Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

PAPEL DO FARMACÊUTICO NA SAÚDE DO IDOSO

No description

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PAPEL DO FARMACÊUTICO NA SAÚDE DO IDOSO

O PAPEL DO FARMACÊUTICO NA SAÚDE DO IDOSO
Caroline Gonçalves Siqueira
Segundo a Organização Mundial de Saúde entre 1950 a 2025, a população de idosos de um modo geral no país crescerá 16 vezes contra 5 vezes a população total, assim a proporção de pessoas idosas na população geral, passará de 10:1 nos dias atuais para 5:1 em 2050.
Com o envelhecimento há um aumento no número de doenças crônicas e consequentemente o aumento da utilização de medicamentos.
A maioria dos idosos consomem, pelo menos, um medicamento, e cerca de um terço deles consomem cinco ou mais simultaneamente.
As classes terapêuticas mais consumidas são os medicamentos cardiovasculares, os antirreumáticos e os analgésicos.
É comum encontrar em suas prescrições dosagens e indicações inadequadas, interações medicamentosas, associações em redundância, e medicamentos sem valor terapêutico para o paciente.
Envelhecimento e a evolução das
doenças crônicas
absorção, distribuição, metabolismo
e excreção dos fármacos
MAS COMO O FARMACÊUTICO PODE ATUAR PARA MELHORAR A SAÚDE DO IDOSO?
Estabelecer critérios de seleção de medicamentos
Auxiliar no ajuste de posologia
Promover o cumprimento da terapia medicamentosa
Detectar as RAM's e interações
Orientar sobre nutrição e higiene
Tentar solucionar os PRM's encontrados

O que é necessário saber para uma correta atenção farmacêutica?
Características diferenciais dos idosos derivados do processo de envelhecimento
Principais enfermidades e aspectos importantes destas.
Medicamentos mais frequentes e modificações na resposta farmacológica.
Principais síndromes geriátricas (Prejuízos cognitivos, depressão, instabilidade e quedas, sindrome de imobilidade, úlcera de pressão, incontinência urinária, desnutrição, delirium e constipação intestinal.
A falta de adesão ao tratamento, é um dos fatores determinantes para a saúde do idoso.
Princípios a ser seguidos para realização da Atenção Farmacêutica:

- Avaliar a necessidade da farmacoterapia
- Traçar a história farmacoterapêutica
- Preferir sempre que possível a monoterapia
- Conhecer a farmacologia dos fármacos mais prescritos
- Avaliar a dosagem
- Evitar farmacos com acentuado perfil de efeitos adversos
- Revisar regularmente a farmacoterapia
- Não permitir o uso de medicamento apenas em função dos seus efeitos adversos
- Reduzir o uso de medicamentos de baixa utilidade terapêutica
Identificar: controle sérico, contagem de comprimidos, observação dos efeitos adversos, avaliação das prescrições, planejamento posológico e acompanhamento farmacoterapêutico
Resolução: Formulação de um planejamento posológico, adequação dos horários de tomadas e acompanhamento farmacoterapêutico.
Reações adversas mais comuns em idosos
Agitação
Quedas
Depressão
Confusão
Constipação

Sintomas Extrapiramidais
Incontinência
No paciente idoso com múltiplas patologias a tendência é levar o paciente a consumir mais medicamentos (polifarmácia). Falhas na aderência com o regime terapêutico e erro de administrações também aumentam com a idade, que derivam, em parte, da confusão causada por terapias múltiplas, distúrbios cognitivos, dificuldade visual e destreza manual prejudicada, sendo que a semelhança na embalagem dos medicamentos também pode dificultar a aderência terapêutica do paciente idoso.
Envelhecer é uma dádiva que deve ser encarada não como uma perda de habilidades mais sim como uma oportunidade para transmitir os conhecimentos ao longo da vida...
Obrigado à todos pela atenção!
Referências bibliográficas
MOSEGUI, G.B.G., ROZENFELD, S., VERAS, R.P., VIANNA, C.M.M., Quality assessment of drug use in the elderly. Revista saúde pública., v.33., n. 5, p.437-444., 1999

MARQUES, L.A.M., Atenção farmacêutica em distúrbios maiores. 2ª edição. São Paulo: Meffarma. 2013

D’ANDRÉA, R. D., SILVA, G. P., MARQUES, L.A.M, RASCADO R. R., The importance of the relationship pharmacist-patient: perceptions of elderly members of unati (universidade aberta à terceira idade) on the role of the pharmacist. Revista Eletrônica de Farmácia Vol. IX (2), 49 - 60, 2012.

DIRETRIZES DE SAÚDE DA PESSOA IDOSA. 1ª Edição. Vitória 2008. Disponível em: http://www.saude.es.gov.br/download/34700_SAUDE_IDOSO_MIOLO.pdf

O farmacêutico pode atuar na saúde do idoso, através dos serviços de atenção farmacêutica, afim de resolver os problemas relacionados aos medicamentos, aumentar a adesão e consequentemente melhorar a qualidade de vida do paciente.
Full transcript