Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Metodologia - Aula Inaugural

Metodologia do curso
by

Juliana Reis

on 16 May 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Metodologia - Aula Inaugural

Primeiro Movimento Segundo movimento Terceiro Movimento Organização 180 horas-aulas, organizadas em seis módulos de 30 horas-aula. Mod. 1
13/08 a 31/08 Mod.2
03/09 a 22/09 5+7= Mod. 3
24/09 a 13/10 Mod. 4
15/10 a 03/11 Mod. 5
05/11 a 24/11 Mod. 6
26/11 a 15/12 Seguimos em
diálogo! Metodologia O olhar Etapa inicial de observação Observar é olhar atentamente, examinar com minúcia, espreitar, espiar, estudar um determinado objeto fenômeno ou cena/cenário...

O ato de observar não é um ato neutro, ingênuo, totalmente subjetivo ou intuitivo. O ato de observar é impregnado de intermediações de várias ordens. Desnaturalizar

Estranhando o familiar

Aproximando o olhar e buscando ver de outra maneira, por outros ângulos: O exercício de ver a escola e o seu entorno com os olhos de quem chega pela primeira vez, como um “estrangeiro”, buscando compreender Os/as jovens estudantes, suas práticas culturais, seus hábitos, valores, visões de mundo, etc. O ouvir Para dar conta de compreender as relações sociais dentro da escola e do seu entorno, as transformações por que passam a escola, a docência, à condição de aluno/a e das juventudes na atualidade, somente o Olhar não seria suficiente. Deste modo, o educador/pesquisador precisará se valer, preliminarmente, de um outro recurso de obtenção dos dados: o Ouvir Se o Olhar possui uma significação específica para um pesquisador, o Ouvir também o tem.

O Ouvir e o Olhar não podem ser tomados como faculdades independentes no exercício da investigação e construção do conhecimento. Ambos se complementam e servem para o pesquisador como duas muletas (que não nos percamos com essa metáfora tão negativa...) que lhes permite caminhar, ainda que tropegamente, na estrada do conhecimento. (p.18) O Ouvir complementa o Olhar, na medida em que está preparado para eliminar todos os ruídos que lhe pareçam insignificantes e também auxiliar na compreensão daqueles que não estão tão claros mas são significativos. Entrevistas
Questionários No 'ouvir' podemos utilizar recursos audio-visuais.

Também podemos deixar, ou pedir que os estudantes se entrevistem livremente. Da mesma forma com os colegas professores e equipe pedagógica.

Podemos também ouvir funcionários da escola ou pessoas da comunidade. Obtenção de “explicações” dadas pelos próprios sujeitos pesquisados e membros da “comunidade pesquisada”, no caso a escola. Estas explicações permitiriam se chegar àquilo que os antropólogos chamam de “modelo-nativo”, matéria prima para o entendimento antropológico. Principal objetivo do ouvir O registrar É importante não somente observar e ouvir, mas também, Registrar o que se observou e o que se ouviu! Pois, se o Olhar e o Ouvir podem ser considerados como os atos cognitivos mais preliminares no trabalho de campo, é seguramente no ato de Registrar, portanto da configuração final do produto do trabalho, que a questão do conhecimento se torna tanto ou mais significativa.  1. Registrar “estando lá”:
anotando, descrevendo no caderno de campo, fotografando, filmando, anotando ideias que vêm à mente em “estado bruto” enquanto observamos, aplicamos questionários, fazemos entrevistas... Assim, o registro deve ser feito em duas etapas ou de dois modos: 2. Registro final: Confecção do Portfólio
Registro mais elaborado, já mais distanciado do trabalho empírico, revendo as anotações, os questionários, as entrevistas, as fotos, as filmagens, enfim tudo que se “colheu” durante a formação e pesquisa. Este registro final, carrega toda a gama de reflexões, leituras e debates ocorridos durante o curso de formação que possibilitará construir uma interpretação ao mesmo tempo “pessoal e coletiva” das cenas e cenários observados. Juventude Brasileira e
Ensino Médio Inovador

Mas por que o MOSAICO?

Porque o mosaico traduz a experiência que será vivenciada por cada cursista: a de compor um desenho, uma imagem das diferentes condições e situações juvenis que emergem no cotidiano das escolas. Na organização didático-metodológica do curso, utilizamos a bonita e apropriada metáfora do

mosaico! Suporte Explorando materiais Compartilhando fragmentos Preparação Construção Acabamento Metáforas Etapas Atividades Texto Base Trocando ideias Outras Cores Observando formas e texturas Arremate F´óruns de discussão Compondo o
mosaico Portfólio Glossário Exercícios de observação Fóruns Livres Para saber mais Outras experiências
Full transcript