Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Economia, sociedade e cultura medieval

No description
by

Emilly Pezzin Amaral

on 25 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Economia, sociedade e cultura medieval

Economia, sociedade e cultura medieval

Islâmicos e Bizantinos na contramão da Europa Feudal
O islamismo significou, para os árabes, a unificação de diversas tribos e a realização de seu ímpeto expansionista de caráter religioso e econônico-comercial.
- A estrutura da Igreja Medieval encontrou dificuldades em manter a igualdade da doutrina cristã.

- O difícil relacionamento com a Igreja Bizantina foi um fator de ameaça ao poderio da Igreja, que gerou em 1054 a Cisma do Oriente.

Economia, sociedade e cultura medieval
Economia, sociedade e cultura medieval
- O sistema feudal era caracterizado pela subordinação da maior parte da população a um pequeno grupo, os senhores feudais.

- A religiosidade coordenava o tempo

A cultura na época medieval
- As pessoas na idade média davam significados próprios às coisas de seu tempo, mas nem por isso estavam atrasados culturalmente

- Foi daí que surgiu o TEOCENTRISMO CULTURAL. O monopólio cultural da Igreja, junto com a intensa religiosidade acabou se refletindo nas artes e na mentalidade da época
Feudalismo
Feudos: unidade de produção agrícola. Pertencia aos senhores feudais, membros do alto clero ou nobres guerreiros

No século VIII, o Império já se estendia do Rio Indo até a Península Ibérica, incluindo o norte da África e regiões do sul da Europa, como as ilhas da Córsega e a Sicília.
- A expansão muçulmana foi iniciada pelos árabes, berberes e outros povos convertidos ao domínio islâmico.

- Para a história do Brasil, um dos califados mais importantes foi o de Córdoba.

- O confronto com os mulçumanos provocou desagregação do Império, que desapareceu em 1453.
A igreja medieval
- Com a desagregação do Império Romano do Ocidente, o cristianismo contribuiu para a forte religiosidade que marcou a mentalidade medieval.

- Os membros da Igreja Medieval incitaram valores como a passividade e a subordinação dos homens comuns perante o senhor.

- O poder da Igreja, não estava restrito ao plano espiritual. O poder da Igreja era também temporal.
Surgiram ordens religiosas que afastavam seus membros das tentações do mundo por meio do isolamento em mosteiros e abadias e de votos de castidade, pobreza e silêncio.

• Clero Secular: que vivia no “mundo”, em contato com a terra, a administração e a exploração das riquezas.
• Clero Secular: que vivia de acordo com as “regras”, como eram chamados os votos que os religiosos faziam

Economia:

- não foi um sistema imóvel e estagnado

- durante a Baixa Idade Média, mostrou seu dinamismo com o desenvolvimento das cidades e das atividades artesanais e comerciais

- caracterizado pelo predomínio da produção para consumo local

- comércio reduzido ou quase inexistente

- ausência ou baixa utilização da moeda

Sociedade:

- servidão

- estamental: dois grupos sociais, os senhores e os servos

- os servos formavam a maioria da população

- a exploração do trabalho servil era legitimada pela igreja

- suserania e vassalagem: isso ocorria quando um nobre doava terra a outo nobre, em troca de ajuda em guerras e outra obrigações. O senhor que doava o feudo tornava-se suserano, comprometendo-se a proteger o nobre que recebera a terra. Este passava a ser o vassalo, que era obrigado a prestar ajuda militar ao primeiro.

- para marcar essa dependência, realizava-se uma cerimônia chamada homenagem

- o rei era o senhor feudal mais poderoso que todos

- A educação formal entrou em crise na Alta Idade Média, ficando restrita principalmente ao meio clerical. Durante o período merovíngio, a Igreja manteve escolas episcopais para garantir a formação do clero, enquanto dentro dos mosteiros realizavam-se a leitura e a cópia de documentos escritos e de alguns livros das civilizações grega, romana e árabe

- Um dos principais filósofos medievais foi um religioso do Baixo Império Romano, preocupado principalmente com assuntos ligados à doutrina cristã: SANTO AGOSTINHO
- Santo agostinho dedicou-se a conhecer a essência humana e preocupou-se com o modo de alcançar a salvação da alma

- Santo Agostinho definia o homem como um ser corrompido, por ser herdeiro do pecado original.

- Desse modo a salvação só seria obtida ao homem pecador graças a intervenção divina, na medida em que Deus incluía o perdão entre seus infinitos atributos.

- “A fé precede a razão”

- A filosofia teve grandes pensadores islâmicos, dentre eles Ibn Rochd (Averróis). Além de averróis destacou-se a obra de Abu Hatim Alrazi (Razi)

- Os argumentos de Razi só puderam ser divulgados na europa no século XVIII no contexto do Iluminismo. Apenas fragmentos de sua obram chegaram nos dias de hoje

“Minha primeira viagem durou sete anos, durante os quais eu contei o que eu tinha andado a pé - mais de mil farsakhs - fiquei contando as distâncias que percorri até ultrapassar o limiar dos mil, então eu parei de contar”
-Na europa cristã apenas uma parcela da população dominava a leitura
–Lingua escrita era basicamente o Latim ou idiomas de origem germânica
- Entre ornamentos dos mosteiros e igrejas se encontravam esculturas e afrescos
–As pinturas e esculturas europeis possuíam um papel educativo e templativo
– Arquitetura também refletiu a religiosidade herdada da alta idade média
- Principais monumentos foram as igrejas e o estilo predominante foi o românico.

- O Desenvolvimento se deu na construção de castelos, mosteiros e igrejas.

-Ao mesmo tempo, o Império Islâmico viveu o amplo desenvolvimento de suas potencialidades artísticas e culturais

Palácio de Alhambra
Mesquita de córdoba
Embora o período medieval europeu tenha sido caracterizado como a época do obescurantismo das ideias e dos predomínios da fé, atestam a importância e a riqueza do pensamento e da cultura medievais
Temores dos cristãos europeus quanto ao ano 1000
Baixa Idade Média: Dinamização Cultural
Na Baixa Idade Média, as grandes transformações provocadas pela expansão comercial afetaram o monopólio cultural exercido pela igreja. O crescimento do comércio, a urbanização e o contato mais frequente com outros povos, fez com que valores fossem adquiridos, deixando de subordinar sua vida divina.
Com a dinâmica comercial, as cidades transformaram-se, aos poucos, em centros culturais e passaram a irradiar uma cultura cada vez menos subordinada aos valores da Igreja.
- Indulgência

- Conceito de Universidades

- O pensamento filosófico ainda era dominado pela Também conhecido como tominismo, que é um conjunto de ideias tem origem no pensamento de Santo Tomás de Aquino
Durante a idade média usou-se o latim em documentos escritos (até o séc. XI); depois desse período começou a aparecer as primeiras obras escritas em “línguas vulgares”. (Trovadorismo)
Arquitetura na baixa idade média

- A arquitetura foi a maior expressão artística da Baixa Idade Média, com o surgimento do estilo gótico, difundido a partir do século XII, em oposição ao estilo românico predominante até então. (Arquitetura)
O conhecimento ao redor do mundo
Por volta do ano 1000, os chineses, os indianos e os árabes tinham mais acesso aos conhecimentos eruditos e técnicos do que os europeus.
Por volta do ano 1000, os chineses, os indianos e os árabes tinham mais acesso aos conhecimentos eruditos e técnicos do que os europeus.
Os chineses desenvolveram impressão com tipos móveis 400 anos antes dos alemães, com Guttemberg, e inventaram a bússola e os relógios mecânicos.
Os indianos, por sua vez, criaram os nove algarismos que usamos, mais o zero, cuja concepção ocorreu também entre os maias, na América. Os indianos criaram as bases do cálculo, que ainda hoje utilizamos, e os algarismos foram conhecidos na Europa por intermédio dos sábios árabes muçulmanos.

Obras como as de Aristóteles e Platão, foram redescobertas pelos europeus medievais.
Os contatos com a China ocorriam ainda pelas rotas da seda e das especiarias. Tornou-se famosa, como já vimos, a história de um jovem mercador veneziano, Marco Polo (1254-1324), que viajou à China no século XIII em companhia do pai e acabou trabalhando para Kublai Khan, na época soberano mongol da China. Dessa famosa aventura de 25 anos de Marco Polo, resultou um livro que introduziu a China e suas províncias no imaginário europeu.
GRUPO:
Carolina Delpupo
Emilly Pezzin
Francine Daré
Laryssa Tonete
Mariana Berger
Full transcript