Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Um mundo de contrastes / Um Mundo Superpovoado? - A evolução da população mundial; A estabilização da população no Norte

No description
by

pereira p

on 27 August 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Um mundo de contrastes / Um Mundo Superpovoado? - A evolução da população mundial; A estabilização da população no Norte

Um mundo de contrastes
Um mundo superpovoado?
A estabilização da população no norte
O crescimento natural é negativo ou nulo
A taxa de mortalidade tem vindo a diminuir, o que leva a um aumento da esperança média de vida e a níveis próximos dos da taxa de natalidade (com a diminuição do índice sintético de fecundidade, que não permite a renovação de gerações)
PAÍSES DESENVOLVIDOS
Envelhecimento demográfico
(o peso do grupo etário dos idosos é cada vez mais significativo)
No entanto, as tendências verificadas na Europa contrastam com a situação dos EUA ou da Nova Zelândia, onde a taxa de crescimento natural e o saldo migratório são positivos e o índice sintético de fecundidade apresenta valores muito próximos dos do índice de renovação de gerações. Nestes países, o envelhecimento processa-se a um ritmo mais ligeiro do que na Europa.
devido à revolução dos costumes, transformação das estruturas familiares por causa da melhoria do nível de vida, urbanização e emancipação da mulher
As implicações demográficas e económicas do envelhecimento
- Perturbação do normal funcionamento da economia
Contratação da população em idade ativa; Desiquilíbrio da relação entre ativos e inativos.
consequências sociais e económicas
Dinamismo enfraquece e a produtividade económica poderá diminuir
Aumento das despesas com a saúde;
Agravamento da carga fiscal sobre a população ativa (de forma a suportar as despesas de segurança social);
A pré-reforma tem agravado as despesas dos sistemas de proteção social;
Menor mobilidade geográfica e profissional por parte dos ativos mais idosos;
Aumento do número de pessoas solitárias com mais de 60 anos;
Aumento do número de idosos dependentes;
Degradação da situação económica e social dos idosos.
As políticas natalistas nos países desenvolvidos
Os países desenvolvidos foram os primeiros a sentir a necessidade de implementar medidas de incentivo à natalidade.
Quantitativo do abono de família mais elevado no caso de
A partir do 2ºfilho (França)
A partir do 3ºfilho (Alemanha)
Famílias numerosas ou de baixos rendimentos
Prolongamento das licenças de parto.
Remuneração dos períodos de licença conforme os vencimentos auferidos pela mulher na altura do parto ou através de um valor fixado, com durabilidade variável.
Desenvolvimento dos sistemas de proteção social dos mais jovens, creches e jardins de infância.
Restrição das práticas anticoncepcionais, nomeadamente com recurso ao aborto.
Horários de trabalho reduzidos e flexíveis
Atribuição de crédito à aquisição de habitação com juros baixos e perdão parcial da dívida por cada nascimento.
As taxas de natalidade têm registado um ligeiro aumento. O índice sintético de fecundidade aproximou-se dos valores necessários para a renovação de gerações.
Em 1800 a população não ultrapassava os mil milhões; em 127 anos a população aumentou para 2 mil milhões. Em 33 anos (1927-1960) atingiu 3 mil milhões de seres humanos. Em 1974 passou a 4 mil milhões e em 1987 atingiu 5 mil milhões. Em 2008 a terra possuía 6749,7 milhões de habitantes e em 2014 o planeta chega a atingir 7.2 mil milhões de habitantes.
OS números
- 10 estados possuiem o maior número de habitantes (59,2%) do planeta. A China, juntamente com a Índia representam logo cerca de 37%, tornando a Ásia o continente mais populoso. Este possui 4305 milhões de habitantes o que corresponde aproximadamente a 60% da população mundial.
O crescimento demográfico no mundo
- Fenómeno recente;

- Apesar da diminuição da taxa de crescimento natural da população nos últimos 30 anos (2.1% em 1997 para 1.2 % em 2005) o acréscimo anual traduz-se num CRESCIMENTO EXPLOSIVO DA POPULAÇÃO MUNDIAL.

A ONU prevê a redução do crescimento natural de:
78,6 milhões de pessoas por ano (1995-2000);
75,8milhões por ano 2005-2010;
33,7 milhões 2045-2050;
Esta redução não evitará que o planeta venha a atingir 9 milhões em 2050.
A evolução da população mundial
Os diferentes ritmos de crescimento populacional
O grande problema dos diferentes ritmos de crescimento da população relaciona-se com os países desenvolvidos e os países em desenvolvimento.
PAISES DESENVOLVIDOS
atingiram ou estão prestes a atingir uma taxa de crescimento natural nula ou até negativa;
PAISES EM DESENVOLVIMENTO
[África , América Latina, Ásia (excluindo Japão)] a taxa média de crescimento é de cerca 1,4%.

A maioria dos PED só entraram agora na segunda fase do processo de transição caracterizada pela redução da fecundidade, enquanto os países desenvolvidos têm uma taxa de fecundidade tão baixa que não garante a substituição de gerações.
Os demógrafos consideram que a evolução da população está incluída numa teoria de transição demográfica.
A quebra registada na taxa de fecundidade leva a uma redução acentuada do peso do grupo etário dos jovens e a um aumento proporcional da importância dos idosos nos países desenvolvidos, que nem os imigrantes provenientes dos PED, habitualmente jovens e com perfil de fertilidade mais elevado, reverte, já que também estes adoptam rapidamente as características demográficas dos países de acolhimento.
Nos países em desenvolvimento, as elevadas taxas de mortalidade e as altas taxas de fecundidade têm vindo a originar pirâmides etárias de base larga e com topo estreito. Hoje em dia, a fragmentação evolutiva do Terceiro Mundo leva a uma maior complexidade de análise das pirâmides etárias.
Introdução
Um dos aspetos mais importantes que acompanham a evolução da espécie humana tem sido o seu crescimento populacional que nos últimos séculos tem apresentado um aumento exponencial. Neste trabalho pretendemos abordar esta temática através da análise de um série de vertentes que caracterizam este crescimento, desde as suas fases, às suas diferenças regionais e à sustentabilidade.
Factos Conclusivos
Sumário

- A estabilização da população no Norte;

Um mundo superpovoado?:
Introdução;
Factos Conclusivos;
Materiais de Apoio.
Materiais de Apoio
http://prezi.com/qduvrrupm0nv/a-estabilizacao-da-populacao-no-norte/
http://www.slideshare.net/GeografiaC/trabalho-projeto-individual-sobre-o-tema-4-um-mundo-de-contrastes-41-um-mundo-superpovoado-apresentao-intermdia
http://www.slideshare.net/JoanaMelo6/um-mundo-superpovoado-14854918
http://prezi.com/-uc9ws6hvi62/um-mundo-superpovoado/
http://geografar.no.sapo.pt/pdfs/8s/pp/Evolucao%20Populacao%20Mundial.pdf
http://profgeografiaensino.files.wordpress.com/2012/09/evoluc3a7c3a3o-da-populac3a7c3a3o-mundial-esquema-1.pdf
Segundo o Instituto Nacional de Estatísticas Demográficas (INED) publicou em setembro de 2013, a Europa possui 740 milhões de habitantes (10.4%).
Já os Estados Unidos, o terceiro continente mais populoso, possui 958 milhões de habitantes (13.41%).
Fonte:
http://www.publico.pt/multimedia/infografia/a-populacao-em-cada-continente-95
As bases das pirâmides etárias diminuem e os topos alargam progressivamente
Ritmo de crescimento populacional lento;
Tanto a taxa de natalidade como a de mortalidade apresentam valores elevados, pelo que o crescimento é baixo.
Caracterizou-se por um rápido crescimento da população mundial onde a taxa de mortalidade sofreu uma acentuada redução, em particular nos países industrializados, enquanto a taxa de natalidade se manteve elevada.
Corresponde à fase de maior crescimento populacional da História da Humanidade. A descida da taxa de mortalidade em todo o Mundo e a manutenção de altas taxas de natalidade na maior parte das regiões menos desenvolvidas provocaram um crescimento da população mundial muito rápido.
Esperança de vida à nascença por sexo em Portugal

Indicadores de fecundidade: ISF e TBR - Portugal

Indicadores de envelhecimento em Portugal
A esperança média de vida entre os portugueses voltou a aumentar. Uma criança que nasça este ano (2014) irá viver, em média, até 2094. Ou seja, são 80 anos de vida que a esperam. As mulheres, ainda assim, têm uma esperança média de vida superior aos homens.
- A evolução da população mundial;
A Terra conta com um acréscimo de cerca de 2 pessoas a cada segundo que passa, de cerca de 200 mil pessoas por dia e de cerca de 80 milhões de pessoas por ano.
A totalidade dos países desenvolvidos encontra-se na última fase da Transição Demográfica e até alguns países desenvolvidos já se encontram numa fase chamada de pós-transição, pois o seu nível de fecundidade não consegue garantir a substituição das gerações. Porém, na generalidade todos os países do mundo já passaram pela 2ª fase (declinio da mortalidade) e, quase todos, chegaram à terceira fase (declinio da fecundidade). Tal irá manter-se sucessivamente por alguns anos.
A pesar do Modelo de Transição Demográfica só admitir duas fases de transição, atualmenta já se verifica uma terceira fase em que o crescimento natural passa de 0 (2ªfase) para negativo, isto é: taxas de natalidade inferiores às taxas de mortalidade.
Portugal é atualmente o sexto país mais envelhecido do mundo e, em quarenta anos, passou de país com a maior taxa de natalidade da Europa para detentor da taxa de natalidade mais baixa.




Os primeiros sintomas do envelhecimento começaram na década de 50 (século XX) que depois se agravaram na década de 60 devido à emigração. Na década de 70 a emigração continuou sendo depois contrabalançada com a vinda dos retornados devido ao processo de indepêndencia das antigas colónias. A partir dos anos 80 deu-se sobretudo o declínio da natalidade uma das maiores causas do envelhecimento, outro fator é aumento da esperança média de vida.
Atualmente, devido à situação económica, a imigração decaiu bastante, mas por outro lado a emigração aumentou, o que leva a um declínio da população, pois os jovens vão embora, não têm cá os seus filhos e se não vêm imigrantes como forma de substituir os que vão embora assistimos, assim, a um processo de declínio que se vai acentuar no contexto de crise económica e social nos próximos 20 anos.
Maria João Valente Rosa
Trabalho realizado por:
Daniela Jorge e Márisa Quaresma 12ºB
Agrupamento de Escolas de Tábua
Ano Letivo: 2013/2014
Disciplina: Geografia C
"Sete bilhões é um grande número. Esta também é a quantidade de pessoas habitando o planeta Terra. Pouco antes da meia-noite do último domingo (30.10.2011), nasceu Danica, a bebê filipina que representa a chegada da população mundial à casa dos sete bilhões."
Relatório sobre a situação da população mundial - 2011
Fonte: http://ciclovivo.com.br/noticia/populacao_global_atinge_7_bilhoes_de_pessoas
“Nascer em Portugal é nascer num país envelhecido.”
DOMINGOS, Cristina, LEMOS, Jorge e CANAVILHAS, Telma, Geografia C, volume 1 (12 ano), 5ª edição, Plátano Editora, Lisboa, 2012;
Full transcript