Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Discurso - o texto em perspectiva

No description
by

Patrícia Sosa Mello

on 26 April 2018

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Discurso - o texto em perspectiva

Refletir sobre as condições da textualidade.
Conhecer a análise do discurso

O texto em perspectiva
Textualidade
Conjunto de características: texto como ocorrência comunicativa e não apenas sequência de frases ou palavras.
Segundo Beaugrande e Dressler (1981 conforme Koch, 2010), os fatores da textualidade são:
Fatores
semânticos
/
formais - centrados no texto
(coerência e coesão);
Fatores
pragmáticos - centrados no leitor
(intencionalidade, aceitabilidade, situcionabilidade, informatividade e intertextualidade).
Noção de “texto” = palavras e frases não foram colocadas ao acaso; dispostas e interligadas para a construção de relações de sentido.
Texto = unidade de sentido, não apenas conjunto de frases e palavras. Texto não tem só um sentido - produz efeitos de sentido.
Fatores pragmáticos da textualidade
O processo de compreensão do texto obedece regras de interpretação pragmática e, portanto, a coerência do texto não se estabelece sem levar em conta a interação e as crenças, desejos, quereres, preferências, normas e valores dos interlocutores." (KOCH; TRAVAGLIA, 1989)
Texto – O que é? Para Bakhtin,
é produção situada, ou seja, marcada pelo seu tempo;
é diálogo marcado pela resposta ativa do leitor;
está inserido em um contexto de valores;
tem autor, contudo, este autor não é único, ele fala pelas vozes dos outros;
está inserido em correntes de conhecimento;
tem uma forma específica que se adéqua ao contexto;
pode ser escrito, oral, visual ou verbovisual.
Origem:
Do latim discursus: dis (prefixo: divisão em partes, separação) + cursum (curso, carreira, corrida)
Etimologicamente,
discurso
traz o conceito do movimento, do percurso.
Análise da língua em movimento (dis + curso)
Não existe um “eu” individual, emissor de uma mensagem. O que existe é um sujeito social, fruto da interação entre o eu e o outro, inserido na história e o sentido não está nas palavras, mas é construído no ato da enunciação
As palavras mudam de significado de acordo com as condições em que são produzidas, de acordo com as posições assumidas pelos interlocutores.
Condições de Produção do Discurso
 Sujeito
 Memória discursiva
 Interdiscursos
 Situação
“Como nossa sociedade é constituída por relações hierarquizadas, são relações de força, sustentadas no poder desses diferentes lugares, que se fazem valer na “comunicação”. A fala do professor vale (significa) mais do que a do aluno”. (MEDEIROS E TOMASI, 2013, p. 39)
O lugar de onde se fala
“O lugar de onde falamos é constitutivo do que dizemos” (p. 38).
* professor/ * aluno/ * gestor
Formação Discursiva
 São correntes de discurso circulantes na sociedade e formam as correntes ideológicas. Todo texto pertence a uma formação discursiva.
Ex: a expressão “liberdade de expressão” dentro de uma ideologia (formação discursiva) democrática e de um regime autoritário. Essa expressão, utilizada nessas diferentes formações discursivas, gera efeitos de sentido diferentes.
A formação discursiva depende de contextos:
histórico
social
cultural
ideológico
A letra “O” e a letra “A”, colocadas cada uma para identificar as portas dos sanitários.
Como sabemos qual é o sanitário feminino e qual o masculino?
A que interpretação cultural, histórica e social recorremos para dar sentido a esse texto minúsculo? Qual a memória discursiva?
Quando alguém fala em “democracia” para muitas pessoas, cada uma entende a palavra em um sentido relacionado à sua própria condição.
Lembrando que a formação discursiva compreende os contextos social e histórico, a ideologia e as experiências e vivências dos sujeitos para aquisição/atribuição de sentidos, quais seriam as possíveis formações discursivas a respeito do conceito de “democracia” para os seguintes sujeitos:
a) Pequenos empresários
b) Operários de uma fábrica
c) Estudantes universitários
d) Político de esquerda
Pequenos empresários: pensam em maior abertura para decidir sobre seus próprios negócios ou na possibilidade de concorrer com as multinacionais em igualdade de condições.
Operários: pensam em liberdade de lutar eficazmente por melhores condições de trabalho.
Estudantes: imaginam maior participação dos alunos nas decisões e atividades escolares, e assim por diante.
E políticos? Raramente explicitam a que se referem concretamente. (...)
Tipos de Textos e Gêneros Textuais
Para Travaglia (2007), há vários tipos de texto, dentre eles os 4 mais utilizados: descrição, narração, dissertação e injunção. Estes textos podem ser considerados os moldes para todo tipo de texto que elaboramos.
Dentro destes moldes, trabalhamos os diferentes gêneros: aviso, comunicado, e-mail, contrato, requerimento, atestado, declaração, convocação, novela, circular, prova, manuais, receitas etc.
Ou seja, enquanto a tipologia funciona como "forma" os gêneros são o "conteúdo" da forma.
Faça o mesmo exercício para a palavra Terra:
qual o sentido de terra para:
* um latifundiário? *um astronauta?
*um agricultor? *um índio?
Full transcript