Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Compressores & DAWs

No description
by

Rui Pereira

on 13 May 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Compressores & DAWs

Compressores & DAWs
De entre os equipamentos mais comuns dos estúdios, e que cada vez mais se encontram virtualmente em softwares, estão os
compressores
.

O que é um Compressor?
Um compressor é um controlador automático de dinâmica.
Universal Audio 1176
analógico

Bomb Factory Bf76
Digital

Curiosidade
Cada vez mais os plug-ins se desenvolvem e chegam a resultados muito bons, porém muitos dizem que uma importante diferença entre um periférico de verdade e um plug-in é que o som de um equipamento analógico nunca vai ser exatamente o mesmo do que um outro do mesmo modelo, e que cada peça pode vir a possuir um timbre único.

A voz humana, por exemplo, pode emitir desde sons de natureza super suave e de baixíssimo volume até um grito estridente com volume altíssimo.
A movimentação de um instrumento emissor do som em relação ao microfone pode gerar variações de volume que o compressor ajudará a nivelar.

Sendo Analógico ou Digital há que saber como funciona!!
Existem vários tipos de Compressores:
Ótico
Como o nome sugere, o input de um compressor ótico é alimentado por uma lâmpada ou LED, que acende em resposta ao nível de sinal.
A intensidade da luz é captada por um sensor que reage à luz, que controla a quantidade do “gain reduction” que vai ser aplicada.
Em termos simples, quanto mais brilhante, mais compressão terá.
Compressores óticos têm uma característica única de attack lento, enquanto que o release “quase” tem uma qualidade de duas fases, sendo inicialmente rápido, mas, em seguida lento para voltar ao seu estado inicial. Embora tecnicamente ineficiente, a resposta de um compressor ótico é incrivelmente ‘musical’ para muitas das fontes que passam por ele.


Teletronix LA2A
Buzz Audio SOC-20
Shadow Hills Mastering Compressor
Tube Compressor / Variable - MU
Usa uma válvula como elemento de controle de ganho.
O que é interessante nesse tipo de compressor, é a ausência do controle do ratio. O ratio é controlado pela quantidade de sinal que entra no sistema. Ao invés de trabalhar com o Threshold e ratio, o utilizador precisa ajustar o ganho de entrada e saída do compressor para uma compressão forte ou subtil.
Compressores deste tipo tendem a ter uma resposta mais lenta do que os restantes. Devido a isto, apresentam uma sonoridade distinta ou som “clássico”, que é quase impossível de alcançar com outros tipos de compressores.

Manley Vari-Mu
FET
Compressores FET (field effect transistor), foram originalmente desenvolvidos como uma alternativa para os compressores valvulados e óticos. São famosos por serem compressores de attack e release ultra rápidos, tornando a escolha ideal quando o objetivo é limitar picos ou dar uma sonoridade especial ao material a receber a compressão.
Apesar de serem super rápidos, compressores do tipo FET oferecem mais "coloração" do que outros tipos de compressores. Por causa disso não são usados normalmente em aplicações de masterização, mas se é preciso o controle de picos e uma sonoridade específica, é este o compressor que utilizador vai querer usar.
O compressor FET é basicamente um compressor com som de Tube Compressor (valvulado) mas com uma resposta rápida.

Universal Audio 1176
Softube Fet
VCA
Este é provavelmente o compressor mais popular dada a sua versatibilidade.
Um VCA (voltage controlled amplifier) utiliza um circuito integrado de controlo de voltagem para obter um controlo preciso sobre a redução de ganho e total controlo sobre o atack e release. Este geralmente não altera muito a 'cor' do som e tem pouca distorção, o que o torna tão popular.


Vertigo VSC-2
DBX 160
Limiter
Um limiter é um compressor com um ratio alto e geralmente com um ataque rápido. O nome popular mais conhecido seria o "brick wall limiter", ou muro. Esse tipo de limiter tem um ataque muito rápido e ratios de 20:1 ou mais.
O limiter normalmente é utilizado quando se precisa de um volume considerável, mas sem correr o risco de sobrecarregar o output.


Samson S.Com Plus
MultiBand
Um compressor Multi-banda é exatamente o que o nome apresenta: um compressor que funciona de forma diferente em diferentes faixas de frequência. Isto permite que sejam feitas mais ou menos compressão sobre baixas frequências do que altas, por exemplo, ou vice-versa.
A Vantagem é que o atack, Release e Ratio podem ser ajustados de forma independente em cada faixa de frequência. Estes dividem o sinal de entrada por vários filtros transmitindo finalmente cada sinal através do seu próprio compressor, recombinados no final.
Estes são encontrados nas DAWs em forma de plug-ins e muito incomuns em Hardware.




Tube-Tech SMC 2B
Vengeance-Sound Multiband Compressor
Mas todos eles têm como base quatro parâmetros
Threshold
Ajusta o nível que o sinal deve atingir para o compressor ser acionado.
Até atingir essa "linha", o sinal não sofre alterações.
Quando atinge e passa desse limite, ele é comprimido.

Ratio
Ajusta o quanto de compressão vai ser aplicada em dB quando o sinal ultrapassar o threshold - razão entre o sinal que entra e o sinal que sai.
Um ratio de 5:1 significa que um sinal de 5 dB acima do threshold irá deixar o compressor apenas a 1 dB acima do threshold.

Attack
Ajusta o quão rápido o compressor vai ser acionado depois que o sinal atinge o threshold.
Valores típicos para velocidade do ataque variam entre 1 milissegundo até mais do que 100 milissegundos. Variações no tempo de ataque de um compressor podem mudar a característica do som. Um exemplo seria um compressor na caixa da bateria com um ataque extremamente rápido. O compressor será ativado muito rapidamente, reduzindo ganho instantaneamente.

Release
Ajusta o quão rápido o compressor deixará de atuar depois do sinal atingir o threshold novamente. Valores típicos para release vão de 20 milissegundos até 5 segundos.
Tal como o attack, deve ter critério para o uso.
Os valores variam de acordo com o instrumento e tipo de música.
DAW, o que é isso??
Onde tudo começou...
Remonta a 1990, há 26 atrás no NAMM Show (National Association of Music Merchants), California, fruto da colaboração entre Opcode e Digidesign
Primeiro aplicativo de software que combina gravação e edição de MIDI e áudio digital no mesmo ambiente: STUDIO VISION
Havendo pouco a falar sobre as DAWs no contexto em que este Prezi foi elaborado, resta visualizar trechos de alguns videos; e ainda uma ou outra demonstração do funcionamento das DAWs
Dica Conclusiva
""Agora que já conheces todos os parâmetros do teu compressor procura testar diferentes regulações em variados instrumentos. Obviamente cada peça terá um som diferente e funcionará melhor em diferentes instrumentos. Um compressor pode soar mais macio e funcionar melhor em instrumentos como a voz, o baixo, clarinete, etc. Outros são mais ríspidos ou agressivos e funcionam bem na tarola, percussão, guitarras. Lembra-te que tudo depende da regulação. Não tenhas medo de testar todas as opções. Se sentires que uma voz precisa é de algo mais "duro", testa. Sem preconceitos.""

A palavra
DAW
significa
Digital Audio Workstation
, ou seja, é um sistema composto por Hardware e Software, que é usado para sequenciar, gravar e produzir em multipista, sendo necessário um Hardware que converta os sinais analógicos em digitais e um Software que permita a edição e manipulação dos sons que são gravados, e, esta é justamente a principal característica de uma DAW, poder ‘mexer visualmente no som’!

Atualmente, o mundo do trabalho de Produção Áudio está quase que na sua totalidade, concentrao no computador, desde a conceção dos Arranjos, até à Masterização!

Alguns programas atuais conseguem fazer a função da maioria dos equipamentos analógicos que ainda existem nos grandes estúdios.
Full transcript