Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Capacitação em PICC

No description
by

ANDREIA ROQUE

on 15 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Capacitação em PICC

Modificações do MO através do tempo
Capacitação em PICC
Farmacologia aplicada ao uso do PICC
Interações medicamentosas
A medida que aumenta o número de medicamentos no esquema terapêutico do paciente, maior é o risco de ocorrência de uma interação medicamentosa
NORADRENALINA
MORFINA
Enf.: Andreia Roque
Infecção Relacionado ao uso do PICC
Definições de Casos
Patogênese
Modificação do MO através do tempo
Medicamentos mais utilizados por via IV
PONTOS PRINCIPAIS:

PH E OSMOLARIDADE
POTENCIAL DE HIDROGÊNIO - pH
*pH sanguíneo varia de 7,35 a 7,45,

*O pH das medicações é dificil de ser modificado,

*Medicações com pH entre 6,0 e 8,0 (aceitáveis),

*pH > 4,0 ou < 8,0 - alterações histológicas
OSMOLARIDADE

*Concentração de soluto,
*Fluidos corporais 280 a 295 mOsm/l,
*HIPOTÔNICAS < 250 mOsm/l,
*ISOTÔNICAS - 250 a 375 mOsm/l,
*HIPERTÔNICAS > 375 mOsm/l.
Clasificção do risco em relação a osmolaridade


*Baixo risco: até 450 mOsm/l,
*Risco moderado: de 450 - 600 mOsm/l,
*Alto risco: acima de 600 mOsm/l.
Atenção!
Aditivos nas medicações que aumentam o risco
de precipitação na mesma proporção em que se
aumenta o seu volume.
- ETANOL,
- PROPILENO GLICOL,
- POLIETILENO GLICOL
Prevenção de Obstrução por
Medicações precipitantes !
*Evitar infusões simultâneas (medicações),
*Evitar pH ácido e pH alcalino,
*Ver compatibilidade com PVC, polietileno, poliuretano ...
*Medicações ácidas - soluções glicosadas a 5% e medicações alcalinas - soluções fisiológicas a 0,9%,
*Usar vias exclusivas para cátion ou ânions bivalentes,
*Medicações com pH < 5 e pH > 9 - usar CATETER CENTRAL
*Farmacêuticas,
*Farmacocinéticas,
*Farmacodinâmicas,
*De Efeitos
FENTANIL:
- Fenobarbital,
- Tiopental,
- Fenitoína,
- Azitromicina.
Ocorre
Precipitação!!!
MIDAZOLAM:
- Amoxacilina,
- Amoxacilina/Clavulonato,
- Albumina,
- Ceftazidime,
- Cefuroxime,
-Insulina.
VANCOMICINA
- Heparina,
- Fenobarbital,
- Aminofilina,
- Ceftazidime,
- Albumina,
- Bicarbonato de Sódio,

- Depressores do SNC (fenotiazinas,
antidepressivos tricíclicos),
- Isoenzima do citocromo P450.
ANFOTERICINA B:
- Acetilcisteína,
- Alopurinol,
- Ampicilina,
- Cefepime,
- Cimetidina,
- Clindamicina,
- Cloreto de cálcio,
- Cloreto de sódio,
- Polimixina B,


- Cotrimazol,
- Dopamina,
- Enalapril,
- Estreptomicina,
- Fluconazol,
- Gentamicina,
- Ondametasona,
- Penicilina G Pptássica/Sódica,
-Piperacilina/Tazobactam
- Procaína,
- Propofol,
- Ranitidina,
-Tetraciclina,
- Vitaminas,
- Meropenem,
- Metildopa,
- NPT,
INSULINA
- Cefoxitina,
- Clopromazina,
- Digoxina,
- Dopamina,
-Diazepan,
- Fenilefrina,
- Fenitoína,
- Leevofloxacino,
- Norepinefrina,
- Piperacina/Tazobactam,
-Polimixina B,
- Propanolol,
-Ranitidina,
- Sulfametozaxol - Trimetropina
Precipitam!!!
E um dia de estudo????
Relevância:
- CVC - a ponta está em um grande vaso: aorta, artéria pulmonar, veia cava superior, veia cava inferior, veias braquiocefálicas, veias jugulares internas, veias subclávias e veias femurais.
- Os CVCs causam 90% das ICS,
- Nos EUA a ICS-CVC é de 18%,
- Os PICCs são a preferência por médicos
e enfermeiros (0,6 e 2,0 por 1000 PICC/dia.
- As complicações dos PICC mais comuns são as
não-infecciosas
- Colonização de cateter,
- Infecção do sítio de inserção,
- Infecção de túnel,
- Infecção de loja,
- Infecção de corrente sanguínea
relacionada ao líquido de infusão,
- Infecção de corrente sanguínea
associada ao cateter,
-Sepse clínica
Infecção de Corrente Sanguínea Associada ao Cateter

- 1 Hemocultura Positiva (coleta periferica) + CVC + manifestações clínicas de ICS (febre, calafrios, hipotermia, apnéia ou hipotensão) + Nenhuma outra fonte aparente de infecção = SUSPEITA DE ICSAC
- Isolar o MO:
Coleta de 02 Hemoculturas (Cateter + Periférico)
- Quantitativo - razão superior 5:1
- Tempo - positividade da coleta do cateter e periférica superior a 2 horas
OBSERVAÇÃO:

A ICS é considerada associada
ao CVC se este está em uso
há pelo mesnos 48h.
Os CVC rompem a
integridade da pele e do endotélio dos vasos
Sob a superfície interna até a ponta do cateter
Migrar do sítio
de inserção
sob a superfície externa do cateter
Replicação do MO sobre
a camada de fibrina

Liberação na
corrente
sanguinea
Anos 80
Cocos Gram positivos:
Estáfilos - ECN e S. aureus
ECN,
Enterococos.
Modificações do MO
através do tempo
- Fungos (Candida spp),

- Bactérias Gram negativas:
*Pseudomonas spp,
*Enterobacter spp,
*Acinetobacter spp e
*Enterobacteriaceas produtoras de betalactamases de espectro extendido (ESBL)
Boas Práticas
Precauções máximas de barreira
Anti-sepsia da pele
Clorohexidina
Escolha do sítio de inserção
1. Higiene das mãos
Avaliação diária
Retirar o
cateter?
Manter o
cateter?
Tratamento
HD: ICS-CVC
- Coletar Hemocultura antes da terapia antimicrobiana,
- Coletar duas amostras da HMC periférica e do CVC,
- Caso seja removido o cateter enviar ponta pra cultura,


MO não isolado
-Dar cobertura para cocos gram positivos e
Bacilos gram negativos - prevalentes na Unidade
Infecção por FUNGOS
REMOVER o CVC imediatamente.
Full transcript