Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Areas culturais_Arqueologia

aula 02_etnologia indig
by

Barbara Arisi

on 5 April 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Areas culturais_Arqueologia

Arqueologia (breve)
Áreas culturais (anos 50)

Sambaquis
(do tupi-guarani tampa, marisco, e ki, amontoado)
comunidades litorâneas ergueram pirâmides de areia e conchas.

Arqueólogos especulam:
moradias ou cemitério?

No sambaqui Jabuticabeira 2, de Jaguaruna, a 157 quilômetros de Florianópolis, há 40 mil corpos.
O Império Inca como ápice

os demais como "faltantes"

O que faltava aos outros?

Império Inca
Em 1.500, estendia-se por 4.300 km,
da Colômbia ao rio Maule, no Chile.

Quipu - usado na administração
Estradas (como os romanos)
"Administrar" diversidade da população

PIZARRO - conquista 1532
disputa Huascar e Atahualpa


Etnologia Indígena
Profa. Barbara Arisi - UNILA
4 tipos de "complexidade" e distribuições geográfica:
povos marginais
- tecnologia subsistência vásica e sem instituições políticas - Cone Sul, Chaco, Brasil Central

tribos floresta tropical
- aldeias mais permanentes, dispersas (maior que os "bandos"), org. social parentesco - Amazônia, costa Brasil e Guianas e Andes meridionais.

certa centralização política e religiosa,
intensificação econômica e estratificação em classes (grupos de idade, sexo, idade, laços parentesco) - Região circuncaribenha e Andes setentrionais.

civilização
- Andes Centrais e costa do Pacífico. Império Inca.
Terras Altas

Terras Baixas

"Os especialistas que estudam esses restos de corpos, instrumentos, atividades, moradias – dentro do contexto ambiental da época – são os arqueólogos.”
André PROUS 2007
dicotomias entre
T. Altas e T. Baixas
política e natureza
Outros sistemas de aterro (como tesos)
Llanos de Mojos/Bolívia
Triângulo Apure/Orinoco
Litoral das Guianas

Se tais
aterros
e
cerâmica com desenho sofisticado
apontam para coletivos
mais
sedentários
, então modelos de Steward & Meegers devem ser revistos
"Se o Nilo irriga o melhor da África, fecundando-a com sua corrente -
o rio das Amazonas
banha reinos mais extensos, fertiliza mais planíces, sustenta mais homens e aumenta com suas águas oceanos mais caudalosos."

cronista Cristóbal de Acuña (1641)
Quem sabe onde estavam as sociedades indígenas do alto Xingu quando os Tupinambás ocupavam partes do litoral no século XVI?
critérios inovadores de Galvão:
limite temporal de validade,
contato intertribal e contato com a sociedade nacional
— fazem-me inclinar fortemente pela
adoção de sua divisão num exame das principais questões etnológicas da América Meridional
Melatti aponta 02 problemas sérios:
wiki áreas culturais
http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81rea_cultural


MELATTI propõe seu mapa

http://www.juliomelatti.pro.br/areas/01porque.pdf
Obrigada
gracias
Julio MELATTI
FAUSTO, Carlos. 2010. Os Índios antes do Brasil. 4a ed. RJ: Zahar.
NEVES, Eduardo Góes. Arqueologia da Amazônia. SP: Jorge Zahar. PEREIRA, Edithe. Arte Rupestre na Amazônia, SP: Ed. Unesp.
PROUS, André & RIBEIRO, Loredana. Brasil Rupestre. SP: Ed. Zencrane Filmes.PROUS, André. 2007. O Brasil antes dos brasileiros: a pré-história do nosso país. SP: Zahar.
MELATTI, Julio. 1970. Índios do Brasil. Brasília: Coordenada/INL.
_______. página do Melatti. Disponível em: www.juliomelatti.pro.br/
NEVES, Walter A. & PILO Luís Beethoven. ano? O Povo de Luzia, Walter Alves Neves e Luís Beethoven Pilo. RJ: Globo.
arqueologia
diversidade
etnocentrismo

Mapas culturais

preguntas
Prous
Thomaz
Cavalinho de Lascaux 17 mil AP
quais restos?
cerâmica,
ossos,
lítico, de animais, ferro, louça, etc.

Sítios importantes no Brasil:

ilha de Marajó, Xingu, sambaquis SC, PR e SP,
Lagoa Santa (MG)/Luzia,
margens do Amazonas,
São Raimundo Nonato/PN Serra da Capivara (PI), outros.
Tipologia
baseada em Service 1962

bando > tribo > cacicado > estado

evolucionismo
até hoje presente na Arqueologia.... infelizmente....
foto: Francesca Repetto / UNILA

Steward - HSAI
baseado em Service / 1962

bando > tribo > cacicado > estado

até hoje presente na Arqueologia.... infelizmente....
visão enraizada na ótica colonial da cordilheira
Ciências Sociais "comprou" tais teorias
Betty Meegers "Amazônia: a ilusão de um paraíso" ["counterfeit paradise"]
escava 1950 /1960
Anna Roosevelt {neta do presidente Roosevelt EEUU}
projeto 1980 - tesos e cerâmica marajoara
arqueólog@s
Robert Carneiro e Donald Lathrap
apontam para a riqueza da várzea

modelo de Lathrap - Amazônia central pólo de desenvolvimento
ambiente rico e restrito, bomba pulsante de culturas
nada de "andescentrismo", entre El Dorado e "inferno verde", ficou com o primeiro.
Pontilhado: povos marginais, sociedades heterogêneas vivendo em pequenos bandos e retirando seu sustento de ambientes inóspitos, tecnologia de subsistência muito rudimentar, carecem de instituições políticas, caçadores-coletores nômades. Situadas em três áreas de campos abertos e em condições climáticas bastante diversas: O Cone Sul, o Chaco, e o Brasil Central.
Quadriculado: tribos da floresta tropical, vivem em aldeias mais permanentes e dispersas pelo território, densidade demográfica maior que dos bandos de caçadores-coletores, possuem agricultura (queima e coivara), exploram os recursos aquáticos dos rios, sem instituições políticas, organização social por parentesco, sem poder político e religioso, igualitarismo. Dispersas na maior parte do continente, ocupando toda a Amazônia, a costa do Brasil e das Guianias e os Andes meridionais.
Traçado horizontal: caracterizada
por um desenvolvimento inicial de centralização política e religiosa, estratificação social em classes e intensificação econômica, (embora apresentassem tecnologia e cultura material semelhante às das tribos da floresta tropical, Steward considerava que essas sociedades tinham ultrapassado o nível de organização social baseado apenas em laços de sangue) grupos fundados em categoria de parentesco, idade e sexo davam lugar a classes sociais e à especialização ocupacional, poder e religião institucionalizados, chefes supremos, sacerdotes, templos e ídolos, sem igualitarismo social.
Em preto: classificadas como civilização (Andes Centrais e costa do Pacífico), ponto culminante (império incaico), expansionistas, densas densidades demográficas com estratificação social, sistemas intensivos de produção agrícola e de criação de animais, aparelho estatal desenvolvido com formas sofisticadas de administração pública, extração de tributos, especialização e desenvolvimento de técnicas como a metalurgia.
Tipologia evolucionista
Handbook of
South American Indians
(HSAI)
1940 - 5 vol.
áreas culturais de Eduardo Galvão
divisão em áreas um limite temporal de validade, ou seja 60 anos (1900-1959)

Evita assim considerar num mesmo mapa sociedades indígenas atuais com outras que desapareceram durante o período colonial ou imperial, ou a mesma sociedade em dois pontos diferentes do mapa, devido a deslocamentos sofridos durante o período de mais de quatro séculos de presença dos brancos, inconveniente em que incorrem outros autores que desenham o mapa como se fosse no momento inicial da conquista — como acontece com a divisão de Murdock — esquecendo-se de que esta não ocorreu simultaneamente em todos os pontos do continente,
mas constitui-se num processo gradativo.
Galvão explica escolha porque partes consideráveis
do território brasileiro
não estavam mais ocupadas por índios
no século XX
estão em branco no seu mapa.
culturas incluídas em cada uma delas são como que subdivididas em seus componentes de modo a serem utilizados na caracterização da área.
vira
"mera lista de traços culturais".

exemplos de contato intertribal, tomados sempre como
processos de
homogeneização cultural
barbara.arisi@gmail.com
barbara.arisi|@unila.edu.br
mapa Guarani Kaiowá
BIBLIOGRAFIA
Full transcript