Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Modernismo no Brasil

No description
by

Leonardo Maronez

on 2 April 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Modernismo no Brasil

Semana de Arte Moderna
1922

São Paulo

Início do Modernismo

Literatura

Artes plásticas

Música

Arquitetura
Primeira Fase (1922 - 1930)

Período de Combate


Segunda Fase (1930 - 1945)

Período de Construção



Introdução
Anita Malfatti
(1889-1964)
Pintora, desenhista e professora

Ideias modernistas
antes de 1922
Literatura presa à modelos antigos

Necessidade de renovação

Futurismo

Revista Orpheu

Revista do Brasil

Grupos de renovação

Jovens futuristas
1922 - 1930
Modernismo no Brasil
Primeira Fase
"Sejamos sinceros: futurismo, cubismo, impressionismo e
tutti quanti
não passam de outros tantos ramos da arte caricatural. é a extensão da caricatura a regiões onde não havia até agora penetrado" [...]
MALFATTI, Anita.
O farol.
1915.
Victor Brecheret
(1894-1955)
Escultor ítalo-brasileiro
BRECHERET, Victor.
Cabeça de Cristo.
1920.
Oswald de
Andrade
Escritor, jornalista e dramaturgo

Divulgador do Modernismo no Brasil

1890-1954

Liberdade para criar
Ausência de regras

Estética indefinível

Atualização da arte
[...] “A estética do Modernismo ficou indefinível... pois essa é a melhor razão de ser o Modernismo. Ele não era uma estética, nem na Europa nem aqui. Era um estado de espírito revoltado e revolucionário” [...]
ANDRADE, Mário de.
[...] "A única diferença reside em que nos manicômios esta arte é sincera, produto ilógico de cérebros transtornados pelas mais estranhas psicoses; e fora deles, nas exposições públicas, zabumbadas pela imprensa e absorvidas por americanos malucos, não há sinceridade nenhuma, nem nenhuma lógica, sendo mistificação pura."

LOBATO, Monteiro.
Simplificação
Linguagem simples

"Falar bonito"
“Olhem a mania nacional de classificar palavreado de literatura. Tem adjetivos sonoros? É literatura. Os períodos rolam bonito? Literatura. O final é pomposo? Literatura, nem se discute. Tem asneiras? Tem. Muitas? Santo Deus. Mas são grandiloquentes? Se são. Pois então é literatura e da melhor. Quer dizer alguma coisa? Nada. Rima, porém? Rima. Logo é literatura.”[...]
MACHADO, Antônio de Alcântara.
Resumo
Combate

Simplificação
AMARAL, Tarsila do.
Operários
. 1933.
Fim
Jorge Lauxen

Leonardo Maronez

Moisés Fabrin

Nicholas Heck

Pedro Taufer

Rodrigo Robinson
MALFATTI, Anita.
O Japonês
. 1916
MALFATTI, Anita.
Nu cubista
. 1917
BRECHERET, Victor.
Monumento às bandeiras
. 1917
Full transcript