADE DE SUPORTAR AS CARGAS EM TREINO E EM COMPETIÇÃO MELHORAR A CAPACIDADE DE RECUPERAÇÃO Adaptações Hipertrofia do músculo cardíaco
Optimização da distríbuição do sangue
Aumento das reservas energéticas
Diminuição da frequência cardíaca Maior irrigação sanguínea aos musculos activos
Aumento da capacidade de sangue
Optimização da capacidade de transporte O2
Melhoria da qualidade do metabolismo Zonas de Intensidade Capacidade Aeróbia Potência Aeróbia Tolerância Lática Potência Lática Métodos de Treino Método Contínuo Método Intervalos Uniforme Variado Extensivo Intensivo Repetições Intervalado Curto Médio Longo Intensivo Extensivo Curto Médio Longo Condicionais Coordenativas Resistência Força Velocidade Flexibilidade Exercícios VO2máx km/h Captação sangue Monitor de F.C. Método Contínuo Uniforme Extensivo Gerais Corrida contínua na pista atletismo Corrida contínua com diferentes ritmos Corrida na Pista de atletismo com o auxílio do monitor cardíaco Corrida entre 30´e 60´com o ritmo cardíaco entre as 125 e 145 bpm Método Contínuo Variado Corrida na Pista de atletismo com o auxílio do monitor cardíaco Corrida Fartleck de 3´a 145 bpm e 1´a 125 bpm durante 48´ Controle motor Adaptação e Readaptação motora Aprendizagem motora Método Intervalado Extensivo Longo 4 séries de 9´ de corrida c/ F.C. entre 135 e 160 bpm c/ Pausa 1´entre séries Corrida na Pista de atletismo com o auxílio do monitor cardíaco "A maior vitória na competição é derivada da satisfação interna de saber que você fez o seu melhor e que você obteve o máximo daquilo que você deu." ( Howard Cosell ) Funcionais Treino ALTERAÇÃO DO PROGRAMA DE CONTROLO MOTOR (6-7 dias) AUMENTO DAS RESERVAS ENERGÉTICAS (10-20 dias) MELHORIA DOS SISTEMAS E DAS ESTRUTURAS REGULADORAS (20-30 dias) COORDENAÇÃO DA HIERARQUIA DOS SISTEMAS (30-40 dias) 1.Alves, F. (1996). Resistência. InCastelo, J; etall, Metodologia do treino desportivo. Lisboa; Edições FMH-UTL.
2.Bompa, T.O. (1999). Periodization: Theoryandmothodologieoftraining. 4th Edition. Champaign: HumanKinetics.
3.Manso, J.; Valdivielso, M y Caballero, J. (1996). Bases teóricas del entrenamientodeportivo. Madrid: GymnosEditorial.
4.Shephard, R.J. e Astrand, P.O. (s/ data). LaResistenciaenelDeporte. Barcelona: Editorial Paidotribo(COI).
5.Valdivielso, F.N. (1998). LaResistencia. Madrid: Ed. Gymnos.
6.Verdugo, G; Leibar, X. (1997). Entrenamientode laresistenciade loscorredores de mediofondoy fondo. Madrid: GymnosEditorial.
7.Zintl, F. (1991). Entrenamientode laresistencia. Barcelona: Deportes Tecnicas. Referências Bibliográficas: Formador Bruno Carvalho Eficiência Aeróbia circulatório e respiratório mM/l lt/m bat/min Específicos Capacidade Aeróbia Duração da carga Frequência cardíaca Adaptação Físiológica 20´a 1 h 145 - 165 bat/min Capacidade de realizar um esforço a uma velocidade correspondente ao Lim. Anaeróbio Duração da carga 3´- 12´ Frequência cardíaca 170 - máx bat/min Adaptação Físiológica Capacidade máxima de consumo O2 Potência Aeróbia Tolerância Lática Duração da carga Frequência cardíaca Adaptação Físiológica 45´´ - 2´30´´ Máxima Capacidade máxima de acumulação de Lactato Potência Lática Duração da carga Frequência cardíaca Adaptação Físiológica 10´´ - 40´´ Máxima Capacidade máxima de produção de Lactato Exercícios da modalidade Exercícios de competição Ao grau de desenvolvimento das capacidades motoras chama-se condição física. Esta pode ser melhorada e desenvolvida através do treino ou preparação física. O seu desenvolvimento é a garantia para a aprendizagem e para a realização eficaz dos movimentos desportivos, pois intervém em maior ou menor grau em todas as atividades físicas, quer individuais quer coletivas. Esta Formação de temática desportiva tem como principal objetivo o desenvolvimento e treino das capacidades motoras condicionais. Procurando adaptar todas as temáticas à realidade do Boxe atual e evidenciar a sua importância para a melhoria no rendimento integral do atleta. Exemplos:
•1 h corrida 70%
•2 h ciclismo 80%
•45’ nadar 75% Exemplos:
40’corrida 95%
1h ciclismo 95%
30’nadar 95% Exemplos:
Corrida 4x15’ 80% P=3’
7x2 Km 75% P=2’
10x 600m 65% P=1’
30” Nadar 6x400m (5’) 80% P=2’
Remar 6x2000m 80% P=2’ Exemplos:
Corrida 10x600m 85% P=1’30”
15x500m 80% P=1’20”
8x400m 75% P=1’
Nadar 10x200m (2’30”) 80% P=1’30” Exemplos:
Corrida 4x(4x200m (30”) 90% P=3’) P=10’(7’rec. activa)
Nadar 3x(4x50m (30”) 95% P=2’) P=6’(200m rec. activa) Exemplos:
Corrida 3x(4x100m (14”) 95% P=1’30”) P=10’ (7’rec. activa)
Nadar 4x(4x25m (14”) 95% P=2’) P=10’ (200m rec. activa) Exemplos:
Corrida 4x1000m (3’) 90% P=10’(rec. activa)
Nadar 5x250m (2’30”) 95% P=6’(rec. activa) Exemplos:
Corrida 5x400m (56”) 95% P=10’(rec. activa)
Nadar 6x100m (56”) 95% P=8’(rec. activa) Exemplos:
Corrida 8x200m (27”) 95% P=8’(rec. activa)
Nadar 10x50m (27”) 95% P=6’(rec. activa) Exemplos:
50’ corrida 6’-95% + 3’–80%
30’ corrida 3’–95% + 3’–75%
1h30’ ciclismo 5’-95% + 2’–80%
40’ nadar 6’-95% + 3’–80% Exemplos:
30’ corrida 2’-105% + 3’–75%
20’ corrida1 ’-105% + 2’–70%
40’ ciclismo 4’-105% + 4’–80%
20’ remar 1’-105% + 2’–70% 25 Outubro 2012 www.bcboxing.pt www.boxecp.com + 351 91 876 15 71
Full transcript