Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Tecnologia RUP - Rational Unified Process

Processo da engenharia de software que oferece técnicas para aumentar a produtividade.
by

Gabriel Vicentin

on 19 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Tecnologia RUP - Rational Unified Process

O que é RUP ? RUP É framework de processo de engenharia de software que oferece práticas para melhorar a produtividade de softwares. Abreviação de Rational Unified Process, criado pela Rational Software Corporation (família de software da IBM - para desenvolvimento, suporte, gerência e construção de projetos de software) RSC Fundada inicialmente como Rational Machines, Paul Levy e Mike Devlin em 1981. A missão era proporcionar ferramentas com práticas modernas de ES com ênfase na arquitetura modular e desenvolvimento interativo. Atualmente foi adquirida pela IBM, em 20 de fevereiro de 2003 por cerca de 2.100 milhões de dólares. Ganhou um novo nome - IRUP e tornou-se uma peça chave na área de produção de software. RUP Usa uma abordagem baseado em orientação a objetos em sua concepção, é projetado utilizando notação UML para documentação. A idéia é ilustrar os processos em ação, usufruindo práticas aprovadas comercialmente. RUP É aplicável a grandes equipes de desenvolvimento e grandes projetos. Como ele é customizável, torna possível ser adaptado a projetos de qualquer escala. Para gerência do projeto, o RUP provê uma solução disciplinada de como assinalar tarefas e responsabilidades dentro de uma organização de desenvolvimento de software gerando produtos de trabalhos (artefatos). O RUP é um produto de software. É modular e automatizado. Toda a sua metodologia é apoiada por diversas ferramentas de desenvolvimento e integradas e vendidas pela IBM. Ele define templates para membros da equipe de um ciclo de produção: parte do cliente e uma avaliação do progresso do projeto pela sua gestão. Como RUP trabalha? É praticamente um clico de vida, dividido em fases sequenciais, as quais podem ser subdivididas em iterações. As etapas são: Concepção (Ênfase no escopo do sistema) Elaboração (Ênfase na arquitetura) Construção (Ênfase no desenvolvimento) Transição (Ênfase na implantação) Como RUP pretende realizar o ciclo? Gestão de Requisitos Especificar e identificar as necessidades do usuário final. O RUP descreve como documentar a funcionalidade, restrições de sistema, restrições de projeto e requisitos do negócio. Diagramas de Casos de uso e os cenários são exemplos de artefatos dependentes do processo. Uso de arquitetura baseada em componentes A arquitetura baseada em componentes cria um sistema que pode ser facilmente extensível, promovendo a reutilização de software e um entendimento intuitivo. O RUP oferece uma forma sistemática para construir este tipo de sistema, focando-se em produzir uma arquitetura executável nas fases iniciais do projeto, ou seja, antes de comprometer recursos em larga escala. Uso de software de modelos visuais Ao abstrair a programação do seu código e representá-la utilizando blocos de construção gráfica, o RUP consegue uma maneira efetiva de se ter uma visão geral de uma solução. O uso de modelos visuais também pode permitir que indivíduos de perfil menos técnico (como clientes) tenham um melhor entendimento de um dado problema, e assim se envolvam mais no projeto como um todo. A linguagem de modelagem UML tornou-se um padrão industrial para representar projetos, e é amplamente utilizada pelo RUP! Verificação da qualidade do software Não assegurar a qualidade do software é a falha mais comum em todos os projetos de sistemas computacionais. Normalmente pensa-se em qualidade de software após o término dos projetos, ou a qualidade é responsabilidade de uma equipe diferente da equipe de desenvolvimento. O RUP visa auxiliar no controle do planejamento da qualidade, verificando-a na construção de todo o processo e envolvendo todos os membros da equipe de desenvolvimento. Gestão e Controle de Mudanças do Software Em todos os projetos de software a existência de mudanças é inevitável. O RUP define métodos para controlar e monitorar mudanças. Como uma pequena mudança pode afetar aplicações de formas inteiramente imprevisíveis, o controle de mudanças é essencial para o sucesso de um projeto.

O RUP também define áreas de trabalho seguras, garantindo a um programador que as mudanças efetuadas noutro sistema não afetarão o seu sistema. Conclusão A vantagem de se usar RUP é clara definição de papéis, e as desvantagem é de ser muito extenso e de difícil aprendizado, confirma estudos de Petersen e Wohlin (2010).

Outro resultado demonstrou que 76% dos trabalhos relacionados são focados em XP, sendo, possivelmente a metodologia mais popular entre as ágeis e destaca como vantagens desta metodologia, a comunicação e o feedback, iterações pequenas e interação com o cliente. Como ponto negativo das práticas ágeis, os autores destacam o pouco foco na a arquitetura. Como pode ser observado, os principais valores preconizados nas metodologias ágeis são relacionados a pessoas, iterações, participação do cliente e adaptação às mudanças. RUP de ser “um conjunto de práticas testadas na indústria para desenvolvimento de software”, pois os conceitos das metodologias ágeis alteraram as práticas de mercado e as comunidades de desenvolvimento de software, e o RUP adaptou sua própria abordagem.

A participação e o feedback do cliente continuam sendo a grande “chave” dos projetos e independem das metodologias. Acredita-se que, com uma maior participação do cliente, algumas atividades poderiam ser mais produtivas e até o volume de artefatos poderia ser reduzido. Tecnologia RUP Engenharia de Software Araçatuba - 2012 Gabriel Dúvidas ou Perguntas Metodologia Ágeis Segundo Abrahamsson (2002), uma metodologia ágil são divididas em 4 formas, sendo elas:

• incremental (liberação de pequenas versões, em iterações de curta duração),
•colaborativa (cliente e desenvolvedores trabalhando juntos, em constante comunicação),
• direta (o método em si é simples de aprender e modificar) e
• adaptativa (capaz de responder às mudanças até o último instante). As metodologias ágeis têm seus princípios apoiados no Manifesto Ágil, que foi um conjunto de valores elaborados em 2001 por um grupo de importantes profissionais de software, entre eles Martin Fowler, Kent Beck e Alistair Cockburn (Beck, 2001). O Manifesto Ágil valoriza os seguintes princípios:

Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas.

- Software em funcionamento mais que documentação abrangente.

Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos.

- Responder a mudanças mais que seguir um plano. Programação ágil é um nome dados às diversas metodologias que se concentram na reação rápida às mudanças nos requisitos do usuário e que visam a pequenos grupos de desenvolvimento e projetos que requeiram um mínimo de documentação. Juntar dois programadores com um dos clientes para o qual o software está sendo desenvolvido. Apesar de contradizer antigas crenças sobre o desenvolvimento de software, a experiência mostra que as programação ágil pode reduzir o tempo de desenvolvimento e os defeitos de software, ao mesmo tempo que aumenta a satisfação entre desenvolvedores e usuários. Exemplo
Full transcript