Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of A orientação educacional face às dimensões filosóficas, políticas, sociais e pedagógicas da escola

No description
by

Monick Alecrim

on 8 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of A orientação educacional face às dimensões filosóficas, políticas, sociais e pedagógicas da escola

Dimensões da escola A orientação educacional face às dimensões filosóficas, sociais e pedagógicas da escola É aquela que nos permitirá questionar quem é o aluno que formaremos, que concepção de homem temos para essa formação, o que se espera, na escola, que esse aluno, como pessoa seja capaz de obter. O mesmo se aplica à reflexão sobre os educadores.
Saviani divide em quatro as concepções que fundamentam a filosofia da educação:
- Humanista tradicional;
- Humanista moderna;
- Análitica;
- Dialética. A principal função social e política da educação escolar é a transmissão do conhecimento sistemático e universal. A dimensão pedagógica da escola é seu aspecto mais importante, uma vez que sua principal função é ensinar. O trabalho pedagógico deve buscar insistentemente o fortalecimento da educação, enquanto dimensão da prática social global; do ensino, enquanto atividade calcada na realidade objetiva de quem aprende, e da aprendizagem, enquanto processo pessoal e intransferível que acontece dentro de cada indivíduo, tendo em vista seu amadurecimento. Dimensão Filosófica Dimensão Político-Social Dimensão Pedagógica escola é uma organização complexa; comporta vários serviços, executados por diferentes profissionais, cuja atribuição maior é a efetividade do processo educacional. Da mesma forma que a escola assume seu projeto político-pedagógico, ela pertence a uma instituição maior, denomidana educação, que, por sua vez, pertence à sociedade. A escola, como centro de socialização e desenvolvimento das capacidades dos alunos e transmissão do conhecimento acumulado da cultura vigente, possui uma estrutura própria; seu funcionamento está relacionado à proposta que pretende desenvolver. A escola desempenha o papel de transmissora, de modo formal, do patrimônio cultural da sociedade.
Possui estrutura própria, caracterizada por normas, papéis definidos, pessoal especializado, local e equipamenos adequados. Filosófica Político-Social Pedagógica O homem é encarado como constituído por uma essência imutável, cabe à educação conformar-se à essência humana. Esboça-se uma visão do homem centrada na existência, na vida e na atividade. Propõe fazer uma análise lógica da linguagem educacional. Apresenta o homem como um ser concreto, como "síntese de múltiplas determinações". - A dimensão social será aquela que responderá pela garantia de aquisição dessa transmissão do conhecimento, sem que ele seja eliminado pela própria escola.
- A dimensão política envolve o comprometimento da escola com sua participação nas diferentes instâncias da sociedade civil, a partir da concepção que possui na transformação de tal sociedade. A dimensão pedagógica é aquela que valoriza a aliança da escola com seus alunos, professores e comunidade, levando em consideração que todas as demais dimensões sao importantes, cabendo a ela - Escola - organizá-la de acordo com os valores explícitos em seu projeto político pedagógico. •A escola é uma organização complexa, com características próprias, que possui uma atividade específica, revestida de diferentes dimensões que, na prática estão inter-relacionadas.
A orientação educacional face às dimensões filosófica, política, social e pedagógica da escola •A função da educação escolar, segundo Neidson Rodrigues está explicitada nas propostas de universalização da escola e no objetivo de realizar a preparação dos indivíduos para a vida social, através do desenvolvimento de algumas competências da sociedade moderna.
•Essas competências se desenvolvem em três campos: o da cultura, o que busca formar o indivíduo para a vida política e o da educação do indivíduo para o trabalho. •A participação da Orientação Educacional no PPP da escola é um trabalho de parceria, sua construção deve ser coletiva.

•Face à dimensão filosófica a Orientação Educacional se apresenta com a discussão do homem que queremos formar.

•No planejamento do projeto da escola e na construção do seu fazer pedagógico, deverão estar presentes questões relacionadas à ideologia, ao conhecimento, à ciência, aos valores, a ética, a estética, etc. •Há também sua atuação na relação com os alunos, de cujo contexto toda a gama de reflexões filosóficas faz parte, reflexões como: os valores, a formação do indivíduo na dimensão de cidadania, a questão da liberdade, da responsabilidade, a produção de conhecimento, etc.

•A Orientação Educacional se apresenta à dimensão política como uma das promotoras da escola, educar é um ato político. •A orientação busca trazer subsídios da realidade do aluno que favoreçam a compreensão de seu meio, de suas expectativas e de seus interesses.
•Na orientação a dimensão política é responsável pela não neutralidade do orientador diante de decisões a serem tomadas na escola.
•A orientação procura trazer para a escola, junto aos alunos, a função política da educação, promovendo situação e atividades que propiciem a vivência e a dimensão política da própria sociedade. •A Orientação Educacional trabalha pelo viés da dimensão social da escola, desvelando o contexto social da realidade dos alunos. •A Orientação Educacional busca o aluno real, concreto, historicamente situado, sendo trabalhado junto com eles seus direitos e deveres. • A evasão, a repetência e o fracasso escolar, dentre outros, são aspectos da dimensão social, onde a orientação se faz presente buscando conhecer o contexto, interpretá-lo e trabalhar junto com os alunos, afim de superar as dificuldades. •Em termos de currículo, a Orientação traz o universo sociocultural do aluno "para dentro da escola" e está presente e está presente no planejamento curricular, contribuindo para a discussão dos objetivos, conteúdos, metodologia, e avaliação.
•A dimensão pedagógica deve não só valorizar os aspectos cognitivos, mas também os afetivos e psicomotores. Alguns pontos enumerados sobre a escola, que devem fazer parte do contexto da análise do orientador em relação às dimensões assinaladas: 1. A escola trabalha muito mais com aspectos idealizantes do que com aspectos reais da escola; 2.A escola, através de seus líderes protagonistas, "vive não só problemas a ela relativos", mas também problemas da sociedade; 3.A escola enquanto preparação para a cidadania; 4.A escola busca um olhar centrado no currículo e hoje, até por determinação legal, mais centrado no seu PPP; 5.A escola deve procurar meios e mecanismos para a questão da educação-trabalho;
6.A escola tem um lugar privilegiado, a sala de aula, espaço onde ocorrem deliberações relativas ao cotidiano dos alunos e professores;
7.A escola como espaço específico, é que ajuda na construção da cidadania; 8.A escola tem um corpus teórico e uma prática, onde se efetiva a educação. A escola não existe apenas para ensinar, mas também para ajudar a sociedade através dos cidadãos; 9.A escola é um espaço de conhecimento, crenças, mitos, razões e emoções; 10.A escola, enfim, é um espaço onde o instituído e o instituinte convivem juntos. O principal é saber verificar como os valores transitam nessa instituição, tendo a oportunidade de discutir, entre outros a liberdade, a igualdade, a diversidade e a singularidade. Em síntese, a orientação procura atender às dimensões da educação como um serviço de apoio, atuando com todas elas. A escola: um pouco de história
A escola como um fenômeno social Capítulo 6
A orientação face à organização da escola •A escola contemporânea é uma organização complexa dentro de nosso sistema social; por isso, para entender sua dinâmica e seu funcionamento, temos que entender a forma como foi concebida e a partir de quais pressupostos ela está desenvolvendo o processo educacional.
•A escola como instituição social de massa, é recente (séc. XIX). Até então as escolas estavam atreladas ás instituições religiosas, ligadas ao saber dogmático.
• A partir da Revolução Industrial, e com a formação da sociedade capitalista, deu-se a expansão da escolarização. •Cabia à escola difundir os conhecimentos necessários ao bom cidadão que deveria participar da sociedade e ser igual aos demais.
•Vale lembrar o papel importante das associações e entidades de trabalhadores que reivindicavam melhoria de trabalho e de vida, mas que aos poucos foram perdendo interesse e foram transferindo tal responsabilidade para o Estado.
•A concepção que se tem de escola pode ser a de uma instituição isolada do contexto social. •Hoje, a organização do trabalho na escola, tem que atender aos interesses e necessidades de uma proposta educacional voltada para a emancipação dos alunos oriundos de classes trabalhadoras/ Formação da cidadania.
•A finalidade da educação escolar é a transmissão sistemática de conteúdos de ensino historicamente produzidos e acumulados, de modo a assegurar que os alunos se apropriem deles e possam reelaborar conhecimentos. A questão escolar •A organização do trabalho é a mediação entre trabalho docente e a prática social global. Genotti (1986) apresenta alguns temas centrais, geradores da "questão escolar", levantando pontos para o seu melhor conhecimento. São os seguintes os indicadores apontados: 1.Quem faz parte da escola (papéis dos agentes da escola para seu bom andamento);
2.A estrutura da escola e o sistema educacional (condições materiais e físicas e tipos de ensino);
3.Os atos escolares (relacionados ao ensino e aprendizagem);
4.Os meios escolares (papel do livro didático, manual, seminários, etc); 5.Relações sociais da escola e na escola (enfoque interno e das relações extraescolares);
6.A escola em conflito (eferente aos conflitos no interior da escola, gerados da própria sociedade);
7.Limites e possibilidades da escola (traz reflexões sobre o poder da escola). A escola e seus avanços Para uma análise mais profunda da organização da escola, podemos identificar três grandes eixos a serem considerados: a)A escola enquanto instituição social: onde devemos pensar na organização desta instituição, nas relações que ela mantém, nas formas de poder, na revitalização de seus objetivos, nas condições físicas e materiais que ela possui, na estreita vinculação que mantém com a sociedade ; e na questão institucional. b)A escola enquanto agência pedagógica: onde devemos pensar na organização de uma "agência" no sentido de locus onde é desenvolvido o PPP. Nesse eixo, a organização escolar deve visar a mediação entre o trabalho escolar e a prática social global. c)A escola enquanto relação educacional: onde devemos pensar na organização das relações que são promovidas em diversos níveis e instâncias com determinados objetivos, explícitos ou não. Só através de uma organização clara e precisa é que teremos condição de entender por que, para que e como se organiza a escola onde trabalhamos ou analisamos. Como avanços poderemos identificar: 1.A escola enquanto instância de uma sociedade complexa requer a participação de vários profissionais; 2.Os professores por terem como especificidade a socialização dos conteúdos, têm, na escola a função de organizar os conteúdos significativos a partir dos objetivos sociopolíticos articulados aos métodos de ensinar, visando com que os alunos aprendam em tempo disponível em que permanecem na escola. Dessa forma, a organização escolar que se deseja é aquela que melhor favoreça o trabalho docente; 3. A organização da escola compete tanto aos docentes, como aos não docentes; 4.A organização da escola passa pela modificação da situação existente, pedagógica e socialmente; pela melhoria da qualidade de ensino e pela formação do cidadão. A cidadania na escola Gadotti nos fala na escola cidadã, apresentando a questão da autonomia da escola; Mello discute a questão das escolas eficazes, da organização da sala de aula,tentando identificar e entender as características da organização escolar que se associam a um melhor nível de aprendizagem dos alunos.
Já os estudos realizados por Saviani, Libâneo e Mello e Silva chamavam a atenção para a importância da organização interna da escola como determinante poderoso do desempenho escolar. Para André (1995:111): Conhecer a organização da escola é conhecer seu dia-a-dia, seus profissionais, seus valores e crenças é compreender o significado de suas ações, mas também, principalmente, conhecer seu projeto político pedagógico, através do qual o aluno se forma não só para esta escola, mas para a vida.
A escola é o espaço de ensinar e aprender de forma sistematizada, por tanto, é o espaço da cidadania. Sua consequente socialização é direito de professores e alunos. Em sua organização e administração, a escola precisa de flexibilidade e diversificação de práticas, visando adequá-las à natureza de cada problema.
Cada escola tem uma dinâmica própria; mesmo sendo pública ou particular, suas características são específicas e distintas. Também desenvolve seu próprio conjunto de normas e valores e, principalmente, sua própria cultura.
A cultura escolar diz respeito ao cotidiano da instituição e à forma como seus atores concebem e executam suas ações e atividades. A orientação educacional face à organização da escola Neste item tratamos do papel da orientação educacional face à organização escolar.
Primeiramente, ela se apresenta como uma prática inserida no projeto político-pedagógico da Escola.
Nesse sentido, a orientação não será desvinculada do contexto, mas, ao contrário,será vinculada aos objetivos sociopolíticos da escola.
Algumas possibilidades de trabalho do orientador junto a casa um dos segmentos. Junto aos alunos: O orientador estimula a participação, através de uma prática pedagógica, desenvolvendo sua capacidade de criticar e fundamentar sua crítica, de optar e assumir a responsabilidade de suas escolhas e grupos de trabalho comprometendo ações com o social.
E na medida em que o aluno vai construindo sua personalidade o orientador trabalha com o mesmo para seu desenvolvimento pessoal, visando a participação dele na realidade social. Junto aos professores: O orientador ajuda a resolver sobre questões técnico- pedagógicas da escola como:
Colaborar e participar da construção do PPP da escola.
Contribui para discussão da realidade dos alunos, das finalidades do processo pedagógico, e outros. Junto a direção: O orientador responsabiliza por toda a prática que organiza a infra-estrutura da escola que são:
Organizar as turmas e os horários.
Distribuição de professores em turmas.
Número de alunos em sala de aula.
Horários da merenda, da recriação, das atividades complementares e a matrícula. Junto aos funcionários da escola: O orientador deve procurar, trabalhar a auto-estima, a identidade profissional, e suas atribuições para o funcionamento da escola. Junto aos pais e comunidade em geral: Uma das atividades do orientador é trazer os pais a escola. Para eles participarem do projeto de diferentes formas, por exemplo, (PPP).
O orientador educacional deve procurar se envolver coma comunidade, resgatando sua realidade socioeconômica-cultural como meio de contribuir para adequação curricular, tendo em vista a transformação da escola e da sociedade.
A orientação deve trabalhar com um planejamento participativo, sempre voltado para uma concepção crítica. Nesse momento, nessa participação, a Orientação Educacional estará junto na construção da organização de uma escola de qualidade, lembrando que: A escola não é um ente abstrato; ela é uma instituição da sociedade (com suas contradições e tensões), que é e ao mesmo tempo ocupa espaço, com muitos lugares, pessoas e relações. A escola tem vários “lugares” os dos alunos, os dos professores, os dos funcionários e etc. A escola, por tanto, é um lugar de vários lugares.
A escola deverá ser um lugar de ensinar e aprender, mas também de criar e recriar, de se viver com emoção.
A cidadania deve ser vivida no dia-a-dia, através das diferentes abordagens e experiências. A cidadania é vivida quando: Discutimos processos de aprendizagem, objetivos, conteúdos, metodologias e a avaliações de nossos alunos;
Organizamo-nos para discutir os rumos das disciplinas, o planejamento participativo, a escola que queremos;
Articulamos os movimentos sociais do mundo lá de fora com os movimentos sociais de dentro da escola;
Priorizamos a questão da evasão e repetência em nossa prática pedagógica, discutindo o que se entende por fracasso escolar; Por certo, nesta escola a organização deverá levar em conta novos atributos para um novo tempo: esperança, utopia e justiça social. O orientador é aquele que discute as questões da cultura escolar promovendo meios/ estratégias para que sua realidade não se cristalize em verdades intransponíveis, mas se articule com prováveis verdades vividas no dia-a-dia da organização. Supervisão e Orientação Escolar Professora Irene Ávila
Equipe: Andreza
Daniella
Lorena FIM A
Full transcript