Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Escola Superior de Enfermagem de Lisboa

No description
by

Tiago Tavares

on 19 July 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Escola Superior de Enfermagem de Lisboa

Sumário:
1. Objetivos
2.Apresentação do caso
3.Genograma e Ecomapa
4. Interrogações do caso
5. Mapa Concetual
6. Problemas Identificados
7.Análise geral da situação, segundo Afaf Meleis
8. Terapêuticas de Enfermagem
9. Considerações Finais
10. Referências Bibliográficas
Objetivos
Análise da Situação
Escola Superior de Enfermagem de Lisboa
UC Análises de Situações de Enfermagem IV
Ano Letivo 2013/2014
Grupo III
Seminário Situação I
Apresentação do Caso
Discentes:
Regente
Docente Orientador
Joaquim Paulo Oliveira
Dulce Cabete
Lisboa, 29 de Abril 2014
Turma F
Analisar uma situação de enfermagem segundo o Modelo Teórico de Afaf Meleis.
Identificar os principais problemas de enfermagem e linhas de intervenção de enfermagem compatíveis com a situação em análise.
Adquirir conhecimentos passíveis de serem aplicados na prática clínica de enfermagem, de acordo com os processos de transição identificados.
Desenvolver o pensamento crítico e reflexivo, fazendo uso do julgamento profissional.
António
Mª Lurdes
Margarida
Jean-Pierre
Interrogações do caso
António
Estabelecer uma relação de ajuda e de confiança;
Manter abertura e disponibilidade para expressão dos seus sentimentos e vivencia do processo de doença;
Favorecer um clima de serenidade e compreensão junto do doente;
Identificar as suas dificuldades no desempenho do seu papel familiar;
Proporcionar medidas de conforto e apoio no domicilio;
Favorecer o envolvimento da família na vertente emocional e física a prestar ao doente;
Vigiar estratégias farmacológicas e não farmacológicas no controlo da dor/sofrimento;
Vigiar necessidades do doente no decurso do seu processo de doença;
Vigiar integridade cutânea e implementação de medidas de proteção.
Mª Lurdes
 Estabelecer uma relação de confiança e abertura com o doente;
 Planear, executar, monitorar e avaliar planos de cuidados, uma vez que com a evolução da doença a dependência aumenta;
 Encorajar a família no seu envolvimento, entender e seguir a idosa com dedicação;
 Vigiar cuidados com a pele, prevenção de úlceras de pressão, higiene corporal e oral, vestir, nutrição, hidratação e administração de medicamentos;
 Gerir estratégias no controlo dos sintomas comportamentais e psicológicos;
Gerard
Criar um clima de confiança entre o enfermeiro e os pais
Elucidar os pais sobre as alterações de comportamento na adolescência
Salientar aos pais que as suas escolhas quanto ao aproveitamento escolar, são na sua maioria responsabilidade do seu filho, e não culpa dos pais
Alertar para o facto de apesar de serem comuns mudanças de comportamento na adolescência;
Encorajar os pais a conversar com o filho e perceber as suas dúvidas e preocupações quanto à situação familiar;
Encorajar os pais a conversar com o filho sobre o seu aproveitamento escolar.
Jean-Pierre
Estabelecer uma relação terapêtica e a duração da mesma, baseada na confiança e no respeito;

Oferecer privacidade e garantir confidencialidade;

Mostrar diponibilidade para responder a qualquer questão sobre a sexualidade;

Encorajar o utente a verbalizar os seus medos e a colocar questões;

Discutir o efeito das mudanças na sexualidade sobre as pessoas significativas;

Providencias informaçoes fatuais sobre mitos e informações sexuais equivocas que o utente possa verbalizar;
Margarida
Desenvolver uma relação terapêutica;
Conversar sobre a situação actual da sua família e sobre os planos futuros
Reconhecer junto com o cuidador as suas dificuldades
Reconhecer a dependência do doente em relação ao cuidador
Fazer afirmações positivas sobre os esforços do cuidador
Ensinar técnicas que permitem uma redução de stress
Incentivar a manter uma vida social activa
Promover a auto-estima
Informar sobre recursos comunitários de cuidados a saúde
Terapêuticas de Enfermagem
Referências Bibliográficas
ARAGONÉS, J. I. (1995) El rol del maestro y del alumno. In: Casal, Carmen Huici (Org.). Estructura y procesos de grupo. Madrid. Universidad Nacional de Educación a Distancia – UNED, 1995. p. 215-239.
Butler, J. (2003). Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
Dias, A.; Rodrigues, M. (2009). Adolescentes e sexualidade: Contributo da educação, da família e do grupo de pares adolescentes no desenvolvimento da sexualidade. Revista Referência. II Série - n.°10. Julho. p. 15-22
FARIA, D. (2007) – A parentalidade de filhos adolescentes: a crise do meio da vida e o processo de individualização masculino. Boletim de Psicologia. Volume 57. Nº 126. São Paulo. ISSN 0006-5943. Junho de 2007.
FERNANDES, J. (2009) – Cuidar no domicílio – a sobrecarga do cuidador familiar. Mestrado em Cuidados Paliativos. Universidade de Medicina de Lisboa. Setembro 2009. Página 1 – 155.
FIGUEIREDO, D.; SOUSA, L. (2008) - Percepção do estado de saúde e sobrecarga em cuidadores familiares de idosos dependentes com e sem demência.Saúde dos Idosos. Volume 26. Nº1. Junho 2008
GOMES, A. (2010) - O cuidador e o doente em de fim de vida - família e/ou pessoa significativa. Enfermeria global. Nº18. Páginas 1 – 9. ISSN 1695-6141. Fevereiro 2010.
HOCKENBERRY, M. J. (2006) – Wong Fundamentos de Enfermagem Pediátrica. 7ª Edição, São Paulo: Elsevier Editora. ISBN 85-352-1918-8
JACKSON, S., BIJSTRA, J., OOSTRA, L.; BOSMA, H. (1998). Adolescent´s perception of communication with parents relative to specific aspects of relationships with parents and personal development. Jornal of Adolescence, 21, 305-322.
LOPES, N. A. (2005). Bullying comportamento agressivo entre estudantes. Jornal de Pediatria (Rio J). nº81(5 Supl),p.164- 172.
LUXEMBURGO. Le Gouvernement du Grand-Duché de Luxembourg. Ministère de la Famille et de l’Intègration (2011). Guia Prático para Seniores. Luxemburgo: Imprimerie Centrale. ISBN: 978-2-87994-102-8
McCLOSKEY, J. C.; BULECHEK - Classificação das Intervenções de Enfermagem (NIC). 3ª edição. Porto Alegre: Artmed, 2004. ISBN 85-7370-819-7
NANDA - Diagnósticos de Enfermagem - Definições e Classificação 2007/2008. Porto Alegre: Artmed, 2008. ISBN 978-85-363-1124-1
NASCIMENTO, S; PEIXOTO, F. (2012). Relações entre o estatuto escolar e o autoconceito, auto-estima e orientações motivacionais em alunos do 9º ano de escolaridade. Análise Psicológica, 4 (XXX), p.421-434.
NOGUEIRA, C.; et al, (2010). Estudo sobre a discriminação em função da orientação sexual e da identidade de género. Lisboa: Comissão para a Cidadania e a Igualdade do Género. ISBN: 978-972-597-326-4
OMAR, A. G; et al. (2000) Atribuición transcutural delrendimiento académico: un estudio entre Argentina, Brasil y México. Revista Mexicana de Psicologia, v. 17 (2), p. 163-170.
PEIXOTO, F; ALMEIDA, L. S. (2010). Self-concept, self-esteem and academic achievement: Strategies for maintaining self-esteem in students experiencing academic failure. European Journal of Psychology of Education, 25, 157-175.
PHIPPS, W. J. [et al.] (2007) - Enfermagem médico-cirúrgica: conceito e prática clínica. - Lisboa: Lusodidacta 2ª ed. - IV vol. ISBN 972-96610-0-6
PIRES, A. (2008) - Estudo da conjugalidade e da parentalidade através da satisfação conjugal e da aliança parental. Mestrado integrado em Psicologia. Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação. Página 1-50.
PRAZERES, V. (2003). Saúde juvenil no masculino: género e saúde sexual e reprodutiva. Lisboa: Direção-Geral da Saúde. 2003. ISBN: 972-675-086-5
ROS, M.; GRAD, H.; MARTINEZ-SÁNCHEZ, E. (1996) Una intervención en los valores para la mejora del rendimento académico. (Mimeogr.).
Sidney, G. (1970). Sola Scriptura - Problems and Principles in Preaching Historical Text. West Broadway. Wipf and Stock Publishers.
Vigotsky, L. S. (2001) A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes.
Wagner, A., Carpenedo, C., Melo, P., Silveira, P. (2005). Estratégias de Comunicação Familiar: A Perspectiva dos Filhos Adolescente. Psicologia: Reflexão e Crítica. 18(2), 277-282
http://www2.assis.unesp.br/revpsico/index.php/revista/article/viewFile/92/95 – Acedido a 1704/2014
http://ec.europa.eu/employment_social/empl_portal/SSRinEU/Your%20social%20security%20rights%20in%20Luxembourg_pt.pdf – Acedido a 08/04/2014
http://www.bienvenue.lu/documents/fck/file/pdf/Alloc_naiss/alloc_naiss_PT.pdf – Acedido a 08/04/2014
http://www.pwc.lu/en/tax-consulting/docs/pwc-publ-lux-income-taxes-2014.pdf – Acedido a 08/04/2014
http://ec.europa.eu/justice_home/daphnetoolkit/files/others/booklets/08_daphne_booklet_8_en.pdf – Acedido a 12/04/20
Considerações finais
António
73 ano
Reformado da Força Aérea
Diagnosticado com carcinoma testicular metástases no cólon, e ósseas
Acamado
Recebe cuidados da equipa de enfermagem
Sabe da doença
Identidade masculina não afetada
Mª. Lurdes
72
Reformada (costureira de Boutique)
Cuidadora principal do marido
Sinais e sintomas de demência
Deixou de ser cuidadora principal
Margarida
38 anos
Emigrada há 20 anos em Luxemburgo
Trabalha numa empresa multinacional de traduções
Em Portugal há 2 anos
Projeto de vida suspenso (ter outro filho)
Entrou em estado depressivo
Gerard
40 anos
Luxemburguês
Trabalha na mesma empresa que a esposa.
Em Portugal há 1 ano
Cuidador principal
Jean Pierre
16 anos
10º ano
Com dificuldades na escola
Isola-se no quarto, jogando e conversando com uma amiga
Será que a sua transição de desenvolvimento está relacionada com a definição da sua orientação sexual?
Será que a sua orientação sexual afeta a forma como é tratado pelo grupo de pares?
Será que o insucesso escolar afeta o seu autoconceito e a sua autoestima?

Hipótese: Compromisso da Identidade Sexual
Será que a sua situação de saúde afetou o seu estado psicológico e a identidade masculina?
Será que o processo de doença que vivencia deixa-o vulnerável?
Será que a diminuição da sua capacidade física afeta-o na sua autoestima e AVD´s?
Será que a área da profissão anterior influenciou no seu processo de doença?
Será que o processo de doença que vivencia alterou o seu papel familiar?
Hipótese: Cuidados Paliativos
Ao longo da vida profissional iremos deparar-nos com situações para as quais teremos de estar preparados para intervir.

Este trabalho permite colocarmo-nos numa situação e refletir sobre a mesma, mobilizando a capacidade de reflexão, espírito crítico e conhecimentos de enfermagem adquiridos ao longo do curso, de forma a prestar cuidados de enfermagem personalizados.
O Futuro!!
• Será que a família irá voltar para Luxemburgo, de forma a seguir o seu projeto de vida?
• Será que a avó acompanhará a família de volta a Luxemburgo?
• Será que a mudança para Luxemburgo está relacionado com as melhores condições de vida e de prestação de cuidados para idosos com demência?
• Será que a mudança para Luxemburgo está relacionada com a maior aceitação pela cultura luxemburguesa dos homossexuais?
• Será que a mudança para Luxemburgo está relacionada com a ajuda de subsídios de parentalidade que o Luxemburgo confere aos pais?
O Futuro!!
• Informar e orientar sobre a ajuda monetária e de saúde que o estado de Luxemburgo oferece às famílias com filhos.
• Encorajar/Incentivar a partilha de sentimentos e emoções sobre a migração de volta para Luxemburgo.
• Informar e orientar sobre o apoio que o estado de Luxemburgo oferece a cidadãos idosos com demência, seja no domicílio ou em instituições.
• Informar e orientar sobre programas de apoio ao cidadão homossexual.
• Informar e orientar sobre os programas escolares sobre a sexualidade/bullying nas escolas.
Catarina Ribeiro nº. 1683
Cátia Marques nº 3201
Helena Silva nº 1743
Liliana Pinto nº 3001
Nádia Sousa nº. 1852
Tiago Tavares nº. 2781
Será que a sintomatologia apresentada se deve ao processo de luto?
Será que a sintomatologia está associada ao projeto de vida não concretizado?
Será que a sintomatologia está associada à situação escolar do filho/identidade?
Será que a transição para o papel cuidador principal influenciou o seu estado de saúde?
Gèrard
Será que a aceitação do papel de cuidador principal está relacionada com a sua cultura/religião?
Será que a aceitação do papel de cuidador principal está relacionada com uma necessidade emergente face à situação do estado de saúde da esposa?
Será que a cultura e a religião do pai influenciam a disponibilidade de criar um diálogo com o filho sobre as suas incertezas?
Será que existiu uma boa adaptação ao adiamento do projeto de vida conjugal?
Modelo da Transição
Será que a transição de saúde/doença do marido influenciou o processo do estado cognitivo/ psicologico?
Será que os sinais de demência influencia os riscos que esta possa ter no domicílio?
Será que a transição de saúde/doença do marido desenvolveu um processo demencial?
Hipótese: Demência
Hipótese: Sobrecarga emocional do cuidador
Hipótese: Compromisso da Parentalidade
Parentalidade
Funções executivas de protecção, educação e integração na cultura familiar das gerações mais novas, por parte dos pais biológicos adoptivos, familiares e outros que tenham à sua responsabilidade a criança.
(PIRES, 2008)
1º momento
2º momento
Pais heróis, modelo de identificação
Crise do filho adolescente
A comunicação que se estabelece na família sofre profundas transformações durante o processo de adolescência dos filhos
A auto-estima, o bem-estar e os tipos de estratégias empregadas pelos adolescentes são variáveis que estão diretamente relacionadas com uma comunicação familiar eficaz
(Jackson, Bijstra, Oostra & Bosma, 1998)
Relação com os membros familiares
Conforto
Rotina doméstica
Actividades de vida diária do cuidador
SOBRECARGA EMOCIONAL DO CUIDADOR
É resultado de uma exposição prolongada a níveis de stress, para os quais o indivíduo não utiliza estratégias de coping adequadas
Cuidados diários e ininterruptos
Vida Social
Saúde Física
e
Mental
Abandono do autocuidado
Repouso inadequado
Cuidados diários
e ininterruptos
Saúde física e mental
Vida Social
Relação com os membros familiares
Repouso inadequado
Conforto
Alterações familiares, laborais e sociais
Alteração do apetite
Diminuição da concentração
Ansiedade e irritabilidade
Frustação
Alteração do sono
Cólera
Saúde física e psíquica do cuidador
Alteração do humor
Consolidação da
identidade sexual
Por volta dos 14 anos o adolescente já consegue apreender o significado das relações afetivas e sexuais com pessoas do mesmo sexo, tanto a nível social, como o sentido que tal manifestação sexual na sua vida pessoal.
A comunicação que se estabelece na família sofre profundas transformações durante o processo de adolescência dos filhos.
(Vigotski, 2001)

Demência
síndrome adquirido na qual existe perda das habilidades cognitivas e que interfere nas actividades quotidianas do indivíduo
Tipos de demência
Primária
Secundária
São desordens degenerativas do SNC, de curso progressivo e que se manifestam por declínio cognitivo ou por transtornos de comportamento.
São consequências de desordens não degenerativas que acometam o SNC.
Fases de vivência da doença terminal:
Negação e isolamento
Ira
Negociação
Depressão
Aceitação
(KUBLER, 2003)
Cuidados Paliativos
“(…) cuidados totais e ativos ao doente e respetiva família, por uma equipa multidisciplinar quando a doença já não responde à terapêutica curativa”.
(Pires, 2001)

os cuidados paliativos permite melhorar a qualidade da assistência prestada com menos custos.
Silva (1994:54)
(GREEN 2001 cit. por MONTEIRO, P, 2013 )
(FARIA, 2007)
(FERNANDES, 2009)
(GOMES, 2010)
(FERNANDES, 2009)
Full transcript