Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

PECADO ESTRUTURAL

No description
by

Antonio João Neto

on 19 November 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PECADO ESTRUTURAL

OBRIGADO!
• “O homem pratica o mal não pela influência ou pelo contágio das estruturas injustas, mas por geração espontânea. Cada homem é Adão. Em cada um pode recomeçar a história da queda. Até o fim do mundo trigo e joio crescerão juntos. Até o fim dos tempos, o mal não será definitivamente julgado e banido”. (p. 71).

• Pouco antes, e no Concílio Vaticano II, falava-se de Pecado Social ou Dimensão Social do Pecado, porém será com os documentos de Medellin (1968 – Pensar a Teologia na realidade da América Latina) e Puebla (1979 – Opção preferencial pelos pobres), com o advento da teologia da libertação que este tema do Pecado sócioestrutural vai tomar força.

“Ao falarmos de uma situação de injustiça referimo-nos àquelas realidades que expressam uma situação de pecado” (CELAM)

PECADO ESTRUTURAL
CONTEXTUALIZAÇÃO
• “As omissões pessoais e de grupos, de maior ou menor influência, é que perpetuam condições pecaminosas. [...] Não podemos viver como se os pecados históricos, os pecados das guerras, das torturas, da exploração calculada dos pobres, da opressão [...] não nos dissessem nada. São nossos pecados”. (LIBANIO in MOSER, p. 258)
“Neste contexto uma Igreja pobre: denuncia a carência injusta dos bens deste mundo e o pecado que a engendra” (CELAM)
• Dificuldade de evangelizar: O pecado presente nas estruturas se estabelece como obstáculo à divulgação do Reino de Deus e seus valores.
RELIGIÃO
Eu estou certo! Você está errado! La, la, lá! Não quero te ouvir!
• O pecado é algo concreto, que acontece nas relações, seja uma relação entre o ser humano e Deus, seja entre seres humanos, ou entre ser humano e natureza.

• O pecado pessoal repercute na coletividade, assim também o pecado social afeta as pessoas.
PECADO
ESTRUTURAL
Jung Mo Sung: "há estruturas sociais, econômicas, políticas ou culturais que são pecaminosas - produzem sofrimentos, opressões, o mal - pelo próprio funcionamento da sua lógica, quase que independente das intenções das pessoas envolvidas nestas estruturas”
Exemplo: “em uma sociedade escravista, por melhor cristão que seja o fazendeiro senhor de escravo, e por melhor que ele trate os seus escravos seguindo os bons conselhos de um bom padre ou de pastor, a relação de escravidão é má, pecaminosa. Mas, o pior é que, em uma economia escravista, este fazendeiro cristão não pode prescindir de escravos. Pois sem escravos não há produção, na medida em que não há trabalhadores assalariados neste sistema social”. P. João Batista Libânio
SUPERANDO O PECADO ESTRUTURAL ATRAVÉS DA
MISSÃO ÉTICA
A missão profética da Igreja:
denunciar e apontar
A Igreja não seria fiel ao seu Senhor e à sua missão se optasse pela alienação, pelo silêncio, pela omissão ou pela conivência diante dos poderes e dos poderosos deste mundo, diante da iniquidade da ordem internacional, do Estado ou da sociedade civil.
As sociedades ideais do Éden e da Nova Jerusalém nos inspiram a protestar e a afirmar, a lutar pela justiça e pela paz, pela liberdade e pela honestidade, pela dignidade dos seres humanos, criados à imagem e semelhança de Deus, e a quem Ele ama, tomando claro posicionamento contra toda tirania e opressão, violência e exclusão, fome e miséria — resultados dos regimes políticos, ideologias e sistemas econômicos criados pelos homens pecadores.
Precisamos estar informados.
Como cristãos, então, é nosso dever afirmar que a presente ordem internacional é pecaminosa, por sua drástica limitação à autodeterminação dos povos, à soberania dos Estados nacionais, à liberdade e à criatividade alternativa, sob a força brutal e impiedosa de um império e dos seus associados, em sua injustiça e opressão, em sua exclusão e repressão ao novo e ao diferente, ao direito ao sonho e à busca de novas utopias.
Antonio João
Jonathan Loureiro
Luis Pedro
Sharlon Santos
William Ruiz
EQUIPE:
Full transcript