Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Psicologia Aplicada

No description
by

Lara Cebola

on 2 June 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Psicologia Aplicada

Psicologia Educacional

PSICOLOGIA DO TRABALHO E DAS ORGANIZAÇÕES
Na sociedade moderna, um conjunto cada vez maior de actividades é assumido por organizações. Em virtude da industrialização e da urbanização, bem como do acesso mais generalizado da mulher ao mercado de emprego, mesmo algumas funções tradicionalmente assumidas pela família (cuidar da crianças, dos idosos) foram transferidas para organizações especializadas:
Infantários;
Lares da terceira idade;
Hospitais;
O ser humano, desde que nasce até que morre, vive integrado em organizações:
Nasce num hospital, frequenta um infantário, vai para a escola;


Em adulto, trabalha numa empresa, é sócio de um clube,
faz as suas compras em lojas, distrai-se no cinema, come em restaurantes;


Quando morre, é enterrado num cemitério.
O enquadramento do trabalho, da educação e do lazer em organizações motivaram que uma área da psicologia se especializasse no estudo e na intervenção nas organizações em geral e nas do trabalho em particular.
As organizações são unidades constituídas para atingirem objectivos específicos e que se estruturam para o conseguir.
No seu interior, estabelece-se um conjunto de interacções complexas que ultrapassam a estrutura formal de organização. É de grande importância para o bom funcionamento de uma organização reconhecer as interacções que resultam de relações de identificação ou de rejeição, de amizade ou de antagonismo.
Para se compreender o comportamento dos membros de uma organização não basta a análise dos seus caracteres individuais ou as suas características socias, é preciso ter em conta o factor organizacional, que envolve um conjunto complexo de interacções.
A progressiva complexidade do trabalho, da sua organização e das relações interpessoais daí resultantes, levou a que a psicologia de trabalho e das organizações dividisse a sua reflexão em três campos:
PSICOLOGIA DO PESSOAL
– aborda questões relacionadas com a selecção de pessoal, a orientação e o desenvolvimento de carreiras, a avaliação do desempenho, intervém também na planificação e concretização da formação geral e específica;
PSICOLOGIA DO TRABALHO
– aborda questões como a interacção homem/máquina, a organização do trabalho, saúde e a segurança.
PSICOLOGIA DAS ORGANIZAÇÕES
– aborda questões como a motivação, a liderança, as relações interpessoais e a gestão de conflitos.
O TRABALHO DO PSICÓLOGO ORGANIZACIONAL
Podemos encontrar o psicólogo organizacional em empresas, instituições, organismos profissionais, clubes, associações (conjuntos alargados de organizações de maior ou menor dimensão).
As inovações tecnológicas e as transformações daí decorrentes arrastaram um conjunto de problemas que são objecto da reflexão e intervenção dos psicólogos. O resultado destes problemas são as modificações nas relações com trabalho e as interacções socias.
É no contexto das organizações em equipas multidisciplinares, que integram elementos dos vários níveis de hierarquia, técnicos e até psicólogos de outras áreas, que o psicólogo organizacional desenvolve o seu trabalho em várias vertentes:

Analisar
a relação entre o trabalho e as pessoas;

Orientar
o processo de selecção e formação dos trabalhadores;

Promover
a optimização do trabalho;

Analisar
os processos de liderança e de gestão dos recursos humanos;

Explicar
e procurar prever o comportamento das pessoas no contexto do trabalho;

Procurar
compreender e resolver os conflitos;
• Entre outros;
As graves mudanças que vivemos nos nossos dias têm sido fortes repercussões, sobretudo ao nível das organizações do trabalho (área onde o psicólogo organizacional é mais comum).
As mudanças tecnológicas levam a que o psicólogo organizacional seja cada vez mais solicitado a planificar e acompanhar programas especializados de formação continua.
A mobilidade, a flexibilidade, as inovações tecnológicas, o teletrabalho que exigem novas competências, colocam grandes desafios aos trabalhadores para se adaptarem às circunstâncias. Estas e outras questões abrem novas solicitações e novas áreas de intervenção ao psicólogo organizacional.
PSICOLOGIA CRIMINAL/FORENSE
A psicologia criminal (também conhecida por psicologia forense) dedica-se ao estudo do crime e de todos os protagonistas que estão relacionados com o desvio e a transgressão. Procura identificar as causas que conduzem aos comportamentos desviantes e transgressores, os mecanismos que os desencadeiam e os efeitos sociais desses comportamentos.
A presença do psicólogo criminal junto das instituições que exercem justiça, como os tribunais, tem também por objectivo modificar as interpretações mais esquemáticas e redutoras dos comportamentos designados por comportamentos criminosos.
A psicologia criminal ou forense é uma área que se relaciona com o sistema de justiça e que faz a confluência entre direito e psicologia.
A atitude face ao comportamento humano destas duas áreas é efectivamente distinta:
A
psicologia
estuda o comportamento humano como ele é e por isso se diz que é uma ciência do “ser”.

O
direito
procura disciplinar o comportamento humano e por isso se diz que é uma área que estabelece o “deve ser”.
O direito tem de distinguir o que é lícito e ilícito, o que é normal e anormal, tendo referência as normas jurídicas estabelecidas pela sociedade. A psicologia encara o normal e o anormal numa outra perspectiva, pondo inclusivamente reservas a esta classificação no interior da sua própria área de actuação.
Pode-se fazer uma distinção entre a perspectiva do psicólogo e a do advogado, juiz ou outro elemento das forças de segurança que lidam com o crime. Ora, pode se dizer que a junção de perspectivas diferentes que se podem interpretar e agir sobre uma das questões que mais inquieta a sociedade contemporânea: o combate ao crime (a perspectiva deste combate passava só pelo agravamento das penas).
Os estudos levado a cabo pela psicologia têm trazido contribuições que põem em causa essa ideia e essa prática, porque são redutoras e porque se mostram inadequadas. A maior severidade das penas não tem correspondido a uma diminuição de delitos, pelo que é necessário procurar formas de abordagem e de actuação complementares.
A psicologia criminal tem procurando também compreender as relações complexas entre os comportamentos transgressores, as suas causas, os seus contextos, bem como os efeitos que têm sobre a sociedade.
O TRABALHO DO PSICÓLOGO CRIMINAL

Apoiar
técnicos na selecção e formação pessoal da polícia e guardas prisionais.

Fazer diagnóstico
de reclusos que apresentam perturbações comportamentais, como agressividade e isolamento, e perturbações psicológicas, como depressão, insónias, crises de identidade, sentimentos de culpa, etc.

Acompanhar
reclusos em situação de liberdade condicional e, quando libertados, no processo de inserção na vida activa: prestar apoio na análise de penas alternativas ao encarceramento, como por exemplo prestação de serviço á comunidade.

Testemunhar
, se necessário, em tribunal como especialista.

Avaliar
, com outros técnicos, as falsas memórias em depoimentos de testemunhas.

Prestar apoio
a vítimas de violência doméstica, de abusos sexuais e de outras formas violência.

Apoiar
a polícia na definição de perfis psicológicos que ajudem á identificação captura de criminosos, bem como na investigação de crimes.
Um exemplo do trabalho que um psicólogo criminal presta á polícia é demonstrado na série americana, “Mentes Criminosas”.

A série mostra o trabalho diário de uma equipa de criminalistas de elite, que pertencem ao FBI, cuja especialidade é analisar em profundidade a mente dos assassinos em série do país, antecipando-se assim ao seu próximo ataque.
Trailer da Série
"Mentes Criminosas"
Após o sucedido um amigo do raptor revelou que as razões que o levaram a raptar e a manter a jovem presa e torturada fisicamente e psicologicamente durante 8 anos foram que Wolfgang queria uma companheira, mas por ser muito desajeitado e tímido para conseguir ter uma relação com uma mulher, decidiu capturar uma menina e mantê-la presa para que ela crescesse e aprendesse a amá-lo.
Na psicologia criminal um dos casos de sequestro mais falados nestes últimos anos, é o caso da jovem austríaca, Natascha Kampusch que foi sequestrada quando tinha 10 quando ia para a escola e que viveu 8 anos fechada numa cave por Wolfgang Priklopil, o seu raptor. Natasha fugiu do seu raptor, que acabou por se suicidou após descobrir que a jovem tinha fugido.
Natasha Kampusch escreveu um livro sobre os anos em que esteve sequestrada. Este livro foi tornado num filme, chamado “3096 Dias”.
Trailer "3096 Dias (2013)"
Um psicologo educacional intervém ao nivel de varias instituições :
Creches
Jardins de Infancia
Instituições de Reeducação
Internatos
Universidades
E ainda:
associaçoes desportivas e culturais e instituiçoes de tempos livres.
O que é a Psicologia Educacional
Ciencia que estuda os processos mentais e o comportamento humano
Construção do conhecimento, que engloba ensinar e aprender
Psicologia Educacional
Aborda todos os problemas referentes à educação e aos processos de ensino e aprendizagem nas crianças e adultos
Psicologia
Educação
Um novo Conceito de Educação
Objetivo
O grande objectivo da psicologia educacional é a
promoção da qualidade do desenvolvimento das pessoas
, dos grupos, das instituições e das comunidades.
Um Psicologo Educacional
- Serviços educativos;
- Ministério da educação;

Intervém
A psicologia educacional está implicada na abordagem das
questões de ensino
e
aprendizagem
dos bébés, das crianças, dos jovens, dos adultos com individuos de idades variadas.
A sua área de intervenção dirige-se, portanto, não só à pessoa enquanto individuo, como também às organizaçoes e instituiçoes sociais .
Psicologia Educacional

Psicologia Escolar
(Psicopedagogia)
A psicologia educacional diferencia-se da psicologia escolar, sob três aspectos:
Quanto à origem
- a psicologia escolar surgiu para compreender as causas do fracasso de certas crianças no sistema escolar enquanto a psicopedagogia surgiu para o tratamento de determinadas dificuldades de aprendizagem específicas;

Quanto à formação
- a psicologia escolar é uma especialização na área de psicologia, enquanto a psicopedagogia é aberta a profissionais de diferentes áreas;

Quanto à actuação
- a psicologia escolar é uma área propriamente psicológica enquanto a psicopedagogia é uma área plenamente interdisciplinar, tanto psicológica como pedagógica.
O Trabalho do Psicólogo Educacional
O trabalho de um Psicologo Educacional é feito junto de professores e das instituições,e visa tornar o processo de aprendizagem mais afetivo e significativo para o aluno
Alguns dos principais problemas dos alunos ao necessitarem da ajuda de um Psicologo são:
Motivação
Competencias e capacidades
Desenvolvimento
Aprendizagem
( Falta de motivação do aluno pela escola)
( alunos com dificuldades, que necessitam de outros tipos de apoio)
(Problemas na adolescencia)
(Falta de metodos de estudo, indisciplina...)
A
aprendizagem
é a questão-alvo da psicologia educacional:
- O processo de aprender;
- O papel do professor/aluno;
- Principalmente aquele que aprende pois é o centro das preocupações do Psicologo Educacional.
Anita Woolfolk
, no seu livro Educational Psychology, identifica as principais áreas de reflexão:
A aprendizagem só pode ser compreendida se o
processo de desenvolvimento for encarado de certa maneira
, pois as crianças, os jovens e os adultos aprendem, pensam e falam de maneira diferente;
Os indivíduos apresentam características, competências e conhecimentos diferentes, pelo que os
processos de aprendizagem
têm de ser distintos. Por isso é preciso
conhecer as diferenças
para a adaptar os processos educativos.
A compreensão do processo de aprendizagem humana, isto é, perceber como é que as pessoas aprendem, as
diferentes interpretações

a que chegam;
A motivação está ligada á aprendizagem, logo compreender os
factores motivadores
é o princípio para se promover uma aprendizagem activa e participativa; No dizer da autora "
Não existe aprendizagem sem atenção e envolvimento
".
A
avaliação das competências
e dos conhecimentos é fundamental para que essa informação permita aferir e orientar o processo de aprendizagem.
Um Psicologo Educacional também ajuda o Aluno no que diz respeito há Orientação Vocacional.
O Programa de Orientação Escolar e Profissional confere aos jovens um espaço para obter esclarecimentos e aprofundar informações
Para além da administração de provas ou testes psicotécnicos cujo intuito é recolher informações sobre os interesses e as aptidões espera-se que os alunos se explorem, que conheçam o Sistema Educativo/Formativo no qual estão inseridos e que analisem o Mundo do Trabalho de que um dia farão parte, para que possam optar e planear o seu futuro vocacional.
Orientação Vocacional :
Informaçoes DGES
Psicologia Universidades-

http://www.dges.mec.pt/guias/indcurso.asp?curso=9219
Universidade de Évora
Évora-
http://www.dges.mec.pt/guias/detcursopi.asp?codc=9219&code=0604
Universidade da Beira Interior
Covilhã-
http://www.dges.mec.pt/guias/detcursopi.asp?codc=9219&code=0400
Psicologia Clínica
A Psicologia Clínica é uma área da psicologia aplicada que tem com finalidade:
Prevenção
Diagnóstico
Tratamento
que apresentam problemas de caracter psicologico
Intervém especialmente ao nivel da saúde mental
O que esta relacionado com:
Sofrimento
Dificuldades comportamentais
Perturbações psicológicas
Depressão
Ansiedade
Doenças Mentais
Há situações da vida das pessoas que são causadoras de desequilibrios, perturbações, dor e desajustamento :
E outras situações que envolvam:
Amor
Familia
Vida
Prazer
Desejo
Relações com os outros
Corpo
História de Vida
Questões de edentidade
O objeto da Psicologia Clínica é a pessoa, o individuo, o sujeito concreto.
"
o estudo da conduta humana individual e das suas condições, numa palavra, o estudo da pessoal total em situação
".
Lagache
A Psicologia Clinica herda da medicina, o
método clínico.
Tem como
objetivo
Diagnosticar

e

Curar
Para isso é necessário:
entrevistas clinicas
recorrer a testes
(sobretudo testes projetivos)
Nestas entrevistas o Psicologo Clínico analisa a pessoa, a forma como fala, como se comporta, como relata as suas experiencias.
Procurando o seu significado e o seu sentido
Encara a pessoa na sua totalidade, na situação concreta que está a viver, portadora de uma história de vida única e exclusiva na sua singularidade.
As pessoas procuram um Psicologo por se sentirem frustradas e confusas, encontrando assim o caminho certa para os seus problemas.
Subjectividade:
O Psicólogo tenta compreender o outro sujeito (paciente). Para isso recorre ao que a Psicologia Clínica dispõe: o psicologo é, ele próprio, um recurso enquanto individual e subjetivo
Individualidade:
a mesma situação é encarada de maneiras distintas por individuos diferentes . Por exemplo a situação do desemprego, para uma pessoa a perda de emprego é encarada como uma ameaça a nível financeiro e ao nivel do estatuto social, para outra pode corresponder a um desafio, a uma oportunidade de começar uma nova vida e procurar a realização pessoal numa outra actividade profissional.
O Trabalho de um Psicólogo Clínico
Um Psicólogo Clínico recorre a um modelo único de abordagem, nem um quadro teorico exclusivo ou a técnicas estandardizadas.
O que caracteriza a Psicologia Clínica, é uma abordagem e uma atitude particular em que a pessoa é encarada como um
ser singular.
Áreas de Intervenção em que um Psicólogo lida com os problemas humanos .
Cabe ao Psicólogo Clínico:
Compreender e ajudar o indivíduo no processo de lidar e de se ajustar a situações aversivas e a acontecimentos que lhe provocam sofrimento (desemprego; divórcio; violência e stresse);


Apoiar a pessoa na elaboração de estratégias para ultrapassar a situação de crise ou, pelo menos, ajudar a tornar a situação mais suportável;
Desenvolver actividades de diagnóstico e intervenção terapêutica em centros que prestem auxilio em situações de risco (toxicodepêndencia, suicidio juvenil, violência e vitimas de abuso);


Intervir em situações em que possam existir indícios de risco ( quanto mais precoce for o diagnóico, mais eficaz será a intervenção terapêutica);



Organizar programas de reabilitação dirigidos a pessoas que sofram de doenças crónicas.
O Psicólogo Clínico intervém:
Hospitais
Centros de
Saúde
Clínicas
establecimentos
prisionais
Escolas
Instituições de
Assistencia Social
Unidade da Psicologia
As diversas áreas de investigação em que a Psicologia se foi especializando, as diferentes correntes de interpretação do comportamento e dos processos mentais, as multiplas áreas de intervenção da Psicologia Aplicada podem levar a perguntar como Lagache:
"
Deve-se falar de Psicologia ou de Ciências Psicológicas?
"
Este autor , faz essa pergunta e ensaia a resposta no sua obra A Unidade da Psicologia,
A diversidade de concepções organizadas em teorias, a existencia tantos campos de investigação, o recurso a métodos tão distintos resulta da complexidade do objeto da psicologia o comportamento e os processos mentais
As diferentes teorias alargam os seus conceitos básicos procurando desse modo interpretar o carácter global do comportamento e dos processos mentais do ser humano.
A Psicologia recorre a vários
métodos de investigação
, não se excluíndo mas sim convergindo de forma complementar
Por outro lado, a diversificação da psicologia em diferentes campos reflete a necessidade de especialização na pesquisa: o ser humano é estudado em
diferente perspectivas

Durante o desenvolvimento
Nos contextos sociais
Introdução

O trabalho desenvolvido pelos psicólogos,
reflecte a realidade vivida pela psicologia nos outros países.

A
psicologia actual
, consiste num produto de um longo percurso, que tivemos oportunidade de acompanhar ao longo dos vários temas que foram abordados e de uma forma mais organizada quando estudamos as várias concepções do Homem nas diferentes correntes da psicologia.

Trabalho elaborado por:
Filipa Moreira
Jéssica Caldeira
Lara Cebola
12ºB
Psicologia B
Níveis e áreas de trabalho da psicologia em Portugal
No momento em que se formou a psicologia,

as universidades que formavam os psicólogos preparavam:

*
Investigadores;

*
Teóricos;

*
Não psicoterapeutas;

*
Psicólogos.

Que intervinham nas diferentes dimensões da vida social.
Depois da Guerra Mundial a psicologia assiste a um extraordinário desenvolvimento

Psicologia aplicada
, que surgiu na década de 70, no
âmbito da saúde mental e da educação onde conheceu um importante impulso
. Tal como outras ciências as componentes:
Teórica
e

prática

que passaram a estar intimamente ligadas.

O estudo das biografias de alguns psicólogos reflectiu a
relação íntima
entre a sua
intervenção prática
e a
construção das suas conceções
e
teóricas.
Freud
foi considerado o

mais forte e citado dessa relação
, ou seja,
é a prática clínica que a conduz:

*
A uma inovadora explicação do funcionamento do psiquismo humano;

*
A uma compreensão de várias psicopatologias;

*
A uma teoria sobre a personalidade.

O método e as

técnicas terapêuticas

que Freud utilizou decorreram das suas

concepções teóricas.

Numa relação dialéctica,a aplicação do

método
e
técnicas psicanalíticas
favoreceram o

aprofundamento do quadro conceptual da psicanálise.

Outros nomes como:

*
Bowlby;
*
Watson;
*
Piaget;
*
Bruner;
*
Damásio:

Aliaram a

componente teórica
à

dimensão aplicada da psicologia.

A um nível mais abrangente, podemos afirmar que as

condições da prática social suscitaram:


*
Produções teóricas

que permitiram
interpretar e agir sobre o mundo social
.

O quadro seguinte, mostra esse desenvolvimento:
*
Neuropsicologia:

Aborda os fundamentos
biológicos do comportamento
e dos
processos mentais
(
Sistema
nervoso
,
endócrino
,

imunitário
etc..)

*
Psicologia Social
:
Estuda os processos de interacções entre os
indivíduos
e os
outros
, entre o
individuo
e os
grupos
e entre os
grupos
;

*

Psicologia do desenvolvimento:

Aborda as diferentes
fases
e
processos de desenvolvimento psicológico
desde a vida intrauterina até à morte;

*
Psicologia Cognitiva:

Estuda os processos mentais como a

percepção
,
a
aprendizagem
, a
memória
a
r
esolução de problemas
e

recentemente as emoções e motivação
;

*
Psicopatologia:
Estuda as

causas
,
a
história
e o

desenvolvimento das perturbações mentais e das disfunções do individuo
;

*

Psicolinguística:
Estuda os
processos mentais
que intervêm na
aquisição
e na
utilização da língua mãe
.


Psicologia Aplicada

Não é possível pensar em psicologia sem intervenção, ou seja, a psicologia tem uma dimensão prática que se integra em vários
contextos

e
instituições Sociais.

A psicologia hoje em dia está
sempre presente em qualquer área de actividade:
*
Tribunais.

Os níveis de intervenção vão desde:
O

indivíduo

à
comunidade

passando pelos

grupos
e
organizações.

O
desenvolvimento da psicologia

e a
complexidade dos problemas da sociedade contemporânea
têm conduzido:



Uma
progressiva especialização da psicologia aplicada
(divide-se em várias áreas).

De entre as várias áreas de intervenção, vamos aprofundar as que estão mais
presentes na nossa sociedade portuguesa:


*
Psicologia Educacional;
*
Psicologia do trabalho e das organizações;
*
Psicologia da orientação vocacional e profissional;
*
Psicologia clínica;
*
Psicologia criminal/ florense;
*
Psicologia desportiva e do exercício.


Psicologia de orientação vocacional e profissional

Antes, o
psicólogo desta àrea

era visto como um
especialista que com a aplicação de testes,

estabelecia um curso às pessoas,

ou seja, uma
profissão que correspondia às características individuais da pessoa que estava a ser avaliada.
Mas hoje em dia, é visto de
maneira diferente
, ou seja,
estabelece a orientação de uma maneira mais vasta
, que em vez de
colocar a perspectiva de orientar a sua carreira ou
o seu
plano vocacional,
orienta a planificação de vida.

O psicólogo ao fazer isso vai mostrar o

carácter técnico
e
psicológico do seu trabalho.


Também

se pode dizer que o seu

trabalho servia para indicar a opção curricular que o aluno devia de seguir
,
e que ainda hoje existe esse

método nas escolas e nas famílias.
O sentido de

orientação vocacional

e
profissional

mudou muito.
Hoje em dia, o desafio que se coloca ao psicólogo não é
apoiar a pessoa a escolher

o
seu curso

ou

profissão
, mas sim
ajudar as pessoas a conhecerem as suas capacidades
e
competências
, a

identificarem
os seus
interesses
,
desejos

e
expectativas
, para as apoiarem na:

Construção do seu projecto de vida.

Na nossa sociedade, que está em permanente

mutuação

e

transformações

devido às
grandes mudanças
:
*
Económicas;
*
Tecnológicas;
*
Socais

Vão levar-nos a pensar de maneira diferente sobre o

futuro vocacional

e

profissional
.


Numa época marcada pela
imprevisibilidade
, cabe ao psicólogo preparar as pessoas para a

flexibilidade
e para o
desempenho
de vários
futuros possíveis
.

O que quer dizer:
Que através disso
disponibiliza instrumentos
informativos

e

operacionais

que vão permitir que as pessoas façam as suas escolhas
escolares
e
profissionais
.

Por fim, podemos chegar á conclusão de que a

orientação em vez de

ser um

método estabelecido

é um

processo de reflexão

que conduz ao

autoconhecimento

e que a partir

de

circunstâncias

e
oportunidades
,
as pessoas possam pensar no seu contexto:


*
Pessoal;
*
Social;
*
Cultural.


O trabalho do psicólogo de orientação vocacional
e profissional:

O papel do psicólogo no contexto escolar não se pode remeter a uma intervenção:
Pontual

e
Social
.
As mudanças sociais implicaram a

mudança da escola
,
que hoje são vistas como

comunidade educativa
, ou seja,

como um
conjunto dos atores

implicados na

educação de
:
*
Alunos;
*
Professores;
*
Famílias.

Cada vez mais os

projectos de vida

dos alunos passam por relações que envolvem os
professores

e os
psicólogos
, que nesse caso a sua acção terá sempre de ter em conta a
rede social

(onde se enquadra os alunos)
.
O psicólogo vocacional e profissioal intervêm em várias actividades como:
Com essas

várias actividades

que foram referidas anteriormente
,
comprovam que o psicólogo vocacional
e
profissional
,
para além de desenvolver o

trabalho individual
,
desenvolve trabalho com:
*
As turmas;
*
Os professores;
*
Pais.


No que se refere ao contexto escolar, o psicólogo

apoia
e
intervêm

noutras áreas, apoiando os professores:

*
Na avaliação das dificuldades de aprendizagem e desenvolvimento dos alunos;
*
Na avaliação das causas do insucesso escolar;
*
Na forma de remediação.


Encaminhando os alunos com

necessidades educativas especiais para programas adequados
.


*
Apoiar os alunos no desenvolvimento da sua identidade pessoal e estimular as competências de autoconhecimento;
*
Analisar e trabalhar a informação disponível sobre várias opções e oportuniddes dos percusos escolares e profissionais;
*
Planificar, aplicar e avaliar programas de apoio às opções vocacionais e profissionais dos alunos;
*
Dar a conhecer as características do mundo, do trabalho e de exigências de formação;
*
Desemvolver ações de informação e sensibilização dos pais e encarregados de educação sobre as licações das opções escolares e profissonais;
*
Apoiar os alunos na tomada de decisão;
*
Apoiar as escolas em iniciativas e atividades que comprovam o sucesso escolar.
Psicologia Desportiva
A

psicologia do desporto

e

do
exercício
,
é um ramo da

psicologia ainda muito recente
,
mas se já teve o seu

grande desenvolvimento

e
e
xpansão nos últimos tempos
.
Essa psicologia dá a

compreender o comportamento

e os

processos mentais
das

pessoas

e dos

grupos

que estão

envolvidos no

desporto

ou no
exercício físico.
O grande
objetcivo
desta área da psicologia é:
Esta psicologia é especializada na procura dos

processos

psicológicos

subjacentes à

atividade fisica

e

desportiva
.


Os aspectos psicológicos que acompanham a prática
desportiva
de
exercico físico
estão ligados:



*
O rendimento;
*

O bem-estar físico;
*
O desenvolvimento;

*
O equilíbrio psicológico
das pessoas.
A partir daí há uma

necessidade de interesse

pela
componente biológica da actividade
, ou seja,

não é possível abordar sem ter em conta
, os feitos dos
treinos no desenvolvimento muscular

e noutras dimensões orgânicas.

À
Motivação
e à
Comunicação.
Estão envolvidas em diferentes

dimensões

presentes na
actividade física
,
competitiva

ou

não:

*
Cognitivas;
*
Afectivas;
*
Sensorio-motoras.

O psicólogo desta psicologia intervêm junto dos

clube

e

das

equipas

desportivas

como
colectivo

e dos

atletas

enquanto

indivíduo
, ao nível:
*
Amador

e

profissional
Podemos encontrar um psicólogo especializado nesa área junto a

grupos de alta competição

como exemplo:

*
Equipas de futebol;
*
Equipas de basquetebol;
*
Equipas de andebol;
*
Profissonais de ténis;
*
Profissionais de ciclismo;
*
Profisionais de motociclismo.

A intervencão do psicólogo desta área não se limita só a estes
contexto referidos anteriormente
, mas também:
Actividades
físicas
e
desportivas de laze
r, de recreação ligadas à
saúde
:
*
Ginásios;
*
Health clubs;
*
Clínicas médicas;
*
Instituições vocacionadas para a reabilitação.
No que se refere ao nível do

desporto proficional
,
podemos referir que o

psicólogo desta área

não trabalhar apenas juntos dos atletas
,
mas também de:
*
T
reinadores;
*
Preparadores físicos
;
*
Médicos;
*
Outros agentes de apoio
No sentido de

formarem

grupos de tabalho pluridisciplinares

que abordem as

questões de forma integrada

e que, em onjunto,

ajudem os atletas

a
desemvolverem

e a

aprofunadarem as suas capacidades
.
Não esquecendo que os
Árbitos

e os
Juízes
também podem ser apoiados pelo
psicólogo do desporto.
O trabalho do Psicólogo do desporto e do exercício
Uma das suas funções é o

trabalho junto dos clubes de futebol
,
ajudando os

atletas a obterem o melhor rendimento possível.
A sua
intervenção
é bem

mais complexa
.
Exemplos de intervenções possíveis do Desporto apresentadas pela sociedade Britânica de Psicologia:
*
Ajudar atletas de elite a desemvolver estratégias de preparação para lidarem com as exigências da competição e do treino;
*
Consultar psicologicamente atletas lesionados duarnte a sua reabilitação.
O psicólogo do desporto tem funções muito alargadas, não se isolando só ao:

*
Rendimento;
*
Participação desportiva.
Por fim, o psicólogo do desporto e do exercício intervêm
ainda:
*
Em angústias;
*
Em Ansiedades;
*
Em relaxamentos;
*
Em concentrações;
*
E em questões da comunidade de conflitos.

Ajudando também a
gerir o stress

e até o
esgotamento,
bem como
solucionar situações de crise que de correm de sentimentos de frustração

( Quando um atleta não é convocado.)

Prof. José Verissimo
Curiosidade
– Natasha Kampusch durante os anos que esteve sequestrada desenvolveu uma síndrome de Estocolmo, que é um estado psicológico em que a vítima de um sequestro cria laços afectivos com o seu raptor. Em várias entrevistas dadas após a sua fuga, Natasha afirmou que Wolfgang fazia parte da sua vida e que a sua morte não era necessária, defendendo, assim, o seu raptor.
Top 5 dos Assassinos em Série na história:
O desenvolvimento da psicologia
provocou diferenciações no
seu campo de estudo
, tal como aconteceu com as
outras ciências.
*

Escolas;
*
Empresas;
*

Hospitais;
*

Fábricas;
Intervir no sentido de optimizar:
Psicologia Aplicada
Full transcript